A A A C
email

Sexta-feira, 19/10/2018

Negritude: Orgulho e Respeito Também se Aprendem na Escola

Tags: cre10, 10ªcre.

 

Escola Municipal IPEG promove mais uma edição da Gincana do Conhecimento com o objetivo de estimular o resgate da identidade dos alunos e fomentar a valorização da raça e da cultura negra através de atividades interdisciplinares.

 

A Escola Municipal IPEG está localizada a Rua Cabo Saulo de Vasconcelos, s/nº - Jardim Palmares – Paciência, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 26 turmas, com 937 alunos do 6° ao 9° ano. Tem como diretora, a professora Angelina Rodrigues, como diretor adjunto, o professor Jefferson Leite Maia e, como coordenadora pedagógica, a professora Flávia Renata Figueira de Freitas.

Desde 2012, a equipe gestora busca desenvolver um trabalho que contemple a construção de um espaço democrático, no qual todos participem ativamente e que viabilize, além do processo de ensino-aprendizagem, a promoção de valores como Respeito, Responsabilidade, Paz e União.

A partir da observação dos alunos, perceberam que os mesmos possuem um perfil competitivo e que apresentam melhores resultados quando são submetidos a atividades desafiadoras. Entretanto, nas relações interpessoais revelam dificuldades de aceitar a diversidade nas suas múltiplas formas.

Em consonância com os ideais propostos pelo programa “Rio – Escola sem Preconceito”, a gestão também defende que é fundamental a compreensão de que a diversidade das culturas e etnias que formam a sociedade brasileira é fator de enriquecimento do qual devemos nos orgulhar.

Assim, as atividades propostas na gincana visam ao desenvolvimento de uma convivência mais saudável, a fim de promover a conscientização sobre a importância do respeito a todos os indivíduos independentemente de sua origem, raça, cor, idade, gênero ou religião para que tenhamos uma família, uma escola e uma sociedade melhor.

 

"A escola foi dividida em doze equipes multisseriadas. Desse modo, os alunos tiveram inicialmente o desafio de interagir com colegas de outras séries e turmas com os quais deveriam se unir para realizar com êxito as tarefas da gincana. Cada equipe possuía cinco alunos líderes que demonstraram na prática o quanto o protagonismo juvenil é importante no contexto escolar. Percebemos, ainda, que a motivação de muitos conflitos escolares deve-se ao fato de nossos alunos não reconhecerem sua própria identidade étnico-cultural, o que os impulsiona a terem atitudes racistas e preconceituosas. A fim de minimizar tais conflitos e promover a valorização dos negros e de sua importância tanto no cenário nacional como internacional, cada equipe representou um ícone negro escolhido pelos docentes. As tarefas da gincana foram relacionadas à divulgação dessas personalidades negras. O resultado foi maravilhoso, pois os alunos envolveram-se com a temática e produziram trabalhos incríveis valorizando as personalidades homenageadas." afirma a coordenadora pedagógica Flávia Renata.

 

Alunos do 9º ano caracterizando as personalidades:
Obama, Mariele Franco, Conceição Evaristo, Carolina de Jesus e Martin Luther King

 

 

A gincana aconteceu nos dias 5 e 6 de setembro e ao longo do evento os alunos participaram de diferentes atividades que propiciaram a construção do conhecimento através de diferentes áreas, respeitando e valorizando as habilidades intelectuais, artísticas ou esportivas de nossos educandos. Na abertura do evento, os alunos do nono ano emocionaram a todos com a caracterização das 12 personalidades e com o coral e a dramatização da música “Cota não é esmola” da compositora Bia Ferraz. As personalidades homenageadas foram: Mandela, Martin Luther King, Zumbi, Mariele Franco, Dona Ivone de Lara, Tia Ciata, Obama, LeBron James, Martinho da Vila, Conceição Evaristo, Elza Soares e Carolina de Jesus.

 

 

Alunos do 9º ano após apresentação do coral e da dramatização
“Cota não é esmola”

 

 

Na atividade da trilha do conhecimento, os alunos revelaram de forma lúdica, o conhecimento adquirido sobre as personalidades homenageadas. No show de talentos, cada equipe apresentou de forma artística a personalidade representada e a riqueza da cultura negra.

 

No segundo dia da gincana, a Unidade Escolar recebeu a ilustre visita de atletas consagrados do Clube de Atletismo da 10ª CRE. Dentre eles, Chayenne Silva, ex-aluna da IPEG, ela é um exemplo de atleta, jovem e negra que está conquistando o mundo com seu talento, mostrando aos nossos alunos que eles também podem realizar seus sonhos com disciplina e determinação.

 

 

Alunos da IPEG com os atletas do Clube de Atletismo da 10ª CRE

 

 

"Outro ponto alto da gincana é o estímulo à solidariedade. Nossos alunos conseguiram arrecadar junto à comunidade de Jardim Palmares 1 tonelada de alimentos que foram distribuídos para quatro instituições de caridade. É gratificante testemunharmos a alegria de nossos alunos ao entregarem as doações às instituições. Assim aprendem que respeitar o próximo e ser solidário é algo que nos faz muito bem e torna esse mundo um lugar melhor para todos." — afirma a coordenadora pedagógica Flávia Renata.

 

 

Equipe gestora e alunos que expressam o valor do protagonismo juvenil na IPEG

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.035) Escola Municipal IPEG
E-mail: emipeg@rioeduca.net

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 19/10/2018

DIA I – Conscientização da Inclusão na E.M. Tarsila do Amaral

Tags: inclusão, dia i, iha, 5ªcre.

 

No dia 21 de setembro, DIA NACIONAL DE LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, foi reservado no calendário da PCRJ para falarmos sobre a INCLUSÃO, o que não é difícil para a Escola Municipal Tarsila do Amaral que já é inclusiva e trabalha com a diversidade valorizando a troca entre os pares de toda a comunidade escolar. Confira! 

 

 

 

A Escola Municipal Tarsila do Amaral entende que INCLUSÃO é um processo social, onde todas as crianças com necessidades especiais têm o direito à escolarização. Desta forma, a educação inclusiva possibilita a convivência e a aprendizagem de todos.

 

A proposta de educação inclusiva na escola fundamenta-se numa filosofia que aceita e reconhece a diversidade, garantindo o acesso, a permanência, a participação e a aprendizagem a todos, tal qual a Lei 13.146.

 

Dando continuidade ao Projeto Pedagógico, que tem como tema a EMPATIA, a vivência, no DIA DA INCLUSÃO, o lugar do outro. Onde mais uma vez, as atividades foram elaboradas coletivamente, construindo mediações nos experimentos possibilitando que fossem todos iguais apesar das diferenças e, principalmente por respeitá-las.  

 

Mural construído pelos alunos incluídos.

 


Destaca-se algumas atividades como:

 

  • Identificar a diversidade das famílias e compor o quebra cabeça do mundo, no qual as famílias, por mais diferentes que sejam, se completam.

 

Os alunos são incluídos em todos os espaços da unidade escolar e participam de todas as atividades em condições de oportunidades iguais.
 

 


 

Como registra muito bem essa atividade, quando você ajuda, as peças se encaixam e nos tornamos inteiros. Ou ainda, quando saudamos a primavera, plantando uma flor. 

 

 

 

 

É trabalhando as diferenças que  o belo se forma. O maternal soube mostrar isso com maestria, através do colorido e da harmonia com a atividade de corte, colagem e pintura.

 

 

 

 

Se colocando no lugar do outro, aprendemos a respeitar as necessidades e crescemos na solidariedade. Construindo um mundo mais sólido no amor. Assim o 2º e 4º anos experimentaram a ausência dos membros superiores.


Atividade adaptada para deficiente físico (amputação membro superior) - Pintura com a boca.
 

 

 

 

ÁRVORE DA VIDA CONSTRUÍDA PELOS  ALUNOS INCLUÍDOS SIMBOLIZANDO O CRESCIMENTO DO SER HUMANO, CADA UM A SEU JEITO, SE TRANSFORMANDO NO QUE MELHOR PODE SER!
RAMIFICANDO, FLORESCENDO, A ÁRVORE VAI CUMPRINDO SEU CICLO, DANDO FRUTOS E SE DOANDO PARA A VIDA.

 

 

Atividade realizada pelos alunos na Sala de Recursos.

 

 

É relevante registrar que o objetivo do trabalho da escola é incluir todos que por lá estão, é oferecer a formação do ser em que a socialização e a interação com seus pares seja a principal fonte de EMPATIA.

 

Pensamos saber tudo e a diferença assusta, porque é necessário aprender a aprender. É experimentar... É adaptar... É vivenciar... É reformular... É respeitar a todos sem distinção!
 

 

 

 

A Educação Infantil trabalhou os sentidos e através do tato, selecionou os objetos que usaria para uma pintura. Atividade sensorial e tátil de identificar objetos a partir da sua forma e textura.

 

 

 

 

Outra atividade da Educação Infantil foi a classificação e a seleção de objetos iguais no tabuleiro colorido. Atividade de pintura com a finalidade de selecionar e classificar objetos da mesma cor.

 

 


 

 

O 3º ano trabalhou o livro “NÃO TEM DOIS IGUAIS”, experimentando as diferenças entre os próprios dedos das mãos. Atividade de leitura, compreensão e grafismo.
 

 

 

 

O coral do 5º, 6º anos e Acelera 4, emocionou a todos cantando UM MUNDO BEM MELHOR e ofereceu para cada aluno incluído uma flor ressignificando o amor. Atividade de leitura, compreensão, sensibilização e expressão através da música.
 

 

A Tarsila do Amaral, garante a todos os alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, o Atendimento Educacional Especializado, que de acordo com a política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva (MEC, 2008), ganha centralidade nesse processo com atendimentos no contraturno. Além desse serviço, Agente de Apoio à Educação Especial e Estagiários fazem a mediação das atividades junto ao aluno sob a orientação do Professor.

 

 

 

 

 

 

O AAEE foi criado nos termos da lei 5623/2013 e tem como função prestar apoio nas atividades executadas pelo professor regente e/ou direção, contribuindo para o oferecimento do espaço físico e de convivência adequados à segurança, ao desenvolvimento e ao bem-estar social, físico e emocional dos alunos com deficiência, incluídos nas turmas regulares. Colaborando com o docente observando as regras de segurança, utilização de materiais, equipamentos e instrumentos durante o desenvolvimento da rotina diária. Como também, acompanhar e participar dos cuidados essenciais à alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer dos alunos.

 

 


O ESTAGIÁRIO sua função é auxiliar o aluno a criar suas próprias ferramentas para atuar no espaço escolar de forma independente, oportunizando uma vida escolar mais autônoma e participativa. Sob a orientação do professor regente e coordenador pedagógico, o estagiário prestará apoio ao aluno na realização de atividades desenvolvidas no espaço escolar.

 

Todos sempre caminhando juntos para a formação do aluno e um trabalho de sucesso... Dia de Inclusão é todo dia na Tarsila do Amaral!!!!


O TRABALHO É MULTIDISCIPLINAR!!!!!


ESCOLA INCLUSIVA É LUGAR DE GENTE FELIZ!!!!!

 

 

 

A Tarsila do Amaral acredita que através da Educação Inclusiva e o respeito as diferenças aprofundam a consciência sobre os conceitos e práticas cívicas, emprego e vida comunitária. Como também, a compreensão se fortalece quando alunos diferentes aprendem juntos.

 

Sendo assim, a Sala de Leitura, Trabalhou a história do Coelho sem Orelhas adaptando as atividades de acordo com a compreensão e maturidade de cada turma. Fazendo com que percebessem a importância de se aceitar a diversidade.

 

 

 

 

Construindo a poesia inclusiva e registrando que todos crescemos com a diversidade.... O mundo é para todos e a escola também!!!!

 

 

 

 

No Dia da Inclusão, na Tarsila do Amaral teve atividade com os pequenos cientistas.... 

 

 

 

 

Vale ressaltar que a EMPATIA nos faz mais forte, solidário, inclusivo, respeitoso. Deixando assim, um ambiente harmonioso para promover o aprendizado dos nossos discentes com mais eficiência.


A equipe da Escola Municipal Tarsila do Amaral, acredita que “A vida só será realmente bela e gloriosa, na Terra, quando pudermos aceitar por nossa grande família a Humanidade inteira”, Meimei.


TARSILA GENTE QUE FAZ A INCLUSÃO ACONTECER TODOS OS DIAS!

 


                 

Sobre a escola:

Unidade Escolar: Escola Municipal Tarsila do Amaral 
Direção Geral: Bárbara Tavares de Souza Gonçalves 
Direção Adjunta: Renata Azevedo Costinhas da Silva 
Coordenação Pedagógica: Rodrigo Mendes Rodrigues 
Sala de Leitura: Maria de Fátima Gomes de Souza 
Sala de Recursos: Kátia Martins Antonio

Endereço: Rua Hannibal Porto 451, Irajá
Telefone: 3373-2039 | 3373-2293
E-mail: emtarsila@rioeduca.net 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 18/10/2018

Visita ao Museu de Belas Artes e Theatro Municipal

Tags: 9ºcre, museu, cultura, artes, interação..

 

Alunos vistam Museu de Belas Artes e Theatro Municipal e se encantam com a diversidade cultural.

 

Alunos da E/CRE (09.18.012) Escola Municipal Maria Luiza Lima Silva, situada em Cosmos, Zona Oeste do Rio de Janeiro, tiveram, no dia 19/09/2018, a oportunidade de conhecer o Theatro Municipal e o Museu Nacional de Belas Artes. A iniciativa foi do professor de Artes, Vander Firmino de Oliveira.

 

Segundo o docente, a ideia surgiu nas aulas de Artes, a partir de uma percepção do quanto é distante, do cotidiano e da rotina dos alunos, vivências em espaços culturais na cidade do Rio de Janeiro, que tanto tem a oferecer.

 

 

Professores e alunos na entrada do Teatro Municipal

 

 

De acordo com o professor Vander, os alunos precisam conhecer e visitar espaços culturais disponíveis para todos em nossa cidade. É necessário criar um sentimento de pertencimento a esses espaços.

 

A Coordenadora Pedagógica, professora Michele M. de Abreu, prontamente aderiu à ideia e envolveu todas as turmas de 6º Ano Experimental da escola. A professora da turma 1603, Giselle Torres Fiquene, planejou uma atividade que estimulasse os alunos a realizarem um exercício de observação e registro, além da pesquisa científica, cultural e histórico social.

 

Dessa forma, foi oferecida aos alunos uma ficha de observação que servia de guia para que pudessem elaborar um relatório ao final da aula-passeio. Tal atividade teve início na sala de aula, onde a professora abordou assuntos como importância das fontes históricas, os diferentes campos científicos e como esses se entrelaçam. Foi, aproximadamente, um mês de preparação envolvendo diversas disciplinas.

 

A triste notícia do incêndio no Museu Nacional na Quinta da Boa Vista colaborou para aguçar a curiosidade dos alunos.

 

 

Alunos observando atentamente as obras de arte e a fala do professor

 


A professora Giselle afirmou que "a observação da paisagem do Rio de Janeiro, além das informações adquiridas na visita ao Museu e ao Teatro, foram de suma importância para que os alunos internalizassem os conteúdos e se entendessem como agentes transformadores da sociedade. É importante perceberem que essa é a cidade deles e que podem e devem ocupar esses espaços".

 

 

Interação dos alunos com as obras de arte

 



Os alunos interagiram muito na visita, fazendo diferentes perguntas, associando e refletindo com o que vinha sendo estudado em sala de aula. Durante a observação da exposição "Das galés as galerias", no Museu de Belas Artes, os alunos tiveram a oportunidade de perceber o quanto a cultura africana está presente na nossa sociedade e o por isso, deve ser respeitada. Muitos deles se viram representados nas obras.

 

Após, o grupo de professores e alunos visitou o Theatro Municipal. Os alunos conheceram a arquitetura do prédio e sua ornamentação com elementos que remetem aos povos mesopotâmicos. Puderam, também, observar ensaio do corpo de ballet do Theatro. Os discentes demonstraram grande interesse sobre o espetáculo, querendo saber como e quando poderiam assistir, porque segundo eles, "estava tudo lindo".

 

 

Conhecendo, aprendendo e registrando curiosidades e informações sobre o Teatro Municipal

 

 

Todos os professores envolvidos no evento fizeram um piquenique com os alunos nos jardins do Museu de Arte Moderna, onde os discentes também puderam observar as paisagens do RJ, compreendendo o relevo da cidade, com a vista da Baía da Guanabara e do Pão de Açúcar.

 

 

Alunos observando a Baía de Guanabara e o relevo da cidade do Rio de Janeiro

 

 

No final dessa aula externa, ficou claro o quanto é importante e enriquecedor para o estudante ter acesso a outros espaços de aprendizagem que vão além do espaço da sala de aula. Para os professores, torna-se ainda mais gratificante trocar conhecimento e mediar a aprendizagem com os alunos. A aquisição e a construção de novos conhecimentos e saberes ficarão marcados para sempre na memória.

 

 

Professor e alunos felizes, após visitarem o Museu de Belas Artes e o Theatro Municipal

 

 

A professora Giselle ainda pretende dar continuidade a esta aula com a produção de um texto narrativo coletivo, no qual será relatado a experiência vivenciada por sua turma e posteriormente, transformar essa produção em história em quadrinhos, onde professores e alunos serão os personagens.

 

 

Para saber mais:

Unidade Escolar: Escola Municipal Professora Maria Luiza Lima Silva

E-mail: empmllsilva@rioeduca.net

Telefone: 3155-1568

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!
 

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 18/10/2018

CIEP Hélio Smidt e o PROJETO FAMÍLIA EM AÇÃO 1 E 2

Tags: 4ªcre, acolhimento, estímulo, jogos, família.

 

CIEP Hélio Smidt e o PROJETO FAMÍLIA EM AÇÃO 1 E 2
 

 

 


Na E/CRE (04.30.206) CIEP Hélio Smidt foi realizado o projeto FAMÍLIA EM AÇÃO 1 e 2 (em maio e agosto, respectivamente), envolvendo responsáveis, alunos, professores e funcionários.

 

 

 


O projeto foi desenvolvido pelos professores de Educação Física, Alexandre Farias e Marcelo Alencar e apoiado pelo Diretor Adriano Souza, pela Diretora Luciene Veríssimo e Alexandra Pinheiro a Coordenadora Pedagógica. As imagens mostram a felicidade estampada no rosto de cada pessoa e é para isso que o CIEP Hélio Smidt vem trabalhando!

 

 



 

O Projeto Família em Ação foi idealizado com os seguintes objetivos: Estimular a integração entre a família e a escola; estreitar as relações interpessoais entre responsáveis, alunos, professores e funcionários; proporcionar momentos de ludicidade e lazer, à comunidade, dentro do espaço escolar; acolher as pessoas tendo em vista a formação de valores socialmente aceitos; evocar o sentimento de pertencimento à comunidade escolar bem como o cuidado com o espaço físico da escola.

 

 

 


O projeto também incentiva a prática de atividades físicas para o aumento da qualidade de vida; fomenta a cooperação e solidariedade estimuladas pelos jogos, evidencia a importância da prática de atividades lúdicas de forma a resgatar memórias afetivas relacionadas à infância de cada pessoa.

 

 

 

 

A aplicação do projeto se deu em cinco momentos com duração total de duas horas de atividades, são eles:


1. Acolhimento - Visa a recepção da comunidade escolar na quadra da escola (recebidos pelo corpo docente, discente e funcionários)


2. Estímulo à participação - Objetiva “quebrar o gelo” e incitar as pessoas à participação nas atividades com um aquecimento, alongamento e divisão de grupos.

 

 

 


3. Jogos -  Momento destinado à aplicação das seguintes atividades práticas:  corrida com cone e bola passando-a pelo bambolê, estafeta com estouro de balão, desafios com corda passando por baixo, cabo de guerra e queimado.

 

 

 


4. Premiação simbólica -  Entrega do diploma de “Família Presente” e um bombom de chocolate para todos os participantes.


5. Mensagem final - Dar ênfase à participação da família na vida escolar do aluno e a valorização do espaço escolar.

 

 

 

Parabéns pelo trabalho realizado!

 

 

Unidade Escolar: E/CRE(04.30.206) - CIEP Hélio Smidt - 11598
Diretor: ADRIANO ROSA DE SOUZA
Endereço: Rua Nova S/Nº
Bairro: Bonsucesso ( Maré )
Cep: 21043-330
Telefone: 3104-5714
E-mail: ciepsmidt@rioeduca.net

 


 Contato para publicações:


   
           



Yammer Share