A A A C
email
Retornando 310 resultados para a tag '3ªcre'

Quarta-feira, 11/10/2017

Lê comigo - Projeto anual de mediação de Leitura Literária

Tags: 3ªcre, leitura, incentivo.

 

  O ponto de partida do Projeto "Lê comigo", da Sala de Leitura da Escola Municipal D. João VI,  aconteceu no ano de 2016 e, como todo o projeto de incentivo à leitura deve ser, prossegue em 2017 renovado após ajustes e avaliações de percurso por parte de todos os envolvidos. Para conhecer essa história, por favor, "Lê comigo".

 

 

O Projeto de promoção, incentivo e mediação literária LÊ COMIGO tem como principais objetivos ampliar o repertório literário dos estudantes, professores e demais integrantes da comunidade escolar, através do acesso aos livros e a participação em atividades de mediação de leitura literária. Conta com amplo acervo, cerca de nove mil exemplares, distribuídos entre literatura infantil, infanto juvenil, clássicos da literatura e títulos voltados à formação docente.

Nosso acervo é composto por duas midiatecas importantes: o acervo disponibilizado pela equipe MultiRio e o acervo disponibilizado pelo projeto Cine Literário.

A cada ano de escolaridade são oferecidas atividades diversas de caráter contínuo. São adequadas ao interesse por faixa etária, envolvendo dramatizações, leituras em público, leituras individuais, empréstimos de títulos literários e incentivo à autoria. Acreditamos que o estudante em contato com o objeto livro e mediação constante, compreende o fazer literário como algo inerente em seu cotidiano, aprimorando consequentemente seu vocabulário e sua forma de expressar-se tanto oralmente quanto em sua escrita. Nesta linha de trabalho, espera-se a ampliação da visão, encontrando sempre novos caminhos e possibilidades através de diferentes linguagens.

Passeando por diferentes gêneros literários durante o ano letivo, somos sempre surpreendidos quando construímos linha pós-linha novos enredos para nossas histórias. LÊ COMIGO configura, neste panorama, as mudanças permanentes que o livro deixa na vida do leitor. Uma mudança real que não admite retrocesso, pois uma vez o livro lido, suas marcas permanecem e moldam a postura deste leitor sempre em direção ao avanço como ser humano e cidadão atuante.

 

 

O suporte filosófico, político e psicopedagógico para o desenvolvimento deste projeto é a concepção sócio interacionista de Vygotsky sobre o funcionamento do cérebro humano. Isto quer dizer que o homem é herdeiro da evolução cultural e seu desenvolvimento dar-se-á em função de características do meio social em que vive. Logo, acreditamos que um meio social permeado pelo livre acesso à leitura, propiciará vivências e trocas ímpares, verdadeiramente significativas para crítica, argumentação e incentivo à autoria.

Compartilhar leituras...

Do ponto de vista de Vigotyski (1988) e seus colaboradores, os momentos de desenvolvimento cultural são motivados por atividades que façam avançar a formação e o aperfeiçoamento das capacidades psíquicas. Nesse sentido, é possível um novo olhar em relação à literatura infantil como fundamental para a formação da humanidade das pessoas em suas máximas possibilidades.

Para medirmos o grau de interesse cultural de uma escola, bairro ou cidade, podemos usar como parâmetro a biblioteca, seja esta escolar ou pública. Para que exerça a cidadania de forma plena o indivíduo necessita fundamentalmente de formação e informação, bases estas encontradas em nossa linha de trabalho e acervo, o qual disponibilizamos constantemente oferecendo orientação e mediação.

A atividade promovida pela Sala de Leitura J.G. de Araújo Jorge desenvolve a oralidade, livre expressão e aprimoramento da escrita através da realização da leitura literária em diferentes modalidades.

 

 

Com a palavra, o Pé de Poesia!

O Pé de Poesia é um mural interativo que expõe e disponibiliza poesias diversas de autores renomados, dispostas lado a lado com produções dos estudantes da nossa escola. As dinâmicas oferecidas incluem autoria e ampliação do repertório dos estudantes, mediante leitura, transcrição e criação autoral. Ao ler um livro de poesias é comum ter preferência por esta ou aquela obra, seja pelo ritmo ou mensagem que transmite. Nesta perspectiva é possível transcrever poesias e endereçá-las aos amigos ou criar uma nova poesia, ler, presentear, trocar. Com o desenvolvimento das atividades do Pé de Poesia incentivamos a participação de nossa Comunidade Escolar no projeto Poesia na Escola, promovido pela Secretaria Municipal de Educação. Consiste da publicação de uma coletânea de poesias de autoria de estudantes, professores e funcionários da Rede. Sempre uma vivência significativa quando indicamos obras da nossa escola para este concurso. A semeadura do Pé de Poesia desenvolve repertório, oralidade e estimula a autoria e interação através da arte literária e da linguagem poética.

 

 

Luz, câmera, ação: conheça nosso Cine Literário!

O Cine Literário é composto por cinquenta títulos em livros e seus respectivos filmes, incentivando mutuamente a literatura através do cinema nacional e o cinema através da literatura.

Neste projeto realizamos exibições dos filmes, debates, rodas de conversa e rodas de leitura objetivando fomentar a criticidade, argumentação e ampliação do repertório e vocabulário.

Realizamos durante o ano letivo exibições semanais de filmes e foi instaurada uma roda de leitura aberta à comunidade escolar, onde recebemos as famílias dos estudantes. O exercício da cidadania passa pela paixão pela leitura e valorização do livro no caminho de formação.

O Projeto Cine Literário, uma parceria com o cinema Ponto Cine é uma importante vivência cultural fomentada pela Sala J.G. de Araújo Jorge.

 

 

Piquenique Literário!

São deliciosos os piqueniques literários promovidos pelo projeto LÊ COMIGO! Neles, além de lanchinhos super gostosos para saborear, compartilhamos leituras e vivências literárias de forma descontraída e prazerosa. Cada turma vivencia um autor diferenciado e nestes piqueniques são lidos trechos de obras, enumerados títulos, e seguimos com breve explanação sobre a vida e obra do autor assim como disponibilização de títulos literários.


 

Dedicado aos estudantes da Escola Municipal Dom João VI, sem os quais meus dias jamais seriam os mesmos. Por vocês, desafio meus limites para ser a cada dia uma profissional de educação à altura da sinceridade que transparece em vossos olhares.

Texto enviado pela Professora Ana Cláudia de Abreu Soares.

 

São tantos e tão fascinantes os projetos desenvolvidos pela sala de leitura J.G. de Araújo Jorge que dá muita vontade de conhecer mais. Para isso basta enviar um email para slsdjoaovi@rioeduca.net.

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 27/09/2017

Encontro de alunos do PEJA na 3ªCRE

Tags: 3ªcre, peja, encontro.

 

   A noite de 29 de agosto de 2017 foi muito especial para as unidades  da 3ªCRE. Nela aconteceu mais um Encontro Regional dos alunos do PEJA. Trocas de experiências, mostra de trabalhos e apresentações inesquecíveis rechearam de emoção o evento que, como sempre, foi um sucesso

 

 

Segue o release das apresentações:

E.M. Engenheiro Roberto Magno de Carvalho

Os alunos do PEJA apresentarão um jogral e a leitura de um acróstico- “A Escola que temos e a escola que queremos”, com a tradução simultânea em libras através do aluno que é deficiente auditivo e um vídeo sobre a paz.

E.M. Jose Verissimo

Os alunos das turmas de PEJA I e PEJA II da Escola Municipal José Verissimo apresentarão uma poesia em forma de jogral chamada “O sistema” do escritor Eduardo Galeano.

E.M. Eurico Salles

A escola diz que para não se calar frente as injustiças vão cantar. O coral apresentará a canção “ Dias melhores “ de Jota Quest”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E.M. Thomas Mann

A Escola Municipal Thomas Mann traz a apresentação de um coral, com a música “Apesar de você” de Chico Buarque.

E.M. Alcide de Gasperi

A escola traz o rap da felicidade, com poesia: “Amor, Igualdade, Justiça e Liberdade”.

E.M. Edgard Sussekind de Mendonça

A escola traz para nosso encontro um momento voz e violão com a música “A Paz”.

 

 

E.M.Nereu Sampaio

O PEJA da Escola Municipal Nereu Sampaio traz para o encontro de alunos, uma mensagem com interferência de trechos musicais trabalhados no projeto da escola ao longo deste ano. Para a elaboração foram utilizados trechos do texto produzido pela unidade escolar para o encontro, bem como trechos de músicas da MPB utilizadas para ampliar nossa discussão.

E.M. Sarmiento

Os alunos da Escola Municipal Sarmiento tiveram como objeto de estudo a letra da música “Que país é esse” do grupo Legião Urbana e hoje estão aqui para apresentarem o tema em forma de uma dramatização.

E.M.Alagoas

Os alunos apresentarão uma dramatização representando os trabalhadores das regiões do Brasil, finalizando com a música “Trabalhadores do Brasil”.

 

 

E.M. Rubens Berardo

Cada autor trabalhado será representado por um aluno fazendo um paralelo desse autor com o tema "É preciso que as pessoas se respeitem. Não podemos nos calar diante das injustiças."

A escola finalizará com a declamação, de parte de um desses poemas.

E.M. Isabel Mendes

A Escola fará uma apresentação teatral baseada no manifesto “Elas por elas”, onde serão relatados atos verídicos vividos por mulheres.

E.M. George Sumner

A Escola Municipal George Sumner apresentará o “Rap da EJA – É urgente esse grito”, em consonância com o tema discutido nas aulas, durante a construção do texto coletivo.

 

 

CIEP Patrice Lumumba

O CIEP apresentará um trabalho sobre diversidade cultural na alfabetização, com apoio do forró.

 

E.M. Republica El Salvador

Os alunos trazem para nosso encontro um vídeo onde retrata a peça teatral “Na fila- um pouco da história do Brasil”, baseado na crônica de Luís Fernando Veríssimo.

Alguns depoimentos de participantes revelam o quanto esse momento de aprendizagem diferenciada foi importante para toda a comunidade escolar:

Foi emocionante e gratificante acompanhar todo o processo de construção desse momento! Profª Ana Luisa F.Martins Oliveira
 

"Ontem, nos emocionamos, nos admiramos, nos encantamos e vivemos momentos muito felizes, por conta do "XII Encontro Regional de Alunos do PEJA". Porém, para que todo esse sucesso pudesse acontecer, contei com muitas pessoas, desde a fase de planejamento até a realização efetiva do evento.
Os agradecimentos são muitos. Agradeço imensamente a todos:
- À minha equipe do PEJA- Ana Luisa- incansável e sempre disponível;
- Às "meninas da GED", Ângela, Christina, Ana Paranhos e Karina. Um especial agradecimento a Tânia, que fez desde lavar e carregar maçãs do lanche comigo até apresentar os releases do evento;
- À Sandra Martorelli pela ajuda com a arte do banner;
- À Ana Carolina da GIN, parceira com os lanches dos alunos;
- À AIT, com o auxílio do André com as mídias;
- À Direção da EM Sarmiento por ter recebido e armazenado os lanches;
- Ao Sergio e a Ana Maria (Almoxarifado) amigos prestativos e disponíveis;
- Ao Rodrigo por ajudar a carregar os lanches e as águas;
- Aos Professores Orientadores pelo empenho e dedicação para que o evento acontecesse de forma brilhante;
- Aos professores regentes do PEJA, que se empenharam nos ensaios e nas apresentações;
- Aos Diretores que viabilizaram materiais e tudo o mais que fosse preciso para a exposição de trabalhos e as apresentações. Um especial agradecimento as Diretoras Elizabeth, da EM José Veríssimo e Kátia , da EM Alcide de Gásperi, por estarem presentes, prestigiando o evento;
- A todos os alunos do PEJA, que deram um exemplo de cidadania, educação, respeito e participação coletiva e ainda, pelas belas e emocionantes apresentações.Peço que levem a todos os alunos meus agradecimentos e meus parabéns!
Um abraço carinhoso a todos!" - Inácia Alvarenga

 

"Deixo aqui também registrado meus PARABÉNS!

Tive a oportunidade de me emocionar, me encantar e alimentar ainda mais os meus sonhos para a Educação. PEJA é um programa que faz acontecer, é VIDA! E como disse nosso amado Paulo Freire: 'Em um país como o Brasil, manter a esperança viva é em si um ato revolucionário.'

Mais uma vez PARABÉNS! Continuemos compartilhando sonhos!" Hérica Marinate - GEJA

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 13/09/2017

Projeto Alimentação Saudável

Tags: 3ªcre, alimentação, saudável.

 

  O projeto Alimentação Saudável faz parte do Projeto Político Pedagógico da E. M. Joaquim Ribeiro, que  tem como eixo condutor o desenvolvimento da cidadania consciente através de ações que promovam o aprendizado lúdico e transformador de comportamentos e ideias. No 2º bimestre, a escola abordou a alimentação saudável. Vamos conhecer um pouco desse trabalho. 

 

 

O Projeto Político Pedagógico da E. M. Joaquim Ribeiro, que tem por título ”A E. M. Joaquim Ribeiro transformando ações em conhecimentos - o viver saudável na sociedade”, apresentou como eixo do 2°bimestre a alimentação em toda a sua riqueza de conteúdos e temas. Contudo, um assunto despertou mais a curiosaidade das turmas e foi o foco de discussão dos participantes: a Alimentação Saudável. 

Mas o que realmente representa a expressão "alimentação saudável?" O conceito científico considera a importância da ingesta de alimentos naturais em nossas refeições diárias. Nessa é necessário a absorção de açúcares, carnes, ovos, hortaliças, frutas, legumes, leite, óleos, massas, raízes e tubérculos.

 

 

Dessa forma,  cada turma desenvolveu o tema de sua preferência e tinha como objetivo apresentá-lo de forma lúdica e atraente aos demais alunos da turma e da escola de forma a socializar a informação pesquisada, permitindo que a reflexão fosse disseminada em toda a comunidade escolar.

 

 

Os alunos mostraram os resultados de suas pesquisas através de palestras, jogos, montagem coletiva de um sanduíche natural, degustação de suco natural e apresentação de músicas com o tema. 

 

 

Para comemorar o êxito do Projeto, a equipe de direção, composta pela Diretora Alessandra Ragno e a Diretora Adjunta Marcia Macrin, além da Coordenadora Pedagógica Cicilia Miranda, resolveram presentear os alunos da escola com uma peça cujo tema era Alimentação Saudável. Os alunos adoraram.

 

 

O envolvimento de toda a escola no desenvolvimento desse trabalho demosntra que, para promover a reeducação alimentar de jovens e crianças, basta apresentar de forma lúdica e consistente o valor de uma vida saudável, que só pode ser  conquistada através do consumo consciente de alimentos saudáveis e a prática de exercícios. Parabéns para a escola Joaquim Ribeiro pelo trabalho desenvolvido!

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/08/2017

“O sapo não lava o pé. Será?” Abrindo espaços de discussão com alunos da Ed. Infantil

Tags: 3ªcre, fabulas, musica.

 

Partindo de uma situação corriqueira no ambiente escolar, que é o cuidado com o espaço coletivo do banheiro, foi que este projeto surgiu. Ao perceber que estava faltando cuidado em relação a este espaço, a equipe de educação infantil da Escola Municipal Marechal Carlos Machado Bitencourt resolveu se mobilizar e abrir espaços de discussão para que as crianças falassem o que achavam do assunto.

 

 

O sapo não lava o pé. Será? É uma discussão que vai além da mùsica tão apreciada pelas crianças. Visa problematizar o fato do sapo lavar ou não o pé, uma vez que (de acordo com a música) ele mora na lagoa. Também é uma oportunidade para abrir espaços de conscientização sobre o cuidado com os espaços coletivos.

Ao problematizarmos com as crianças o significado da música do sapo, música esta que eles amam cantarolar pelos espaços da escola, a equipe tomou o cuidado de permitir que as crianças chegassem às suas próprias conclusões acerca do sapo, sem que a magia da mùsica e das histórias infantis que cercam este personagem fossem retratadas apenas com a finalidade de ensinar algo. Não nos sentimos como se estivessemos ensinando algo, mas sim como se estivéssemos juntos com as crianças aprendendo.

 

 

Para alegria das crianças o sapo enviou uma carta onde dizia sobre sua visita a escola, e que antes de sua chegada, o sapo deixaria suas marcas.

Antes da chegada do sapo, também foram construidos calendários para que as crianças pudessem acompanhar as datas em que o sapo iria aparecer. E com o objetivo de dar às crianças a oportunidade de visualizarem de forma cronológica a chegada do sapo (pois as crianças perguntavam todos os dias se o sapo viria naquele dia), foi que cada dia uma criança era encarregada de marcar no calendário o dia do aparecimento do sapo. E todas às vezes em que a patinha do sapo aparecia, este seria o dia da sua chegada. Esses calendários estão em um local próximo ao banheiro e refeitório (local onde as crianças passam com frequencia). E, por vezes, algumas crianças param em frente aos calendários e conversam entre si.O que será que falam?

O sapo cumpriu sua promessa e visitou as crianças. Foram momentos emocionantes!

 

 

Com a chegada do sapo, as curiosidades só aumentavam entre as crianças. Perguntas como: de onde ele vem? Ele tem mãe? Por que ele é verde? Foram fomentadores para que a equipe abrisse um leque de pesquisas juntamente com as crianças. Ao longo do projeto e com nossas pesquisas, descobrimos que nem todo sapo é verde, que o sapo realmente mora tanto em lagoas como em beira de lagoas e etc. 

 

 

Em uma de nossas conversas, um menino de 5 anos disse que o sapo realmente não lavava o pé pois entrava na lagoa com as patinhas da frente, se referindo as patinhas da frente como as mãos do sapo e as de tras os pés.Ou seja, esse menino chegou a conclusão de que o sapo entrava na lagoa com as mãos na água e os pés para cima.

Aguardamos a vinda do sapo pela terceira vez, e planejaremos juntamente com as crianças o que faremos no dia em que o sapo aparecer. Aguardem!

 

 

Poetizar e Musicalizar as situações do cotidiano da escola é transformador, pois permite o aprendizado de forma lúdica e prazerosa. Além de despertar a fantasia tão importante para o desenvolvimento da criatividade dos alunos de Educação Infantil. Parabéns para a equipe da Escola Municipal Marechal Carlos Machado Bitencourt.

 


   
           



Yammer Share