A A A C
email
Retornando 86 resultados para a tag 'edi'

Terça-feira, 17/04/2018

Ciranda de Desafios no EDI Tenente Pedro de Lima Mendes

Tags: 11ªcre, edi, desafio.

 

O EDI Tenente Pedro de Lima Mendes tem realizado em 2018 um Projeto Pedagógico muito criativo, intitulado “CIRANDA DE DESAFIOS”, com o objetivo de inserir cada vez mais as Famílias no ambiente escolar de seus filhos. CONFIRA!

Equipe do EDI Tenente Pedro de Lima Mendes

 

A ideia do projeto surgiu através da professora articuladora Alexandra Paixão, com o apoio de toda a equipe docente e da direção da Unidade Escolar, o intuito é realizar diversos desafios no decorrer do ano.  O primeiro desafio surgiu através da reflexão sobre uma temática muito importante, a Febre Amarela versus desaparecimento de macacos.

 

Tendo em vista o trabalho acerca do tema Identidade, uma das primeiras abordagens foi a exploração do espaço de Educação ao qual a criança está inserida e a percepção da ausência dos macacos pregos. Dessa forma, foi decidido abordar essa questão, a partir da pergunta: “Se eles são nossos amigos e nunca nos fizeram mal, por que tem gente por aí querendo matá-los?”

 

Essa pergunta gerou inúmeras atividades por parte da equipe docente e, como é forte a parceria escola/comunidade, a Unidade Escolar resolveu inserir as Famílias. A partir disso, surgiu a ideia do Projeto “CIRANDA DE DESAFIOS” e, o DESAFIO Nº1 foi exatamente a questão do macaco!

 

Caixa convite com o macaquinho de pelúcia dentro

 

Desafio nº 01: Entrar no EDI com um macaquinho de pelúcia ou brinquedo, nos braços, e se dirigir até o painel "ELES NÃO TÊM CULPA!" para uma foto.

Vale ressaltar que, a cada abordagem, novos desafios serão lançados ao longo do ano e, em dezembro, nossa equipe estará entregando um brinde natalino às Famílias mais participativas. Vamos lá!?
Desafio lançado! 

 

As famílias compareceram com seus macacos e abraçaram a campanha, algo que deixou todos muito felizes! O Projeto está apenas começando e num futuro bem próximo a parceria escola/comunidade estará cada vez mais consolidada.

 

Equipe da 11ªCRE prestigiando o Desafio no EDI. Destaque para a Coordenadora da 11ªCRE Tania Bendas

 

Esse Projeto acontecerá durante todo o ano letivo de 2018. A “CIRANDA DE DESAFIOS” Nº 1 – “ELE NÃO TEM CULPA!” foi apenas o primeiro desafio proposto às Famílias. O objetivo principal é inserir cada vez mais as Famílias no ambiente escolar de seus filhos, pois a equipe acredita que, caminhando juntos, terão muito mais êxito durante o processo, além claro de conscientizar a comunidade escolar acerca da Febre Amarela.

 

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: EDI Tenente Pedro de Lima Mendes

Telefone: (021) 2463-8957 3393-0052

 

 

Contato para publicações:

 

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 08/12/2017

EDI Ludmila Máximo Moreira Cardoso há cinco anos de mãos dadas com a comunidade

Tags: 9ªcre, edi, literatura, diversidade.

 

 

O Espaço de Desenvolvimento Infantil Ludmila Máximo Moreira Cardoso comemorou seus cinco anos de mãos dadas com a comunidade, construindo sua história. Neste ano de 2017 realiza o Projeto Pedagógico Anual – “Era uma vez... O Reino Encantado do EDI Ludmila formando pequenos leitores”, que tem por objetivo despertar na criança e na comunidade o gosto pela leitura.

 

“A Literatura infantil é, antes de tudo, literatura, ou melhor, é arte: fenômeno de criatividade que representa o Mundo, o Homem, a Vida, através da palavra. Funde os sonhos e a vida prática; o imaginário e o real; os ideais e sua possível/impossível realização.” (Cagneti,1996, p.7)

 

A literatura infantil leva a criança à descoberta do mundo, onde sonhos e realidade se incorporam, onde a realidade e a fantasia estão intimamente ligadas, fazendo a criança viajar, descobrir e atuar num mundo mágico; podendo modificar a realidade.

“No Brasil, a literatura infantil tem início com obras pedagógicas e, sobretudo, adaptações de obras de produções portuguesas, demonstrando a dependência típica das colônias.” (Cunha, 1999, p.23)

Na transição Brasil Colônia para república é a partir das manifestações nacionalistas e regionalistas que se dá o aparecimento dos primeiros livros para crianças escritos e publicados por brasileiros.

Na comemoração dos cinco anos do EDI, as crianças experimentaram as linguagens artísticas, transitando pelas obras de autores nacionais, canções de Bia Bedran, dentre outros, considerando o projeto pedagógico em questão. Contou ainda com a participação do filho da Patronesse Ludmila, narrando a todos um pouco da história da sua mãe, homenageada na data.

 

 

 


Dentre as atividades vividas pelas crianças neste dia:

• o Berçário apresentou com muita desenvoltura e alegria “A Boneca de Lata”;

• o Maternal I cantou e dançou com a alimentação saudável, apresentando a Música “Abóbora faz melão”;

• o Maternal II levantou a platéia ao delírio com apresentação da música “Aeróbica Tropical”;

• a Pré-Escola do turno da manhã apresentou a música “Desengonçada”, que de desengonçados não tinham nada, estavam muito animados e com muita sincronia;

• a Pré-Escola do turno da tarde apresentou a música “É bom cantar”, ensinando a todos que prestar atenção é sempre muito bom.

 

CONTANDO EM VERSO E PROSA A DIVERSIDADE INDÍGENA E NEGRA

 

 

O EDI Ludmila tem discutido há tempos com seus pares a Lei 11.645/2008, que altera a Lei 9.394/1996, na qual estabelecem as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, a inclusão no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-brasileira e Indígena”. A intenção é fazer com que as questões indígenas e afro-brasileiras sejam abordadas de forma a apreciar e respeitar as diferentes culturas, propiciando a valorização da identidade e o pertencimento negro e indígena, a desconstrução de estereótipos e a quebra do preconceito que atingem também os pequenos.

Na continuidade do Projeto Pedagógico Anual, nas experiências com o “ERA UMA VEZ...”, a diversidade indígena e negra foi contada em verso e prosa em outra atividade com as crianças. O tema foi abordado a partir das obras de autores brasileiros, como Daniel Munduruku, Ana Maria Machado, Yaguarê Yamã, Claudio Fragata, Jaciana e Leandro Melquiades, Gercilga de Almeida, Kayodê, dentre outros.

O projeto culminou através de oficinas literárias com o grupo PIBID da FEUC sobre Literatura Africana e Afro-brasileira com a professora coordenadora Janice Rosane Silva Souza; oficinas indígenas com as turmas do Berçário EI-11 e EI-12 sobre plantio de hortaliças; Maternal I EI-21 com pinturas corporais indígenas e pré-escola EI-41, EI-42 e EI-51 com oficina de instrumentos indígenas pau-de-chuva; mostra de trabalhos; apresentação de Capoeira com a turma do Maternal II EI-31; Dança do Carimbó com a turma do Maternal II EI-32 e Recital de Poesia “Canção do Exílio” do autor Gonçalves Dias com a turma Pré-escolar EI-51.

Segundo a direção da unidade, "foi uma manhã muito construtiva, pois toda a comunidade escolar (professores, agentes, pais, responsáveis e nossas crianças) puderam participar das oficinas".

 

 

BIBLIOGRAFIA:

BRASIL. Lei 11.645/08 de 10 de Março de 2008. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília.
BRASIL, Lei de Diretrizes e B. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.
CAGNETI, Sueli de Souza. Livro que te quero livre. Rio de Janeiro: Nórdica, 1996.
CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura Infantil: Teoria e prática.18 ed.São Paulo: Ática,1999.

 

Quer saber mais sobre a unidade:

Espaço de Desenvolvimento Infantil Ludmila Máximo Moreira Cardoso

Endereço: R. Pedro Leão Veloso, S/N - Campo Grande, Rio de Janeiro - RJ, 23055-130

Telefone: (21) 3403-0777

 

;
 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 20/09/2017

Meu Mundo, Muitas Histórias: Diversidade Cultural!

Tags: 8ªcre, diversidade, edi, educação infantil.

 

Não é preciso aguardar o dia 19 de abril para abordar a temática do índio no Brasil. A riqueza da cultura indígena pode e deve ser conhecida durante todo ano! Foi assim no Espaço de Desenvolvimento Infantil Professora Maria Cecília Ferreira, uma experiência muito especial para todos os participantes.

 

 

A cultura indígena sempre esteve presente na história do Brasil e influencia constantemente as tradições do País, isso torna importante que a escola promova momentos de contato com as tradições e contribuições culturais do índio brasileiro.

Essa iniciativa proporciona aos alunos não só maiores oportunidades de conhecer e entender o processo de construção do País, mas também como compreender a história indígena do passado e do presente, conhecendo seus desafios e lutas, inclusive os aspectos positivos dessa população em relação à riqueza da cultura brasileira.

Desde os anos iniciais a temática indígena é abordada nas escolas. Geralmente o tema é apresentado nas comemorações do dia 19 de abril, mas no Espaço de Desenvolvimento Infantil Professora Maria Cecília todo o 2º bimestre foi dedicado às aprendizagens ligadas à Cultura Indígena.

 

 

Durante todo o segundo bimestre os alunos do EDI Professora Maria Cecília mergulharam na cultura indígena. A temática contagiou toda a unidade escolar, fazendo assim uma viagem na diversidade do nosso país.

O momento de grande importância no projeto foi a visita de dois índios da tribo Ticuna, do Amazonas. Os dois índios passaram o dia fazendo atividades com as crianças. Eles cantaram, representaram e fizeram pinturas no rosto das crianças, assim como fazem com os pequenos índios de suas tribos.

Os alunos observaram os instrumentos de caça e pesca dos índios e a curiosidade os fez participar atentamente de cada etapa desse projeto tão especial para todos!

 

"Mais que aprender, nós vivemos, experimentamos! Partilhamos carinho e afeto. Viva o povo indígena! Viva o EDICeci!" 

                                                                                                          Professor Bruno Rossato - Diretor do EDI Professora Maria Cecília

 

 

Trazer para as unidades escolares o conhecimento sobre o índio, suas vivências, suas necessidades e anseios é um movimento que visa trazer à compreensão da diversidade de nosso povo. 

As questões do índio no Brasil estão intimamente ligadas à preservação do ambiente. As atividades desenvolvidas no EDI Maria Cecília no projeto deram enfoque à conscientização do fazer diário de cada um visando o cuidar com a natureza.

O projeto "Meu Mundo, Muitas Histórias: Unidos pela Diversidade Cultural" foi uma grande oportunidade para alunos e professores e a visita dos índios Ticuna tornou esse momento ainda mais especial.

 

 

 

"Qualquer vida é muita dentro da floresta

Se a gente olhar de cima, parece tudo parado

Mas por dentro é diferente

A floresta está sempre em movimento

Há uma vida dentro dela que se transforma sem parar.

Vem o vento

Vem a chuva

Caem as folhas

E nascem novas folhas

Das flores saem os frutos

E os frutos são alimentos

E os frutos são alimentos

Os pássaros deixam cair as sementes

Das sementes nascem novas árvores

E vem a noite

Vem a lua

E vem as sombras que multiplicam as árvores

As luzes dos vagalumes são estrelas na terra

E com o sol vem o dia

Esquenta a mata

Ilumina as folhas

Tudo tem cor e movimento."

                                                                                                     (Poema de um índio Ticuna) 

 

 

O Rioeduca parabeniza a equipe do EDI Professora Maria Cecília pela realização do projeto!

 

 

 

Para conhecer mais um pouquinho do EDI Professora Maria Cecília, visite a página no Facebbok: 

https://www.facebook.com/profile.php?id=100012780048879

 

Contato: edimferreira@rioeduca.net

 

Entre em contato com o Rioeduca e compartilhe as ações da sua escola!

 

 

 

*Fonte: http://pprecisa.blogspot.com.br/2011/12/poema-de-um-indio-ticuna.html


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 17/07/2017

EDI Dalila Tavares: Construindo a arte de sentir e aprender brincando

Tags: 9ªcre, artes, edi.

 

O mundo é repleto de símbolos e significados que possibilitam grandes descobertas nesta fase da infância. A arte possibilita o desenvolvimento de atitudes essenciais para o indivíduo como o senso crítico, a sensibilidade e a criatividade.  O EDI Dalila Tavares fica localizado na Zona Oeste do Rio, no bairro de Campo Grande e a a proposta de trabalho  é baseada na Arte que possibilita o desenvolvimento de atitudes essenciais para o indivíduo, como o senso crítico, a sensibilidade e a criatividade.

 

A arte faz parte da vida da criança como instrumento de leitura do mundo e de si mesma. No segundo bimestre foi realizado um trabalho com as Artes Visuais. PORTINARI tem sido nosso artista inspirador para diversas ações pedagógicas. As crianças foram apresentadas ao artista Cândido Portinari, conhecendo sua vida e obra, tendo contato com as artes plásticas, como figuras, imagens, desenhos e pinturas, assim como, conhecimento de mundo e expressões. As informações foram compartilhadas de forma lúdica, usando a linguagem da criança. A intenção era formar vínculos, entre a criança e Portinari.


As obras foram apresentadas na caixa surpresa, a turma EI 54, da professora Dircelene Bard ficou encantada com as obras. Os alunos puderam manusear, olhar de pertinho, observar e descrever os detalhes do que era analisado. Perceberam que ele retratava várias brincadeiras infantis. A obra que mais gostaram foi Brincadeira de roda. E, como brincar é muito bom, a turma foi para o pátio brincar de roda.
 

 

 

A professora Giulianna Abreu montou uma exposição com as obras para turma EI 42. Os alunos puderam observar e escolher a obra que mais gostaram. A turma ficou muito animada para saber qual seria a obra mais votada. Registraram suas escolhas na confecção do gráfico. A obra mais votada foi Plantando Bananeira.

 

   

 

Portinari, em suas obras, registrava suas brincadeiras de infância favoritas. Hoje, muitas brincadeiras estão ficando esquecidas. A turma EI 41, da professora Aline, procurou fazer um resgaste dessas brincadeiras e contou com a participação dos pais que responderam as pesquisas feitas pelos filhos. Os dados da pesquisa foram contabilizados num gráfico.

 

 

Em várias obras, encontramos papagaios ou pipas. A turma EI 31, da professora Sônia Maria confeccionou pipas, mas a melhor parte foi brincar com elas. Empinar papagaios. 

 

    

 

A turma do Maternal I, EI 21, da professora Cláudia Corrêa foi apresentada a obra Brincadeira de roda. Eles fizeram de forma alegre e divertida a releitura da obra. A ludicidade e encantamento foram explorados em cada momento.

 

 

 “No processo de aprendizagem em Artes Visuais, a criança exterioriza seu mundo interno, sua personalidade e seu modo de ver e de sentir as coisas. Ela traça um percurso de criação e construção individual que envolve escolhas, experiências pessoais, aprendizagens, relação com materiais e sentimentos.” 

 

Desta forma, Cândido Portinari, passou a fazer parte do universo das crianças do EDI Dalila Tavares.

Parabéns à equipe!

 

DADOS DA UNIDADE:

EDI Dalila Tavares
Direção Geral: Glória Regina
Diretora Adjunta: Flávia Alvarenga
Email: editavares@rioeduca.net
Facebook: https://www.facebook.com/dalila.tavares.102

 


   
           



Yammer Share