A A A C
email

Terça-feira, 17/07/2018

Curso Braille para iniciantes

Tags: ctiha, braille.

 

A leitura e a escrita no sistema braille como facilitador da inclusão de alunos com deficiência visual 

 

Encontram-se abertas as inscrições para o curso “Braille para iniciantes : a leitura e a escrita no sistema braille como facilitador da inclusão de alunos com deficiência visual” promovido pelo Instituto Municipal Helena Antipoff, através do Centro de Transcrição a Braille. 

 

 

 

 

Objetivo do curso: Promover ações de formação de professores aprofundando seu conhecimento no Código Braille e sua correta utilização, possibilitando ao professor oferecer respostas às necessidades educacionais dos alunos deficientes visuais em todas as disciplinas.

 

Ementa:
O papel do Sistema Braille na vida da pessoa cega. O reconhecimento e exploração do alfabeto. A distribuição espacial dos caracteres em cada coluna. Penetrando na lógica do Sistema Braille como um todo. Regras básicas no emprego de sinais gráficos diversos. Disposição do Braille na reglete -- leitura e escrita -- consolidação da aprendizagem . Disposição espacial dos textos em Braille.

 

Público-alvo:

Professores que atuam diretamente com o aluno cego nas Salas de Recursos e da Turma Comum da Rede Municipal da Cidade do Rio de Janeiro.

 

Carga Horária:
40h distribuídas em dez encontros com quatro horas de duração.

 

Vagas: 20 vagas no período da tarde (13:00h às 17:00h). Obs.: Não será formada turma no período da manhã.

 

Local: Instituto Municipal Helena Antipoff – Rua Mata Machado, nº 15 Maracanã
 

Período de realização:

Agosto a Novembro de 2018
Agosto: 15 – 22 – 29
Setembro: 05 – 26
Outubro: 10 – 17 – 24 - 31
Novembro: 07
 
Orientações para Inscrições:


1- As inscrições serão online no endereço:

 

CLIQUE AQUI E SE INSCREVA

 

 

2. Prioridade para o profissional que trabalha com o aluno deficiente visual.

3. Após a inscrição o professor deverá aguardar a confirmação da mesma. Será respeitada a ordem de inscrição.

4. O professor do AEE deverá realizar o curso como “5º dia”, no seu horário de trabalho.

5. Não haverá dispensa de ponto.

6. Serão certificados através Sistema Fênix os professores que obtiverem 75% de frequência.

 

Envido por:

Centro de Transcrição à Braille - IHA

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 17/07/2018

Cuidados e prevenção de doenças respiratórias agudas

Tags: prevenção, cuidados, gripe.

 

Doenças respiratórias agudas:

As infecções respiratórias agudas são doenças que podem acometer as vias respiratórias superiores (nariz, garganta, ouvido, laringe) como as inferiores (pulmões).
A maioria é causada por vírus, provocando resfriados, gripes, amigdalite, laringite.

Alguns fatores pelas quais as crianças pequenas estão mais susceptíveis são:

• Aglomeração – maior contato entre as crianças com diferentes agentes infecciosos.
• Imunológico - crianças com menos de dois anos estão com o sistema de imunidade em desenvolvimento.
• Estado nutricional.

A gripe é uma doença respiratória muito contagiosa causada pelo vírus Influenza, com vários subtipos: A (H1N1, H3N2), B, C.

Algumas pessoas como crianças, idosos e pessoas com certas condições de saúde, estão em alto risco de complicações graves da gripe.

A gripe é transmitida de pessoa para pessoa, principalmente por gotículas respiratórias criadas pela tosse, espirro ou fala.
Sempre que as crianças estão juntas, há uma chance de propagação de infecções. Isto é mais frequente entre lactentes e crianças que são propensos a usar suas mãos para limpar seus narizes ou esfregar os olhos e então lidar com brinquedos ou tocar em outras crianças.

O vírus vai a partir do nariz, boca ou os olhos de uma criança por meio de mãos ou brinquedos para a próxima criança que esfrega seus próprios olhos ou nariz.

Os bebês não amamentados ao seio são mais propensos a pegar a gripe do que os bebês que são amamentados.
 

O período de incubação geralmente é de 1 a 4 dias, com média de 2 dias.

Uma pessoa é capaz de passar a gripe para outra antes mesmo de saber que está doente, bem como quando já adoeceu.

Embora as pessoas com gripe sejam mais contagiosas nos primeiros 3-4 dias após sua doença começar, algumas podem ser capaz de infectar outros 1 dia antes dos sintomas até 5 a 7 dias depois de tornar-se doente.

O período de maior risco de contágio é quando há sintomas, sobretudo febre.

O tempo de quando uma pessoa é exposta ao vírus da gripe e infectada, para o início dos sintomas é cerca de 1 a 4 dias, com uma média de cerca de 2 dias.

A cada ano mais de um terço das crianças menores de seis anos podem ser infectadas com o vírus da influenza. Entretanto, algumas não apresentam sintomas.

Dados do Ministério da Saúde mostram que mais de 54 mil pessoas foram hospitalizadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2016, sendo 12 mil por influenza. No mesmo período, foram notificados 2.220 óbitos por influenza, sendo São Paulo o Estado com o maior número de vítimas (851).

Os sinais e sintomas da gripe normalmente começam de repente, não gradualmente:

• Febre ou sensação febril/calafrios, tosse, dor de garganta, nariz escorrendo ou entupido, dor muscular ou no corpo, dor de cabeça, cansaço, dificuldade para respirar. As crianças podem apresentar chiado no peito¨.

• Vômitos, dor abdominal e diarreia são mais comuns em crianças pequenas do que em adultos.

* É importante observar que em alguns casos, pode não apresentar febre.

Pode causar doença leve a grave, resultando em hospitalização ou até a morte, dependendo do grau de agressão do vírus e do estado do paciente.

O risco de complicações da gripe H1N1e H3N2 é maior em crianças pequenas.

As crianças com necessidades de cuidados especiais de saúde (por exemplo: asma, diabetes mellitus, doenças cardíacas, doenças imunológicas, neurológicas) possuem maior risco de complicações da influenza.

• Sinusite, otite são exemplos de complicações moderadas de gripe, enquanto a pneumonia é uma complicação grave. Outras possíveis complicações graves provocadas pela gripe podem incluir inflamação do coração (miocardite), cérebro (encefalite) ou tecidos musculares e insuficiência de múltiplos órgãos (por exemplo, respiratório e insuficiência renal).

 

Vacinação

A vacinação é considerada a intervenção mais importante na redução do impacto da Influenza.

A vacina contra a gripe tem o objetivo de proteger a população contra as formas graves da infecção provocada pelo vírus Influenza, diminuindo as complicações e hospitalizações.

O MS disponibiliza a vacina contra a gripe nas unidades básica de saúde para crianças de seis meses a cinco anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias); pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; professores, povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais.

A proteção da vacina dura apenas um ano. É necessária a atualização a cada ano.

A prevenção da gripe H1N1 e H3N2 seguem as mesmas regras da prevenção de qualquer tipo de gripe.

A vacinação é capaz de promover imunidade durante o período de maior circulação dos vírus influenza reduzindo o risco de formas graves da doença. 

A melhor maneira de proteger as crianças de ficarem infectadas, é que todos os membros da família e todas as pessoas que rodeiam a criança (outras crianças, pais e professores ou cuidadores) possam ser imunizados. É especialmente importante para os adultos que cuidam de crianças com menos de 6 meses, porque eles são muito jovens para tomar a vacina.


O que as escolas podem fazer para evitar a propagação da gripe:

O contato em berçários, creches ou salas de aula facilita a transmissão dos vírus entre crianças vulneráveis.

Por essa razão, e principalmente em períodos frios, os cuidadores e professores devem estar atentos e capacitados para observar se, na creche ou escola, há crianças com tosse, febre, congestão nasal, dor de garganta e informar aos pais quando apresentarem os sintomas sugestivos da gripe. 

Três passos para controlar a propagação de gripe são recomendados:

Vacinação, controle de infecção e o afastamento quando necessário.

• Manter os ambientes arejados.


• Evitar manter contato muito próximo com uma pessoa que esteja doente. . Enquanto a criança espera seu responsável, deve ficar em um local separado para minimizar o contato com aqueles que não tenham sido expostos a sua infecção. O responsável deve procurar uma unidade de saúde para atendimento.

• Recomenda-se que a criança doente fique em casa, a fim de descansar e evitar a transmissão do vírus. O seu retorno às atividades só deve acontecer 24 horas após o desaparecimento da febre sem o uso de medicamentos e esteja apta a participar das atividades rotineiras. 

• Frequente higienização das mãos. Lavar sempre com água e sabão por 15 -20 segundos. O sabão líquido é eficaz. Produtos antibacterianos não foram comprovados para impedir a propagação da infecção melhor do que o sabão comum. Secar com toalha de papel e descarte em lixeira com tampa e abertura sem contato manual. com acionamento por pedal.

• Sempre que possível, ter um frasco com álcool-gel para garantir que as mãos estejam limpas. Sabe-se que o vírus da influenza sazonal é rapidamente inativado em 30 segundos após antissepsia das mãos com álcool 70% sob a forma gel. Friccionar até secar espontaneamente. Não utilizar papel toalha.
Duração da higienização: 20 a 30 segundos.

• Etiqueta respiratória:
o Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
o Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir. Se não tiver um lenço, use o seu cotovelo.
o Evitar tocar nos olhos, nariz e boca.
o Higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

• Oriente os educadores e as crianças.

• Não compartilhar utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros.

• Rotineiramente limpar e desinfetar áreas comumente utilizadas e as superfícies frequentemente manipuladas. O vírus da gripe pode permanecer nas superfícies por até 8 horas. Siga corretamente as instruções do produto utilizado durante a limpeza, quanto ao tempo de contato e diluição. 

• Evitar frequentar locais fechados ou com muitas pessoas.

• Manter hábitos saudáveis, alimentar-se bem e beber bastante água.


Lavagem das mãos:

É um dos itens mais importante na prevenção da gripe.

• As crianças, seus cuidadores ou professores devem ser instruídos a lavar as mãos ao longo do dia, incluindo:

  • Quando eles chegam à escola ou em casa
     
  • Antes e depois da manipulação de alimentos, ao alimentar uma criança, ou comer.
     
  • Após ir ao banheiro, mudar uma fralda, ou ajudar uma criança a usar o banheiro (na sequência de uma troca de fraldas, o cuidador deve lavar bem as mãos e a superfície de mudança de fralda ser higienizada.).
     
  • Depois de ajudar uma criança a limpar seu nariz, boca ou atendendo a um corte ou ferida.
     
  • Antes e depois de tocar na água que é usada por outras crianças
     
  • Antes e depois de dar remédio á uma criança
     
  • Após lidar com o lixo ou com os cestos de lixo
     
  • Depois de lidar com um animal de estimação ou outro animal

 

• Certifique-se de que a criança entende o que é boa higiene e a importância da lavagem das mãos após ir ao banheiro e antes e depois de comer.


Passos para lavar bem as suas mãos:

• Molhe as mãos da criança.
• Passe o sabão em barra ou sabonete líquido nas mãos. No caso de estar utilizando o sabão em barra, coloque em uma saboneteira onde pode drenar a água antes da próxima lavagem das mãos.
• Esfregue bem as mãos em toda a superfície completamente.
• Continue esfregando e esfregando durante 15 a 20 segundos para remover eficazmente os germes. Após seque-as.
• Assista a criança enquanto ela está lavando as mãos, para certificar-se de que está correto.

Suely Kirzner - Pediatra da Secretaria Municipal de Saúde / Coordenação de Saúde na Escola.

 

Enviado por: 

Elisabete Alves
E/SUBE-PSE

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 16/07/2018

Fica a Dica: Trilha Sonora

Tags: dicas, trilha sonora, educação musical.

 

Fica a Dica: Trilha Sonora

 

 

Olá! Estamos aqui com o “Fica a Dica” em mais uma semana!! smiley

Hoje vamos falar sobre trilha sonora. Todas as vezes que estamos assistindo ao nosso seriado favorito, filme, novela, etc., estamos sempre percebendo que essas produções envolvem sons. Sons esses que criam um clima de acordo com a cena que está sendo representada.

Uma determinada música pode representar uma cena de suspense, canções mais "suaves" retratam climas românticos, músicas “animadas” propiciam outras passagens. A música, como já dito em publicações anteriores, está ao nosso redor. E, hoje, focaremos onde ela é imprescindível: nas produções televisivas, teatrais, cinematográficas, de games, entre outras.

Trabalhar com a percepção ou criação dessas “trilhas” em sala é sempre um trabalho prazeroso e que desperta emoções. São atividades que envolvem a sensibilidade, nas quais os alunos podem refletir e colocar sua carga emocional nas cenas criadas/imaginadas.

Podemos explorar, assim, a criatividade, a sensibilidade, a percepção, a composição, entre outros.

De acordo com o Dicionário Informal, Trilha Sonora significa “em inglês: soundtrack, uma narrativa em som de filme, novela e seriados”. (https://www.dicionarioinformal.com.br/trilha+sonora/

A trilha sonora acompanha e reforça a mensagem que está sendo passada através de determinadas imagens. Além de novelas, séries, filmes, as trilhas sonoras também estão presentes em jogos de videogames, tão consumidos por nossos alunos. É parte essencial dessas produções, onde intensificam cada momento particular representado.

Podemos trabalhar a percepção dessas canções, que ilustram determinadas cenas.

 

Como sugestões de atividades:

• Que tal se os alunos ouvissem essas canções e produzissem desenhos ou histórias que retratassem tais momentos? Ele pode, ao ouvir as canções selecionadas, imaginar e criar cenas que se encaixem com determinados trechos da música, intensificando, suavizando, reforçando ideias, criando “ambientes”, de acordo com a sua percepção;

• A utilização de determinados instrumentos nas músicas também é um grande fator a ser percebido e levado em consideração, pois cada um deles retrata determinada emoção, para cada cena que está sendo representada;

• Podemos selecionar algumas trilhas sonoras de filmes conhecidos e pedir aos alunos que associem sentimentos e emoções retratados naquele momento, naquela cena;

• Além desta atividade, podemos explorar também o corpo como forma de representação de canções selecionadas, imaginando e criando pequenas produções cênicas, explorando, mais uma vez, a imaginação;

• E, se possível, podemos sugerir que os mesmos criem/produzam trilhas sonoras curtas para cenas/histórias previamente selecionadas ou ainda criadas por eles próprios.

São muitas as possibilidades de atividades com este conteúdo, além da contextualização inicial do tema em si.

As atividades precisam ser ajustadas para cada nível de ensino. Podemos trabalhar este conteúdo com alunos menores até os maiores dos anos finais do ensino fundamental.

Vale ressaltar que, apesar de algumas padronizações - sons graves e intensos para retratar cenas de suspense, sons suaves para climas amenos, entre outros -, devemos considerar que cada sujeito é um sujeito e que isto vai refletir sobre cada um em sua percepção particular.

Os diferentes sujeitos envolvidos terão diferentes respostas para cada estímulo. De qualquer forma, a percepção e a criatividade serão exploradas, além das emoções envolvidas no trabalho.

Temos muitas trilhas sonoras de filmes/jogos/novelas bastante conhecidas. Ao ouvir, conseguimos associar a música a algum registro anterior porque faz-nos remeter a uma memória afetiva, que determinado momento possa ter criado.

O trabalho de percepção do som, associado às nossas emoções, é sempre relevante para que nossa compreensão musical e artística seja ampliada.

Como ilustração da dica da semana, deixo aqui, como exemplo, uma das músicas da trilha sonora de “Sim City” – série de jogos de simulação na qual o jogador constrói e administra uma cidade (https://pt.wikipedia.org/wiki/SimCity):

 

 

Fica a Dica!! 

E aí, gostou da dica da semana?! Sugira, escreva pra gente!! Aguardamos suas sugestões!! wink

 


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 13/07/2018

Vivendo Direito e Deveres

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Escola Municipal Ana Neri trabalha os direitos e deveres com os alunos fazendo com que criem o hábito diário de seguir os combinados feitos. 

 

A E/CRE (10.26.013) Escola Municipal Ana Neri é centenária, está localizada na Estrada Roberto Burle Marx, 9953, Barra de Guaratiba, em frente à praia, possui 8 turmas em horário parcial, com atendimento de 199 alunos da Educação Infantil (4 anos) ao 5° ano. A Unidade Escolar tem como diretora, a professora Ana Paula Albuquerque de Souza, como diretora adjunta, a professora Vania Maria Machado de Araújo, como coordenadora pedagógica, a professora Gloria Maria Bastos e como professora de sala de leitura, a professora Cintia Farag Goulart de Araújo.

Frente da Unidade Escolar

 

O corpo docente da escola é formado pelos professores Jéssica Pereira Amorim Santos (turmas EI-41 e EI-51), Debora Carlota Nunes Barbosa (turmas 1201 e 1301), Andrea Santos de Lima (turmas 1402 e 1501), Aline Ribeiro Rangel (turmas 1101 e 1401), Sabrina Ribeiro Guimarães (Artes), Janaine Medeiros santos (Inglês) e Marco Antonio de Alvarenga Mendonça e Andreia Ferreira Maciel (Educação Física).

 

A temática pedagógica de 2018 é “Vivendo Direitos e Deveres”, essa nasceu da avaliação da proposta pedagógica de 2017, que era “Descobrindo Barra de Guaratiba” e o desenvolvimento do PPP/Construindo Valores e Saberes. O grupo acho que surgiu a necessidade de focar as vivências e instrumentos de inserção participativa, protagonismo e ação transformadora em cada lugar que vivem, no convívio com ações cotidianas de limites, cidadania e solidariedade na escola, família e na comunidade.

 

Alunos em atividade de contação de histórias no quintal da escola

 

Além disso, os professores e direção buscam gerar a consciência em cada um como sujeito ativo na dinâmica dos direitos e deveres, sendo resultado da atitude pessoal e do compromisso coletivo frente aos combinados, na Unidade Escolar, como um todo.

— Ampliar as atitudes de pensar/agir frente aos conflitos e entraves de relacionamento pessoal, percebendo o conhecimento e informação como ferramentas para as ações participativas, democráticas e de cidadania efetiva e diária, usando a reflexão e o diálogo como alicerce do compromisso dentro das situações coletivas, vem sendo o destaque. — afirma a diretora, Ana Paula.

 

 

Alunos na aula de Educação Física

 

 

— A execução dos projetos temáticos (escola, família e comunidade) são planejados e avaliados em conjunto pelos regentes, inclusive as professoras de sala de leitura, Artes, Inglês, Educação Física, Estudo Dirigido e Reforço Escolar. — explica a coordenadora pedagógica, Glória Botelho.

 

A Unidade Escolar tem alguns parceiros, que contribuem muito com as temáticas específicas: Posto de Saúde – Centro Municipal de Saúde Mourão Filho – CMS Barra Guaratiba, que contribui com prevenção de doenças, higiene, alimentação, controle e acompanhamento; Embrapa, que contribui com pesquisa alimentar e alimentação saudável; Guarda Municipal do Rio de Janeiro/Grupamento Ronda Escolar, que contribui com palestras de Convivência sem violência, prevenção à violência, cidadania, bullying, atividades socioeducativas e atividades lúdicas.

 

 

Alunos recebendo visita dos funcionários do posto de saúde 

 

 

Parabéns a todos da Escola Ana Neri por fomentar uma formação cidadã!

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?

E/CRE (10.26.013) E. M. Ana Neri
E-mail: emananeri@rioeduca.net
Telefone: 3377-1387


 


   
           



Yammer Share