A A A C
email

Sexta-feira, 01/07/2011

Aula prática de arqueologia com alunos do 7º ano da Escola Municipal Gandhi

Tags: 10ªcre, meioambiente.

 

Em frente à Escola Municipal Gandhi, alunos com a professora Louise Maria, coordenadora pedagógica (à esquerda da foto), professor Antonio Carlos, de História, responsável pela programação da aula prática de Arqueologia, e professor Marcus Andrade, de Matemática, que acompanhou a turma 1701.

 

 

Antonio Carlos Batista Suzano é professor de História da Escola Municipal Ponte dos Jesuítas e faz dupla regência na Escola Municipal Gandhi, ambas da 10ª Coordenadoria Regional de Educação.

 

Ele tem o seu próprio Blog, faz uso da Educopédia em suas aulas, tem perfil no Twitter e outras redes sociais, e é daqueles professores que sabem a importância do uso das novas tecnologias em classe, mas também procura manter-se bem informado sobre os interesses dos seus alunos no cotidiano das suas atividades.

 

Professor Antonio Carlos Batista Suzano, de História, da Escola Municipal Ponte dos Jesuítas e da Escola Municipal Gandhi, ambas da 10ª CRE.

 

 

No mês de março de 2011, com o lançamento da novela “Morde & Assopra”, o tema da arqueologia foi introduzido nas aulas de História do professor Antonio Carlos, por conta dos comentários feitos pelos alunos, tanto da E.M. Ponte dos Jesuítas quanto da E.M. Gandhi, já que no primeiro capítulo da novela, aparecem ossadas de grandes animais, incluindo um Plessiossuaro, réptil marinho que viveu no final do Período Cretáceo em diversos continentes.

 

Explicando para os seus alunos que a Arqueologia é a ciência que estuda os costumes e culturas dos povos antigos através de fósseis, artefatos, monumentos, ruínas, e tudo que restou da vida desses povos, o professor Antonio Carlos lembrou que não seria preciso ir ao Japão (onde foram encontradas as ossadas apresentadas na novela), nem tão distante no tempo, para estudar a disciplina, pois evidências materiais de períodos antigos poderiam ser localizadas até mesmo no quintal das nossas casas.

 

Aluna Taiana Souza, da turma 1701 da Escola Municipal Gandhi, que levou as fotografias das ruinas do antigo engenho para a aula de História do Professor Antonio Carlos.  Ao seu lado esquerdo uma das colunas de pedra e ao fundo parte da Serra do Mendanha.

 

Em uma das aulas de História, na Escola Municipal Gandhi, a aluna Taiana Souza, da turma 1701, trouxe fotografias retratando enormes colunas feitas com pedra de mão, argamassa, calcário de ostras e tijolos maciços, de uma construção localizada nas proximidades do Conjunto Manguariba.

 

Tomando por base as imagens das fotografias e informações repassadas pela aluna Taiana, o professor Antonio Carlos planejou a aula prática de arqueologia com os seus alunos da turma 1701, que ocorreu no dia 17 de junho (sexta-feira), com saída da escola às 13 horas e retorno previsto para as 16 horas.

 

Além do Antonio Carlos, participaram da atividade, a coordenadora pedagógica Louise Maria Alves Caldas e o professor de Matemática Marcus Andrade.

 

Tratando-se de uma aula prática externa, com deslocamento dos alunos pelas ruas do bairro de Manguariba e percurso em caminhada, até o local das ruínas, a direção da Escola Municipal Gandhi tomou todas as providências relacionadas à autorização dos pais e responsáveis, tanto para a participação dos alunos quanto para fotografias e filmagens.

 

Caminhada dos alunos com os professores em direção às ruínas do antigo engenho, com o professor Antonio Carlos mostrando o sítio histórico de longe.

 

 

Caminhada dos alunos com os professores em direção às ruínas do antigo engenho, tendo a professora Louise, coordenadora pedagógica na retaguarda.

 

É claro que os alunos aproveitaram a oportunidade para brincadeiras descontraídas e até mesmo improvisaram um rápido piquenique entre as colunas antigas, onde compartilharam entre eles o lanche que haviam levado. Sendo um ótimo momento para a socialização e prática do companheirismo.

 

Foi uma aula muito interessante, porque os alunos percorreram a parte inicial do conjunto Manguariba, o setor complementar com as casas mais simples, construídas sem planejamento urbano, e a área com características ainda rurais, onde ficam localizadas as ruínas e as dependências, hoje destruídas, da sede da Fazenda Nova Índia, de criação de gado nelore, que se encontra desativada.

 

Professor Antonio Carlos, nas ruinas do antigo engenho, explicando aos alunos sobre a importância da Arqueologia, que utiliza processos de coleta e escavações, para estudar os costumes e culturas dos povos.
 


 Durante a caminhada até o sítio histórico, o professor Antonio Carlos aproveitou para chamar a atenção dos alunos em relação aos aspectos urbanos e geográficos do Conjunto Manguariba, visto de parte mais elevada, e da Serra do Mendanha, além da vegetação existente na área de entorno das ruínas, onde deveria ter existido, nos séculos XVIII e XIX, um grande engenho para a produção do açúcar, aguardente e melado.

 

Professores Antonio Carlos, Marcus Andrade e Louise Maria, com alunos da turma 1701 da E.M. Gandhi, ao fundo parte da Serra do Mendanha.

 

Pela disposição das colunas e estrutura física ainda preservada no local, é possível especular que se tratava de uma obra imponente, e que a produção poderia ser escoada a partir de um canal de navegação que se estendia até Sepetiba, de onde o produto seguia para outros destinos.

Uma das colunas construídas com pedra de mão, calcário de ostras, argamassa e tijolos maciços coberta por vegetação, em decorrência do seu abandono por muitos anos.

 

A aula prática planejada e desenvolvida pelo professor Antonio Carlos, cumpriu vários objetivos, entre os quais levando os alunos da turma 1701 a compreenderem o que são vestígios arqueológicos, bem como a sua importância para a construção de explicações históricas.

Além disso, aproveitando as imagens transmitidas no primeiro capítulo da novela “Morde & Assopra”, e também com livros, revistas e reportagens sobre o assunto, o professor Antonio Carlos falou a respeito dos trabalhos desenvolvidos pelos arqueólogos e caminhos para a sua formação profissional.
 

 

Professor Antonio Carlos e alunos da turma 1701 da E.M. Gandhi, fazendo o reconhecimento e estudo do sítio histórico do antigo engenho, que foi destaque pela produção de açúcar, melado e aguardente.

 

Em clima de aventura, com os alunos da turma 1701 demonstrando grande interesse pelas pesquisas históricas e arqueológicas, a aula prática foi encerrada, com o retorno de todos à Escola Municipal Gandhi, cansados, mais bastante felizes por terem cumprido de forma satisfatória todas as principais etapas de um estudioso iniciante da arqueologia.

 

 

                              

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

10ªcre (391)
meioambiente (113)

Comentários
Sinvaldo, não há palavras para comentar seu apoio e amizade! Muito obrigado pela parceria do dia-a-dia, sempre apoiando e divulgando a 10ª CRE!

Postado por Prof. Antonio Carlos B. Suzano em 16/08/2011 11:54