A A A C
email
Retornando 593 resultados para a tag 'projeto'

Sexta-feira, 18/05/2018

Projeto “Meu olhar na escola” na E. M. Santos Dumont

Tags: projeto, fotografia, fotográfico, olhar, escola, 5ªcre.

 

A E. M. Santos Dumont, em um trabalho colaborativo, incentivou seus alunos a produzirem suas próprias imagens, utilizando os recursos tecnológicos e registrando momentos significativos do dia a dia. Confira!

 

 

Nome do projeto: Projeto Fotográfico "Meu Olhar"
Data de realização: novembro de 2017
Local: Escola Municipal Santos Dumont

Idealizadora: professora Patricia Tavares
Participantes: professora Patricia Tavares, professora Cecília Couto, o fotógrafo Bruno Sophia e os alunos do 5º ano
 

"Fotografar é colocar na mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração", bem definiu o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004)

 

O projeto “Meu olhar na escola” foi realizado com os alunos do 5º ano da Escola Municipal Santos Dumont, localizada em Marechal Hermes. Nele os estudantes participaram de aulas teóricas, práticas e o celular foi um grande aliado.

 


Responsável pela atividade, a professora e também fotógrafa Patricia Tavares contou com a participação da Professora da Sala de Leitura, Cecília Couto, da professora de Educação Física, Aurita Silva, além da parceria do fotógrafo Bruno Sophia, para realização do projeto. 

O principal objetivo do projeto foi incentivar o conhecimento da linguagem fotográfica e os recursos disponíveis no celular para a produção de imagens.

 

 

Uma vez que a comunicação através de imagens está em evidência e muitos estudantes possuem aparelhos celulares, torna-se importante a promoção de ações produtivas que envolvam os alunos em situações que eles vivenciem rotineiramente.


Com esse objetivo, foram realizadas aulas de fotografia, durante todo o mês de novembro do ano de 2017 e, no dia 28 do mesmo mês, promoveu-se a culminância do projeto, através de uma exposição aberta à Comunidade Escolar com as fotos produzidas durante as aulas. 

A Unidade Escolar também realizou um Concurso Fotográfico, que elegeu o autor das “melhores” imagens, com premiação para os(as) vencedores(as).

 

 

"Vale frisar que as características dessa linguagem, como luz, ângulo, perspectiva, composição, planos, textura, foco e movimento, não devem ser abordadas somente de forma expositiva. Esse conteúdo todo deve ser aprofundado durante a apreciação e análise das imagens feitas por pessoas comuns e por profissionais. Pois é com a visualização e as intervenções do professor que o aluno o perceberá de forma contextualizada e terá condições de avaliar o impacto que os vários elementos causam quando são usados conscientemente e quando o autor não os conhece."

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/1048/olhar-fotografico

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.15.027) Escola Municipal Santos Dumont

Endereço: Pça. 15 De Novembro 29 Marechal Hermes

E-mail: emdumont@rioeduca.net

Tels: 3018-2134 | 3018-2656


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 16/05/2018

Projeto Sapolê: Todos pela Alfabetização!

Tags: sala de leitura, projeto de leitura.

 

Da união entre as ações da Sala de Leitura e o envolvimento da equipe pedagógica com a alfabetização, nasceu o Projeto SapoLê, na Escola Municipal Antônio Bandeira!

 

Alunos reunidos na quadra da E.M. Antônio Bandeira

 

 

O Projeto SapoLê surge de uma iniciativa da Sala de Leitura da Escola Municipal Antônio Bandeira, em parceria com o corpo docente, coordenação pedagógica e direção. O objetivo inicial foi ampliar as ações de incentivo à leitura para além dos muros da escola.

Foi observado pela equipe pedagógica da escola que os alunos demonstravam muito prazer em fazer leituras fora do espaço da sala de aula, se organizando em duplas, grupos ou até mesmo em rodinhas. Eram momentos lúdicos, onde a troca de experiências e o desenvolvimento da leitura aconteciam de forma muito espontânea.

A partir disso, o Projeto SapoLê buscou aumentar e expandir esse comportamento de um grupo de alunos para toda a escola, vislumbrando, inclusive, alcançar a comunidade local.

 

 

 

Apresentação de dança no Projeto SapoLê

 

 

As atividades desenvolvidas oportunizaram um trabalho coletivo de acordo com Projeto Político Pedagógico da escola, que tem como eixo central o diálogo para promoção da Cultura de Paz.

Nesse sentido, o Projeto SapoLê buscou não só promover momentos para compartilhar leituras, mas também evidenciar a importância social da leitura e o protagonismo das crianças dentro e fora do espaço escolar, como transformadores em potencial.

Foi na Primeira Feira Literária da E.M. Antônio Bandeira que o Projeto SapoLê foi apresentado para a comunidade escolar e para a Comunidade do Sapo em Senador Camará, onde se localiza a escola. A Feira Literária contou com a presença de convidados e parceiros que já atuam na escola como : a contadora de histórias Verônica Marcílio, que desenvolve um trabalho de incentivo à leitura por todo Brasil, o Rapper Rafael, do grupo Rezapeka, que trouxe mensagens afirmativas sobre a favela e a importância da escola nesse contexto e a Livraria Leitura do Bangu Shopping, que pela primeira vez montou um stand em uma escola pública.

 

 

 

 

Mesmo com diferentes participações, os verdadeiros protagonistas do evento foram os alunos, que não só participaram das apresentações, como de todo processo de elaboração, construção e montagem da Feira. Foram 2 dias de apresentações de todas as turmas da unidade escolar, desde a Educação Infantil até o 5º ano, com leituras de poesias autorais, releituras de autores consagrados, apresentação teatral e musical.

 

 

“A leitura é uma forma de felicidade que só está ao alcance das mentes mais livres. Aquelas que são capazes de se desvestir de suas preocupações diárias para atravessar a barreia do conhecimento, da paixão, do deleite e adentrar aos mais sublimes mistérios.”

                                                                                                                   Portal Raízes

 

 

 

Thais Louro, professora de Educação Física, lendo para os alunos do 2º ano

 

Durante os dias 18 e 19 de abril, a Escola Municipal Antônio Bandeira mostrou toda sua força através da realização de ações que promovem a humanização, o conhecimento sobre si mesmo, a valorização da comunidade local, a formação da identidade e o fortalecimento da aprendizagem dos alunos nos anos iniciais.

Portanto, o Projeto SapoLê se apresenta como uma iniciativa que não tem data para terminar, pois a ideia é mostrar que a Comunidade do Sapo pode sim, passar a ser reconhecida como uma Comunidade de Leitores!

 

 

           

         Professora Márcia Carvalho e alunos no Projeto SapoLê e ao lado a equipe da E.M. Antônio Bandeira

 

 

Partindo da esquerda: Professor Marcos Santos, professora Adriana Miranda, Coordenadora Pedagógica Célia Regina, Diretora Geral Elisângela Gama e professora Sandra Teresa, representando a Gerência de Educação da 8ª Cre

 

 

O Rioeduca parabeniza à E.M. Antônio Bandeira pela realização de um projeto tão importante para todos os envolvidos!

 

E.M. Antônio Bandeira

Localização: Senador Camará - Comunidade do Sapo

Tel: 24045624

Email: embandeira@rioeduca.net

 

 

 

Não deixe de participar do Portal Rioeduca!

Entre em contato com o representante da sua CRE.

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 15/05/2018

Feira da Diversidade no EDI Felipe de Souza Gomes

Tags: 7ªcre, projetos.

 

A Feira da Diversidade realizada no início de abril, no EDI Medalhista Paralímpico Felipe de Souza Gomes, apresentou diversos trabalhos sobre o projeto EDI Felipe Faz a Volta ao Mundo.

 

O EDI Medalhista Paralímpico Felipe de Souza Gomes está de malas prontas para viajar e conhecer muitos lugares especiais! O projeto anual do EDI Felipe Faz a Volta ao Mundo visa possibilitar o conhecimento de diferentes culturas e a valorização da cultura local através de uma viagem imaginária pelos continentes e seus principais países que contribuíram para a construção da cultura brasileira.

 


 

O objetivo do projeto é o desenvolvimento pleno do educando de forma interdisciplinar e multicultural, possibilitando novas leituras de mundo e a construção de consciência crítica e cidadã. No primeiro bimestre,  a aventura foi iniciada conhecendo a América do Sul e Central! Partiu-se do Brasil, nossa casa, onde trabalhou-se a questão da identidade, tanto na dimensão subjetiva e a relação com o outro, quanto a identidade cultural do nosso país, considerando os objetivos de aprendizagem, de acordo com a faixa etária.

 

Conforme relata a direção da escola : "Iniciamos nossa viagem escolhendo nossos meios de transporte, conhecendo as diversas possibilidades de chegarmos à alguns de nossos países vizinhos, podendo assim conhecer um pouco sobre sua cultura através da música, dança, pontos turísticos, arte, culinária, fauna, flora, entre outros aspectos de importante relevância."

 

     Alunos conhecendo transporte marítimo.

 

Cada turma trabalhou alguns desses aspectos ao longo do bimestre por meio de vivências, releituras de obras de arte, confecções de maquetes e cartazes, em atividades individuais e coletivas, considerando as diversas áreas de conhecimentos e especificidades de cada segmento.

 

Falando um pouco dessa aventura, no Brasil, o ponto de partida, foi possível  conhecer um pouco da nossa fauna através da beleza de nossas aves, como as araras azuis e vermelhas, conhecer algumas obras de Tarsila do Amaral e destacou-se pontos turísticos como o Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Maracanã, entre outros lugares importantes do nosso país como o Congresso Nacional.

 

        Alunos apreciando a maquete do Congresso Nacional.

 

Na Colômbia, foi possível conhecer o Museu do Ouro, as coloridas fachadas de Cartagena e uma linda releitura da escultura do "Gato del Rio". Chegando à Argentina, conheceu-se seu futebol, a beleza do Caminito e  todos ficaram  encantados com o tango!

 

Bonecos feitos a partir da silhueta das crianças representando jogadores do Brasil e Argentina.
 

 

Ainda segundo o relato enviado ao Rioeduca "As turmas da pré-escola contaram com uma aula muito especial realizada pela mãe de uma aluna do EDI, que além da dança,  ensinou muitas coisas interessantes sobre seu país de origem. Em Cuba, dançamos a salsa e confeccionamos muitas maracas, instrumento característico desse estilo musical, e ainda pudemos passear de coco taxi pela cidade de Havana. No Chile, conhecemos os moais da Ilha de Páscoa, Vina del mar e tivemos contato com a poesia de Pablo Neruda. Passeamos ainda de Funicular, um meio de transporte conhecido por lá. Chegando ao Peru, conhecemos a montanha arco-íris, as lhamas, a flauta zampona e um pouco da vegetação característica de lá através do cacto-do-peru."

 

Maquete do Vulcão.

 

Brincando de transporte funicular, tipo de transporte usado no Chile.

 

 


No dia 6 de abril, aconteceu no EDI Medalhista Paralímpico Felipe de Souza Gomes a primeira culminância do projeto. Toda escola e familiares dos alunos foram convidados para visitar a "Feira da Diversidade", onde os trabalhos realizados ao longo do bimestre foram expostos. Além dos cartazes, maquetes e releituras de quadros e esculturas, a feira contou com obras interativas, nas quais crianças junto com seus familiares foram os protagonistas dessas produções.

 

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

Contato do EDI Paralímpico Felipe de Souza Gomes:

edimgomes@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 15/05/2018

Uma aula diferente no Parque Nacional da Tijuca

Tags: extensividade, museu, projeto.

 

Uma aula diferente no Parque Nacional da Tijuca

 

Alunos da Rede Municipal de Ensino têm uma aula diferente quando participam de atividades do CEAMP (Centro de Educação Ambiental do Parque Nacional da Tijuca). No dia 09 de maio, alunos do GEO Juan Antonio Samaranch fizeram o circuito Paineiras/Corcovado onde puderam visitar a exposição “Floresta Protetora”. Os alunos se encantaram com a maquete de 120 m2 que retrata os 3.200 hectares do Parque Nacional da Tijuca e destaca sua localização em relação à cidade do Rio de Janeiro e interagiram com os painéis que apresentam informações sobre o Parque e suas relações com a cidade. Todas as terças-feiras e quartas-feiras estudantes de diferentes escolas participam desta ação.

 

 

Aproveitando os vários recursos interativos da exposição, os alunos participaram ativamente da discussão sobre o conceito da exposição - que é reverter a concepção de fragilidade da floresta: é a floresta que exerce o papel de protetora da cidade e de todos que vivem diariamente dela - estabelecendo diversas relações com os conteúdos estudados na escola.

 

O ponto mais esperado da atividade foi a visita ao monumento do Cristo Redentor, já que a maioria nunca teve a oportunidade de conhecer o mais conhecido ponto turístico da cidade. Além de tirarem muitas fotos, alguns interagiram como os turistas, principalmente estrangeiros, e até conseguiram localizar a escola no meio da cidade!

 

 

O Projeto CEAMP - coordenado pela Gerência de Projetos de Extensão Curricular (GPEC) - desenvolve atividades de Educação Ambiental no Parque Nacional da Tijuca, atendendo a professores e alunos da Rede Pública Municipal de Educação do Rio de Janeiro, em especial nas trilhas situadas na Floresta da Tijuca e no setor Paineiras/Corcovado, As visitas orientadas ao setor Paineiras/Corcovado têm como proposta uma ação educativa que perpasse pelo entendimento que o Parque Nacional da Tijuca é uma área natural protegida e qual a sua importância para a cidade do Rio de Janeiro, estimulando os alunos a observar, experimentar, sentir, refletir e compreender sua relação com este ambiente, possibilitando a construção de uma cidade mais responsável e voltada para a sustentabilidade das suas reservas naturais.

 

 

Gerência de Projetos de Extensão Curricular
 

Telefones: 2976-2291 ou 2976-2336
Site: http://extensividade.wix.com/sme-rj-extensividade
Blog: http://extensividade-sme.blogspot.com.br/
Twitter: https://twitter.com/extensividade
Facebook: https://www.facebook.com/projetoescolaemuseurj


   
           



Yammer Share