Rio Educa
A A A C
email
Dicas, prática pedagógica, troca de experiências.
Retornando 10 resultados para o mês de 'Fevereiro de 2013'

Quarta-feira, 27/02/2013

Alfabetizar ou Letrar?

Tags: professor.



 

A velocidade com que as informações chegam até nós nos dias de hoje é cada vez maior. Precisamos estar conectados para uma constante atualização com o Mundo.

 

 

 

 

O PNAIC, Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa, foi criado em 2012 e será implementado a partir deste ano. É um compromisso formal assumido pelos estados e municípios por meio do Ministério da Educação com o Governo Federal e visa assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do Ensino Fundamental.


 

Conheça mais sobre o PNAIC em:

 

 

 

Desde que foi anunciado, muita movimentação se viu em torno do Programa.


O que é alfabetizar? O que é letrar? Esses dois termos não têm o mesmo objetivo?  Como seremos capacitados? O que será necessário mudar?


Realmente são muitas informações que precisam ser absorvidas gradativamente. Mas somente através de trocas e muita leitura seremos capazes de alcançarmos o objetivo que pretendemos.


Em julho de 2012, os diretores das escolas do primeiro segmento e os representantes das dez Coordenadorias Regionais de Educação assinaram o Pacto Carioca pela Alfabetização, prevendo que todos os alunos das escolas municipais sejam alfabetizados ao final do 1º ano de Escolaridade aos seis anos de idade. 


A Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro superou a meta e reduziu o índice de Analfabetismo Funcional com quatro anos de antecedência.


 

Alunos da Professora Luciana da E. M.Cinco de Julho envolvidos em atividade de alfabetização e letramento. Ações contextualizadas com a utilização de textos conhecidos (como parlendas), materiais concretos e inserção de atividades artísticas promovem a curiosidade e levam à Leitura de Mundo.

 

 

Na primeira semana de fevereiro deste ano, aconteceu a semana de capacitação para os professores da Rede Municipal do Rio de Janeiro com atividades e assuntos diversificados.

 

Em um desses encontros, que ocorreu na própria escola, foram preparados DVDs  com palestras das professoras Iza Locatelli e Magda Soares para os professores que atuarão nas Casas de Alfabetização (1º, 2º e 3º anos), sendo também interessantes aos professores do primário Carioca (4º, 5º e 6º anos) com roteiro de ações a ser seguido.

 

A professora doutora Iza Locatelli, que presta assessoria à SME, fala sobre a importância da diagnose, de um ambiente alfabetizador em sala de aula, da diversidade de textos, da produção de textos coletivos e individuais e do papel do professor enquanto incentivador e contador de histórias conhecendo, valorizando e compartilhando as experiências individuais.


Uma importante prática alfabetizadora é o incentivo à narrativa, pois através dela, os saberes, culturas, histórias e valores foram sendo transmitidos de geração à geração através da oralidade e, assim, se consolidando nas diversas culturas existentes.

 

É através da narrativa que o educador irá promover a troca de experiências em sala de aula, socializando, trazendo à tona diversidades culturais, principalmente nas classes populares.


Não queremos alunos somente alfabetizados, mas alfabetizados e letrados. Alunos que adquiram independência para realizarem a leitura de mundo.
Ler e escrever como um fim limita a criança como mero decifrador de códigos e não como leitor.


De acordo com Magda Soares na obra Letramento: um tema em três gêneros (Belo Horizonte: Autêntica 2003):
Letramento é o resultado da ação de ensinar e aprender as práticas sociais de leitura e de escrita. É o estado ou a condição que adquire um grupo social, ou um indivíduo, como conseqüência de ter-se apropriado da escrita e de suas práticas sociais. Apropriar-se da escrita é torná-la própria, ou seja, assumi-la como propriedade. Um indivíduo alfabetizado, não é necessariamente um indivíduo letrado, pois ser letrado implica em usar socialmente a leitura e a escritura e responder às demandas sociais de leitura e de escrita."


Felizmente, estamos no caminho certo!
 

 

 

 Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal

e colaboradora do Portal Rioeduca.

E-mail: taisduarte@rioeduca.net
 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 26/02/2013

O Rio de Janeiro faz 448 anos no dia 1º de Março

 

 

O Rio de Janeiro completa 448 anos de fundação nesta sexta-feira, 1º de março. Para celebrar a data, a cidade ganhará uma programação especial, com direito a bolo e concurso cultural.

 

 

As comemorações de aniversário do Rio de Janeiro começaram em fevereiro com o lançamento do concurso cultural “O encanto desta cidade é meu” de textos sobre a Cidade Maravilhosa. No dia 1º de março, os textos vencedores serão divulgados no portal Rioeduca. Não perca!

 

No dia 28 de fevereiro, um bolo gigante de 4,8 metros será cortado para homenagear o Rio de Janeiro. As atrações seguem no dia 1º de março, no Largo da Carioca, a partir das 9h. Veja a programação completa da festa em homenagem à Cidade Maravilhosa no site Guia do Rio.

 


Conheça Melhor a sua Cidade

 

 

O Rio de Janeiro é conhecido por seus diversos pontos turísticos e por suas belezas naturais. Mas será que o carioca conhece a cidade em que mora?

 

A SME e a MultiRio lançaram no final de 2012 a publicação “Mestre do Tempo Conta Histórias do Rio”, inspirada na série televisiva “Mestre do Tempo”. O livro oferece um verdadeiro passeio pela história e pelos lugares relevantes do Rio de Janeiro, não apenas com a finalidade de instruir, mas, também, de aproximar as crianças da cidade e elevar sua estima por ela.

 

 

Esse livro pode ser encontrado na sala de leitura de sua escola.


 

 

Um Pouco de História

 

 

Fundada por Estácio de Sá em 1º de março de 1565, a cidade teve o seu nome escolhido a partir de uma observação feita anos antes por André Gonçalves, comandante da expedição encarregada de reconhecer a terra que Cabral descobrira. No dia 1º de janeiro de 1502, ao se deparar com um estuário (ambiente aquático entre o rio e o mar), julgou que este fosse a foz de um grande rio, dando-lhe o nome de Rio de Janeiro.


 

Quer saber mais? Visite a página da MultiRio ou do Projeto de Extensão da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

 

 

O Rio na Visão dos Artistas

 

 

O cartunista Lan é um bom exemplo de que para ser carioca não é necessário nascer no Rio.
 

 

Lanfranco Aldo Ricardo Vaselli Cortellini Rossi Rossini, ou simplesmente Lan, nasceu em Montevarchi, Toscana, no dia 18 de fevereiro de 1925. É um caricaturista italiano radicado na cidade do Rio de Janeiro. A inspiração de sua obra vem do ritmo da alma carioca.

 

"Samba do Avião", de Tom Jobim, é um hino de amor à cidade.

 

Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim nasceu no Rio de Janeiro, no dia 25 de janeiro de 1927. Tom compôs com Vinícius um dos maiores sucessos e possivelmente a canção brasileira mais executada no exterior: "Garota de Ipanema". Nos anos de 1962 e 1963, a quantidade de "clássicos" produzidos por Tom é impressionante: "Samba do Avião", "Só Danço Samba" (com Vinícius), "Ela é Carioca" (com Vinícius), "O Morro Não Tem Vez", "Inútil Paisagem" (com Aloysio), "Vivo Sonhando". O compositor faleceu em Nova Iorque, no dia 8 de dezembro de 1994.

 

 

Píer de Ipanema, 1902, foto de Marc Ferrez.

 

Muitas das imagens mais conhecidas do Rio de Janeiro do início do século passado foram feitas pelas lentes de dois importantes fotógrafos: Marc Ferrez e Augusto Malta.
Marc Ferrez, nascido no Rio de Janeiro em 7 de dezembro de 1843, foi um fotógrafo franco-brasileiro. Suas obras retratam o cotidiano brasileiro da segunda metade do século XIX, principalmente da cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil. Há fotos da ilha das Cobras, da floresta da Tijuca, da praia de Botafogo, do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, entre outras.
Faleceu em 12 de janeiro de 1923, no Rio de Janeiro.

 

Juntamente com o fotógrafo alagoano Augusto Malta, registrou imagens das transformações decorrentes da reurbanização empreendida pelo prefeito do Rio, Francisco Pereira Passos, no início do século XX.

 

 

Praça da República, 1906, na foto de Augusto Malta.

 


Augusto César Malta de Campos nasceu em Mata Grande (Alagoas), no 14 de maio de1864. Seu trabalho como fotógrafo oficial do Distrito Federal (então Rio de Janeiro) entre as décadas de 1900 e 1930, nomeado por Pereira Passos, permitiu criar um gigantesco acervo que documentou as transformações pelas quais passou a capital do Brasil no início do século XX.

 


Entre os fatos documentados por sua obra estão: a demolição do Morro do Castelo, a Revolta da Vacina, a inauguração da Avenida Central (hoje Rio Branco), a Exposição Nacional de 1908, a Exposição Internacional do Centenário da Independência, em 1922 e a inauguração da estátua do Cristo Redentor. Também registrou imagens da vida cotidiana, a arquitetura, as alterações urbanísticas (como as primeiras favelas), manifestações culturais como festas, o carnaval, as "Batalhas das Flores" e desfiles cívicos e militares.

 

A maior parte de suas fotografias encontra-se dividida entre o Museu da Imagem e do Som e o Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. São, ao todo, 80 mil fotos, incluindo 2.600 negativos em vidro e 40 panorâmicas.

 

Faleceu com 93 anos, no Rio de Janeiro, no dia 30 de junho de 1957.

 

O Cristo Redentor foi eleito como uma das sete Maravilhas do Mundo Moderno.

 

 

A história da construção de um dos mais famosos pontos turísticos da cidade do Rio de Janeiro, o Cristo Redentor, pode ser conhecida no documentário “Christo Redemptor”, de Bel Noronha.
Os relatos de pessoas que viveram na época de sua construção e do diário do brasileiro que idealizou e executou a obra, o engenheiro e arquiteto Heitor da Silva Costa, nos fazem voltar ao período da concepção deste monumento que é, hoje em dia, parte integrante do dia a dia do carioca.

 

O filme conta também com depoimentos feitos na França e na Itália, com a filha do estatuário Paul Landowski, Françoise e com a filha de Gugliemo Marconi, Elletra, sendo este o responsável pela iluminação da estátua em sua inauguração, em outubro de 1931.

 


Disponível no Portal Curtas.

 

Bem, com a proximidade do aniversário da nossa cidade, por que não aproveitar e dinamizar atividades com os alunos sobre todas essas transformações que ocorreram nestes 44 séculos de história? Mostre a eles que para ser carioca, na Cidade Maravilhosa, não é preciso nascimento, e sim coração.

 

 

Luciana Bessa é professora da Rede Municipal e colaboradora do Blog dos Professores
lucianabessa@rioeduca.net
Blog do Professor

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 20/02/2013

Está na Hora de Pensar nas Reuniões de Responsáveis

Tags: professor.



 

As reuniões de responsáveis geralmente deixam todos os envolvidos um tanto ansiosos. Pais, alunos e, inclusive, professores aguardam ansiosamente por este momento.

 

 

 

 

 

Muitas reuniões destinadas aos responsáveis ocorrerão durante o ano letivo. Elas têm por objetivo agregar a família ao ambiente escolar compartilhando interesses e metas em prol do aluno, precisam tornarem-se produtivas e agradáveis.

 

Os encontros devem ser planejados não só por professores, mas também com o envolvimento do coordenador pedagógico e da direção para, previamente, estabelecerem o objetivo principal (ou específicos) daquela reunião.

 

A primeira reunião do ano pode ser feita através de um convite e deve priorizar o acolhimento aos responsáveis, afinal, eles precisam sentir que estão sendo bem recebidos. Geralmente, além da apresentação da professora, são repassados informes da escola, objetivos do ano o qual a criança irá cursar, além de dicas de como auxiliar seu filho no dia a dia.

 

 

 

 

 

Ao longo do ano, ocorrerão outras reuniões e, obviamente, terão outros objetivos, porém a receptividade precisa ocorrer em todas.

 

Seguem algumas sugestões que podem tornar as reuniões de responsáveis mais prazerosas e próximas ao sucesso:

 

  • trace o(s) objetivo(s), juntamente com a equipe pedagógica conforme o que se pretende: reunião de apresentação, reunião temática ou bimestral;
  • distribua bilhetes com o convite previamente;
  • faça a divulgação na escola utilizando-se de cartazes sobre reunião, reforçando dia e hora;
  • seja pontual e sucinto: não deixe que a reunião torne-se aparentemente “interminável”;
  • apresente a pauta da reunião;
  • leitura de textos são interessantes;
  • propor uma dinâmica tende a deixar reunião mais agradável e informal;
  • é interessante o professor utilizar recursos tecnológicos existentes em sua escola (como computador e data show) no decorrer da reunião, a fim de torná-la mais atrativa e menos tediosa;

 

 

Exemplo de um vídeo com mensagens que pode ser usado numa reunião.

 

 

 

  • não trate especificidades dos alunos. Lembre-se que o objetivo não é esse, já que os pais não convocados para tratar assuntos individuais, isso poderá ser feito num outro momento e, inclusive, deve ser esclarecido para que eles se sintam mais à vontade;
  • caso o espaço permita, exponha trabalhos dos alunos ou fotos. É uma maneira de envolvê-los nas atividades desenvolvidas pelos alunos;
  • faça uma retrospectiva do que foi traçado como objetivo no ano anterior (caso seja a primeira reunião) ou no bimestre anterior.
  • não deixe de registrar a presença dos responsáveis, desta forma, você professor, tem mais um registro de acompanhamento da família.

 

Professor, discuta com sua equipe os benefícios de se pensar em equipe, trace coletivamente os critérios da reunião da sua escola, e lembre-se: não deixe de avaliá-los posteriormente e... boa sorte!

 

 

 Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal

e colaboradora do Portal Rioeduca.

E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 


 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 18/02/2013

Trabalho de Todos, Esforço de Cada Um

Tags: escola.

 

 

Com as energias renovadas, com novas expectativas e à espera de novos e sublimes desafios, professores, pais e alunos se unirão novamente com o ideal de conquistar uma educação de qualidade num trabalho de todos, com o esforço de cada um.

 

 

Mais um ano letivo começa: cada dia um segredo, cada dia um mistério revelado em cada lição, em cada atividade, em cada conversa, tal como o desenrolar de um filme, onde se registram situações que vão além da rotina.

 

A escola abre os braços para acolher seus alunos apostando na amizade, na cumplicidade e na arte de educar, que é realizada em cada ato de amor e atenção ofertado pelos professores, funcionários e família.

                                        

 

 

Que possamos investir no atual plantio para termos, na colheita, frutos saudáveis e maduros, expressados em nossos alunos em seu exercício consciente da cidadania.

 

Pensemos, neste ano, como o proponente de um leque de possibilidades, rico de opções consistentes e de oportunidades para nos atrelarmos às inovações e à criatividade igualando assim, a vontade, o profissionalismo e a propriedade em trocar conhecimentos de forma ampla e solidária.

 

Contagem regressiva chegando ao fim.

 

Que o segredo do sucesso esteja na novidade de mais um dia, na página em branco no qual todos possamos registrar momentos de alegria e compromisso, suprimindo assim, as dificuldades, mesmo sabendo que estejam presentes.

 

Nossas atitudes e vontades prescrevem o que somos e o que realmente queremos.

 

 

Agora é pra valer!

 

 

 

 

Vilma Barbareto

Professora da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro

Rioeducadora/ Supervisão de Postagens

vilmabarbareto@rioeduca.net

Twitter: @VilmaBarbareto 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share