A A A C
email

Sexta-feira, 29/06/2018

Chamada de professores

Saiu hoje, dia 29 de junho, a convocação de 200 professores, que a Codesp havia autorizado no final de maio. Ela corresponde à reposição parcial dos professores que se aposentaram em janeiro e fevereiro (total de 304).

 

Entre a autorização e a publicação no Diário Oficial esperamos cerca de trinta dias, mantendo contato diário com a Casa Civil sobre o assunto. É ela que faz a publicação.

 

Os processos relativos às aposentadorias de março, abril e maio permanecem sem conclusão. Iniciaremos nos próximos dias o processo para a reposição das aposentadorias de junho.

 

O ritmo de reposição tem sido muito inferior às perdas, o que agrava o problema de falta de professores na rede.

 

Abaixo, a mensagem que publiquei em 30 de maio, anunciando a autorização e especificando os grupos de professores que seriam chamados.

 

Parte dos professores do concurso de 1992 foram contemplados com a migração a que faziam jus, tal como estabeleceu o fórum específico sobre esse tema, que a SME instituiu no ano passado. A migração desse grupo prosseguirá junto com as próximas chamadas de novos professores.

 

 

* * *

 

Mensagem publicada em 30 de maio

 

No dia 14 de março começamos a tramitação do processo que solicitava a reposição das 304 vacâncias de professores ocorridas em janeiro e fevereiro. Hoje, finalmente, recebemos autorização para realizar um novo conjunto de contratações, relativo a esse processo (há mais dois tramitando e mais um que começará a tramitar na próxima semana). A Codesp só autorizou uma reposição parcial de aposentadorias e óbitos.

 

Na próxima semana convocaremos 200 professores, que distribuímos da seguinte forma, tendo em vista as necessidades mais prementes da rede:

 

* 39 PEIs
* 46 PEFs anos iniciais
* 40 PEFs de educação física
* 27 PEFs de matemática
* 22 PEFs de geografia
* 11 PEFs de artes plásticas
* 4 PEFs de artes cênicas
* 11 PEFs de educação musical.

 

Eles estão distribuídos por todas as CREs, com maior concentração na 8ª, 9ª e 10ª.

 

Junto com essa convocação, começaremos a corrigir uma injustiça histórica com os professores do concurso de 1992, garantindo a migração de parte deles para 40 horas, tal como previa o edital do concurso. Isso foi objeto de um dos seis Fóruns de Debates que instituímos em 2017. Essa correção será feita gradativamente, ao longo das chamadas de professores nos próximos meses.

 

Continuaremos a batalhar pela reposição imediata das perdas de março, que somaram 243 professores, e de abril, que somaram 121. Fecharemos na próxima semana os números de maio e iniciaremos um novo processo.

 

Atenciosamente,

 

Cesar Benjamin

 

Secretário


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 28/06/2018

“De mãos dadas com a Comlurb” mudando a história da E.M. Chile

Tags: 4ªcre, projeto, lixo, parceria, escola..

 

“De mãos dadas com a Comlurb” mudando a história da E.M. Chile

 

A Escola Municipal Chile e seu entorno sempre apresentaram muitos problemas com o descarte de lixo e entulho, principalmente, na calçada da escola. Para diminuir os prejuízos, já foram desenvolvidos vários projetos de conscientização com os alunos e vizinhos da escola, mas sem resultados efetivos e duradouros. Entretanto, em 2018, surge uma luz no fim do túnel a partir de uma parceria entre escola e Comlurb. Nela havia interesses comuns e muita vontade de alcançar os objetivos e resultados almejados.  

 

 

Dessa Forma, a Comlurb abraçou a ideia do projeto “De mãos dadas com a Comlurb”. Esse foi elaborado pela Unidade Escolar visando enfrentar a grande dificuldade de conscientização da comunidade sobre os riscos à saúde, salubridade e  a segurança devido ao descarte inadequado do lixo. Como ação a Comlurb, então, construiu canteiros na calçada, enquanto os alunos contribuíram com o plantio de mudas nesses canteiros.

 

 

Além disso, a parceira Comlurb fez um grafite no muro da escola com a frase “Respeite o dia e horário da coleta”. Uma vez que, outra grande dificuldade era o respeito aos dias e horários da coleta. Com o grafite  a comunidade passa a atender ao chamado por meio da mensagem exposta no muro de modo artístico.

 

 

O Projeto foi mais uma ação para evitar a sujeira e o acúmulo de lixo, tornando a Escola Municipal Chile um espaço cercado por calçadas com canteiros limpos e cultivados. Os resultados positivos atingidos por meio da parceria e envolvimento de todos demonstra que as Unidade Escolares devem buscar parceiros para que potencializem o desenvolvimento do trabalho pedagógico nas escolas, creches e EDIs , buscando, assim, uma educação de qualidade e que traga impactos no meio social. 


 

Parabéns pelo excelente trabalho realizado!

 


Sobre a escola:
Unidade Escolar: E/CRE(04.10.016) - Escola Municipal Chile - 11278
Diretor: Sandra Rodrigues 
Endereço: Pça. Belmonte 15
Bairro: Olaria
Cep: 21073-010
Telefone: 3885-2181
3885-2352
E-mail: emchile@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 28/06/2018

E.M Medalhista Olímpica Mayra Aguiar celebra o Dia Mundial dos Oceanos

Tags: educação ambiental; ginasio carioca; eletivas.

 

Alunos da Escola Municipal Medalhista Olímpica Mayra Aguiar realizaram um mutirão de limpeza na praia do Recreio, comemorando o Dia Mundial dos Oceanos. 

 

No dia 8 de junho foi comemorado o dia Mundial dos Oceanos. Para comemorar esse dia especial o Projeto de Educação Ambiental da Mayra Aguiar (PEAMA) entrou em ação! 

 

 

Desta vez o Projeto da E.M Medalhista Olímpica Mayra Aguiar da Silva atuou em conjunto com o Centro de Educação Ambiental Marapendi no mutirão de limpeza da praia do Recreio. O combate à poluição plástica e o olhar sobre o atlântico foram temas do trabalho de campo com os estudantes.

 

Alunos da E. M. Mayra Aguiar na entrada do Centro de Educação Ambiental Marapendi

 


Participaram do mutirão de limpeza e da visita guiada ao Parque Natural Municipal Marapendi os alunos inscritos nas disciplinas eletivas de educação ambiental e práticas sustentáveis; coleta seletiva; e reaproveitamento de óleo vegetal.

 

 

 

 

 

Conhecer para preservar

 


Os principais objetivos foram conhecer a fauna e a flora, identificando a necessidade de preservação do ecossistema; compreender as relações e a importância das bacias hidrográficas; refletir sobre consumo, resíduos e impactos ambientais.


 

Visita guiada ao Parque Natural Municipal Marapendi 

 


Para Eliezer, estudante do 7º ano, a iniciativa é importante, por ajudar animais como: peixes, tartarugas e pássaros, que acabam se alimentando de material plástico descartado pelo ser humano na praia. Ele afirma que gostou muito do trabalho de campo e levará essa experiência para a vida, passando o aprendizado para seus futuros filhos e netos.

 

 

 

Em ação: alunos combatendo a poluição plástica em mutirão na praia do Recreio dos Bandeirantes. 

 


O coordenador geral do projeto, professor Rodrigo Fontes, diz que foi inspirador ver a disposição e comprometimento dos estudantes juntos no combate à poluição plástica. A luta por uma geração mais crítica em relação à questão ambiental, a reflexão sobre as práticas de consumo e a disposição e uso adequado dos resíduos são urgentes para a qualidade de vida da sociedade atual e para as gerações futuras.

 

A poluição plástica foi tema do Dia Mundial do Meio Ambiente este ano e é um dos maiores desafios ambientais do nosso tempo. Segundo a ONU, as estatísticas mostram que haverá mais plásticos nos oceanos que peixes até 2050.

 

 

 

O PEAMA (Programa de Educação Ambiental da Mayra Aguiar) que envolve alunos e professores em ações para um mundo sustentável. 

 


O PEAMA vem trabalhando com estes e outros temas socioambientais, atuando com diferentes métodos e abordagens pedagógicas. O projeto tem como base a educação ambiental crítica e a busca por práticas sustentáveis. Seus pilares são as ações ligadas à qualidade da água, a coleta seletiva e o reaproveitamento do óleo vegetal. Essas ações são coordenadas, respectivamente, pelas professoras de ciências Jaqueline Azambuja, Juliana Ramos e Bianca Pieroni. Além disso, o projeto conta com o apoio técnico operacional da Profª Helena Horvat (Sala de Leitura) e da Profª Simone Carvalho (Artes) e a cooperação de todo o corpo docente da escola.

 

Parabéns aos alunos e professores pela realização de práticas de Educação Ambiental dentro e fora da escola!
 

Saiba mais sobre o PEAMA, entre em contato com a unidade:

Escola Municipal Medalhista Olímpica Mayra Aguiar

Endereço: R. Frei Timóteo - Campo Grande, Rio de Janeiro - RJ, 23066-540

Telefone: (21) 2086-4078

Coordenador Geral do PEAMA: Rodrigo Araujo Fontes / PEF Geografia

 

 

Quer ver sua publicação aqui? Faça contato!


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 28/06/2018

Hortas Orgânicas

Tags: gpec, hortas, orgãnicas.

 

Hortas orgânicas: uma realidade na Rede Municipal de Ensino

 

A Secretaria Municipal de Educação, por meio da Gerência de Projetos de Extensão Curricular (GPEC), está cada vez mais empenhada na luta pela sustentabilidade do planeta. Prova disso é que tem realizado vários trabalhos junto às escolas da Rede Municipal de Ensino sobre o assunto com o objetivo de preservar o meio ambiente. Uma das ações é a GPEC Hortas, que tem realizado com os alunos várias atividades.

 

Na quinta-feira (21 de junho), na Escola João Proença, em Campo Grande, aconteceu um mutirão de alunos e professores para uma horta orgânica. Houve plantio de salsa, coentro, alfaces roxa e americana, chicória, couve manteiga e cebolinha. O professor de técnicas Agrícolas Lúcio Teixeira é o responsável pela implantação de acompanhamento deste projeto na escola, mas conta com o apoio da diretora, da coordenadora e de outros colegas da escola. O professor explicou que duas turmas do Acelera participaram do mutirão com tarefas de limpeza do terreno, capinha e afofamento. Foi escolhida uma das turmas do Acelera para dar continuidade a horta. A turma e o professor Thiago, de Língua Portuguesa, serão responsáveis pelos cuidados de irrigação, capina, adubação, nivelamento dos canteiros, colheita e replantio das mudas.

 

 

Na semana passada, integrantes da GPEC estiveram na Escola José Mauro Vasconcelos, em Bangu, acompanhando uma matéria dos 50 anos do livro Meu Pé de Laranja Lima feita pela TV Brasil. Na ocasião, os alunos plantaram uma árvore de laranja lima com o apoio da empresa Biovert, que também disponibilizou um funcionário para fazer o serviço.

 

O Professor Álvaro Madeira está junto à GPEC apoiando a ação das hortas orgânicas, que irá se estender por várias escolas da Rede Municipal de Ensino, participou do Mutirão sendo o responsável pela compostagem relatou: "O projeto HORTAS NAS ESCOLAS é um sonho e foi apresentado ao Secretário de Educação que vem apoiando nossas iniciativas. A GPEC abraçou o projeto, reuniu outros colegas também professores de Técnicas Agrícolas, e hoje a implantação das hortas vem ganhando força na educação. Vamos concretizar esse sonho."

 

 

Enviado por:

Waleria de Carvalho

E/SUBE/GPEC


   
           



Yammer Share