A A A C
email
Retornando 304 resultados para a tag '8ªcre'

Quarta-feira, 29/11/2017

Jogar e Aprender na Aula de Língua Portuguesa

Tags: 8ªcre, língua portuguesa, jogos lúdicos.

 

Os jogos geralmente estão presentes nas aulas de Matemática ou nos anos iniciais da vida escolar. Hoje o Rioeduca apresenta uma proposta de jogo para aulas de Língua Portuguesa do 6º ano, afirmando que o lúdico pode e deve estar sempre na aprendizagem dos alunos, independente do ano de escolaridade.

 

 

Como afirmou Piaget, o confronto de diferentes pontos de vista, essencial ao desenvolvimento do pensamento lógico, está sempre presente no jogo, o que torna essa situação particularmente rica para estimular a vida social e a atividade construtiva do indivíduo.

Jogar, principalmente de forma coletiva, é um estímulo para várias habilidades, além de ser prazeroso e desafiador.  Sendo assim, o jogo é uma das estratégias de aprendizagem que pode e deve ser usada nas unidades escolares.

 

 

Pensando nas vantagens de inserir a estratégia do jogo em suas aulas, a professora Sueli Menezes, que é regente na turma 1601 do 6º Ano Experimental, na Escola Municipal Churchill, elaborou o jogo: Roleta dos Advérbios.

O jogo tem como objetivo levar os alunos a compreender os diferentes discursos orais e escritos em diversas variantes e registros da Língua Portuguesa, incluindo a norma padrão, com ampliação dos conhecimentos gramaticais.


"O jogo auxilia os alunos na habilidade de reconhecer palavras que são classificadas

como advérbios na Língua Portuguesa, classificando-as adequadamente."

                                                                                             Professora Sueli Menezes

 

O jogo Roleta dos Advérbios visa também ampliar o vocabulário dos alunos, apresentando palavras de uso pouco comum. Essa ampliação auxiliará na compreensão de textos e na própria produção textual que os alunos farão futuramente.

Para jogar os alunos, organizados em grupos, enviam um representante de seu grupo para rodar a roleta e descobrir com qual classificação de advérbio irão trabalhar.

Em seguida este aluno escolhe dentro da caixa, com ajuda do grupo, no tempo de 10 segundos, o advérbio que se encaixa na classificação dada pela roleta.

Ao fim de cada rodada são verificados os erros e acertos pelos próprios alunos.

 

 

Alguns jogos de fácil confecção, feitos a partir de materiais bem simples ou até de reciclados, podem ter um efeito muito positivo e importante na aprendizagem dos alunos.

Geralmente esses joguinhos são mais usados na Educação Infantil ou nos anos iniciais. Hoje o Rioeduca apresenta a proposta da professora Sueli Menezes, que confeccionou a Roleta dos Advérbios com caixa de pizza, papéis coloridos e um spinner.

Além de auxiliar na aprendizagem dos conteúdos que a professora estabeleceu, o jogo proporcionou uma aula diferente, dinâmica onde os alunos se movimentaram e aprenderam de maneira alegre e divertida!

 

 

Se gostou da matéria e quer conhecer melhor esse e outros projetos, entre em contato:

 

Sueli Maria de Menezes

Professora II (SME/RJ) - Professora de Educação Infantil (SME/RJ)
Especialista em Gestão Escolar Integrada e Práticas Pedagógicas
Especialista em Educação Especial
Email: suelimariademenezes@gmail.com 

Escola Municipal Churchill

Email: emchurchill@rioeduca.net

 

 

O blog "A Revolução Acontece" existe no Rioeduca para compartilhar os projetos e ações que acontecem nas escolas

da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Entre em contato conosco!

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 15/11/2017

Matemática na Maratona de Histórias Malba Tahan

Tags: 8ªcre, sala de leitura, matemática.

 

A Matemática não ficou de fora da Maratona de Histórias na Escola Municipal General Tasso Fragoso. O livro O Homem que Calculava, de Malba Tahan, foi o cenário para aprendizagens muito importantes, de maneira divertida e dinâmica. O evento envolveu alunos e professores num clima de mistério e desafios, como em um conto das Mil e Uma Noites.

 

Grupo de alunos tentando resolver o enigma dos 21 Vasos

 

Júlio César de Melo e Sousa nasceu na cidade do Rio de Janeiro, em 06 de maio de 1895. Ele foi um dos grandes matemáticos brasileiros, que ficou conhecido pelo pseudônimo Malba Tahan.

Como professor, Malba Tahan transformava a sala de aula em um palco, no qual atuava de forma brilhante. Sua metodologia conquistava a atenção e a admiração de seus alunos. 

Com enorme imaginação, Malba Tahan foi o autor de livros que encantam jovens e adultos, fazendo-os perceber que a Matemática é viva, dinâmica e que pode ser muito, muito divertida!

 

Alunos resolvendo um dos enigmas na sala em ambiente das Mil e Uma Noites

 

No dia 10 de outubro foi realizada a Maratona de Histórias na Escola Municipal General Tasso Fragoso.

A professora regente da Sala de Leitura, Eliane Mentzingen, sugeriu que a Matemática não ficasse de fora desse projeto de leitura, portanto apresentou aos professores de Matemática da escola a proposta de trabalharem o livro O Homem que Calculava, de Malba Tahan.

A proposta consistiu em oferecer uma oficina com os  desafios que estão nesse livro, que é um dos mais famosos do autor.

A professora de Matemática Lídia do Amaral Chagas fez a orientação e a supervisão dos alunos que criaram materiais concretos, para que os desafios do livro ganhassem vida e as resoluções dos problemas ficassem mais dinâmicas e divertidas.

 

Professora Lídia Amaral e alunos da E.M. Tasso Fragoso

 

Os alunos confeccionaram personagens em papelão, objetos em emborrachado e também usaram materiais recicláveis.

A decoração do ambiente ficou por conta da criatividade dos alunos nas aulas de História, do professor Luiz Valentim, que elaborou um cenário árabe de acordo com o livro.

Todos que entravam na sala podiam se encantar com o clima das Mil e Uma Noites, se divertir e aprender com os desafios matemáticos.

Foram propostos 7 desafios, que ficaram dispostos nas mesas com os objetos que auxiliaram na resolução dos problemas.

 

Resolução do desafio "Caso dos Soldados", do livro O Homem que Calculava

 

Um dos desafios do livro O Homem que Calculava é o Caso dos Soldados:

“Eis agora o problema escrito a carvão na cela de um condenado:

Colocar 10 soldados em cinco filas, tendo cada fila 4 soldados.”

 

Foram apresentadas 5 fitas de emborrachado e 10 soldadinhos de papelão. Ao redor da mesa os alunos tentavam as diferentes possibilidades para resolver o desafio. Todos queriam participar e a aprendizagem se tornou uma prazerosa brincadeira! 

 

A maratona de Histórias da E.M. General Tasso Fragoso foi um grande sucesso! 

 

 

O Rioeduca parabeniza à E. M. Tasso Fragoso e em especial às professoras Lídia do Amaral e Eliane Mentzingen pela realização desse projeto.

 

Para entrar em contato com a escola e se informar mais sobre o projeto, envie email para:

emgfragoso@rioeduca.net

 

Entre em contato com o Rioeduca e compartilhe as ações da sua escola!

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 01/11/2017

Promovendo a Reflexão sobre Diversidade Cultural

Tags: 8ªcre, diversidade.

 

A Escola Municipal Presidente Médici realizou sua I Feira Cultural. O tema escolhido foi Diversidade Cultural. Toda a escola se mobilizou para preparar um evento capaz de demonstrar a grandiosidade e a importância das diferenças existentes entre os povos do mundo. O resultado foi uma exposição de cores, movimentos  e sabores muito especiais, que você confere hoje, no Rioeduca.

 

Alunos no estande da Alemanha

 

Atualmente, o grande desafio da escola é contribuir para a formação de cidadãos críticos, conscientes e atuantes.

Essa tarefa é complexa e exige da escola ações que ultrapassem temas, conteúdos e programas; é preciso levar os alunos à reflexão sobre o mundo em que vivem e sobre os fatores que nos levam a ter diferenças culturais e ideológicas.

A pesquisa, o trabalho coletivo, a construção do pensamento e o protagonismo dos alunos fazem a diferença na aprendizagem.

Refletir sobre as diferenças é um passo para aprender sobre o respeito e o não preconceito.

 

 

Alunos que formaram a equipe do México

 

No dia 06 de setembro, os professores das equipes de Geografia e História da Escola Municipal Presidente Médici, com o apoio da direção, dos demais professores e funcionários, promoveram a I Feira Cultural Presidente Médici 2017.

O tema escolhido para a feira foi “ A Diversidade Cultural”. 

Após uma ampla discussão em sala de aula sobre o tema da feira, os alunos receberam a orientação dos seus professores para prepararem diversos materiais.

A ideia inicial foi transformar a escola em um espaço expositivo das curiosidades e aspectos mais marcantes da cultura dos diferentes países do mundo.

 

 

Os alunos fizeram degustação de pratos típicos

 

Os alunos prepararam cartazes, maquetes, slides, comidas típicas e apresentações. Os estandes foram devidamente decorados e organizados com cores e objetos que remetem à nação representada.

Além dos trabalhos para exposição, os alunos também prepararam apresentações de danças típicas.

Diante de tantas cores, formas, sabores e curiosidades dos países de diferentes continentes, ficou claro para os alunos que vivemos cercados de diversidade cultural.

O estande do Brasil comprovou o quanto é importante respeitar nossos diferentes modos de falar e de agir, pois nosso extenso país é muito rico em cultura.

 

Alunos apresentando maquete com pontos turísticos do Rio de Janeiro

 

 

A Feira Cultural da Escola Municipal Presidente Médici foi um sucesso! Todos puderam trabalhar coletivamente e desfrutar do êxito dos resultados.

 

 

O Rioeduca parabeniza a todos os alunos e professores pela  1ª Feira Cultural!

 

 

Para entrar em contato com a Escola Municipal Presidente Médici:

empmedici@rioeduca.net

 

Apresentação de Capoeira demonstrando a diversidade da cultura do Brasil

 

 

Participe do Portal Rioeduca! Entre em contato conosco.

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 18/10/2017

Leitura e Escrita no Foco da Aprendizagem

Tags: 8ªcre, semana da alfabetização.

 

A 5ª edição da Semana de Alfabetização aconteceu entre os dias 18 e 22 de setembro. Com diferentes atividades lúdicas e dinâmicas, as crianças experimentaram uma semana planejada especialmente para promover a leitura e a escrita, de maneira divertida e prazerosa.

 

Leituras no pátio da E.M. Leonardo da Vinci

 

Muito antes de ler e escrever, o homem se comunicava por meio de desenhos e pinturas que realizava nas paredes de pedras no interior das cavernas.

Nessa época o homem manipulava formas, gestos, sons e cores não só para dar sentido a algo, como também para se comunicar uns com os outros.

Hoje entendemos que a leitura vai muito além de um meio de comunicação. Ler é uma maneira de se tornar melhor, mais completo e mais capaz de lidar com o mundo contemporâneo.

A leitura proporciona liberdade e capacidade de fazer escolhas e de formar opinião. É caminho para a construção da autonomia e, consequentemente, da conquista da cidadania.

 

Os Contos Clássicos da Literatura Infantil foram os mais lidos no Piquenique Literário

 

De 18 a 22 de setembro, foi realizada a 5ª edição da Semana da Alfabetização na cidade do Rio de Janeiro.

Em todas as escolas que atendem aos anos iniciais foram realizadas atividades específicas para o desenvolvimento das habilidades necessárias para a aquisição e desenvolvimento da leitura e da escrita.

Na Escola Municipal Leonardo da Vinci a Semana da Alfabetização foi planejada visando as relações afetivas, conceituais e cognitivas, para isso foram organizadas atividades envolvendo a leitura e a escrita nas suas mais diversas formas de apropriação.

Na Semana da Alfabetização o foco é a leitura e a escrita em sua forma mais funcional, mas nada impede que as atividades sejam lúdicas e bem dinâmicas, comprovando para os alunos  que ler e escrever é de fundamental importância na vida social.

 

Leituras e dramatização com a professora  Marisa Marotta

 

Durante a Semana de Alfabetização na E.M. Leonardo da Vinci, os professores fizeram um reagrupamento, quando houve a troca dos professores das turmas. Os clássicos da literatura infantil tiveram um destaque especial nessa ação.

Outro momento muito apreciado pelos alunos foi o Piquenique Literário, que aconteceu no pátio da escola. Ao ar livre e debaixo das árvores, as crianças não resistiam ao convite para escolher um livro e folhear suas páginas. Alguns livros foram presos nos galhos das árvores o que tornou a escolha dos livros ainda mais interessante e divertida.

No pátio também aconteceu a "Caça ao Tesouro" que foi promovida pelo professor de Educação Física, Walter Guilherme. A temática da brincadeira foi a importância dos valores e a  amizade.

Apresentar a leitura como meio de conhecer as etapas do jogo é uma maneira de incentivá-los cada vez mais!

 

Alunos preparando os sucos para a degustação

 

Encerrando a Semana da Alfabetização, cada turma escolheu um sabor de suco natural. Após escolherem, fizeram a leitura dos ingredientes e de cada etapa da preparação da receita.

Com o suco pronto, houve o momento da degustação, quando todas as turmas apresentaram suas receitas saborosas e refrescantes.

 

 

"Pouco açúcar e ousadia na mistura de frutas e verduras para preparar saborosos sucos naturais, baratos e com alto valor nutritivo. Foi essa a lição que os alunos aprenderam de forma divertida!"

 

                                                                                        Professora Flávia Rangel - Coordenadora Pedagógica da E.M. Leonardo da Vinci

 

Hora de saborear as diferentes receitas preparadas pelos alunos

 

A Semana da Alfabetização foi um sucesso!

E se você quiser saber mais sobre a Escola Municipal Leonardo da Vinci, entre em contato através do email: emvinci@rioeduca.net

 

Alunos da Educação Infantil trabalhando o gráfico de frutas favoritas

 

 

 

Entre em contato com o Rioeduca e compartilhe conosco as ações da sua escola!

Nós queremos conhecer você!

 

 


   
           



Yammer Share