A A A C
email

Terça-feira, 05/12/2017

Basta

É nítida a escalada de confrontação promovida pelo Sepe. As provocações se sucedem. Posicionou-se abertamente contra a consulta aos professores, em curso, sobre a melhor forma de organizarmos o ano de 2018, pois reivindica para si o monopólio da representação dentro da SME.

 

Divulgou uma nota e um vídeo mentirosos e ofensivos à minha honra. Seus militantes postaram em redes sociais que a totalização dos votos poderá ser fraudada, como se o secretário de Educação pudesse montar algum esquema para deformar o resultado de uma consulta que ele mesmo achou por bem convocar, agindo livremente.

 

No térreo do prédio da Prefeitura, em protesto contra a consulta aos professores, o Sepe exibiu hoje cartazes contra o “secretário golpista”. Outro cartaz, difundido em redes sociais, me trata como “maldito Cesar Benjamin”.

 

No momento em que escrevo, um grupo acaba de tentar forçar a entrada em meu gabinete, sabe-se lá por quê. Eu estava em reunião com a Subsecretaria de Ensino, tratando de questões pedagógicas relevantes para a nossa rede. O grupo trouxe fotógrafo, pronto para registrar a confusão que esperava encenar.

 

É o jogo de sempre: desrespeito e, em seguida, vitimização. Sempre as mesmas pessoas.

 

* * *

 

O Sepe sempre pediu transparência, mas declara guerra à gestão mais transparente da história da SME. Nenhuma política, nenhuma decisão, nenhuma intenção da Secretaria é secreta ou inacessível. Nenhum número está escondido. Tudo está aberto.

 

Quem não é transparente é o Sepe, que mantém em segredo sua composição – uma salada de grupos que se consideram revolucionários – e esconde suas lealdades político-partidárias.

 

O Sepe sempre reivindicou diálogo. Hoje, despacha regularmente com o secretário, tem acesso diário ao Gabinete e participa de seis fóruns simultâneos de negociação. Mas quer-porque-quer uma greve.

 

Desde janeiro, quando assumi a chefia da SME, perdi a conta das vezes em que ouvi ameaças de greve, publicamente, vindas de militantes do Sepe. Ameaças genéricas, feitas sem motivo ou objeto específico.

 

Para o Sepe, a greve não é uma forma de luta a ser usada em determinados contextos, para abrir negociações. Ela é um objetivo permanente, a ser acionado por qualquer pretexto.

 

* * *

 

A SME não esconde as dificuldades, que são de todas as instâncias do Estado brasileiro. Mas está construindo processos negociais amplos e eficazes, em que todos podem ganhar.

 

O Sepe, mais uma vez, propõe um jogo em que todos só podem perder.

 

De impasse em impasse, de greve em greve, de denúncia em denúncia – a maior parte delas, simplesmente inventadas – atrapalha-se o ano letivo, difunde-se mal-estar, destroem-se os esforços pedagógicos, desmoraliza-se, diante da população, a rede pública de educação.

 

Nossas crianças e suas famílias são as primeiras prejudicadas por esse sindicalismo selvagem, negativista, inútil e desnecessário. Depois delas, como todos sabem, são prejudicados professores e funcionários.

 

É uma injustiça que os donos de escolas privadas ainda não tenham construído um monumento em homenagem ao Sepe, seu maior aliado.

 

* * *

 

Uma Secretaria de Educação pacificada, defendida de interesses espúrios e com projeto claro contraria muitos interesses, aparentemente contraditórios entre si. Perdem clientelas os políticos tradicionais, mas também perdem espaço de proselitismo os grupos extremistas que se alimentam da insatisfação permanente. São eles que controlam o Sepe, uma organização sem transparência e incapaz de dialogar.

 

* * *

 

Meu papel, como secretário, é defender a rede pública de educação. Ela é, de longe, o mais importante ativo social do povo do Rio de Janeiro.

 

Recebemos, acolhemos e protegemos 650 mil crianças e jovens em 1.537 unidades escolares. Além da grade curricular, temos importantes programas de esporte e cultura, que justamente agora estão se fortalecendo. Servimos mais de 1 milhão de refeições todos os dias – e é nas escolas, como todos sabem, que centenas de milhares crianças realizam sua única refeição completa.

 

Nada disso interessa ao Sepe. Ele quer desorganizar a nossa rede, a qualquer custo, porque quer preparar uma revolução imaginária. Eu quero educação pública de qualidade porque quero aprofundar a democracia.

 

Os profissionais da SME são livres para decidir de que lado estão.

 

Atenciosamente,
Cesar Benjamin
Secretário 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 04/12/2017

#BonecaDeLata

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, riodeleitores, projetos.


 

Professora da Gerência de Educação da 1ª CRE divide seu tempo entre as diversas demandas inerentes à função e as apresentações pedagógicas de uma personagem: a #BonecaDeLata.

 

 

Professora da Rede desde 1994, formada em Artes Plásticas, professora Silvana Huguenin assumiu, no ano de 2009, a Sala de Leitura da Escola Mário Cláudio. Nesse mesmo ano, durante a Maratona de Histórias organizada pela 1ª Coordenaria Regional de Educação no Galpão da Cidadania, Região Portuária da Cidade, a professora foi convidada para uma performance artística. Para tal apresentação, Silvana escolheu uma música de domínio público conhecida no nordeste brasileiro, na voz de Bia Bedran.

A apresentação foi um sucesso: Nascia a #BonecaDeLata, personagem que, a partir daí, seria figura presente em eventos diversos nas escolas em diversas CREs de nossa cidade.

Em suas visitas, a Boneca dança ao som de diversas músicas, realiza contação de histórias e leitura de livros infantis.

 

Apresentação em escolas da 1ªCRE

 

Mesmo após se desligar do trabalho em Sala de Leitura, a #BonecaDeLata voluntariamente continuou sua trajetória visitando escolas públicas e instituições privadas.


Com sua transferência para a Gerência de Educação, onde trabalha atualmente, Silvana trouxe a #BonecaDeLata, que agora tem como proposta atuar em ações pedagógicas e culturais nas escolas de abrangência da 1ª CRE.

 

Visitando as Unidades de Educação Infantil


Hoje, ao visitar as escolas e unidades de Educação Infantil, a #BonecaDeLata tem como objetivo principal o incentivo à leitura literária, levando para nossas crianças Cultura e Conhecimento, através da música e da literatura, colaborando assim para cada vez mais despertar nossos alunos para o infinito e mágico mundo da leitura.

 

#BonecaDeLata no Evento da 1ª CRE "Aqui é um Lugar de Paz", no MAR, ao lado das alunas e professores do Casarão dos Prazeres


 

#BonecaDeLata virou personagem fixo nas ações como os Encontros de Formação de professores, chás literários, feiras, livros e eventos diversos.


Ao longo do ano ela percorre as escolas, realizando apresentações cuja tônica é transportar nossas crianças para o mundo da Magia e Encantamento.

 

Momentos da #BonecaDeLata

 


Vida Longa à Nossa Boneca!

 

Minha boneca de lata bateu a cabeça no chão...

levou quase uma hora pra fazer a arrumação

Desamassa aqui, pra ficar boa...

Minha boneca de lata bateu o ombro no chão...

Levou mais de duas horas pra fazer a arrumação

Desamassa aqui, desamassa ali,

Desamassa aqui, desamassa ali pra ficar boa...

Minha boneca de lata bateu o outro ombro no chão...

levou mais de três horas pra fazer a arrumação

Desamassa aqui, desamassa ali

Desamassa aqui, desamassa ali

Desamassa aqui, desamassa ali pra ficar boa...

 

 


Para Saber Mais:

Silvana Maida Huguenin

Telefone: 2233-4839

E-mail: silvanahuguenin@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 04/12/2017

Semeando Mudanças - 4ª Edição 2017

Tags: semeando, mudanças, gdta.

 

 

Prezados,
 

Enviamos a 4ª edição do periódico Semeando Mudanças, cujo tema “Renovar" norteará nossas reflexões.

 

 

 

Aproveitem a leitura e participem da nossa pesquisa de opinião, acessando o link abaixo:
 

E/SUBG/CRH/GDTA - "SEMEANDO MUDANÇAS" - PESQUISA

 


 


   
           



Yammer Share

Sábado, 02/12/2017

Concerto de Natal da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca

Tags: orquestra.

 

 

Concerto de Natal da OSJC


A Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca faz sua segunda apresentação pública na próxima segunda-feira, dia 4 de dezembro. Dessa vez, os jovens talentosos instrumentistas, alunos das escolas municipais da Cidade do Rio de Janeiro, promovem um Concerto de Natal no Teatro NET Rio, na Rua Siqueira Campos 143, Copacabana.

O espetáculo, que acontece às 11h, terá a participação do Coro Sinfônico da Cidade de Deus, também composto por estudantes da rede pública, e da Orquestra de Flautas.

Ovacionada em sua estreia, na Cidade das Artes, na última segunda-feira, a Sinfônica levará ao palco obras eruditas e populares, de autores consagrados como Heitor Villa-Lobos, J. S. Bach, G.Rossini e Tchaikovsky, entre outros. A regência é do maestro Anderson Alves. A entrada é franca, mas sujeita a lotação do teatro.

A Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca é parte do Programa Orquestra nas Escolas. Criado pela Secretaria Municipal de Educação, o programa tem como meta formar 80 mil instrumentistas na rede pública de ensino até 2020 e fazer da música um instrumento de incentivo à paz e ao protagonismo dos jovens alunos da rede.

A OSJC promove mais três concertos em dezembro: dia 8, nas escadarias do Centro Administrativo da Prefeitura, na Cidade Nova; dia 13, nas escadarias da Câmara Municipal; e dia 15, no Parque de Madureira.

 

Concerto de Natal

 

Programa:

1ª Parte:
Abertura de o Barbeiro de Sevilha
G. Rossini/arr: R. Meyer
Sinfonia Nº1 (1º Movimento)
G. Mahler/Arr: R. Meyer
Dança Russa
Tchaikovsky/Arr: R. Frost
O Trenzinho do Caipira
H. Villa-Lobos/Ferreira Gullar/Arr: Anderson Alves

 

2ª Parte
Orquestra de Flautas
Regência: Alessandra Alexandroff
Duas Cirandas
Folclore Pernambucano
O Menino Deus
Arr. Patricia Michelini
Bambalalão
Folclore Brasileiro/Arr. Alex Lameira
Jingle Bells
Arr: Cristal Veloso

 

3ª Parte
OSJC & Coro Sinfônico da Cidade de Deus
Preparadores do Coro: Aline da Paz, Nilson Ribeiro e Wagner Meirelles
Jesus Alegria dos Homens
J.S. Bach/Piano: Natalino Pontual
O Natal Existe
Arr: A. Alves/Piano: Débora Valladares
Pinheirinhos! Que alegria!
M. Gaulesa/Arr: Anderson Alves
Piano: Natalino Pontual


 


   
           



Yammer Share