A A A C
email
Retornando 64 resultados para a tag 'visitas'

Sexta-feira, 22/06/2012

Exposição Meio Ambiente RIO + 20

Tags: 3ªcre, visitas, meioambiente.



 

 

Em um início de tarde de fim de outono, fui recebida na E. M. Pernambuco pela coordenadora Ana Cristina Corrêa que, atarefada, me apresentou à prof.ª Stella Maria Ferreira. Com ela, visitei a Exposição Meio Ambiente RIO +20 do primeiro turno.

 

 

Uma escola é como nossa Terra: viva. Sofre as mudanças de clima e precisa ser cuidada dia a dia para que possa render frutos e abrigar a todos de maneira sustentável. A responsabilidade é de todos porque todos sofreremos se ela não puder mais nos abrigar. Foi isso que eu vi nas paredes da escola: cuidado. Cuidado na apresentação dos trabalhos sobre sustentabilidade, aquecimento global, reciclagem e meio ambiente. As turmas colocaram nos corredores tudo que trabalharam sobre o assunto. Desde objetos e brinquedos confeccionados com material reciclado até um terrário aproveitando garrafas PET, aquilo que iria para o lixo foi olhado com carinho e recolocado em uso.

 

 

 

 

A prof.ª Stella Ferreira, que leciona Inglês para o primeiro segmento, me acompanhou diante de cada sala para que eu registrasse os trabalhos. O primeiro turno já havia se encerrado. Ela me contou do sucesso da apresentação de teatro, ocorrida no final do turno da manhã que se repetiria à tarde. Eram já muitos trabalhos de todas as turmas como vocês podem conferir no vídeo em destaque neste post. Em uma das paredes, me chamou a atenção a história ilustrada pela turma 1501. O texto é da professora de Artes Visuais Zuleica Castro Azevedo. A história da gotinha que tinha medo de cair no rio poluído, pois demoraria muito tempo para retornar a ser água potável, e que, com ajuda da coruja, descobre que as crianças podem ajudar na despoluição do rio. Esta história emociona pela esperança que transmite.


 

 

 

Retornei à escola no meio do segundo turno. Encontrei as turmas em movimento para apreciarem os trabalhos de todos. Dessa vez, os meus guias foram Thiago e Rayan da turma 1602. Com eles, visitei as salas de algumas turmas como a da professora Vera Alice, da turma 1302, que dedicou sua vida à escola e a considera seu segundo lar. As paredes já abarrotadas de trabalhos haviam sido renovadas com a produção do segundo turno. O cuidado continuava presente até mesmo na fala dos meninos. O desejo de ver tudo melhor estampava cada cartaz.

 

 

 

 

Então, chegou a hora do teatro. A peça O Sapo e o Rio foi encenada pelas professoras Zuleica e Tânia, da Sala de Leitura. É a história do sapinho que defende seu rio dos poluidores. Ele não quer que sua amada e seus amigos sofram com garrafas, sacolas plásticas e outros objetos. As crianças, que antes poluíam o rio, aprendem a separar o lixo para reciclagem. Logo depois as crianças deram show cantando a paródia Vamos Todos Reciclar.

 

 

 

 

Parabéns a toda a escola pela bela exposição de seus talentos e boa sorte neste novo momento! Em breve, o blog vai mostrar um pouco do que acontece por lá. Não percam o vídeo com os trabalhos expostos!

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 27/03/2012

O GEC Von Martius Recebe a Visita de Carlinhos de Jesus

Tags: 9ªcre, gec, visitas, dança.

 

Carlinhos de Jesus cumpriu a promessa feita no ano passado, à professora Ednéa, quando esta levou a Eletiva de Dança do Ginásio Experimental Carioca Von Martius para visitar sua Casa de Dança em Botafogo.
Ele disse que em breve iria conhecer o GEC pessoalmente.

 

 

Professora Ednéa e Carlinhos de Jesus

 

 

No ano passado o GEC Von Martius esteve na Casa de Dança de Carlinhos de Jesus com um grupo de 40 alunos e 4 professoras liderados pela professora Ednéa, que é a professora responsável pela Eletiva de Dança do ginásio. A Eletiva é uma espécie de “Oficina” onde os alunos escolhem quais gostariam de fazer parte. Atualmente no GEC Von Martius foram criadas as Eletivas de CineAdapt, Círculo de Leitura, Teatro das Letras, Mídias, Jovem Cientista, Corrida, Matemática, Desenho, Dança, Animação, Criatividade, Conhecimento e Músicas.

 

 

 

Coordenador José Mauro, Diretora Gloria, Coordenadora Maria Cristina, porfessora Ednéa e
Carlinhos de Jesus

 

 

Quem nos conta sobre a visita é a própria professora Ednéa, que nos enviou um e-mail muito emocionada...

 

Oi, Marcia!

Você soube que eu trouxe Carlinhos de Jesus à nossa escola na última quarta-feira? Foi um dia inesquecível na história da escola!!! Temos centenas de fotos. Ele também trouxe a sua CIA de dança com 18 componentes. A escola toda participou do evento. Ele dançou e falou sobre a sua história de vida...

 

Ela continua...

 

A Eletiva de Dança do GEC Von Martius mudou de nome, mas continua arrasando!!! Agora somos DANÇANDO CONFORME A MÚSICA.

 

Este ano a Eletiva de Dança homenageará a cultura nordestina. E, é claro que a dança nordestina terá um lugar de destaque através de seus ritmos quentes e contagiantes.

 

 

 

 

Nosso pontapé inicial foi dado, nada mais nada menos, com a visita de Carlinhos de Jesus e de seus 18 dançarinos. Que dia inesquecível!!!

 

 

 

 

Esta visita já estava prometida desde maio de 2011, quando os alunos de dança visitaram nosso dançarino pela 1ª vez em sua academia em Botafogo. Esse dia, então chegou. Dia 14 de março de 2012. Um dia pra ficar na história da escola e na memória de todos que lá estavam.

 

 

 

 

 

Carlinhos não só dançou como também "bateu aquele papo" com os alunos. Ele falou um pouco sobre a sua vida, suas conquistas, suas dificuldades, sua persistência, sua dedicação profissional, seus sonhos, momentos felizes e tristes,... Carlinhos esbanjou carisma, simplicidade, inteligência e muita emoção. Ele falou com todos os funcionários, todos os alunos, tirou fotos, almoçou, lanchou.

 

Sua Cia de dança deu um show à parte. Os alunos ficaram encantados. O evento foi um sucesso!!!

 

 

 

Carlinhos deixou bem claro que a dança pode sim ser uma opção profissional, desde que seja encarada com respeito, dignidade, muita disciplina e muita dedicação. No princípio, ele foi muito discriminado pela sua escolham, mas, hoje, ele é respeitado como qualquer outro profissional.

 

 

 

Para terminar, Carlinhos deixou um recado "Acreditem nos seus sonhos e batalhem para realizá-los”.

 

Ele foi embora no final da tarde deixando muita saudade. Que pena !

 

 

 

 

Enfim, Márcia, eu tenho muito orgulho de ter realizado este evento. Afinal, eu já estava planejando este momento desde o ano passado e consegui realizá-lo com capricho e organização. Quando eu ponho algo na minha cabeça, procuro transpor as dificuldades e atingir meus objetivos. Considero-me uma pessoa obstinada.

 

 

Parabéns professora Ednéa, parabéns, também, a toda equipe do Ginásio Experimental Carioca Von Martius pelo belo exemplo de grande dedicação que vem dando com seu excelente trabalho à educação do nosso municipio.  

 

 

Para conhecer mais:

 

  • Blog do GEC Von Martius:

Visita de Carlinhos de Jesus e seus bailarinos

Carlinhos de Jesus no GEC Von Martius_Fotos

ELETIVAS

  • Blog do Rioeduca:

ELETIVA DE DANÇA DO GEC VON MARTIUS VISITA CARLINHOS DE JESUS

 

 

 

Se a sua escola desenvolve algum trabalho como este, procure o representante da sua CRE e divulgue seu trabalho aqui neste espaço de trocas.
Basta acessar a página sobre nós procurar o seu representante e entrar em contato.
Este contato pode ser através de e-mail, Twitter, Facebook.
O Rioeduca está em todas estas redes sociais.

 

 

Profª Márcia Cristina Alves
Representante do Rioeduca na 9ªCRE
E-mail: marciacerqueira@rioeduca.net
Twitter: @marciacrisalves
 Facebook: Márcia Cristina Alves

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sábado, 24/12/2011

As Aventuras da Profª Diana e sua Turma (Parte II)

Tags: 6ªcre, projetos, visitas.

 

Esta é a segunda parte das aventuras pedagógicas vividas pela professora Diana Sobreira em 2011 com sua turma 8802 do Projeto Autonomia Carioca, da E.M. Levy Miranda. 

Para a professora Diana este foi um ano de gratificantes experiências, tanto acadêmicas - ao ter seu trabalho divulgado em diversos meios, quanto pela alegria de ver sua turma do Projeto conquistar espaços, crescer, adquirir experiências novas, construir conhecimento... mas foi também um ano de despedidas... de saudades...  

Antes de deixar sua querida turma, a professora Diana solicitou esta bela homenagem relatando suas aventuras pedagógicas ao Planetário de Santa Cruz (Parte I) e ao Museu da República (Parte II), que agora veremos

 

 

Museu da República (Era Virtual Museus - clique na imagem)


 

Este foi um ano, como dissemos na Parte I desta postagem no Rioeduca Net - A Revolução Acontece, de experiências gratificantes para a professora Diana Sobreira, que teve um artigo publicado no Globo Online - Educação Nota 10, postagens aqui no Portal Rioeduca e uma publicação sobre seus projetos no livro Escola entre Mídias, da MultiRio (ver Notas). Mas de todos esses momentos marcantes, certamente, como também dissemos, o mais significativo foi o trabalho realizado com sua turma 8802, do Projeto Autonomia Carioca, Aceleração 2, na E.M. Levy Miranda, da qual ela agora se despede. 

 

Formada em Educação Física, a professora Diana aceitou, neste ano de 2011, o desafio de lecionar para uma turma de vinte e três alunos, com defasagem escolar idade/série, todas as disciplinas (Matemática, Língua Portuguesa, História, Ciências, Geografia), pelo projeto da Prefeitura do Rio (SME-RJ) em parceria com a Fundação Roberto Marinho, Autonomia Carioca / Acelera. 

 

Em 2012, caminhos diferentes... Novos desafios, novas conquistas, novas vitórias... A professora Diana vai trabalhar em outra escola, outra CRE, mas leva a certeza de que deixa sua turma preparada para a próxima jornada... E, para consolar a saudade e  relembrar os bons momentos, a professora decidiu homenagear seus alunos e consolar seu coração através dos relatos das experiências vividas juntos em 2011... Fiquemos, portanto, com mais um emocionante relato das aventuras da professora Diana Sobreira e sua turma - agora, no Museu da República -, por ela mesma...

 

 

E a Aventura Continua...

Relato da profª Diana Sobreiro

 

 

 

Alunos da turma 8802 no Salão Nobre do Museu da República

 

 

A turma 8802 visita o Museu da República

 

Tudo deu certo para que conseguíssemos encerrar a “Era Vargas” com chave de ouro!


Era uma terça-feira e percebi que os alunos estavam muito interessados por Getúlio Vargas e suas realizações, principalmente as trabalhistas. Pensando nisso, perguntei a eles se gostariam de conhecer o local onde se passou o que vimos nas nossas Teleaulas de História e a resposta foi um empolgado “SIM!”. Só que... Era urgente, pois logo entraríamos na Ditadura Militar; iríamos de Metrô.


Mandei um e-mail para o Museu da República explicando o motivo da urgência e eles prontamente nos agendaram para a quarta-feira seguinte. Mas faltava o metrô. Mandei um e-mail para a empresa solicitando a gratuidade e no dia seguinte recebia resposta positiva. Pronto! Tudo garantido para nossa visita ao Museu da República!


Éramos 10. Em um metrô cheio, bem na hora do rush. Mas ninguém demonstrou cansaço; pelo contrário, estavam todos felizes e ansiosos. Ao chegarmos lá, o Museu ainda não estava aberto; fomos passear pelos jardins. Que festa! Muitas fotos, muitos sorrisos, muitos olhinhos brilhando. E uma professora feliz. Tensa, mas feliz. Era uma grande responsabilidade fazer aquilo.


Na entrada do Museu, pude ouvir vários “- Que lindo!”, “- Quanto luxo!”, “- Olha essa escultura!”. A partir daquele momento percebi que realmente todo o esforço valeu a pena. Nenhum detalhe passou despercebido aos olhos dos meus meninos. Fiquei orgulhosa ao ver isso: desde o teto até o chão, para tudo me chamavam a atenção e me pediam para tirar fotos, a fim de registrar aquele momento especial na vida deles.


Ouvi um deles me chamando: “- Professora, vem ver isso aqui! Olha, a Revolta dos Canudos, que a senhora ensinou!”. Eram fotos deste momento histórico. E fui ver, com o maior sorriso nos lábios. Ao entrar na sala de jantar, ouvi: “- Nossa, precisa de isso tudo para comer?”. Sorri mais uma vez. Outro aluno me disse: “- Professora, olha aquele outro grupo de outra escola! Eles entraram quase junto com a gente e já nos passaram. Nem estão aproveitando...”. Orgulho.


Adoraram ver as cédulas antigas, a escarradeira, o tinteiro de ouro, o elevador presidencial, as pinturas do teto, os vitrais e até as maçanetas das portas... Mas o pijama e a arma com a qual Vargas se suicidou foram o que marcaram. Silêncio absoluto ao observarem esses dois itens. Pareciam que estavam fazendo um minuto de silêncio em memória ao ex-presidente do Brasil.
Notaram que no quarto de Vargas não havia luxo. Chegamos à conclusão de que não seria necessária ostentação em seu quarto, pois o presidente não receberia ninguém naquele aposento. Ali, naquele lugar, Vargas deixava de ser o presidente e era Getúlio, um brasileiro.


Voltamos. Cansados. Mas imensamente felizes. Na certeza de que o conhecimento está em todos os lugares.


 

 

 

Diante do retrato de Getúlio Vargas

 

 

 

Vista do quarto de Getúlio Vargas

 

 

Levar meus alunos ao Museu da República foi uma experiência única. Incialmente achei uma ideia impraticável: como eu iria colocar esses adolescentes em um Metrô cheio? Será que os pais iriam deixar? E a passagem de ônibus da escola até o metrô? E o bilhete do Metrô? Será que teriam que pagar entrada? E o lanche?


Sabia que, se tivesse pensado mais cedo em levá-los, conseguiria facilmente tudo isso por meio da 6ª CRE. Mas era urgente, a matéria iria logo para a época da Ditadura Militar e Getúlio Vargas talvez perdesse seu “glamour”. Conectei meu 3G ao netbook e consegui tudo, na mesma hora: agendamento da visita com o Museu da República e a passagem com o Metrô. Mediante a autorização dos pais, pus a ideia em prática, mas avisei que o Metrô estaria cheio.


Na manhã da visita, passei na padaria perto da escola e comprei pão, queijo, presunto e leite achocolatado. Levei também algum dinheiro, pois não sabia se todos possuíam o RioCard. Felizmente tudo deu certo e chegamos ao Metrô. Ao entrarmos, pedi que não ficassem na porta do trem; três meninos disseram: “- Não, Professora, tá legal aqui”. E as pessoas foram entrando. E eu controlando o movimento deles. Eles foram ficando apertados, cada vez mais apertados. Daí eu disse: “- Acabaram de ter a primeira lição: não se deve ficar na porta do Metrô”. Eles riram e concordaram. Além da parte pedagógica, tivemos aprendizados para a vida. Outra aluna, ao analisar todos ao redor, me perguntou: “- Professora, no Metrô só tem adulto?”. Respondi que naquele horário, os meninos e meninas da idade dela deveriam estar na escola; por isso que só havia adultos no Metrô. Ela sorriu, me dizendo com os olhos que se tivesse pensado mais um pouquinho, chegaria àquela conclusão sozinha.


Estive tensa o tempo todo. Sabia da responsabilidade que era. Tinha vários objetivos ao idealizar a visita ao Museu da República: sair de sala de aula; conhecer um local novo; ver como vivia Getúlio Vargas; estabelecer conexões entre o aprendido em sala de aula e o que se estava vendo no Museu; analisar a arquitetura da época; passear pelos jardins do Palácio...


Confesso que não planejei a visita em si; não sou professora de História e só visitei o Museu da República uma única vez, bem rapidamente, pois estava no horário de fechar. Mas no início da visita fui chamando a atenção aos detalhes. E logo não precisei mais: eles mesmos já percebiam cada detalhe, cada desenho, cada cor, cada textura...


Minha ideia era fazer em sala de aula um trabalho sobre o que eles acharam da nossa visita. Mas infelizmente não deu tempo. Tive que me afastar da turma e não sou mais a professora deles.
 

 

 

 

Vamos de elevador presidencial?

 

 

 

Tinteiro de ouro: impressiona!

 

 

 

Muito luxo nesta mesa posta!

 

 

 

Alunos observando o pijama e a arma de Getúlio Vargas

 

 

 

Os alunos observando as moedas antigas...

 

 

 

Registros fotográficos da Revolta de Canudos

 

 

 

Uma pose nas escadarias do Museu da República

 

 

 

Nos jardins do Museu da República

 

 

Mais fotos no jardim...

 

 

 

Na gruta artificial dos jardins do Museu

 

 

 

 

NOTAS:

 

(1)  Site Era Virtual Museus: Museu da República: http://www.eravirtual.org/pt/index.php?option=com_content&view=article&id=111&Itemid=28 e o link para uma panorâmica do Museu: http://www.eravirtual.org/mrepublica_01_br/

 

(2) Postagem sobre a visita da Profª Diana e sua turma ao Planetário de Santa Cruz: Rioeduca Net - A Revolução Acontece: "As Aventuras da Profª Diana e sua Turma (Parte I)": http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1706

 

(3) O Globo Nota 10: "Autonomia Carioca: a semente da criatividade" (10/11/2011): http://oglobo.globo.com/projetos/educacaonotadez/

 

(4) Rioeduca Net - A Revolução Acontece: "TV Autonomia: Projeto de Audiovisual da E.M. Levy Miranda" (02/07/2011):  http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1119

(5) "Sintonize... Novela de Rádio" in A Escola Entre Midias, MutiRio - Empresa Municipal de Multimeios , Rio de Janeiro: MultiRio, 2011. p.59

(6) Para saber mais sobre o conceito de aula-passeio, ver: Rioeduca Net - A Revolução Acontece: "Creche Trabalha Projeto Inspirado em Célestin Freneit - De onde Surgiu o Conceito de Aula Passeio?": http://www.rioeduca.net/blogViews.php?id=1561
 

 

 

PARABÉNS PROFª DIANA E TURMA 8802 - E.M. LEVY MIRANDA!

 

 

PARTICIPEM TAMBÉM DESTE ESPAÇO QUE É NOSSO,
DAS ESCOLAS, DOS PROFESSORES, DOS ALUNOS E DEMAIS FUNCIONÁRIOS
QUE FAZEM A EDUCAÇÃO CARIOCA!

 

                                                                            

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 23/12/2011

Auto de Natal, Projeto de Teatro na EM Pará

Tags: 5ªcre, artescênicas, blogsdeescolas, visitas, natal.

 

O entendimento da Arte enquanto processo de cognição,
 que mobiliza tanto o intelecto como a intuição ou afetividade do sujeito,
possibilitou a EM Pará a desenvolver o Projeto Teatro
coordenado desde 2008 pelo professor de Artes Cênicas,
transformando-se num belíssimo espetáculo
protagonizado por alunos-atores da escola.

 


  

A Escola Municipal Pará há alguns anos vem mostrando que Arte, aliada ao cognitivo, aumenta possibilidades de êxitos nos estudos e na vida.

 

Foi através da Arte que revi a diretora, profª Rosa Maria (fomos Coordeadoras Pedagógicas no mesmo período). Primeiramente no Desfile Cívico deste ano, quando observei seu empenho em manter a escola coesa e com muito brilho, falando palavras de  entusiasmo aos alunos, marchando a frente do desfile. Num segundo momento nos encontramos na Creche Municipal José Raimundo, por conta de uma peça teatral sobre dengue, que foi apresentada aos "baixinhos". Vi nos alunos da EM Pará perfeitos artistas, pois caracterizados dos personagens da peça, conseguiram obter a atenção das crianças, alcançando os objetivos propostos. E num terceiro momento, neste período natalino, ao convocar as escolas a participarem dos cartões virtuais que foram veiculados dia 20/12 no Portal Rioeduca, conheci o trabalho do professor Julio Dutra, de Artes Cênicas, primeiramente através de e-mail, depois pessoalmente quando da minha visita à Escola, dia 12 de dezembro.

Ele nos beneficiará pelo Portal Rioeduca com um mega projeto muito bem elaborado, com início em março de 2008_ Projeto de Teatro da EM Pará.

 

 

Professor Julio Dutra e a árvore de Natal feita pelos alunos com garrafas pet.

 

 

 Projeto Teatro da Escola Municipal Pará

 

Justificativa

A escola há muito tempo permaneceu voltada para um ensino tradicional, onde o conteúdo acadêmico era o foco fundamental da formação do indivíduo. Hoje sabemos que a sociedade se modificou, paralelamente o pensamento e o modo de criar e interagir também acompanham todas as modificações e aspirações do mundo moderno.


Antes a inteligência humana era medida apenas por conteúdos decorados e absorvidos mecanicamente, mas esta visão se modifica e temos valorizado outros tipos de inteligências: matemática, artística, espacial etc.Antes a inteligência humana era medida apenas por conteúdos decorados e absorvidos mecanicamente, mas esta visão se modifica e temos valorizado outros tipos de inteligências: matemática, artística, espacial etc.

 

O mundo está cada vez mais exigente quanto ao desenvolvimento interpessoal do indivíduo, seu potencial criativo, expressivo, capacidade crítica e de socialização. Muitas das vezes o professor das disciplinas "formais" não possui tempo hábil e nem recursos técnicos para que essas habilidades sejam desenvolvidas.

 

O teatro na escola é uma forma de complementar todo esse processo educacional, formando uma ponte interdisciplinar que acrescenta na formação do aluno e desenvolve outros campos, tão necessários a formação do ser neste mundo tão diversificado e repleto de símbolos a serem decodificados e interpretados.


Essa linguagem artística também é necessária como forma didática, pois muitas das vezes a transmissão oral do conhecimento não é suficiente para a aprendizagem. Neste caso o teatro é uma forma de levar o saber e a informação como um recurso lúdico, que leva o aluno ao mundo fantástico, facilitando a aprendizagem pelo fato de estar saindo da rotina e também por esta utilizando outro lado do cérebro que muitas das vezes é anestesiado pela mecanização imposta ao ser humano.

 

 Objetivos


•Proporcionar ao aluno o conhecimento da linguagem teatral;
•Praticar o teatro;
•Desenvolver a leitura;
•Desenvolver o pensamento criativo;
•Desenvolver a interpretação de textos;
•Promover a interdisciplinaridade escolar;
•Estimular o pensamento crítico;
•Estimular a expressão corporal;
•Desenvolver a socialização;
•Desenvolver a expressão vocal;
•Desinibir o aluno;
•Tornar o aluno um ser autônomo;
•Promover o conhecimento em geral;
•Levar informação a terceiros;
•Suprir necessidades afetivas;
•Desenvolver o lado direito do cérebro;
•Valorizar o espaço escolar;
•Formar o gosto estético do aluno;
•Aceitar as diferenças;
•Obter um suporte de aprendizagem;
•Tornar o aluno multiplicador de informações;
•Desenvolver raciocínio lógico;
•Desenvolver a percepção espacial;
•Desenvolver todos os sentidos;
•Promover valores aos alunos.

 

 

Apresentação


O Projeto de Teatro da Escola Pará consiste em oficinas que acontecem durante todo o ano, voltado para todos os alunos da escola a partir do 6° ano. Nestas oficinas os alunos aprendem técnicas teatrais, linguagem teatral, expressão corporal, técnica vocal, interpretação, improvisação, entre outros.
 

Durante este período os alunos realizam apresentações internas e externas, geralmente abordando temas voltados para a informação, prevenção e conscientização. Dentro desta proposta visamos à questão da saúde, sociedade e cidadania, resgate de momentos históricos, cívicos e folclóricos.
 

Após as oficinas, quando os alunos apresentam o desenvolvimento necessário das técnicas, começamos a produção de cenas, esquetes ou espetáculos dependendo da necessidade do PPP ou pedidos das parcerias (Hospital Carmela Dutra, Creches, Lonas Culturais, etc). 


Todo tema abordado no teatro é iniciado com debates e exposição dialogados, dando oportunidade ao aluno para colocar suas opiniões, dúvidas e anseios. Após esse primeiro momento, partimos para a criação do texto ou estudo do mesmo. Dependendo da situação trabalhamos com textos prontos, textos criados pelo professor ou textos criados pelos alunos. Já no terceiro momento iniciamos a criação e montagem de personagens, onde são utilizadas diversas técnicas teatrais.

 

 

Culminância

 

Ao final do ano, como culminância do trabalho desenvolvido, acontece um grande espetáculo como a montagem do Auto de Natal, projeto que envolve toda a comunidade escolar, com apresentação pública para os alunos e seus familiares.

É uma oportunidade do aluno por em prática tudo que foi aprendido nas oficinas, além de estarmos mantendo vivo e resgatando, de uma forma genuína, este momento de renovação e reflexão que é o Natal.


Na montagem deste espetáculo há uma grande ênfase na interpretação, leitura, debates e conscientização, tornando o aluno um ser crítico e arquiteto de sua realidade, desfazendo a mecanização do ser humano que é imposta por muitos com o objetivo de torná-lo um mero reprodutor de padrões.

 

As vozes são dos próprios alunos e passaram por um processo de sonorização denominado Playback, para a trilha sonora dos diálogos e acompanhamento da peça teatral.

 

Este projeto teve apoio da Lona Cultural Terra, Guadalupe, com empréstimos de palco, figurinos e alguns equipamentos de efeitos especiais.

 

 

 

 

 Vídeo compactado pela profª de Educação Física,  Ieny Costa

 

 

 

Alunos_atores

 

 

 Jesus, protagonizado pelo aluno Giulliano Maurellie e Maria e José, os alunos Larissa de Souza Pires e Lucas de OLiveira Claudino

 

 Anjo, protagonizado pelo aluno Marllon Christian, e soldado, pelo aluno Igor de Souza Araújo

 

  

 Alunos Ronaldo Ferreira Martins e Camila Almeida Dutra

 

 

 Alunos da turma 1801 e 1602

 

 

 

 Alunos da Classe Especial, 8801, 1602 e 1801

 

 

 Três Reis Magos, alunos da turma 8801 e 1801

 

 

 Agradecimentos

Aos alunos atores e aos alunos colaboradores do Auto de Natal, à EM Pará por nos dar a oportunidade de conhecer este trabalho maravilhoso e acreditar que o desempenho de todos passa ser favorável quando o trabalho acontece em  conjunto e ao prof. Júlio que coordena com tanto entusiasmo este projeto, acreditando que a arte de encenar transforma a vida do ser humano e aos responsáveis pelo apoio e confiança valorizando seus filhos.
 

 

 Se você professor e/ou sua escola desenvolvem ou desenvolveram algum projeto
ou atividade interessante; se você, sua escola ou se algum aluno tem blog,
clique na imagem abaixo para obter o e-mail do representante do
Rioeduca na sua CRE.

 

 

 

  

 

Representante do Rioeduca/5ªCRE _ Profª Regina Bizarro

Twitter: @rebiza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

                                                                           

 

Print Friendly and PDFPrintPrint Friendly and PDFPDF


 


   
           



Yammer Share