A A A C
email
Retornando 89 resultados para a tag 'protagonismojuvenil'

Quarta-feira, 24/10/2012

Estreitando Laços com o Povo Brasileiro

Tags: 3ªcre, escoladafamília, protagonismojuvenil.

 

 

A Escola Municipal Félix Pacheco da 3ª CRE continua estreitando laços e reconhecendo a identidade do povo brasileiro em seu projeto político pedagógico. Vamos nos identificar também?

 

Ano passado, tive o prazer de registrar o início do projeto Identidade do Povo Brasileiro da E.M. Félix Pacheco. Este ano, o projeto cresceu e se integrou ainda mais ao subprojeto Estreitando Laços Comunidade x Escola.

O projeto prevê que todo o trabalho do primeiro semestre da escola seja voltado para a cultura nacional com ênfase em nossas manifestações folclóricas. Entre agosto e setembro, as ações se intensificam na produção de material para a Feira Cultural da escola, que já está em sua segunda edição. Na verdade, a produção de conhecimento não para. Durante todo o ano, os alunos são estimulados na leitura de textos folclóricos e na construção de seus saberes através da cultura nacional. Identificando seus elementos, o aluno também se identifica com práticas, costumes e aprende a valorizar os diversos saberes, respeitando-os e conhecendo-os para crescer com eles.

 

 

 

 

 

 

 

Os personagens folclóricos, as brincadeiras e brinquedos populares foram o enfoque escolhido pela equipe da unidade escolar. Além disso, as danças folclóricas das cinco regiões do país também foram privilegiadas, sendo a melhor maneira para mergulhar no universo de cada uma delas. A identificação de cada personagem, suas características físicas e suas histórias foram registradas e apresentadas por cada turma. Assim, o saber é adquirido de aluno para aluno. E que prazer aprender algo novo que um colega ensinou! Após a apresentação, cada um pode conhecer de perto o resultado da pesquisa de cada turma.

 

 

 

 

 

 

 

As brincadeiras e brinquedos foram sendo trabalhadas ao longo do semestre nas aulas de Educação Física e de outras disciplinas. Petecas de jornal, fantoches, móveis de caixa de fósforos foram surgindo ao longo dos meses. Desafios com os da cama de gato, jogo feito com barbante entrelaçado nos dedos, movimentaram as aulas.

 

 

 

 

 

 

Ao mesmo tempo, o universo de cada região ia tomando conta das salas de aula, à medida que o estudo da dança de cada uma delas avançava. Afinal, como citado no blog da escola: “ No Brasil, a dança está diretamente ligada a história da nossa gente, pois representa nossas raízes: a mistura do índio, do negro e dos portugueses e desses três povos herdamos os costumes, as tradições e a cultura, transmitidos de geração em geração.
' O trabalho com danças folclóricas requer, assim como provavelmente qualquer outro conteúdo, que o professor apresente o contexto social em que a dança é executada na sua região de origem, o que apresenta múltiplas alternativas para o trabalho com alunos, desde a pesquisa em casa sobre a região em que a dança é praticada – o que engloba os costumes sociais, as comidas típicas da região, as práticas religiosas locais, entre outros – até o aprendizado da execução da dança. Nessa perspectiva, o que se propõe é enriquecer o aprendizado sobre a dança, ao invés de trabalhar o simples aprendizado da dança. Trata-se, então, de privilegiar o homem e sua produção cultural, em detrimento de uma cópia coreográfica despida de sentido.' (Fonte: http://educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/dancas-folcloricas-apresentando-cultura-por-meio-corpo-movimento.)


Os preparativos foram se intensificando ,assim como o orgulho em mostrar o trabalho realizado. Desde a coordenadora pedagógica Laís Coutinho até os alunos da Educação Infantil, todos valorizaram o saber adquirido a ser compartilhado.

 

 

 

 

 

 

 

A II Feira Cultural ocorreu no final de setembro. As produções dos alunos foram expostas no mesmo salão em que os dançarinos se apresentaram.

De norte a sul, todas as regiões foram contempladas. Confira no blog da escola as danças de cada uma delas. O destaque é a Feira de Mangaio que representou a feira livre, uma verdadeira instituição nordestina. Outro destaque foi o carnaval carioca com a música "Cidade Maravilhosa". Os pais que assistiram às apresentações, convidados a participar, puderam estreitar os laços com a nossa identidade nacional.

 

 

 

 

 

Para saber mais, acesse o blog da escola e veja as ações, sugestões e os vídeos com as danças. Vocês vão adorar!

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 23/10/2012

Quando Crescer, Vou Ser...

Tags: 2ªcre, protagonismojuvenil.

A turma 1.502 da Escola Municipal Pedro Ernesto participou de um projeto desenvolvido pela revista Ciência Hoje, direcionado aos alunos do 5ºano do Ensino Fundamental.

 

 

 

A professora Renata Carvalho, representante do portal Rioeduca na 2ªCRE, foi à unidade escolar conversar com o professor Lázaro Carvalho, regente da turma 1.502, e com a professora Elizabeth Mendes, diretora da escola.


Durante a visita foi possível conhecer e conversar com os alunos que participaram do projeto, além de colher informações e opiniões deles sobre a participação na atividade proposta pela revista Ciência Hoje.

 

 

 

Diretora Elizabeth Mendes, professor Lázaro Carvalho e alunos da turma 1.502

 

 

O professor Lázaro nos conta que, para participar do projeto, era necessário desenvolver uma atividade com a turma utilizando as revistas "Ciência Hoje". Cada aluno, mensalmente, recebe um exemplar da revista para ler e trabalhar os assuntos em classe. 


O interesse pelo tema profissões foi despertado após a leitura do artigo  "Quando crescer, vou ser...”.  Começaram as discussões sobre o assunto, e surgiu a ideia de visitar alguns lugares para conhecer os profissionais que neles trabalham.

 

Por aproximadamente dois meses e meio, fizemos algumas visitas inspirados no artigo da revista Ciência Hoje. Vimos e conhecemos algumas atividades, com renomados profissionais que exercem funções vitais para o funcionamento da nossa cidade como  Bombeiro Militar, engenheiro, arquiteto, garçom, chefe de cozinha, professor e até câmeramen.


O objetivo era que a turma ampliasse seu conhecimento bem como sua experiência em relação às profissões e que a partir daí potencializasse a seguinte ideia: faça o que fizer, dedique-se sempre com muito amor.” ( Professor Lázaro Carvalho, regente da turma 1.502).


 

 

 

Durante as aulas, elaborou-se um roteiro com algumas perguntas a serem feitas no momento da visita. Os alunos perguntaram aos profissionais quais eram os passos necessários para seguir a profissão que eles exercem e se gostam de trabalhar com o que escolheram.


A turma 1.502 visitou a Multirio, a RioUrbe, restaurantes e até o Corpo de Bombeiros. Desta forma, puderam ter uma perspectiva de profissões além daquelas que já conheciam. Nesses lugares, os jovens conversaran com os profissionais e também observaram de perto os equipamentos utilizados por eles no exercício de suas profissões.


 

 

Visita ao Corpo de Bombeiros

 

 

A professora Elizabeth Mendes, diretora da unidade escolar, comenta que participar do projeto da revista Ciência Hoje oportunizou aos alunos conhecerem diferentes profissões. Além disso foi notório tanto encantamento como o envolvimento dos educandos pelo projeto.  Eles demonstraram mudança de comportamento e amadurecimento diante do processo de aprendizagem.


Os alunos da turma 1.502 também deixaram suas opiniões sobre a participação neste projeto. Vejamos:
 

Eu fui ao Corpo de Bombeiros, gostei muito da visita e o mais importante foi conhecer tudo sobre a profissão que eu escolhi. Conheci também os mais variados automóveis que eles utilizam.” Aluna Andressa Moraes de Souza

 

Eu fui a diversos passeios, ao restaurante À Mineira, à Multirio e ao Corpo de Bombeiros. Essas visitações foram muito legais, e eu aprendi que todas as profissões são importantes. A revista Ciência Hoje, me fez pensar: O que eu vou ser quando crescer? ... Chefe de Cozinha.”  Aluno José Jardiel do Nascimento Silva

 

Eu gostei de todos os passeios, mas principalmente o relacionado à profissão de câmeramen, pois despertou meu interesse e agora eu sei como são feitos os programas e também como eles operam a câmera. Aprendi que eles utilizam uma câmera específica para seu trabalho e no estúdio de televisão que conhecemos existem vários tipos.


Em minha opinião, a revista Ciência Hoje, ajudou a escolher a profissão que eu quero ter quando crescer.” Aluna Leila Vitória


 

Parabéns à E. M. Pedro Ernesto por oportunizar aos alunos atividades que promovam o protagonismo juvenil e a educação para a cidadania.

 

Professor, o portal Rioeduca é um espaço feito por e para professores. Participe também! Entre em contato com o representante de sua CRE para divulgar o blog ou projetos desenvolvidos por sua escola.

 

Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.

 

Contato:
 Renata Carvalho – Professora da rede e representante do Rioeduca, na 2ªCRE
Email: renata.carvalho@rioeduca.net
Twitter: @tatarcrj

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 17/10/2012

Água Santa em Projeto

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, blogsderioeducadores.

 

Projetar é apontar as armas para que o alvo seja atingido com êxito. As armas da professora Patrícia Faria são seus alunos da turma 1502 e o alvo é um futuro sustentável para o bairro de Água Santa onde fica localizada a E.M. Brigadeiro Faria Lima da 3ª CRE.

 

 

 

Tendo a sustentabilidade como linha mestra do projeto político pedagógico, a E.M. Brigadeiro Faria Lima desenvolveu importantes atividades neste ano letivo como já conferimos no post Feira Interdisciplinar de Sustentabilidade. A professora Patricia Faria da turma 1502 resolveu acrescentar outro relevante ingrediente a esta reflexão: voltar os olhos para a sua comunidade - seu bairro, seus vizinhos, suas alegrias e problemas locais. É da apropriação de seu bairro que se pode atuar no mundo.

 


Desde o início do ano, a turma foi colocada a par deste objetivo de maior conhecimento de seu bairro, suas mazelas e potencialidades. O blog Ciências e Ambiente na Brigadeiro foi criado para registrar as ações do grupo. O caminho da ciência já havia sido escolhido.

 

 

 

 

 

 

Objetivos traçados, coube a todos o conhecimento da história do bairro a partir de seu nome e da ocupação humana dos espaços. O registro dos problemas atuais e a observação da geografia local foram outras atividades realizadas pelos alunos. Passado e presente contribuíram para uma visão bastante realista do entorno da escola e do bairro como um todo.

 

 

 

 

 

 

Com os conceitos adquiridos, eles puderam imaginar a Água Santa do início da sua história e projetar, a partir dos trabalhos sobre sustentabilidade, a Água Santa ideal.

 

 

 

 

 

 

Surgiram do desejo dos alunos ônibus ecológicos circulando pelas ruas e um Centro de Reciclagem para que o lixo acumulado em local inadequado não aparecesse mais nas fotos. Então, desse belo trabalho histórico-científico cresceu o amor pelo bairro e a consciência da manutenção das atitudes sustentáveis para o futuro de todos. A apropriação dos conhecimentos e de sua comunidade aumenta a responsabilidade com o futuro. Atuar conscientemente é obrigatório para quem projeta um bairro melhor no futuro.

 

 

 

 

Imagens e informações retiradas do blog da turma.

 

 

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 12/10/2012

Conhecer-se

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, saúde, artescênicas.

A escola é o ambiente mais marcante do adolescente. É ali que ele interage, adquire conhecimentos e aprende a conhecer-se em meio a tantas mudanças dessa fase. A E.M. Francisco Jobim 3ª CRE criou dois projetos para ajudá-los nesse momento.

 

 

O corpo muda, a voz muda, os gostos mudam. Muda a maneira de ver o mundo e como o mundo te vê. A adolescência é uma montanha-russa de mudanças, hormônios, prazeres e dores. Só o autoconhecimento pode trazer um pouco de alívio. Estar em grupo sendo aceito por ele também é essencial.


A Escola Municipal Francisco Jobim desenvolveu o projeto Sexualidade na Adolescência sob a responsabilidade da professora Tatiana Coutinho, da Sala de Leitura da escola. Um dos objetivos era: “Estimular o autoconhecimento e conscientizar os alunos sobre a responsabilidade que devem ter com relação à própria saúde adotando hábitos de higiene e cuidados pessoais.”

 

A primeira ação foi a Caixinha de Descobertas. Nela, os alunos do 7º ao 9º ano e dos Projetos depositaram suas dúvidas e curiosidades que, aos poucos foram sendo contempladas pelas atividades do projeto.
 

 

 

 

 

 

O projeto foi ganhando contornos interdisciplinares, com a contribuição de professores de várias disciplinas. Ciências, Artes Visuais, Música e Língua Portuguesa enriqueceram a reflexão através de rodas de leituras, palestras, documentário, análise de letras de músicas e produção de cartazes.

 

 

 

 

Conhecer-se através da Arte

 

 

O Criarte também atuou junto ao projeto Sexualidade na Adolescência. O que é o Criarte? É o projeto da professora de Língua Portuguesa Christina Caiazzo. O objetivo é abordar diversos temas do interesse dos alunos através da expressão corporal. Suas dinâmicas também auxiliaram os alunos no autoconhecimento do potencial do corpo na expressão de seus sentimentos.

 

 

 

 

 

 

O Criarte nasceu estimulando a curiosidade dos alunos. O projeto foi apresentado aos alunos que se interessaram ao ver cartaz da professora Christina. O grupo hoje conta com 19 alunos do primeiro e segundo segmento do ensino fundamental. O grupo privilegia a pluralidade de ideias “ despertando uma visão crítica de mundo através das diferentes linguagens a eles apresentadas em que os componentes da Criarte serão os agentes propulsores de sensibilizar o grupo escolar provocando mudanças positivas de atitudes futuras.”

 

 

 

 

 

No momento, eles estão preparando a apresentação da peça "Sentir … faz a Diferença". Agora, vão buscar a sensibilização como meio facilitador de reflexões geradoras de transformações em que o agente transformador seria o próprio aluno. Assim toda a comunidade escolar poderá reconhecer-se .

 

Agradecemos a diretora Ana Patrícia Capuano por compartilhar seus projetos conosco. Compartilhe você também!

 

 

Contate-nos

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share