A A A C
email
Retornando 74 resultados para o mês de 'Outubro de 2013'

Segunda-feira, 14/10/2013

II Festival de Talentos

Tags: 6ªcre, protagonismojuvenil.

 

A Escola Municipal Otávio Kelly realizou no começo de outubro, na Arena Jovelina Pérola Negra, o II Festival de Talentos com o objetivo de potencializar a aprendizagem dos alunos. Essa ação pedagógica contou com a participação de toda a comunidade escolar: alunos, professores, gestores, funcionários e responsáveis. 

 

Bailando no ar, gemia inquieto o vaga-lume: “Quem me dera que eu fosse aquela loira Estrela, que arde no eterno azul, como uma eterna vela!”. Mas a Estrela, fitando a Lua, com ciúme: “Ah, se eu pudesse copiar-te o transparente lume!”.

 

Mas a Lua, fitando o Sol com azedume: “Mísera! Tivesse eu aquela enorme claridade imortal, que toda a luz resume!”. Mas o Sol, inclinando a rútila capela: “Pesa-me esta brilhante auréola de nume... Por que não nasci eu um simples vaga-lume?”

 

O texto acima é de Machado de Assis e fala da insatisfação do vaga-lume, da Estrela, da Lua e do Sol com o que possuíam e como invejavam o destino e talentos alheios. É só uma ilustração, mas retrata muito bom o comportamento humano. Lamentamos por não saber cantar, dançar, jogar futebol, andar de bicicleta. Como se o que não sabemos e o que somos fossem defeitos ou deficiências.

 

Imagine se todos tivessem as mesmas habilidades ou gostos? Que destino triste teria o mundo! Por mais simples que sejam as nossas habilidades, são as que temos e, por isso, são preciosas.

 

O vídeo acima é um exemplo de simplicidade, humildade e talento de sobra!

Curta e se emocione!

 

Agora, não esqueça!

Nunca seremos plenos em tudo. E nem ignorantes em tudo.

Ainda bem que é assim!

 

 

II Festival de Talentos na Escola Municipal Otávio Kelly

 

A Escola Municipal Otávio Kelly localiza-se na Pavuna e atende alunos da Educação Infantil ao 5º ano. A diretora da unidade escolar, professora Patrícia de Moraes, e a sua equipe utilizaram os talentos dos alunos e dos professores para potencializar a aprendizagem e o trabalho pedagógico.

 

No início do mês de outubro, a escola, realizou o II Festival de Talentos na Arena Jovelina Pérola Negra, Pavuna. Esse evento contou com a participação de professores, alunos e responsáveis. Cada um teve a oportunidade de apresentar o seu talento individualmente ou em grupo.

 

Desenvolver competências e adquirir conhecimento são tarefas que a equipe pedagógica da escola realiza com maestria. Mas eles vão além! Durante todo o processo do Festival de Talentos, os professores levaram seus alunos à reflexão, promoveram a criatividade, o empreendedorismo, o gosto pela descoberta e o talento de cada um.

 

Cada ser humano é único e tem um talento essencial para expressá-lo nesse mundo. Podemos ter alguns talentos e com empenho expressá-los todos.

 

Investir no talento de alunos e professores é condição fundamental para as escolas não se tornarem organizações estagnadas.

 

Os professores perceberam que quando os alunos descobrem o seu talento, o que move a  paixão interior e para o qual cada um naturalmente é bom, eles demonstram mais esforço, mais dedicação, mais empenho, mais motivação e obtêm mais sucesso.

 

Esse festival faz parte da proposta pedagógica da escola desde que as crianças entram na Educação Infantil. Ele faz com que a comunidade escolar experimente diferentes atividades, vivencie e sinta onde encontrar o seu bem-estar e a sua motivação para agir. É aqui que a escola tem um papel importante e decisivo. Não só por descobrir talentos, mas em promovê-los após essa descoberta.

 

Joaquim Cortez não teria sido brilhante se não tivesse tido excelentes mestres que o ajudassem a articular o seu corpo e a dançar como ninguém. As características naturais podem ser propícias para determinada atividade, mas a dedicação, o treino, o esforço, o empenho e o exercício são fundamentais para o desenvolvimento do talento. Não basta ter talento, é preciso aperfeiçoá-lo!

 

Na busca do autoconhecimento e da descoberta do talento, é necessário que se percorra os seguintes caminhos: sonhe; saiba mais seus pontos fortes e fracos; tenha determinação, disciplina e persistência; e mantenha sempre a mente aberta para a próxima realização.

 

Ninguém supera uma pessoa que nasce com um talento e consegue desenvolvê-lo com maestria. Dessa forma, com certeza, atinge a excelência. É isso que chamamos de "dom".

 

Como vimos, o ensino desenvolvido na Escola Municipal Otávio Kelly está atento aos talentos naturais das crianças, mas também fomenta que o talento por si não é suficiente. Para o êxito, o talento é um excelente começo, mas não é garantia de sucesso. Este é adquirido com esforço, persistência, inteligência, dedicação e muita vontade.

 

A Escola Municipal Otávio Kelly é visionária, estimula a atitude de ir mais além, sonhar mais alto, alcançar novos desafios e superar barreiras e adversidades. Escolas com visão incubam alunos que se projetam. Tornemo-los realidade…

 

Parabéns a todos os professores, alunos, responsáveis, funcionários e gestores por fazerem do II Festival de Talentos um momento enriquecedor; onde talento e aprendizagem caminharam juntos.

 

O talento cria suas próprias oportunidades. Mas, às vezes, parece que o desejo intenso cria não apenas suas próprias oportunidades, mas seus talentos.

 

Quer conhecer um pouco mais sobre o Festival de Talentos da Escola Municipal Otávio Kelly? Então, clique AQUI!  Não deixe de aproveitar este espaço para divulgar o seu trabalho! Ele é meu, é seu, é nosso! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @Paty_PFF

Facebook: patricia_pff@yahoo.com.br

E-mail: pferreira@rioeduca.net

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 14/10/2013

O Ensino de Língua Inglesa e os Recursos Multimodais

Tags: blogsderioeducadores, educopédia, mídias, especialistas, língua inglesa.

O ensino de Língua Inglesa no Ensino Fundamental I tem se fortalecido ao preparar as futuras gerações para serem anfitriões dos grandes eventos esportivos que acontecerão no Brasil. Além disso, aprender um novo idioma ainda na primeira infância propicia a oportunidade de atender as demandas do mundo globalizado.

 

http://revistaguiafundamental.uol.com.br/professores-atividades/75/artigo180001-1.asp.

 


Paiva (2003) afirma que “o interesse pelas línguas estrangeiras (LE) se faz presente ao longo do percurso da humanidade.” Assim sendo, faz-se necessário a introdução da Língua Inglesa em nossas salas de aula com a parceria de professores que se apropriam de ferramentas e estratégias que possibilitem o pleno desenvolvimento dos educandos.

 

http://emheltonveloso1.blogspot.com.br/2012_02_01_archive.html.

 


Segundo Gama (2011), “falar em multimodalidade não é somente falar em múltiplos modos de transmitir mensagem e conhecimento através de imagens, músicas e filmes.” Falar de multimodalidade é trazer para a sala de aula uma nova forma de pensar, de trabalhar os conceitos concernentes à disciplina e de valorizar o modo como os alunos se sentem motivados a aprender.

 

E. M. Pedro Ernesto.

 


Partindo dessa premissa, cabe ao professor de Língua Inglesa, que atua com turmas do Ensino Fundamental I, fazer seu planejamento de modo a englobar diferentes meios de exposição do conteúdo a ser trabalhado, agregando modernidade ao seu modo de ensinar.

 

_____________________________________________________

Referências:

1- PAIVA, V.L.M.O. A LDB e a legislação vigente sobre o ensino e a formação de professor de língua inglesa. In: STEVENS, C.M.T e CUNHA, M.J. Caminhos e Colheitas: ensino e pesquisa na área de inglês no Brasil. Brasília: UnB, 2003. p.53-84. Disponível em: . Acesso em 23 desetembro 2013.

2- SILVA, Gisele G. As imagens no ensino de Língua Estrangeira: um estudo de sala de aula por uma perspectiva multimodal. Pontífica Universidade Católica, 2011. Tese de Doutorado, Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: Acesso em 23 de setembro 2013.
 

 

THAÍS DUARTE PASSOS TEIXEIRA DO AMARAL é Professora I de Língua Inglesa na SME/RJ, Articuladora da 6ª CRE e Pós-graduanda pelo CEFET/RJ em Ensino de Línguas Estrangeiras.

Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4485024A7

Blog: http://languagesapprentice.wordpress.com

Email: thaisdteixeira@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 14/10/2013

Informativo MultiRio - 14 de outubro

Tags: informativomultirio.

 

Multirio Web Rádio
Multirio

Tela Aberta apresenta animações produzidas por alunos da Rede

Nesta terça-feira (15), o programa promove uma conversa sobre filmes produzidos por estudantes da Rede Municipal do Rio. Para falar sobre três produções escolares em curta-metragem de animação, Marcelo Janot recebe a professora Amália Araújo, responsável pelo trabalho audiovisual no CIEP Presidente Agostinho Neto (Humaitá). Além do curta Povo Brasileiro, coordenado pela professora Amália, serão exibidos Maria Vai com as Outras, dos alunos da E.M. Roberto Burle Marx (Jacarepaguá), eJasmin, A Princesa da Maré, realizado na E.M. Tenente Antônio João (Cidade Universitária). Tela Aberta vai ao ar na terça-feira, às 14h, na BandRio.

 

Educação especial é o tema de Atitude Consciente

Atualmente, um dos grandes desafios é o de como promover uma educação inclusiva nas escolas. Atitude Consciente traz informações e orientações a professores e pais sobre a educação especial: definição, como introduzi-la na escola regular e garantir a inclusão e o aprendizado dessas crianças. Também em pauta, a importância de capacitar professores e gestores de escolas e de formar redes de apoio à Educação inclusiva. Para discutir o tema, a apresentadora Lúcia Leme recebe em estúdio Claudia Linhares, do Instituto Municipal Helena Antipoff, entidade responsável pela Educação especial na Rede Municipal do Rio. Atitude Consciente é transmitido na quinta-feira (17), via Web Rádio (www.multirio.rj.gov.br/webradio).


MultiRio em Revista destaca consumo consciente

Neste sábado (19), a série aborda questões relacionadas a energia, monumentos e arquitetura do Rio e consumo por meio de trechos do acervo da MultiRio. O que é ser consumidor tendo em vista a relação com o meio ambiente? Produções como Abrindo o VerboRio, a Cidade Detetives da Ciência, que fazem parte da história de 20 anos da Empresa, ajudam a retomar assuntos que continuam na pauta do dia. Como destaque musical do programa, a música clássica pela obra de Villa-Lobos. A série de programas tem formato de revista eletrônica e cada episódio aborda as produções sob os grandes temas do meio ambiente, cidade, comportamento e música. Apresentado por Flávia Lobo, MultiRio em Revista vai ao ar no sábado, às 19h30, no canal 14 da NET.  

 

 

Siga-nos no Twitter

A MultiRio não tem um perfil oficial no Facebook. Informações sobre a Empresa você encontra no Portal MultiRio e na nossa página no Twitter. Se você já faz parte desta rede social, seja um seguidor: twitter.com/multirio.

RIO PREFEITURA | EDUCAÇÂO | MULTIRIO Secretaria Municipal de Educação
MultiRio - Empresa Municipal de Multimeios

Para não receber mais este informativo,
envie e-mail para multiriocomunica@multirio.rio.rj.gov.br.
Tel: 1746/Fora RJ: (21) 3460-1746 • ouvidoria multirio@rio.rj.gov.br

 

Siga-nos no Twitter Portal Multirio

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 11/10/2013

Simbólico, Signo, Significado, Significante: Social e Individual no Ato Comunicativo

Tags: blogsderioeducadores, educopédia, mídias, especialistas, linguística.

Ferdinand de Saussure, autor do Curso de Linguística Geral (1916), contribui com seus estudos de maneira significativa para o desenvolvimento da Linguística e de conceitos cujo entendimento é fundamental para uma mediação de qualidade no processo de aquisição e utilização da língua escrita.

 

 


O autor disserta sobre Língua e Fala, sendo a primeira o objeto de estudo da Linguística. Língua e Fala seriam, respectivamente, características social e individual do ato comunicativo verbal.

 

 


A Língua é, segundo Saussure, “a unidade da linguagem, e é constituída por um sistema de signos”. Em outras palavras, Língua é um conjunto de unidades que forma um todo. Sendo esta depositada como produto social na mente de cada falante da comunidade, por isso possui homogeneidade.

 

 


A Fala é um ato individual. É a concretização da Língua pelos falantes e, por isso, não apresenta homogeneidade, é variável e circunstancial.

 

 


O signo é composto pela associação entre SIGNIFICADO (conceito) e SIGNIFICANTE (imagem acústica). Essa relação não se trata de associar um “objeto” a um “termo”, mas sim um conceito a uma imagem acústica.

 

 


Ainda segundo Saussure, temos o Significado como “o valor, sentido ou conteúdo semântico de um signo linguístico e o Significante como imagem acústica ou manifestação fônica do signo linguístico”.

 


Língua e Fala, embora configurem processos distintos, têm igual importância no processo de aquisição e utilização da língua escrita. Entretanto, a escola tende a excluir de seus processos de ensino a linguagem da fala. Tal exclusão não permite a vivência da dinâmica social e da mutabilidade da Língua dos falantes, colocando a diversidade linguística existente em nossa nação à margem dos processos escolares.

 

 


A escola tem a priori o trabalho com as estruturas linguísticas, separando Língua de seu uso e de seu contexto social, de forma a distanciar a prática pedagógica cotidiana da possibilidade de expandir e aprofundar a experimentação do simbólico de seu grupo e da produção de sentidos no educando.

 


Para que tal realidade se reverta, é necessário priorizar estratégias e atividades em que Língua e Fala sejam vivenciadas, problematizadas e que interajam entre si. De forma a propiciar ao aluno discutir e se expressar escrita e oralmente, de forma coletiva e individual, através de atividades que ampliem os seus campos de significação.

 

 


Assim, é possível obter uma escola inclusiva, que acolha a diversidade, que abrigue valores democráticos e que se consolide como espaço privilegiado na formação global dos indivíduos, na superação das dificuldades de aprendizagem e na construção crítica dos conhecimentos, e na formação do leitor/autor proficiente.

 

 

Paula Moita é professora Regente de Sala de Leitura na Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e professora substituta no Colégio Pedro II. Pós-graduada em Psicopedagogia e graduada em Pedagogia pela UERJ. Ao longo do exercício profissional e da vida acadêmica, vem desenvolvendo pesquisa a respeito das dificuldades de aprendizagem e aquisição da leitura e escrita.


Lattes: http://lattes.cnpq.br/4454775243985678

Blog: http://professorapaulamoita.blogspot.com.br

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share