A A A C
email

ESCOLAS DO AMANHÃ

 


1 – HISTÓRICO DO PROGRAMA – 2009 a 2017

O Programa Escolas do Amanhã foi lançado em agosto de 2009, Decreto Nº 31022 de 24 de agosto de 2009, e, em 17 de novembro de 2010, o Município do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Educação, assinou um Termo de Cooperação Técnica com a UNESCO para sua implementação. Esse acordo perpetuou até dezembro de 2016. A iniciativa abrange 155 unidades, situadas em áreas mais conflagradas da cidade do Rio de Janeiro.

Vale ressaltar que o escopo do programa está diretamente vinculado à melhoria do desempenho escolar e à redução das taxas de abandono e evasão. Para tanto, estabeleceu-se uma rotina de horário integral para a incorporação de novas práticas e atividades extracurriculares, que buscam aproximar as famílias e a comunidade das escolas, prevenir a violência e promover a cultura de paz.

A implantação do Programa – que abriu caminho para a realização de múltiplas ações, projetos e atividades nas escolas, para a extensão da carga horária, o aperfeiçoamento de práticas pedagógicas e a formalização de parcerias -, não tardou para se mostrar um empreendimento arrojado, aberto a inovações e bem sucedido. O dinamismo, a instrumentalização das equipes, a maior participação das famílias e da comunidade, a integração das diversas disciplinas e a abordagem de temas transversais, dentre outras coisas, revigorou o ambiente escolar, garantindo uma mudança de atitude e novas possibilidades, dentro e fora de sala de aula.

Cinco são os eixos de sustentam o Programa servindo de norte para o desenvolvimento do planejamento, atividades, ações e acompanhamento deste:

- Mediação de conflitos: A Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro desenvolve com frequência programas destinada à prevenção e resolução de conflitos nas escolas de sua rede, com foco especial na tarefa de mediação. No caso do Programa Escolas do Amanhã, recorreu-se a uma parceria com outros programas, o Escola de Paz da ONG Nova América para a realização da formação dos professores e Programa Amigos do Zippy, educação para a Saúde emocional, para viabilizar uma formação voltada para a mediação de conflitos.

- Incentivo à leitura e escrita: O Programa Escolas do Amanhã não poderia deixar de contemplar um eixo tão essencial quanto o de incentivar a leitura e escrita, assumindo o desafio de vincular os conteúdos metafóricos dos relatos a situações concretas do dia a dia, problematiza-los, fazer a classe pensar, discutir e buscar, coletivamente, eventuais alternativas para a transformação da realidade que vivenciam.

- Fortalecimento da gestão: Uma das principais palavras de ordem no mundo todo nas últimas décadas, sobretudo com a chegada do novo século, é sustentabilidade, considerada em seus mais diversos aspectos. Contudo, a questão da sustentabilidade só pode ser pensada e encaminhada a reboque de outro grande desafio: o da gestão eficiente de recursos naturais, materiais, humanos e financeiros, seja por parte do poder público, seja por empresas e instituições da sociedade civil em geral, como as escolas. Assim, para estabelecer e manter sintonia com o que acontece para além do seu cenário interno, para se conectar a outras realidades, a escola necessita introduzir e assegurar uma gestão tão eficaz quanto democrática, que lhe permita, após fundar um espaço de diálogo, fundamentá-lo com iniciativas que fortaleçam e frutifiquem seus esforços, no sentido de levar os educandos, seus responsáveis, os moradores da comunidade e o coletivo social a ter credibilidade nos educadores, gestores, nas ações e deliberações adotadas e na estrutura escolar.

- Educação científica: A apropriação de conteúdos relacionados à educação científica nas escolas é fundamental para que os alunos se sintam mais preparados a compreender e a tentar responder a inúmeras situações que surgem inevitavelmente no dia a dia do processo de aprendizagem e da própria dinâmica social. Quanto mais acesso e mais familiaridade com esse tipo de informação, mais os alunos conseguirão desenvolver uma conduta rigorosa no campo do pensamento e da ação, que impõe verdadeiro exercício para o apuro do senso crítico. Do domínio do conhecimento científico nascem as condições para o aluno também manejar a conquista dos seus direitos de cidadania e, mais do que isso, exercê-los de modo efetivo.

- Mais cidade, mais cultura: Existem vários estudos mostrando a forte correlação entre escolaridade e nível socioeconômico e cultural de uma família. Também são muitos os indicadores que apontam para a importância da ampliação do repertório cultural como estratégia de apropriação das relações sociais, culturais e espaciais. Todas essas evidências endossam que a adequada formação do aluno e suas perspectivas de futuro requerem uma educação de qualidade, mas essas duas condições, por outro lado, passam necessariamente pelo amplo acesso aos bens artísticos e culturais e pelo estímulo a manifestações nessas duas áreas no terreno escolar. Tudo está interligado. Quando diante de práticas prazerosas, que lhes apresentam o novo e os colocam em face de possibilidades que até então sequer cogitavam, os alunos costumam se mostrar mais sensíveis ao compartilhamento de vivências e à escuta, o que é bastante significativo para os professores na medida em que podem obter, desse modo, uma compreensão mais exata dos sentimentos e emoções de seus alunos enquanto parte de uma realidade dramática e feroz, que não os enxerga e nem os acolhe.


A estrutura do Programa Escolas do Amanhã tem por base os seguintes pilares:

- Educação Integral: Todas as unidades do Programa se baseiam pelo conceito de Educação Integral, buscando trabalhar valores e formar crianças e adolescentes autônomos, competentes e solidários. Dentro deste conceito, as unidades também oferecem um ambiente estimulador e seguro para a aprendizagem, promovendo uma permanência interessada do aluno na escola. No contraturno das aulas, os estudantes têm a oportunidade de participar de diversas oficinas de reforço escolar, esportes, artes, cultura, tecnologia da informação, entre outros. Além disso, as unidades também realizam um trabalho de educação para valores, com ações de justiça restaurativa, resoluções de conflitos, educação para a paz. Cada escola escolhe as oficinas que oferece aos alunos baseada no perfil do corpo discente e da comunidade do entorno. Esse trabalho é realizado com o auxílio do bairro educador, que ajuda a comunidade escolar a identificar referências na comunidade para atuar no dia a dia das unidades.

- Metodologias Inovadoras de Ensino: O Programa Escolas do Amanhã investe em metodologias diferenciadas de ensino, que têm como objetivo melhorar a qualidade da aprendizagem e tornar a escola um espaço mais atraente e estimulador para o aluno. Gestores escolares e professores têm ,à disposição, ferramentas para um ensino inovador de Ciências, que transforma cada sala de aula em um verdadeiro laboratório; metodologias para o desbloqueio cognitivo, baseadas em estudos de neurociências; técnicas de gestão e dinâmica de sala de aula.

- Foco nos Resultados: A partir dos objetivos do Programa, de melhoria da qualidade da aprendizagem e redução da evasão escolar, são estabelecidas metas anuais de desempenho para cada Escola do Amanhã. Os professores e funcionários das escolas da Rede Municipal de Educação que atingem as metas recebem o Prêmio Anual de Desempenho, que equivale a um salário e meio. Para os profissionais que trabalham em uma das 155 unidades integrantes do Programa o prêmio corresponde a um salário e meio. Por meio de monitoramento e avaliações, internas e externas, a SME-RJ afere se as escolas atingiram e superaram as suas metas. No entanto, o foco nos resultados vai além das metas e dos prêmios estabelecidos pela Secretaria Municipal de Educação, priorizando sempre a permanência interessada do aluno na escola e seu desempenho acadêmico, buscando desenvolver ainda mais seus pontos fortes e trabalhar seus pontos de atenção.

- Saúde na Escola: No início do Programa, com o objetivo de dar assistência integral para mais de 100 mil alunos, o Programa Saúde nas Escolas esteve presente em cada uma das Escolas do Amanhã, com um Núcleo de Educação e Saúde (NES) e a presença de um técnico de enfermagem no seu dia a dia. Além disso, unidades móveis de saúde, compostas por médicos, enfermeiros, dentistas e auxiliares de saúde bucal, percorreram as escolas regularmente. Todas as unidades escolares possuem mobiliário próprio para promover o atendimento de saúde e material educativo sobre promoção, prevenção e assistência, que foi entregue, aos alunos e responsáveis. Com esse Programa, as escolas passaram a ter acesso ao Prontuário Eletrônico Único: um sistema integrado entre as secretarias de Educação e Saúde, que possibilita o acompanhamento do histórico de saúde do aluno. Se o aluno for atendido na escola ou se passou por uma clínica da família, informações como dados pessoais, históricos de consultas, doenças ou antecedentes cirúrgicos ficam à disposição dos profissionais de saúde. Hoje este modelo já não é necessário devido ao vínculo criado, no binônimo em inauguração, escolas X postos de saúde.

- Integração Escola-Cidade: Um novo modelo de gestão de parcerias, que visa transformar a comunidade e a cidade em extensão do espaço escolar, de forma que o processo de ensino-aprendizagem se integre à vida cotidiana. Em cada Escola do Amanhã há profissionais e voluntários preparados para desenvolver ações de integração, aproximando o bairro às necessidades da escola, e atuar no combate à evasão escolar. Para isso, são firmados convênios e parcerias com as instituições de ensino, lideranças comunitárias, organizações sociais, empresariado. Com isso, se dá mais um passo para formar indivíduos autônomos, solidários e corresponsáveis por sua transformação e a de sua comunidade.

- Formação Diferenciada: Promover capacitações e formações para o desenvolvimento de competências e habilidades de Gestores, Coordenadores Pedagógicos, Professores e demais profissionais que atuam nas Escolas do Amanhã. As formações envolvem temas como: resolução e prevenção de conflitos, Educação Integral, liderança, gestão e dinâmica de sala de aula e métodos de desbloqueio cognitivo. As formações continuadas e diferenciadas fortalecem os pilares do Programa escolas do Amanhã e contribuem diretamente para atingir os seus objetivos de melhoria da qualidade da aprendizagem e redução da evasão escolar.

 

2 – RESULTADOS DO PROGRAMA ESCOLAS DO AMANHà

Abaixo apresentamos os resultados das Avaliações Padronizadas – IDEB, IDERIO e AlfabetizaRio e os índices de abandono das Escolas do Amanhã comparando com os índices da Rede.

 

De 2009 a 2015 as Escolas do Amanhã – IDEB Anos Iniciais cresceram 0,4 pontos percentuais, saindo de 4,8 para 5,2, enquanto a Rede cresceu 0,5 pontos percentuais, saindo de 5,1 para 5,6.

 

De 2009 a 2015 as Escolas do Amanhã – IDEB Anos Finais cresceram 0,9 pontos percentuais, saindo de 3,1 para 4,0, enquanto a Rede cresceu 0,7 pontos percentuais, saindo de 3,6 para 4,3.

 

De 2009 a 2015 as Escolas do Amanhã – IDERIO Anos Iniciais cresceram 1,4 pontos percentuais, saindo de 3,9 para 5,3, enquanto a Rede cresceu 1 ponto percentual, saindo de 4,3 para 5,3.

 

De 2009 a 2015 as Escolas do Amanhã – IDERIO Anos Finais cresceram 2,5 pontos percentuais, saindo de 3,1 para 5,6, enquanto a Rede cresceu 2,1 pontos percentuais, saindo de 3,5 para 5,6.

 

De 2009 a 2015 as Escolas do Amanhã – IDERIO Anos Iniciais cresceram 11,9 pontos percentuais, saindo de 77,3% para 89,2%, enquanto a Rede cresceu 9,8 ponto percentual, saindo de 79,6% para 89,4%. O índice está bem aproximado nesse caso, não havendo muita divergência.

 

O índice de abandono das Escolas do Amanhã teve queda significativa, conforme podemos observar no gráfico acima, sendo que em 2010 era de 2,8% e em 2015 ficou em 2,3%. A rede se manteve estável.

 

 

Conheça também a Revista Experiências Programa Escolas do Amanhã