Rio Educa
A A A C
email
Retornando 7 resultados para a tag 'paz'

Segunda-feira, 03/07/2017

A #ÁrvoreDaPaz precisa da sua ajuda para crescer e aparecer

Tags: árvore, paz, multirio.

 

 

A campanha contra a violência nas escolas da rede municipal de ensino chega hoje ao mundo virtual através da hastag #árvoredapaz, que vai reunir mensagens postadas por alunos, professores e público em geral nas redes sociais. Abrigada no Portal da MultiRio (www.multirio.rj.gov.br/arvoredapaz), a árvore vai 'crescer' a cada postagem recebida.

A iniciativa é mais um instrumento de mobilização da campanha "Aqui é um lugar de Paz", encampada pela Secretaria Municipal de Educação e que envolve mais de um milhão de alunos, professores, funcionários de apoio, pais e responsáveis da rede de escolas públicas da Cidade. No dia 2, todos vão se unir com a sociedade em ato público pela paz, a partir das 8h, no Aterro do Flamengo, junto ao Monumento aos Pracinhas.

A campanha "Aqui é um lugar de paz" defende uma escola sem violência, sem humilhações, sem racismo, sem preconceitos, sem drogas. O movimento não tem data para acabar. A comunidade escolar está engajada e precisa do apoio de todos.

Nas 1.537 escolas, creches, ginásios e Espaços de Desenvolvimento Infantil, a paz é palavra de ordem que vem sendo trabalhada, inclusive em projetos políticos pedagógicos das unidades, para ser incorporada às disciplinas, seja na prática das atividades lúdicas, como corais, orquestras, peças teatrais, concursos de poesias, entre outras.

A corrente de elos em formação constante não se limita ao ambiente escolar. Ela chega às famílias, às casas, às ruas, aos bairros. E precisa do seu apoio. Participe. Poste sua mensagem nas redes sociais, use #árvoredapaz. Una-se à comunidade escolar no dia 2. Essa luta é do Rio de Janeiro, é de todos.

 

FONTE: DO de 27/06/2017


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 29/06/2017

Manifesto da Educação pela Paz no Rio de Janeiro

Tags: manifesto, educação, paz, rio.

 

A Secretaria Municipal de Educação informa que, diante do alerta do Centro de Operações Rio (COR) de chuvas fortes para este domingo (2/7), fica adiado o Encontro das Escolas pela Paz, previsto para acontecer das 8h às 13h, no Aterro do Flamengo. Parte da campanha pela paz em desenvolvimento nas 1.537 escolas da rede municipal, o ato reuniria milhares de estudantes e professores. Nova data para a mobilização será anunciada em momento oportuno.

De acordo com o secretário de Educação, César Benjamin, embora dolorosa, a decisão tem por objetivo preservar dezenas de milhares de pessoas, entre as quais muitas crianças, que não teriam onde se abrigar. "Sob a chuva, a dispersão das pessoas, pelos ônibus, se tornaria confusa, provocando mal-estar e acidentes. A proposta de realizar o Encontro está mantida. Marcaremos uma nova data".

 

 

Do início de fevereiro, quando começou o ano letivo, até agora, a violência deixou mais de 115 mil alunos de 349 escolas públicas do município sem aulas em bairros e comunidades como Acari; Complexo da Maré, Complexo da Penha, Complexo do Alemão; Vila Kennedy, Manguinhos; Cidade de Deus; Serrinha; Chapadão; Penha; Jacarezinho e Antares.

Na tentativa de amenizar a violência que todos os dias fecha alguma de suas unidades, a Secretaria Municipal de Educação concebeu a ideia de colocar a força de pais, alunos, professores e funcionários de suas 1537 escolas na direção da paz. No domingo do dia 2 de julho, das 8h às 13h, iremos fazer um encontro especial em defesa da paz no Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo.

"Aqui é um lugar de paz" é o mote da campanha que está reunindo as escolas do município, seus 650 mil alunos e quase 60 mil professores e funcionários. Nele, políticos de qualquer partido serão bem-vindos, mas na condição de cidadãos comuns, sem destaque especial. Não haverá celebração religiosa, nossa rede é laica e republicana. Líderes religiosos também serão bem-vindos – também como cidadãos comuns, sem destaque especial.

Desejamos construir lugares de paz – escolas sem violência, sem racismo, sem preconceito, sem humilhação. Instituições científicas, como a Fiocruz, grupos organizados, como escoteiros e capoeiristas, a Unesco, Unicef, o Observatório de Favelas, a Rede da Maré, a Comdef- Rio (Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência) são exemplos de entidades que estarão conosco. Haverá outras. A adesão tem crescido.

 

Manifesto em defesa da paz

O direito à vida é o primeiro e mais importante direito de todos. Os profissionais da educação, os pais e responsáveis, as crianças e jovens estão se mobilizando para defendê-lo.

Começaremos pelas nossas escolas, dizendo em toda a rede que "Aqui é um lugar de paz". Cada escola está chamada a rever seus valores e práticas, para que seja, de fato, um espaço de convivência sadia entre todos os que a frequentam.

Queremos uma escola sem violência, sem humilhações, sem racismo, sem preconceitos, sem drogas, em que todos se sintam bem.

Levaremos o movimento à sociedade, pedindo paz e justiça social. O Rio de Janeiro está cansado de uma guerra que ameaça e prejudica todos os seus moradores.

A difícil situação que vivemos hoje foi construída ao longo de muitos anos. Não terminaremos com ela da noite para o dia. Será uma longa caminhada. Mas somos muitos: 1.537 escolas, 650 mil alunos, 65 mil professores e funcionários, mais de 1 milhão de pais e responsáveis.

Unidos, formamos uma força poderosa. Pela paz. Junte-se a nós.

Nosso movimento começa nas escolas e não tem data para terminar. No dia 2 de julho, um domingo, de 8h às 13h, no aterro do Flamengo próximo ao monumento dos pracinhas, a comunidade escolar do Rio de Janeiro se concentrará de manhã. Será uma festa bonita. Você é nosso convidado.

Venha conosco celebrar a paz. Traga as crianças. É por elas, antes de tudo, que estamos lutando.

César Benjamin

 

Assine o manifesto pela Paz clicando na imagem abaixo:


 

Fonte: http://prefeitura.rio/web/sme/paz


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 06/06/2017

Encontro das Escolas - Aqui é um Lugar de Paz

Tags: encontro, escolas, lugar, paz.

Acesse o cartaz clicando na imagem

 

Nós, da Educação, estamos propondo um caminho, convidando a nós mesmos para melhorar e convidando a sociedade a se juntar nessa luta fundamental para a sobrevivência da cidade do Rio de Janeiro.

 

Diretor(a), reproduza o cartaz e motive sua comunidade a participar desse evento tão importante para nossa cidade.

 

Pedimos ampla divulgação!

 

O Encontro ocorrerá no dia 2 de julho (domingo), de 8h às 13h no Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo. 

 

 

 

Leia também: 

Encontro das Escolas pela Paz no dia 2 de julho - Cesar Benjamin 

Encontro pela paz vai reunir escolas no Aterro do Flamengo domingo, dia 2 de julho - SME

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 01/06/2017

Circular E/SUBE nº 26 - Continuidade da Campanha “Aqui é um Lugar de Paz”

Tags: circular, campanha, paz.

 

Circular E/SUBE nº 26

Rio de Janeiro, 01 de junho de 2017.

Assunto: continuidade da Campanha “Aqui é um lugar de paz”.

Sr.(ª) Coordenador(a) de E/SUBE/CRE


 A Secretaria Municipal de Educação parabeniza e agradece às Unidades Escolares pelo envolvimento e participação na Campanha “Aqui é um lugar paz”, de combate à violência e pela construção da paz, nos meses de abril e maio de 2017.


2. As Unidades Escolares desenvolveram diversos trabalhos, mobilizando toda a comunidade escolar, o que demonstra o compromisso desta Rede no enfrentamento das diferentes formas de violência.


3. Convocamos a Rede a reafirmar esse compromisso e dar continuidade, no mês de junho, a partir das seguintes recomendações:

a. o envolvimento de cada comunidade escolar nas discussões e no planejamento da participação da escola no “Ato pela paz”, a ser realizado no dia 02 de julho de 2017, no Aterro do Flamengo, das 8h às 12h;

b. que cada escola reveja “seus valores e práticas, para que seja, de fato, um espaço de convivência sadia entre todos os que a frequentam”, de acordo com o chamado feito pelo Secretario Municipal de Educação na carta dirigida às escolas no início de maio;

c. que cada escola seja “uma escola sem violência, sem humilhações, sem racismo, sem preconceitos, sem drogas, em que todos se sintam bem”, de acordo com a mesma carta;

d. o envolvimento de toda a comunidade escolar, especialmente os alunos, nesses debates e proposições;

e. o desenvolvimento de ações que efetivamente transformem a escola em um lugar de paz.


4. A partir das recomendações acima, cada Unidade Escolar buscará sua resposta para a questão norteadora do mês de junho: como construir a paz no espaço escolar.


5. Sugerimos, nos anexos I e II, alguns materiais de estudo e reflexão para os professores e outros de apoio às ações junto aos alunos.


7. Orientamos ainda a continuidade dos registros das ações desenvolvidas ao longo do mês de junho e solicitamos o envio desses registros para os “Rioeducadores” das CRE ou diretamente para rioeduca@rioeduca.net, que fará a divulgação dos trabalhos desenvolvidos.


8. Na certeza de que a perseverança e a continuidade das ações promovem resultados positivos, contamos com a participação de todos.

 

Atenciosamente,

Jurema Regina de Araújo Rodrigues Holperin

Subsecretária de Ensino

 

 

ANEXO I

ANEXO II

 


 


   
           



Yammer Share