A A A C
email
Retornando 287 resultados para a tag '7ªcre'

Terça-feira, 22/08/2017

Olimpíada de Matemática

Tags: 7ªcre, projetos.

 

A Escola Municipal Octavio Frias de Oliveira realizou nos dias 3, 4 e 5 de julho a Olimpíada de Matemática com a participação de todos os alunos da unidade escolar.

 

A Olimpíada de Matemática da Escola Octavio Frias foi organizada pelos professores de Educação Física e teve como principal objetivo demonstrar que a matemática é prazerosa e é aplicada em várias situações cotidianas.

   Turmas dividias em cores para participar da Olimpíada de Matemática.

 

As turmas foram dividas em 4 bandeiras: verde, amarela, azul e vermelho. Essa divisão foi feita pelas professores regentes de cada turma. Cada grupo devia conter crianças com conceitos diferenciados em MB, B, R e I em matemática.

Foram realizados  três dias de atividades lúdicas envolvendo conceitos matemáticos. Como exemplo, a turma 1.301 competiu contra a 1.303 e assim por diante. Cada atividade teve uma pontuação. A turma que somasse mais pontos seria a vencedora daquela série na Olimpíada de Matemática.

As atividades da Olimpíada foram selecionadas e organizadas pelos professores de Educação Física: Célia Granja, Márcia Gaspar, Mauro de Almeida e Rosine Mello. Também contou com professores colaboradores durante a realização das atividades: Stefania Fontana, Karina Amorim, Fabiana Falcão e Adelle.

 

          Pelotão da Bandeira da Escola para cerimônia de abertura da Olimpíada.

 

    Hino Nacional cantado pelos alunos do 6º ano .

 

Para as atividades, foram utilizados os seguintes materiais:

- embalagem de iogurte;

- caixa de leite;

- caixa de suco;

- caixas de produtos alimentícios;

- latas de produtos alimentícios;

- embalagens de produtos de limpeza;

- embalagens de produtos de higiene pessoal;

- garrafa de refrigerante pet de vários tamanhos;

- embalagens vazias de kg e litro;

- 3 relógios de parede sem funcionar;

- TNT;

- EVA.

 

Atividades divididas pelos anos escolares

 

Educação Infantil

Conceitos matemáticos: contagem até 10, cores, dentro e fora, pequeno e grande, embaixo e em cima, formas geométricas, identificar números.

1- Boliche, derrubar a garrafa pet e reconhecer o numeral nela escrito.

2 - Desafio das formas.

3 – Polvo.

4 – Encontre o par de sapato.

 

        Apresentação da Educação Infantil.

 

   Atividade Polvo : contagem com pregadores.

 

Turmas do 1º ano

Conceitos Matemáticos: contagem até 20, cores, dentro e fora, pequeno e grande, embaixo e em cima, formas geométricas, identificar números. Resolver situações problema que envolvam os significados da adição (juntar e acrescentar) e da subtração (retirar, completar e comparar). Cubo, esfera, paralelepípedo, cilindro e cone: relacionar esses objetos com os objetos do cotidiano.

1 – Conteste de formas geométricas.

2 – Conteste de adição.

3 – Conteste de subtração.

4 – Conteste de conjunto de cores.

5 – Conteste de contagem. (1 à 20).

 

 

        Atividade com formas geométricas.

 

     Completando a sequência numérica.

 

Turmas do 2º ano

Conceitos Matemáticos: Contagem até 40, reta numérica, dezena e dúzia (1/2 e inteira), par ou ímpar contando nos dedos. Dinheiro de R$2,00 à R$10,00 sem centavos (reconhecimento das notas e caro e barato), dia e mês, litro e kilo (reconhecimento nos objetos diários), identificar características comuns entre as formas geométricas. Identificar formas geométricas nos objetos do cotidiano. Orientação: caminho, localização e movimentação de seres e objetos.

1 – Quebra cabeça.

2 – Contas simples.

3 – Formas geométricas.

 

           Dominó Gigante.

 

Turmas do 3º ano

Conceitos Matemáticos: soma, multiplicação, contagem de 1 à 50, reta numérica, dezena e dúzia (1/2 e inteira), par ou ímpar contando nos dedos. Dinheiro de R$2,00 à R$10,00 sem centavos (reconhecimento das notas e caro e barato), dia e mês, litro e kilo (reconhecimento nos objetos diários), identificar características comuns entre as formas geométricas. Identificar formas geométricas nos objetos do cotidiano. Orientação: caminho, localização e movimentação de seres e objetos. Dobro e metade.

1 – Dezena e dúzia.

2 – Par / impar - contando nos dedos.

3 – Multiplicação simples.

4 – Divisão simples.

5 – Tangram.

6 – quebra cabeça.

7 – Dinheiro – 2,00 - 10.

8 – Identificar o que é litro, quilo.

 

       Embalagens vazias para identificar litro e kilo.

 

Turmas do 4º ano

Conceitos Matemáticos: contagem de 1 à 100, reta numérica, dezena e dúzia (1/2 e inteira, 1e1/2), par ou ímpar. Dinheiro de R$2,00 à R$100,00 com centavos (reconhecer das notas e caro e barato), dia e mês, ano, semestre. Litro e kilo (reconhecer nos objetos diários), identificar características comuns entre as formas geométricas. Identificar formas geométricas nos objetos do cotidiano. Orientação: caminho, localização e movimentação de seres e objetos. Dobro, metade e triplo, tabuada até 3. Horas inteiras, multiplicação.

1 - Tangram.

2 - Formas geométricas, com corpo.

3 - Dinheiro – 2,00.

4 - Tangram.

5 - Antecessor e sucessor.

 

    Montagem de quebra cabeça.

 

      Montagem de Tangram.

 

Turmas do 5º e 6º ano

Coceitos Matemáticos: contagem de 1 à 100, reta numérica, dezena e dúzia (1/2 e inteira, 1e1/2), par ou ímpar. Dinheiro de R$2,00 à R$100,00 com centavos (reconhecimento das notas e caro e barato), dia e mês, ano, semestre. Litro e kilo (reconhecimento nos objetos diários), identificar características comuns entre as formas geométricas. Identificar formas geométricas nos objetos do cotidiano. Orientação: caminho, localização e movimentação de seres e objetos. Dobro, metade e triplo, tabuada até 3. Horas inteiras e quebradas (analógico e digital), multiplicação, divisão. Tabuada até 5. Solução de problemas com cheia e quebrada 30min e 15 min. Adição e subtração com recurso e reserva. Ângulos agudo e reto, reconhecimento.

 

         Atividade de reconhecimento de litro e kilo em objetos do cotidiano.

 

       Identificando horas no relógio analógico.

 

Atividades em envelopes para serem respondidas e feitas pelos alunos:

 

Casa 1:

Verde - Marcos trabalha por hora, ele ganha R$12,00 por hora trabalhada. Ele trabalhou das 9h da manhã às 11h. Quantas horas Marcos trabalhou e quanto ele ganhou pelo serviço?

a) Vá até a caixa de dinheiro e pegue o valor que Marcos recebeu.

b) Corra a até a caixa de bastões e pegue o número de bastões referentes as horas trabalhadas.

Amarelo - Marcos trabalha por hora, ele ganha R$10,00 por hora trabalhada. Ele trabalhou das 8h da manhã às 13h. Quantas horas Marcos trabalhou e quanto ele ganhou pelo serviço?

a) Vá até a caixa de dinheiro e pegue o valor que Marcos recebeu.

b) Corra a até a caixa de bastões e pegue o número de bastões referentes as horas trabalhadas.

Azul - Marcos trabalha por hora, ele ganha R$11,00 por hora trabalhada. Ele trabalhou das 9h da manhã às 14h. Quantas horas Marcos trabalhou e quanto ele ganhou pelo serviço?

a) Vá até a caixa de dinheiro e pegue o valor que Marcos recebeu.

b) Corra a até a caixa de bastões e pegue o número de bastões referentes as horas trabalhadas.

Vermelho - Marcos trabalha por hora, ele ganha R$13,00 por hora trabalhada. Ele trabalhou das 9h da manhã às 13h. Quantas horas Marcos trabalhou e quanto ele ganhou pelo serviço?

a) Vá até a caixa de dinheiro e pegue o valor que Marcos recebeu.

b) Corra a até a caixa de bastões e pegue o número de bastões referentes as horas trabalhadas.

 

Casa 2: Volte 1 casa.

 

Casa 3:

Verde – João tem 10 anos, Maria é dois anos mais jovem que João e José tem o dobro da idade de Maria. Qual é a idade de João, qual a idade de Maria?

Corra até a caixa de bastões e com os bastões faça os números referentes a idade de João e Maria.

Amarelo - João tem 8 anos, Maria é dois anos mais jovem que João e José tem o dobro da idade de Maria. Qual é a idade de João, qual a idade de Maria?

Corra até a caixa de bastões e com os bastões faça os números referentes a idade de João e Maria.

Azul - João tem 12 anos, Maria é dois anos mais jovem que João e José tem o dobro da idade de Maria. Qual é a idade de João, qual a idade de Maria?

Corra até a caixa de bastões e com os bastões faça os números referentes a idade de João e Maria.

Vermelho - João tem 13 anos, Maria é dois anos mais jovem que João e José tem o dobro da idade de Maria. Qual é a idade de João, qual a idade de Maria?

Corra até a caixa de bastões e com os bastões faça os números referentes a idade de João e Maria.

 

Casa 4: Aguarde uma rodada.

 

Casa 5:

Verde, Amarelo, Azul e Vermelho – Os participantes devem correr até a caixa de bastões e pegar o número de bastões referente a idade do mais alto do grupo.

 

Casa 6: Desafios matemáticos com palitos de fósforos:

Verde - Temos 3 triângulos formados por palitos de fósforo. Mova em apenas 2 palitos para formar 4 triângulos.

 

       Corredor de acesso à quadra enfeitado com conceitos matemáticos.

 

 Turma ganhadora do 3º ano com atividade diferente na escola,brincando na quadra.

 

 

As atividades realizadas na Olimpíada de Matemática da Escola Octavio Frias foram selecionadas a partir dos descritores de cada ano escolar e também com referência nos cadernos pedagógicos de matemática da rede municipal. As turmas foram premiadas por ano escolar e cada turma ganhadora foi premiada com uma atividade diferenciada na escola, como piquenique . 

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado !

 

Acesse a página da Escola para ver todas as fotos da Olimpíada:

Escola Octavio Frias

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

Contato da Escola Octavio Frias de Oliveira:

emooliveira@rioeduca.net

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 08/08/2017

Era uma vez...Um Ano de Existência de um Lugar Especial

Tags: 7ªcre, projetos.

 

O Rioeduca recebeu um email contando de uma forma diferente a comemoração de um ano de existência de uma de nossas unidades escolares. Leia o relato na íntegra e descubra também qual é a unidade escolar e um pouco da história desse lugar especial.

 

Era uma vez um lugar onde estudavam quase 900 alunos, dirigido por duas diretoras, Fernanda Barcellos e Elha Maria Aragão, com uma coordenadora, Mariana Fragale, onde ainda assim todos conviviam felizes e acreditavam que a educação era a salvação. Acreditavam também que o conhecimento era um bem maior, o qual ninguém seria capaz de tirar, e que nós somos os únicos responsáveis por aquilo que conquistaremos, cabendo também a nós o planejamento do nosso futuro.

 

Apresentação durante a comemoração da unidade escolar.
 

Nesse local, tal planejamento é realizado em dois tempos semanais nas aulas de Projeto de Vida e aquele bem maior, o estudo, é direcionado, levando os alunos a terem uma autonomia, através das aulas de Estudo Dirigido. Além disso, nesse local que não é encantado, os que nele estudam são induzidos a um Protagonismo que, ao contrário do que muitos pensam, não leva à desordem. Este leva a uma voz ativa que, na prática, os faz entender que isso é democracia, e gera responsabilidades, já que, segundo Fernando Sabino, “Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um”.

Dia 14 de abril, esse local... (tudo bem... iremos revelar...) essa escola: GINÁSIO CARIOCA ALEKSANDER HENRYK LAKS comemorou 1 ano de existência. A data foi comemorada no dia 26 de maio.

 

             De cima para baixo; da esquerda para direita: Jerson Laks, Renata Cebrian, Fernanda Barcellos (diretora do Ginásio), Mariana Grolla (coordenadora da 7ªCRE), Marcelo Arar e Herry. Convidados recebendo o carinho dos alunos.

 

Nossa escola carrega o nome de uma pessoa muito especial: ALEKSANDER HENRYK LAKS, um polonês, sobrevivente do Holocausto, que escolheu o Brasil para viver e que carregou sua mensagem de luta pela vida e igualdade por muitos anos, como uma missão de vida.

 

                        De cima para baixo; da esquerda para direita: Renata, Suzan, Mariana Grolla, Herry, Marcelo Arar e alunos do grupo de dança "Somos Laks". Convidados aplaudindo o final da apresentação do grupo de dança "Somos Laks".
 

 

Aleksander dizia que “judeus, brasileiros, negros, brancos, indígenas não são de raças diferentes. Pertencem a uma só raça. E o nome dessa raça é raça humana”. A partir dessa premissa, nossa escola construiu o seu Projeto de Vida e embarcou nessa viagem, que levou as “doces abelhinhas”, forma carinhosa como Aleksander se referia as crianças, a serem encorajadas ao voo.

 

                       De cima para baixo; da esquerda para direita:Oficinas da Festa: QUIZ; Dobrando para não repetir a história; Pudim Laks; Conhecendo Aleksander.

 

Durante a festa, os alunos participaram de diferentes Oficinas, tais como: Língua Polonesa, Dobrando para não repetir a História, Campos de Concentração, Holocausto, Pudim Laks, entre outras. Além disso, assistiram ao espetáculo de dança sobre o Holocausto, apresentado pelo grupo de dança da escola, participaram da Banda Laks, cantando a música que conta a história de Aleksander e, ao final, fizeram uma grande homenagem ao patrono dessa escola, representado por seu filho, Jerson Laks. Cantaram a paz, pedindo por dias melhores, através do Coral Laks, coral formado pelos alunos da escola que participam de tal eletiva e ainda distribuíram os 1000 Tsurus confeccionados pelos alunos, com o intuito de pedir a paz para o mundo em que vivemos.

 

 

           Na foto superior a apresentação do Coral Laks. Na de baixo o aluno Jones e Jerson Laks, vestindo a camisa da escola.

 

Também estiveram presentes o Vereador Marcelo Arar, que sugeriu o nome da escola, um representante da comunidade judaica no Rio de Janeiro e representantes da Secretaria Municipal de Educação e da Sétima Coordenadoria Regional de Educação.

Festejamos a existência desse espaço, onde cada aluno passa sete horas de seu dia aprendendo a ser um cidadão de verdade. Brindamos à vida! Fizemos nosso grito de guerra diário, que deixou Jerson Laks imensamente emocionado, o presenteamos com a blusa da escola “Eu Sou Laks” e dividimos a esperança, através do olhar emocionado e feliz de cada uma daquelas crianças e adolescentes presentes que, juntos, cantaram um forte “parabéns”, não só à escola, mas a todos que fazem, dentro dos sacrifícios diários, ela existir. E o bolo? Hum... estava uma delícia!

Todas as personagens dessa história merecem um agradecimento especial: alunos, direção, coordenação, professores, agentes educadores, funcionários da limpeza, funcionários da merenda, familiares dos funcionários, convidados e mais aqueles todos que fazem parte dos bastidores. Afinal, cada um em seu papel, faz desse espaço um lugar mais que especial. A prova de que um sonho, quando sonhado junto, pode se tornar realidade.

 

                 Momentos de homenagem. Diretora adjunta: Elha Maria Aragão; ex-aluno: Matheus; Jerson Laks (filho do patrono); Herry (Presidente da FIERJ); Vereador Marcelo Arar; diretora: Fernanda Barcellos; coordenadora pedagógica: Mariana Fragale; Miguel, aluno do sétimo ano.
 

 

Ah, o final dessa história? Ainda não tem... é que ela está só começando! Mas acreditamos que vem por aí mais um"...viveram felizes para sempre”.

                                                                                                                                   Texto de Mariana Fragale

 

Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

GINÁSIO CARIOCA ALEKSANDER HENRYK LAKS

DIREÇÃO: FERNANDA BARCELLOS / ELHA MARIA ARAGÃO (ADJUNTA)
COORDENAÇÃO: MARIANA FRAGALE

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

Contato do Ginásio Carioca Aleksander Henryk Laks:

emalaks@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 25/07/2017

Piquenique Literário

Tags: 7ªcre, projetos.

 

    Alunos da Escola Municipal Eunice Weaver realizaram um piquenique literário e aproveitaram para recitar poemas e aprender mais sobre esse gênero literário.

 

No dia 24 de maio, a turma do sexto ano da Escola Municipal Eunice Weaver realizou seu primeiro piquenique literário. A organização do piquenique foi feita pelos alunos sob a orientação da professora da sala de leitura Clarice e dos professores regentes da turma.

 

Professora Clarice da Sala de Leitura e duas alunas do 6º ano.

 

Os alunos da turma seguiram uma sequência de atividades: listagem do que precisariam para o evento, confeccção de convites, pesquisa , seleção e análise de poemas de autores diversos. Os escritores trabalhados foram : Mário Quintana, Clarice Lispector, Vinicius de Moraes, entre outros.

 

   Convite elaborado pelos alunos.

 

Dessa forma, puderam conhecer as formas e caracterísitcas desse gênero literário (estrofes, versos, uso de metáforas e em alguns casos, o uso de rima).

 

        Cesta de livros para utilizaçao pelos alunos.

 

        Aluno lendo o Mar e os Sonhos de Rosena Murray.

 

A diretora adjunta Juliana acompanhando a atividade realizada.

 

     Professora  Cláudia e Clarice junto com os alunos.

 

Lanche coletivo para encerramento da atividade.

 

O piquenique literário aconteceu no pátio externo da escola com momentos de muita emoção e sensibilidade com a leitura de textos poéticos por alunos, professores, coordenação, direção e funcionários.Ao término da atividade, o encerramento foi feito com música e lanche coletivo.

Informações enviadas pela unidade escolar.

 

Parabéns aos envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

Contato da E.M. Eunice Weaver:

emeunicew@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 11/07/2017

Ciências e Literatura na E.M. Dom Pedro I

Tags: 7ªcre, projetos.

 

A Escola Municipal D. Pedro I desenvolveu atividades envolvendo as áreas de Ciências e Literatura no primeiro semestre deste ano.

 

Entre as diversas atividades realizadas na E. M. Dom Pedro I, algumas se destacaram durante o primeiro semestre deste ano. Na área de ciências foram desenvolvidas atividades sobre as arbovirores, vírus e viroses e o dia mundial da água; na área de literatura, foram desenvolvidas atividades envolvendo o dia do livro e o projeto heróis. A unidade escolar também realizou atividades sobre a campanha Aqui é um lugar de PAZ e cultura popular . 

 

 

DOM PEDRO I APRENDENDO SOBRE VÍRUS E VIROSES

 

As professoras Maria do Carmo Porto Lomba e Maria Augusta Gonçalves desenvolveram um projeto sobre vírus e viroses motivadas pela proposta da Secretaria Municipal de Educação para a mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti, na campanha “AQUI MOSQUITO NÃO SE CRIA”.

E como um dos primeiros conteúdos a ser trabalhado no 1º bimestre em Ciências (7º ano) é VÍRUS, tiveram a ideia de fazer uma exposição sobre o tema com os trabalhos desenvolvidos pelos alunos. A Professora Rosana Zeitune e os alunos do 8º ano contribuíram com o estudo de células eucariontes, pertinente ao conteúdo próprio do bimestre e ano de estudo.

 

                Exposição reproduzindo composição das células.

 

Para a abertura, a exposição contou com a colaboração da Professora de História, Caroline Vivas, que realizou a atividade de sensibilização. Trabalhou em algumas turmas o tema “Revolta da Vacina”, por meio de slides com imagens da época e discussão sobre o fato histórico.


A culminância foi a abertura da exposição denominada: “Vírus e Viroses”, no laboratório de Ciências da escola municipal Dom Pedro I. A exposição dos trabalhos focou nas viroses mais frequentes, bem como o estudo das características e replicação dos vírus, estudo dos transmissores ou formas de transmissão, origem, ciclo e ambientes propícios para a reprodução de Aedes aegypti. Além disso, sugestões de busca ativa nos ambientes de possíveis criadouros de transmissores e armadilhas. A vacinação foi um ponto importante, desde a ação da vacina no organismo, os calendários de vacinação e o ambiente dos postos de saúde. Também foi abordada a comparação entre sintomas de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, curiosidades sobre vacinas, apresentação de sintomatologia de hepatites B e C, sinais do contágio por HPV e dados sobre HIV/AIDS.

 

        Cartaz sobre vacinação.

 

Cartaz sobre vacinas.

                                                        

Agregados a esses estudos, estão expostos modelos de células eucariontes, uma vez que os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios e um nicho sobre algumas bacterioses reemergentes, como sífilis e tuberculose.

Através de trabalhos variados tais quais: maquetes, instalações lúdicas - como roletas para sorteio de doenças, cartazes, mosquitoeiras feitas a partir de garrafas pet, instalações de sistemas (forma de replicação viral), folhetos, cubo informativo, literatura de cordel, entre outros, formatou-se a exposição.

A exposição é autoexplicativa, com direcionamento no piso e sinalização de paradas para apreciação dos trabalhos. O direcionamento leva o expectador a ir apreciando e aprendendo numa composição crescente e ordenada de conhecimentos. A significação é atribuída pelo próprio observador.

Ao final da visitação, os alunos produziram relatórios onde explicitaram o conteúdo observado e emitiram sugestões sobre a exposição. Assim, os professores da escola levaram suas turmas ao laboratório de Ciências sem precisar do auxílio das professoras da área de Ciências, objetivando elucidar uma aprendizagem significativa que venha permear os espaços do cotidiano familiar do aluno.

 

Detalhes da célula.

 

Detalhes da célula.

 

Maquete do posto de saúde.

 

Professoras responsáveis pela exposição.

 

 

CAMPANHA CONTRA ARBOVIROSES

 

Alunos preparando mosquiteira para exposição de arboviroses.

 

Cartazes  e exposição sobre doenças causadas pelas arboviroses.

 

Exposição e mosquiteira feita pelos alunos.

 

DOM PEDRO I COMEMORA O DIA MUNDIAL DA ÁGUA


No dia 22 de março comemora-se o Dia Mundial da Água e, para mostrar a importância desse momento, a professora Viviane Azevedo, da turma do Acelera 6, desenvolveu uma atividade de leitura e de escrita lúdica. Os alunos deveriam escrever um pequeno texto sobre uma figura e pontuar que atitudes poderiam fazer para contribuir com a economia de água em casa.

 

            Produção de texto com o tema água.

 

Sugestões foram dadas, tais quais: economizar água no banho, na escovação dos dentes, na lavagem das louças e roupas, aproveitar a água da chuva. Depois disso, eles elaboram um móbile a partir de um desenho pintado com muita criatividade usando tinta e barbante. Estes enfeitariam a sala de aula, consolidando a aprendizagem. A professora enfatizou à turma que deveriam, não só no dia 22 de março, mas sim durante todo ano, ter atitudes no nosso cotidiano que ajudem a preservação e economia da água.

 

          Atividade artística envolvendo o tema água .

 

DOM PEDRO I NUM LUGAR DE PAZ

 

As professoras Cristina Andriotti ( Português) e Fátima Paiva ( AC8) elaboram atividades com suas turmas sobre o tema: “Aqui é um Lugar de Paz”. Depois de todas as notícias nocivas que vem assolando nossa cidade que impulsiona toda a comunidade escolar a levantar a bandeira da Paz! Com momentos de reflexões, de registros e de criatividade os alunos transportaram da sala de aula para os corredores da escola seus sentimentos que a escola é um lugar de paz.

 

  Mural com o tema paz.

 

Mural sobre a paz.

 

Registro sobre o tema feito pela aluna.

 

 

DOM PEDRO I E CENTRO DE ESTUDOS

 

Atividade pedagógica realizada durante o Centro de Estudos.

 

Professores reunidos com o palestrante.

 

 

DOM PEDRO I NAS COMEMORAÇÕES DO DIA DO LIVRO


No mês de abril comemoram-se no dia 18 o Dia Nacional do Livro Infantil e no dia 23 o Dia Mundial do Livro. Diante destas datas tão importantes para o cenário da literatura, a professora da Sala de Leitura, Vânia Leite, desenvolveu algumas atividades objetivando o incentivo à leitura, despertar o interesse pelo livro e o desenvolvimento do hábito de leitura. Os alunos do 6º ano foram convidados a conhecer a sala de leitura e sua funcionalidade.

 

           Alunos conhecendo a sala de leitura.

 

Como a unidade escolar fica localizada próxima a uma praça pública, foram colocados livros doados no banco da praça. E neles estava um marcador de livros com as orientações: se a pessoa gostasse do livro poderia levá-lo e se desejasse deixaria outro no mesmo local. Entretanto, os livros foram embora e outros não foram colocados no lugar. Isso é um início, iremos aperfeiçoar e insistir neste projeto.

 

Um dos livros deixados na praça com o marcador explicando o projeto.

 

DOM PEDRO I E SEUS HERÓIS


A professora, Maria Sirlei, de Língua Portuguesa do 7º ano, realizou uma atividade do livro didático que empolgou toda a turma. Atividade consistiu em montar um livro com histórias de heróis, de uma revista de histórias em quadrinhos. Após a leitura do texto “HERÓIS” de Elias José, iniciaram a confecção do livro, as ideias borbulharam e despontaram belíssimas histórias, que rendeu uma exposição dos livros. Intitulada como “Criação de Super-Herói ou Heroína” a exposição foi realizada para toda comunidade escolar. Entre os heróis e heroínas estão: A Super Princesa, Cinco Garotas e Um Segredo, Capitão MAM, Tudo Pelos Animais, Pink Girl, Manu e os Fantasmas Misteriosos.

 

       Livros criados pelos alunos.    

 

   

             Detalhe de um dos livros: biografia da escritora e da ilustradora.    

 

Interior do livro .

                                            

O esmero pela elaboração do livro causou muita alegria ao ver que a aprendizagem se consolidou. Um exemplo foi o livro Pink Girl com sua ilustração bem caprichada, texto com uso das regras gramaticais e o mais interessante foi a biografia da escritora e da ilustradora. Assim, acreditamos que estão nascendo futuras escritoras.

 

      Exposição dos livros e mural "Criação do Super- Herói e Heroína."


 

DOM PEDRO I CAI NA FOLIA!


A escola municipal Dom Pedro I aproveitou as semanas que antecederam o Carnaval para desenvolver um projeto intitulado: D. Pedro I cai na folia. A professora de História Ana Cristina Souza buscou pelo resgate e pela história do carnaval. Passeou pela origem dos blocos de rua e do cordão da Bola Preta, pela origem do confete e da serpentina, pela passarela do samba, pelo Sambódromo, pelo hábito de se fantasiar, pelo surgimento das escolas de samba e bailes de Carnaval, pelas criações das máscaras e fantasias enfim com essas produções elaborou um grandioso mural.

 

         Pesquisa da história do Carnaval.

 

As professoras de Artes Visuais, Neyla e Nádia, estimularam seus alunos a ousarem nas confecções de máscaras. A profª de Português, Cristina Andriotti, levou sua turma a refletir sobre um carnaval regado de respeito, isto é, brincar, mas consciente das suas atitudes.

 

    Reflexões sobre o Carnaval.

 

A turma do Acelera 8, sob responsabilidade da profª Fátima Paiva, brincou com máscaras e versos de samba num cuidadoso mural. O professor de Geografia, Alex, mostrou para seus alunos que o Carnaval acontece em todos os estados do país. Os alunos, em grupo, fizeram uma exposição com cartazes sobre os Carnavais dos Estados do Brasil.

 

 Pesquisas sobre Carnaval pelo Brasil.

 

           Atividades das professoras de Inglês e bloco feito pelos alunos.

 

As professoras de Inglês, Ludimila e Gisele, abordaram a festa carnavalesca Mardi Gras, que acontece todo ano em Nova Orleans, nos EUA. Conhecido por suas máscaras de gesso, colares de contas e paradas com bandinhas. E, para encerrar todas essas atividades, a profª Ana Cristina Souza colocou “o bloco na rua”!!! A turma formou, com incentivo da professora, um bloco com os instrumentos musicais da sala de música, cantarolaram e animaram os colegas com baile no pátio da escola. Nossos alunos divertidamente passearam por toda história do Carnaval e interagiram neste universo alicerçado pelo conhecimento e informação mediado pelos seus professores.

 

 Parabéns a todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

Agradecimento especial  à coordenadora Marleyde Fernando pelo envio dos relatos e fotos.

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

Contato da E.M. D. Pedro I :

emdpedro@rioeduca.net

 

 

 


 


   
           



Yammer Share