A A A C
email
Retornando 570 resultados para a tag 'projetos'

Terça-feira, 18/12/2018

Caminhos e Aprendizagens de Cada Dia

Tags: 8ªcre, projetos, inclusão, ensino especial.

 

Muitas ações para uma educação de qualidade foram realizadas em todas as escolas da Rede Municipal de Educação nesse ano letivo.

O Rioeduca destaca hoje o investimento dos professores do CIEP Marechal Henrique Teixeira Lott e do CIEP Amilcar Cabral para planejar ações que proporcionem experiências de aprendizado, visando a participação de todos.

 

 

Professora Tatiana Guedes apresentando a gaiola do projeto "Liberte um Texto"

e aluno fazendo a leitura para a turma

 

 

Uma das vertentes da educação de qualidade é proporcionar aos alunos não só o aprendizado, mas o gosto em adquirir o conhecimento. A professora Tatiana Guedes, do CIEP Marechal Henrique Teixeira Lott, realizou com sua turma o projeto "Liberte um Texto". O projeto consiste em produções e leituras realizadas diariamente pelos alunos. 

 

Ao iniciar a aula, um aluno é escolhido para retirar da gaiola o texto que será trabalhado naquele dia. Em seguida o gênero literário do texto é analisado pelos alunos sob a supervisão da professora. Todos os alunos são incentivados a produzirem escritas, que podem ter um tema único ou de livre escolha. Após os textos estarem prontos, eles são entregues à professora para a correção.

 

Quando o aluno consegue entender a proposta da escrita e apresenta um texto com coerência e coesão, na aula seguinte ele ganha uma marcação na planilha de pontos do projeto Liberte o seu Texto. A professora Tatiana Guedes falou ao Rioeduca que os alunos estão apresentando um ótimo retorno em relação à produção textual, o estímulo à leitura e o conhecimento de diferentes tipos textuais.

 

O Projeto Liberte o seu Texto foi um sucesso e aconteceu de agosto até o término do ano letivo.

 

  

Mural com os tipos de textos trabalhados no projeto

 

Parabéns, professora Tatiana Guedes e alunos do CIEP Teixeira Lott!

 

 

O CIEP Amilcar Cabral desenvolveu o seu projeto anual com o tema: "Era uma vez...". Durante todo o período letivo foram exploradas as diferentes áreas do conhecimento de maneira interdisciplinar. A partir de textos literários diversos, toda a comunidade escolar foi convidada a mergulhar no mundo dos clássicos infantis,  dos contos de fadas, lendas, fábulas e cordéis.

 

O objetivo do projeto foi incentivar o desejo de conhecer o mundo através da leitura e fazer dela algo vivo e constante no ambiente escolar. As atividades desenvolvidas tornaram possível o desenvolvimento de diferentes habilidades e a construção de novos conhecimentos, e os alunos puderam tirar o melhor proveito pessoal de cada uma delas.

 

No terceiro bimestre as turmas ficaram fascinadas pelo universo das fábulas e lendas.

 

 

Alunos dramatizando no projeto "Salada de Fábulas"

 

 

Os alunos do 5º ano, orientados pela professora Renata Sipauba, realizaram o teatro “Salada de Fábulas”. As fábulas, com seus encantamentos e lições de moral, foram dramatizadas para as turmas desde a Educação Infantil ao Ensino Fundamental. Lições como respeito ao próximo, empatia, força de vontade, perseverança, perdão e compreensão, foram apresentadas nas fábulas e trabalhadas com as turmas no decorrer do bimestre.

 

"O CIEP Amílcar Cabral acredita que a valorização das relações sociais e das experiências dos alunos enquanto participantes do processo de aprendizagem são essenciais na formação de cidadãos participativos na sociedade." Professora Renata Sipauba

 

 

Van do Programa Meio Ambiente Itinerante participando do Dia da Inclusão no Ciep Amilcar Cabral

 

 

O dia da Inclusão, 21 de setembro,  não foi diferente desse clima de interação e participação de toda a comunidade escolar. A Classe especial e a Sala de Recursos apresentaram  a adaptação da cena do filme A Noviça Rebelde com os alunos do 5º ano.

 

Os alunos cantaram a paródia "Dó, Ré, Mi da Inclusão", os professores usaram uma camisa temática e todos foram convidados a refletir sobre temas como igualdade, diversidade e acessibilidade, que são assuntos tão pertinentes ao universo escolar e à sociedade em geral.

 

 

DÓ, RÉ, MI DA INCLUSÃO

         Não cabe mais em mim.

Não ficarei pra traz.

          MI Minha vida é incrível aqui.

De fato sou capaz.

SOL Para todos nasceu.

Bem longe posso ir.

SI Pensar na Inclusão:

É de todos a missão!

 

O CIEP Amilcar Cabral é mais uma das escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro que se dedica à oferecer educação de qualidade para todos que fazem parte de sua comunidade escolar.

 

 

O Rioeduca parabeniza à equipe pedagógica, alunos e funcionários do Ciep Amilcar Cabral!

 

 

Participação de professores e alunos nas ações do Dia da Inclusão

 

 

Quer saber mais sobre essas escolas?

 

Ciep Henrique Teixeira Lott

Endereço: Estr. Gen. Americano Freire, S/N - Realengo

Telefone: 3468-4954

 

Ciep Amilcar Cabral

Endereço: R. Engenheira Paula Lopes - Bangu

Telefone: 2402-1803

Facebook: www.Ciep Amilcar Cabral

 

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 17/12/2018

Feira Cultural Raízes

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, protagonismojuvenil, diversidade, cultura.

 

Ginásio no Caju, zona portuária do Rio de Janeiro, realiza Feira Cultural em Comemoração à Cultura Negra.


A Escola Municipal Marechal Mascarenhas de Moraes, que atende alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental em Turno Único, realizou no mês de Novembro a Feira Cultural Raízes. O objetivo do trabalho foi contribuir para a valorização da cultura negra na escola e em sociedade, desenvolvendo entre alunos e professores a relação de pertencimento e a superação do racismo.

 

 


A ideia de realizar a Feira Cultural Raízes surgiu a partir dos diálogos e reflexões da direção da escola e do seu corpo docente, que reconhecem o racismo presente na sociedade brasileira.


A escola percebeu também que a relevância de ações voltadas para o fortalecimento da identidade negra, demonstrando a luta do povo negro para garantir seu espaço na sociedade.

 

 


No projeto, todos os professores foram convidados a desenvolver ações que tivessem como tema o Dia da Consciência Negra, para serem expostos no dia da exposição. Cada professor escolheu uma turma para trabalhar, a fim de que todos os alunos fossem envolvidos.

 

 

 


A exposição contou com bonecas Abayomis, símbolo de resistência da cultura negra, confeccionadas pelos alunos, oficina de turbantes, oficina de tranças afro, um jogo de tabuleiro em que os alunos eram as peças e precisavam responder a questões sobre todos os outros trabalhos apresentados, apresentação de jongo, pesquisa, exposição e caracterização de figuras negras influentes e de destaque nas artes, esportes e política, no Brasil e no mundo, um jogo da memória com músicas que problematizam a temática do preconceito e que valorizam o negro.

 

 

 


Além disso, o evento também contou com um protótipo de um quilombo e uma exposição de fotografias inspiradas no trabalho do artista nigeriano Ojeikere, que retrata a beleza dos cabelos afro, em que os nossos alunos foram clicados pelos professores Luiz Moura e Bianca Roriz.

 

 

 


A Equipe da escola Mascarenhas de Moraes acredita que a representatividade importa e que é dever da escola-cidadã contribuir para a superação do racismo e da desigualdade racial em nossa sociedade e esperam que os alunos se desenvolvam à luz do senso de justiça, respeito às diferenças, autonomia, pensamento crítico e solidariedade.

 

 

 

A aluna Karolaine Freitas, da turma 1701, disse que na sua opinião a Feira de Consciência Negra foi harmoniosa e divertida. Para ela, o objetivo mais importante foi trazer a reflexão e conscientização dos alunos para que possam ter atitudes precisas e justas ao se depararem com o racismo.


O aluno João Vitor Leite, da turma 1901, disse achar muito importante a feira para a descoberta de novas culturas pelos alunos. Ele ficou satisfeito com a felicidade dos professores ao verem a dedicação dos discentes para a realização do projeto.


Para o professor Luiz Moura, a Feira Raízes é uma oportunidade única dos alunos estarem em contato com a base da formação da população e aos poucos desconstruírem uma visão preconceituosa e discriminatória na qual a sociedade brasileira está imersa. Ele aponta ainda que trabalhos como esse mobilizam toda a escola e permitem ações protagonistas dos alunos, o que é fundamental para sua formação.


Para Saber Mais:

Escola Municipal Marechal Mascarenhas de Moraes

Telefone: 3895-8622

e-mail: emmmoraes@rioeduca.net

 

Contato para publicações:


  


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 12/12/2018

Inovando com os Jogos da Educação Infantil

Tags: 8ªcre, projetos, educação infantil, educação física, jogos.

 

Um marco na Educação Infantil em 2018 foi a realização da primeira edição dos Jogos da Educação Infantil. Além de proporcionar aprendizagem e interação entre os alunos, o evento ratifica a importância da atividade física e hábitos saudáveis desde da infância.

 

 

 

 

No dia 23 de outubro, na Vila Olímpica Mestre André, em Padre Miguel, foi realizada a abertura dos Jogos da Educação Infantil. A Gerência de Educação da 8ª CRE organizou esse evento pioneiro que reuniu Espaços de Educação Infantil e Creches para a realização de jogos individuais e coletivos.

 

 

 

Os professores de Educação Física tiveram um papel fundamental na organização das modalidades dos jogos.

Todos os presentes foram contagiados pela animação e empenho dos pequenos em cada proposta de competição.

 

 

 

 

Para a abertura dos jogos, as equipes participaram de um desfile, no qual os atletas foram apresentados. O momento solene, com apresentação de estandartes, bandeiras e execução do Hino Nacional Brasileiro, também foi um momento gracioso e inspirador, pois os pequenos atletas demonstravam muito orgulho em estar participando desse evento.

 

Após o desfile os alunos fizeram o juramento. De braço estendido eles prometeram participar dos jogos com empenho e espírito esportivo! A solenidade de abertura dos jogos foi um sucesso!

 

 

 

A primeira edição dos Jogos da educação Infantil contou com as seguintes modalidades:

 

ATLETISMO

Corrida Rasa 25 metrosPercorrer (caminhar ou correr) a distância de 25 metros, inserida entre a linha de partida (que se dará após o sinal sonoro) e a linha de chegada (demarcada por uma faixa no solo).

Corrida com Barreiras 20 metros - Percorrer (caminhar ou correr) a distância de 20 metros, inserida entre a linha de partida superando as 3 barreiras propostas na atividade, que são dispostas a 5,10 e 15 metros da linha de partida. As barreiras são posicionadas a 40 centímetros do solo.

Arremesso de Peso - O aluno posicionado dentro de uma área circular inicial, com raio de 1 metro, deverá arremessar o peso com o objetivo de projetá-lo para frente. O peso deve ter 300 gramas e deverá fazer contato com o solo dentro da área demarcada, posicionada à frente da área circular inicial. 

Salto em Distância -  O aluno deverá percorrer a distância de aproximação da tábua (5 metros) e fazer o salto com um dos pés, fazendo contato com o solo na área demarcada à frente da tábua. 

CORRIDA DE BICICLETA

Esta modalidade será realizada através de corridas de bicicletas com rodinhas, percorrendo uma distância de aproximadamente 15 metros.

 

LADOBOL

Este jogo será realizado em uma quadra de voleibol. Cada equipe ocupará um lado da quadra e as mesmas estarão separadas pela rede disposta em altura proporcional ao tamanho dos participantes. Para dar início ao jogo, cada criança terá uma bola nas mãos, ao sinal do professor elas deverão lançá-la (todos ao mesmo tempo) por cima da rede para o lado da quadra adversária. Sucessivamente todas as bolas lançadas para o seu lado da quadra deverão ser devolvidas à quadra adversária.

O objetivo deste jogo é ter o menor número de bolas em seu lado da quadra, sendo assim ganha a equipe que ao sinal do dinamizador tiver menos bola em seu campo.

 

CORRIDA DAS CORES

No centro de uma quadra serão dispostas bolinhas coloridas em igual número para cada cor. Nas extremidades desta quadra estarão bambolês correspondentes às cores das bolinhas e às equipes responsáveis por cada cor. Ao sinal do dinamizador, as equipes deverão se dirigir ao centro da quadra em velocidade, buscando 1 bolinha de cada vez e em seguida trazê-la até o bambolê. Ganha a equipe que recolher todas as bolinhas da sua cor primeiro.

Além dessas modalidades os alunos ainda participaram de competições de Corrida de Tampinha e Pular Corda.

 

 

 

 

Disponibilizar ao aluno o maior número de possibilidades, por meio de desafios corporais que envolvam ações cognitivas, afetivas e motoras de maneira conjunta é um dos objetivos da Educação Física na  Educação Infantil.

Os Jogos da Educação Infantil despertam nos alunos a competitividade, o trabalho coletivo, a determinação por objetivos e a prática de vida saudável, que compreende atividades ao ar livre, movimento e interação.

A iniciativa da Gerência de Educação da 8ª CRE em criar os jogos para esse público é certamente um investimento no futuro, pois podemos estar acompanhando os primeiros passos de grandes atletas!

 

 

 

O Rioeduca parabeniza a professora Diala Azevedo, toda a equipe da Gerência de Educação da 8ª CRE, os professores das Creches e EDI, a equipe de professores de Educação Física, que esteve presente na organização e realização desse projeto, e em especial parabenizamos os pequenos atletas, alunos da Educação Infantil!

 

 

 

 

Os Jogos da Educação Infantil têm previsão para estar no calendário do próximo ano letivo. Se a sua escola ou Creche não participou, fique ligado, porque ano que vem tem mais!

 

Quer saber mais sobre?

E/8a.CRE

Endereço: Rua Biarritz 31 - Bangu

Telefone: 3332-1948 - 3332-1917

 

Contato para publicação:


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 11/12/2018

1ª Feira Interescolar - Multicores da Cultura

Tags: 7ªcre, projetos.

 

A 1ª Feira Interescolar - Multicores da Cultura ocorreu no dia 22 de setembro. Nela foi apresentada uma mostra integrada de trabalhos das seguintes Unidades Escolares da 7ªCRE: E/CRE (07.16.014) E.M. Profª Helena Lopes Abranches; E/CRE (07.16.604) C.M. Germínio de Souza Estrela; E/CRE (07.16.808) EDI Profª Maria Berenice Parente e E/CRE (07.16.818) EDI Profª Cláudia Pires Contino.

 

Numa ação inédita em nossa Comunidade, com a presença das Chefias da 7ª Coordenadoria de Educação, da Guarda Municipal e das Diretoras coirmãs, nosso sábado foi uma junção de cores, sabores e de amor pelo sub-bairro Gardênia Azul, localizado em Jacarepaguá.

 

 Diretores das unidades escolares participantes.

 

A Comissão de Integração das Escolas da Gardênia Azul, integrada pelas escolas já elencadas, vem em um movimento de recriação de embasamentos fundamentados e convicções abalizadas, visando a articulação de elementos para a retomada da crença desta Comunidade como um espaço de qualidade e de transformação. 

 

        Participação da Banda da Guarda Municipal durante a Feira Interescolar.

 

A cultura faz parte do nosso íntimo, somos criadores e propagadores da cultura, de forma que a manifestamos de diversas maneiras. Mas o que é cultura e qual a sua relação com a educação? Candau (2003) afirma que cultura é um fenômeno plural, multiforme que não é estático, mas que está em constante transformação, envolvendo um processo de criar e recriar. Ou seja, a cultura é por sua vez um componente ativo na vida do ser humano e manifesta-se nos atos mais corriqueiros da conduta do indivíduo e, não há individuo que não possua cultura, pelo contrário cada um é criador e propagador de cultura.

 

Embora a escola seja palco dessas multiculturalidades, ela vem encontrando várias dificuldades em interagir suas práticas educativas mais comuns com a diversidade cultural vivenciada pelos alunos. Com esse elemento motivador, os Gestores das Escolas acima elencadas inquietaram-se com esta questão, e, juntos, buscaram uma forma de, coletivamente, iniciar a reflexão dessa questão não só com seus pares, mas, com todos do bairro. Daí nasce a Feira Interescolar – Multicores da Cultura.

 

         Exposição de trabalhos das unidades escolares.

 

Assim, apresentamos os projetos anuais de cada unidade escolar.

No Projeto "Conhecendo Culturas - Do Rio para o mundo", o EDI Professora Cláudia Pires Contino trabalha a identidade cultural do aluno, de forma que se reconheça como cidadão com direitos e deveres, capaz de conviver harmonicamente com as diferenças, além de despertar a curiosidade e ampliar os conhecimentos culturais do Brasil e do mundo. No primeiro subprojeto, abordaram o tema " Minha cidade, O Rio de Janeiro continua lindo", dando sequência " Meu país, minha torcida - Brasil, Brasileiro", onde apresentaram as diversidades dentro de nosso país e no 3º subprojeto "Conhecendo outros países – outras culturas", ampliaram os conhecimentos com as mais curiosas e distintas culturas do mundo. Desta forma, cada grupamento “viajou” por um país diferente, reconhecendo as danças, línguas, pratos típicos, literatura, entre outros.

Já o EDI Professora Maria Berenice Parente apresenta o Projeto “Diversidade Cultural das Regiões Brasileiras: Um enfoque na Educação Infantil”, tendo como proposta trabalhar e explorar a diversidade cultural existente no Brasil, favorecendo enriquecimento cultural, promovendo a interação das diversidades do território por meio da literatura, arte, música, dança entre outros, das diferentes regiões brasileiras.

A Creche Germínio de Souza Estrela, por sua vez, considera que é quase impossível pensar no estabelecimento de relações entre adultos e crianças no ambiente de Educação Infantil, sem pensar no repertório musical infantil da nossa cultura. Desta forma, toda ação pedagógica que se estabelece dentro da unidade escolar envolve musicalidade, seja para despertar o prazer de expressar-se cantando ou de trazer uma compreensão lúdica para as relações de convívio e a rotina educativa. Por este encantamento musical e todas as possibilidades que esta temática abre, o seu projeto anual “Cantando e brincando com a Cultura Brasileira” vêm promovendo possibilidades de experiências para a ampliação e uso de diferentes linguagens. A música não é apenas utilizada como recurso de recreação, mas também como transmissora da riqueza cultural e social do Brasil, sendo fio condutor de alegria e de desenvolvimento de uma cultura de paz.  

Dessa forma, durante o ano letivo, as crianças descobriram e experimentaram os sons produzidos por seu próprio corpo e os sons que tradicionalmente, em nossa cultura, são os primeiros que ouvimos: os acalantos, os brincos e as parlendas. Em seguida descobrimos e brincamos com sons da natureza e as brincadeiras cantadas, as cantigas de roda e os ritmos próprios da cultura brasileira em diferentes regiões: o samba, o forró, a catira, o fandango, o maracatu, o rock. Por fim, conhecemos histórias cantadas em nossa cultura e construímos com sucata instrumentos musicais, brincamos com seus sons e descobrimos outros instrumentos usados em bandas e orquestras.

Com o tema do Projeto Anual de trabalho da Unidade: “Juntos, nós podemos mais!”, a Escola Municipal Professora Helena Lopes Abranches visa melhorar o desempenho acadêmico e social dos alunos, além de atenuar problemas de comportamento, por meio de atividades e situações que aperfeiçoem suas habilidades socioemocionais, abarcada a necessidade da afetividade no processo de aprendizagem. Além de sopesar a participação da família como elemento cogente para incremento cognitivo do aluno, tendo como eixo principal a relação afetiva do sujeito com os outros sujeitos, num elemento instigante no processo ensinar-aprender.  

 

Apresentação das crianças das unidades escolares.

 

Representação da cantiga da Linda Rosa Juvenil.

 

   Apresentação do Boi Bumbá.

 

 Apresentação de trabalho do EDI Maria Berenice Parente.

 

Apresentação das crianças das unidades escolares.

 

Girling e Keith (1996) afirmam que “o sucesso da escola pode ser impulsionado através da prática de uma administração participativa, voltada para objetivos claros, definidos coletivamente pela comunidade escolar”, o que ocasiona uma relação positiva, entre gestão participativa e a elevação da autoestima das comunidades escolar e local.

 

              Exposição de maquetes de pontos turísticos de outros países.

 

 

  Mural sobre preservação ambiental.

 

 

         Equipe da 7ª CRE e diretores das unidades escolares participantes.

 

Assim, esta Comissão almeja uma escola de qualidade para todos, viva, participativa e comprometida com o desenvolvimento pleno dos alunos, com identidades próprias, num tempo e espaço em constante transformação, caminhando para a formação de cidadãos cada vez mais críticos e reflexivos de forma que possam contribuir com a construção de uma sociedade onde todos sejam agentes transformadores através da Cultura.

 

 Informações enviadas pelo Diretor Vitor Hugo Almeida

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

Contato da E.M. Helena Lopes Abranches:

emabranch@rioeduca.net

Telefone:3388-5446

Contato do EDI Professora Maria Berenice Parente:

ediparente@rioeduca.net

Telefone: 3342-4681

Contato do EDI Professora Claudia Pires Contino:

edicontino@rioeduca.net

 

Contato da Creche Germínio de Souza Estrela:

cmgazul@rioeduca.net

Telefone:3432-3291

 

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share