A A A C
email
Dicas, prática pedagógica, troca de experiências.
Retornando 12 resultados para o mês de 'Março de 2015'

Quinta-feira, 26/03/2015

Informativo Multírio - 26 de março

Tags: informativomultirio.

 

Multirio Web Rádio
Multirio

Em Tempo Real discute os desafios da era digital

Nesta semana, a MultiRio exibe todos os episódios da série que destaca as transformações tecnológicas e seus impactos na sociedade. Os programas analisam o que muda nas relações entre as gerações informatizadas e aquelas ainda resistentes aos novos processos, falam sobre a necessidade de se estar permanentemente conectados e debatem a legislação que regulamenta o funcionamento do ambiente virtual. A influência das novas tecnologias na educação e de que forma elas podem difundir e democratizar o acesso ao conhecimento também são temas tratados na série. A grade de programação completa, com os dias e horários de exibição de Em Tempo Real, no canal 26 da NET, está disponível, a partir de segunda-feira, no Portal MultiRio (www.multirio.rj.gov.br).

 

Rio Resiliente destaca a importância das áreas verdes urbanas

Regiões específicas para a valorização da natureza, definidas pelo conceito de área verde, são o tema do episódio. No programa, especialistas explicam que estas vegetações, como as do Aterro do Flamengo e a Floresta da Tijuca, são preservadas por trazer uma série de benefícios – desde absorver o calor até umidificar a atmosfera. As áreas verdes são benéficas visualmente, pois amenizam a cor cinza que predomina na cidade, mas também servem para “medir” a vulnerabilidade da região. A cada programa, ambientalistas, meteorologistas e outros profissionais, além de membros da sociedade civil, falam sobre os desafios do Rio de Janeiro para se tornar completamente adaptado, a exemplo de outras cidades do mundo. Deslizamentos, enchentes e mobilidade urbana estão entre os temas tratados na série. Acompanhe o episódio sobre as áreas verdes urbanas no canal da MultiRio no YouTube.

 

E mais:

Nesta semana, em destaque no Portal MultiRio, a experiência da E.M. Edmundo Bittencourt, em Benfica, na homenagem aos 450 anos do Rio de Janeiro. A escola reproduziu os pontos turísticos da cidade e reforçou a importância do cuidado com o espaço público. Em mais uma matéria sobre as raízes africanas do Rio, a influência da capoeira na identidade do carioca. Saiba, também, as origens da bossa nova e como o ritmo carioca conquistou o mundo. Conheça uma lista de sites que disponibilizam obras literárias clássicas e contemporâneas para download gratuito, como o Domínio Público, E-books Brasil e Coleção Aplauso. E mais: informe-se sobre o transtorno do déficit de atenção/hiperatividade (TDAH), um distúrbio neurobiológico que ocorre em 3% a 5% das crianças. Educação, cultura e informação – tudo isso em: www.multirio.rj.gov.br.

 

Siga-nos no Twitter

A MultiRio não tem um perfil oficial no Facebook. Informações sobre a Empresa você encontra no Portal MultiRio e na nossa página no Twitter. Se você já faz parte desta rede social, seja um seguidor: twitter.com/multirio.

RIO PREFEITURA | EDUCAÇÂO |
MULTIRIO Secretaria Municipal de Educação
MultiRio - Empresa Municipal de Multimeios

Para não receber mais este informativo,
envie e-mail para multiriocomunica@multirio.rio.rj.gov.br.
Tel: 1746/Fora RJ: (21) 3460-1746 • ouvidoriamultirio@rio.rj.gov.br

 

Siga-nos no
Twitter Portal
Multirio

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 23/03/2015

Comunicação Interrompida. É Proibido Usar Celular

Tags: celular, educação, professor.

 

Discutir o uso de celular na sala de aula não é tarefa fácil. Existem muitas divergências a respeito dos pontos positivos e dos negativos, muitas teorias acerca da dispersão dos alunos e muito medo das potencialidades do “aparelho”.

 

Ano passado, a Lei nº 18.118/2014, de 24 de junho, proibiu o uso de aparelhos/equipamentos eletrônicos em salas de aula no estado do Paraná. No momento, houveram muitas expressões de entusiamo dos professores que se manifestaram a respeito. No entanto, a lei é bem confusa e eu sei que muitos não leram com atenção esta parte: “Os aparelhos serão permitidos em classe apenas para fins pedagógicos, sob orientação e supervisão do profissional de ensino, porém, a mesma não prevê uma punição padrão para os alunos e professores que utilizarem os aparelhos em classe”.

Concluindo: pode usar o celular sim, desde com objetivos pedagógicos.

Esquecemos, no entanto, que usamos o celular em muitos momentos de nossa rotina. Através dele enviamos mensagens (SMS e whatsapp), ouvimos música, publicamos fotos e realizamos diversas outras atividades nos mais variados espaços que frequentamos – em casa, no trabalho, em restaurantes, em bibliotecas, etc. Por que só na escola é errado usar celular?

Segundo o texto original do Projeto de Lei nº 440/2013, de autoria do deputado Gilberto Ribeiro (PSB), “os jovens do ensino fundamental e médio não possuem ainda capacidade para controlar o uso desses aparelhos, o que causa desvio de atenção no horário de aula, além do acesso a conteúdos inapropriados”.

Vamos refletir juntos: o jovem ainda não possui maturidade para compreender e controlar muitas coisas, como sentimentos e emoções. Não apenas sobre o uso de tecnologia, mas necessita de orientação a respeito de vários aspectos e comportamentos sociais.

A solução então seria: vamos proibir que os alunos conversem, que escrevam, que manifestem seus sentimentos, que debatam um assunto, que sejam criativos, que sejam jovens e que saiam de dentro da escola, para não correrem o risco de serem influenciados pelas interações sociais? Ou seria melhor rever a formação dos professores para que tenham apoio e consigam agregar as situações da vida real na formação ideal para os alunos de hoje?

Sob a pena de ser mal compreendida por muitos professores que estão lendo este texto, deixo aqui o meu posicionamento: proibir qualquer tecnologia que proporcione inovação nos processos de ensino e de aprendizagem é um retrocesso injusto à formação dos alunos; é uma barreira à evolução de sua aprendizagem; é pausar a construção de conhecimento; é deixar a escola cada vez mais distante da sociedade.

 


 

Vamos recordar que o celular surgiu na década de 70. Na época, o valor de compra era alto e o aparelho nada atraente, sendo assim, atingiu poucas pessoas de classes sociais mais elevadas. No entanto, como tudo o que acontece ao redor da escola, a tecnologia do celular foi aperfeiçoada. Hoje, o valor é baixo, o celular é acessível, bonito, moderno, divertido e faz um monte de coisas. Com ele falamos, ouvimos, enviamos mensagem, tiramos fotografias, fazemos vídeos, navegamos na internet, consultamos mapas, mantemos nossa agenda pessoal. Muitas famílias aboliram o telefone fixo e todos os membros possuem um plano de ligações que possibilita que conversem entre si por um preço baratinho. Todo mundo “precisa” e tem um celular. 

Pois bem, os jovens também precisam. Eles possuem um celular porque foram presenteados com um; muito raramente são eles que pagam pelo aparelho. Acessam a internet porque seus pais também pagam por isso. São inúmeros os aplicativos criados para celular, são muitos os sites que ajudam uma pessoa comum a criar o seu próprio aplicativo, gratuitamente. E todos os jovens que ousarem criar um app são muito parabenizados, até considerados gênios. A sociedade motiva, estimula, impulsiona, incentiva que sim! todos usem celulares.

Contudo, quando esse jovem entra na sala de aula portando um desses aparelhos, encontra a proibição de seu uso. O celular passa a ser um objeto menosprezado e inapropriado para aquele ambiente. E, assim, a escola continua sendo excluída da sociedade, como se fosse uma esfera alienígena no espaço.

É necessário aceitar que o celular faz parte da vida de todos nós: alunos, pais e professores. E é necessário conhecer qual espaço ele ocupa na vida do aluno, daí então sua importância poderá ser medida.

Como um livro didático, sobre o qual conhecemos o conteúdo e em qual página está, é necessário conhecer o aparelho e suas funcionalidades. Ter um planejamento sólido, como em qualquer outra aula. 

Para que a prática gere bons resultados é importante que, antes de iniciar o trabalho, o professor explique aos estudantes o momento em que o celular será usado e quando ele deve estar desligado. Da mesma forma que orienta qual livro abrir nas aulas de História, qual esporte praticar nas aulas de Educação Física, que tipo de trabalho desenvolver, quais ferramentas são permitidas durante uma avaliação.

Faça uma análise do perfil da sua turma. Preste atenção na personalidade da maioria. Leve em consideração a aceitação e a organização deles para atividades diferenciadas. E selecione os conteúdos, dentro das disciplinas, em que é possível utilizar o celular de forma a agregar conhecimento. 

Diretores, coordenadores, orientadores, funcionários em geral e, principalmente, professores, também devem desligar seus aparelhos enquanto estiverem trabalhando. Exemplo!


Em 2013, a Unesco publicou um guia com dez recomendações para governos implantarem políticas públicas que utilizem celulares como recurso nas salas de aula. Dentre elas está capacitar educadores usando tecnologias móveis, promover o uso seguro, saudável e responsável de tecnologias móveis e usar tecnologia para melhorar a comunicação e a gestão educacional. Além disso, o documento traz 13 motivos para tornar o celular ferramenta pedagógica.

O problema nunca é a tecnologia, o objeto ou o aparelho, mas sim o que fazer com tudo isso, dentro da sala de aula.

Acreditem, eu não defendo que a escola deva usar celular ou qualquer aparelho tecnológico. O que é preciso entender é que, independente da nossa vontade, o celular existe e influencia a forma como nós, professores ensinamos aos alunos que, nesse momento, talvez não tenham a necessidade de aprender tudo aquilo que julgamos que é necessário ensinar porque eles já estão com a informação na palma da mão. Cabe a nós potencializá-la. 

Eu planejei algumas atividades utilizando os aplicativos mais básicos de um smartphone. Baixem o e-book “11 Dicas para usar o celular nas aulas”  e apliquem com seus alunos. Quem sabe dá certo!


 


Talita Moretto
Jornalista especialista no uso de tecnologias na aprendizagem, coordenadora de Programa Jornal e Educação, atuando na interface mídia-educação desde 2008. Idealizadora do Sala Aberta . Contato: talitamoretto@salaaberta.com.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 18/03/2015

Projeto REDE ESCOLA RIO Oferece Oficina de Fotografia

Tags: oficina, fotografia.

 

Projeto REDE ESCOLA RIO oferece oficina de fotografia para professores da rede pública municipal do Rio

 

O tema das áreas verdes da cidade maravilhosa é o foco do primeiro dos cinco módulos do RER, O RIO QUE É VERDE, iniciado em agosto de 2014. Primeira atividade do ano acontece no dia 20 e o retorno às aulas, em 23 de março.

O REDE ESCOLA RIO, iniciativa que comemora os 450 anos do Rio oferecendo oficinas multimídia para escolas municipais, realizará uma oficina-passeio de fotografia para educadores na sexta-feira, 20/03, no Passeio Público, no centro da cidade.

Realizado pela Bang Filmes & Produções, o Rede Escola Rio é patrocinado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Cultura /Lei de incentivo a Cultura - ISS, e pelas Lojas Americanas, Americanas.com, Estácio e HOPE Serviços.

A atividade, a ser realizada no primeiro parque construído na cidade, vai tratar de aspectos estéticos e técnicos da fotografia, além de abordar questões históricas do Rio que envolvem a relação homem/natureza. Serão 24 vagas exclusivas para professores das unidades de ensino participantes do RER.

“O RER é um investimento na criatividade artística e na capacidade dos estudantes e educadores cariocas de construir uma cidade sustentável. A proposta foi elaborada em parceria com a Gerência de Mídia-Educação, da Secretaria Municipal de Educação, que agregou o RER às ações do Projeto Cineclube nas Escolas, uma política pública da SME-RJ”, define a produtora cultural Juliana de Carvalho, que assina a concepção e a produção executiva do RER.

O tema das áreas verdes da cidade maravilhosa é o foco do primeiro dos cinco módulos do RER, O RIO QUE É VERDE, iniciado em agosto de 2014 e que, até junho de 2015, terá atendido diretamente 450 estudantes e 50 educadores da Rede Municipal, tendo impacto sobre um público geral de mais de 8 mil alunos.

No ano passado, a oficina-passeio de fotografia do RER aconteceu no Campo de Santana (veja fotos da oficina de 2014: http://migre.me/p4sh0 . Este ano, a atividade será ministrada pela educadora Bete Bulllara.

Além da oficina de fotografia, os professores também participarão de um encontro especial sobre a recuperação de áreas verdes degradadas. As aulas para estudantes, dentro das escolas, começam a partir da segunda-feira, dia 23/03. “Após uma série de cinco encontros, as turmas produzirão obras audiovisuais em formato de vídeo, ou de pesquisa iconográfica, que serão exibidos no site e no canal REDE ESCOLA RIO do YouTube, junto à produção do projeto no ano passado”, antecipa Juliana de Carvalho.

Sobre Bete Bullara:
É formada em cinema pela UFF, jornalista e fotógrafa. A partir de 1974 trabalhou como repórter fotográfico, tendo atuado para jornais e revistas de circulação nacional, além de empresas. Co-autora do livro "Cinema: uma janela mágica", junto com Marialva Monteiro, é Secretária Executiva do Cineduc, entidade que há 45 anos se dedica a promover ações em cinema e educação.

 


*Site RER: http://www.redeescolario.com.br
Facebook: Rede Escola Rio
Youtube: http://migre.me/p4sre
Fotos da oficina-passeio RER 2014: http://migre.me/p4sh0

 

Adriana Sanglard e George Patiño
Assessoria de imprensa RER
adrisanglard@gmail.com
george.patino71@gmail.com
(21) 99828-8616 / 3472-1417

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 18/03/2015

Informativo Multírio - 18 de março

Tags: informativomultirio.

 

Multirio Web Rádio
Multirio

Curso, game e conteúdos para dinamizar as aulas

O Portal MultiRio (multirio.rj.gov.br) oferece diferentes ambientes virtuais de aprendizagem para crianças, jovens, educadores e o público em geral. Neste espaço, é possível encontrar recursos, ferramentas e materiais educativos que ajudam a desenvolver e complementar atividades pedagógicas. O curso Meu Primeiro Jogo, que pode ser aproveitado, principalmente, por docentes de Ciências e Matemática, ensina a criar, planejar e desenvolver jogos e objetos de aprendizagem de forma simples. A capacitação pode ser feita on-line, por meio das instruções oferecidas na página do curso. O Portal também disponibiliza um jogo digital que ataca a dengue de forma lúdica. Detona Dengue ajuda a consolidar os conceitos de prevenção da dengue em crianças de idade escolar, mas também pode ser usado por professores em atividades pedagógicas. Outro importante conteúdo oferecido faz parte das produções especiais da MultiRio em homenagem ao aniversário de 450 anos do Rio. O selo Rio 450 Anos reúne artigos de especialistas e reportagens sobre bairros, patrimônio material e imaterial, personalidades, formação multicultural do carioca, curiosidades sobre a cidade e muito mais. O ícone abriga, ainda, o centro de informações História do Brasil, com dados e imagens sobre a América Portuguesa e o Brasil Monárquico. Todo o material educativo à disposição no Portal MultiRio é de livre acesso e pode ser utilizados a qualquer hora.

 

Playlists no canal da MultiRio no Youtube

Estreitando a relação com os espectadores e aumentando as opções para acompanhar a programação, a MultiRio passou a disponibilizar listas de reprodução em seu canal no Youtube. As playlists possibilitam assistir a programas específicos em sequência, como a série de Cidade de Leitores, além de campanhas e peças de animação. As atrações produzidas especialmente para o aniversário de 450 anos da cidade, como Contrastes, Rio Raro e Rio de Janeiro a Janeiro, também podem ser assistidas na íntegra. Para ter acesso ao conteúdo da MultiRio on-line, basta acessar o endereço youtube.com/multiriosme e selecionar o item “Playlists” no menu. Usuários com conta no Youtube ainda podem se inscrever na página para serem avisados sobre novas atualizações.

 

Siga-nos no Twitter

A MultiRio não tem um perfil oficial no Facebook. Informações sobre a Empresa você encontra no Portal MultiRio e na nossa página no Twitter. Se você já faz parte desta rede social, seja um seguidor: twitter.com/multirio.

RIO PREFEITURA | EDUCAÇÂO | 
MULTIRIO Secretaria Municipal de Educação
MultiRio - Empresa Municipal de Multimeios

Para não receber mais este informativo,
envie e-mail para multiriocomunica@multirio.rio.rj.gov.br.
Tel: 1746/Fora RJ: (21) 3460-1746 • ouvidoria multirio@rio.rj.gov.br

 

Siga-nos no 
Twitter Portal 
Multirio

 

 

 

 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share