A A A C
email

Quinta-feira, 30/01/2014

O IHA e a GED juntos por uma Educação Inclusiva

Tags: 4ªcre.

De acordo com a  Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (2008), a SME e o Instituto Municipal Helena Antipoff promovem a inclusão de todos os tipos de alunos, além daqueles que apresentam deficiências. Ou seja, todas as ações dos educadores (professores, técnicos pedagógicos, gestores, funcionários...) devem promover a participação plena do aluno em seu processo educacional e em sua vida cotidiana da escola.

 

"Temos o direito de ser iguais quando a nossa diferença nos inferioriza; e temos o direito de ser diferentes quando a nossa igualdade nos descaracteriza. Daí a necessidade de uma igualdade que reconheça as diferenças e de uma diferença que não produza, alimente ou reproduza as desigualdades." 

Boaventura de Souza Santos

 

Para que essa prática seja garantida como uma ação norteadora dos Educadores da Rede como um todo, o Instituto Municipal Helena Antipoff mantém dentro das Gerências de Educação (GED) um professor que atua como um Agente de Educação Especial (AEE). É ele quem vai mediar, avaliar e encaminhar, através da perspectiva educacional, as ações de inclusão entre as Unidades Escolares, alunos e famílias atendidas.

 

Aluno da Sala de Recursos da E.M. Pedro Lessa.

 

Na 4ª Coordenadoria Regional de Educação, a Professora Lúcia de Fátima Lopes dos Reis, Gerente da GED, dá todo o suporte para a realização do trabalho desenvolvido pela Professora Vânia de Mattos Azevedo Veiga Maciel, que é a nossa AEE.

Segundo essa agente, a porta de entrada de qualquer criança na Rede é a sala de aula regular. Já que, fazendo parte dessa sala, ela, quando necessário, recebe atendimento educacional especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais. Assim, a Classe Especial é uma opção que fica ao encargo da família.

 

Aluno em atividade na Sala de Recursos.

 

Saiba como essa interação acontece na prática:

 

A GED abriga o Agente de Educação Especial para que esse atenda as demandas oriundas das Unidades Escolares que fazem parte da Coordenadoria. Nessa trajetória, essas Unidades encaminham, quando necessário, um relatório anexado de atividades (registros do aluno) e laudo médico. De posse desse material, o agente marca uma entrevista com a criança e o seu responsável. Nesse encontro, a criança e a família são acolhidas para que nesse processo sejam colhidas informações relativas ao seu desenvolvimento, além da observação dos laudos e de todo o material apresentado.

 

Alunos de Classe Especial.

 

Em meio a essa "conversa", a família sente-se segura e amparada, e a agente ouve os interesses e expectativas do responsável em relação à Educação de  sua criança. Dessa forma, e com base nessas prerrogativas, o agente vai mostrando a dinâmica educacional oferecida pela rede às crianças portadoras de necessidades especiais (PNE), fornecendo subsídios para que a própria família opte pelo tipo de atendimento mais adequado para o seu filho.

 

 

Parabéns para a equipe GED e IHA da 4ªCRE, por conceberem que a possibilidade da existência humana é múltipla, e com isso promoverem ações  fundamentais que possibilitam que aprendamos a viver nesse mundo com maior qualidade de vida.

 

 

Ana Accioly é Professora da Rede Municipal

e Representante Rioeduca da 4ª Coordenadoria Regional de Educação

E-mail: anaaccioly@rioeduca.net

Twitter: @Ana_Accioly

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



   
Comentário enviado com sucesso, aguardando moderação.














Sua indicação foi enviada com sucesso!









Saiba mais:

4ªcre (275)

Comentários
Igual ou diferente, somos cidadãos, pessoas, gente, somos irmãos de vida. Parabéns pelo seu trabalho, é um orgulho pertencer a rede de ensino com pessoas como você. Que DEUS, continue te iluminando, te dando muita saúde e força. Tenho certeza que seus alunos agradecem sua existência.

Postado por Denise em 04/04/2013 10:48

O IHA é um parceiro muito importante! Sua equipe realiza um trabalho maravilhoso com os alunos da rede em conjunto com as Ged's. Parabéns!

Postado por Patrícia Fernandes em 04/04/2013 18:54

O diferente sempre causa estranheza e tratar dessas questões no ambiente escolar é fundamental para acabar com preconceitos, por meio do conhecimento, e permitir que esse aluno possa participar do espaço da escola e não apenas estar nele.

Postado por Helena(by troia) em 06/04/2013 20:16