A A A C
email
Retornando 5 resultados para a tag 'protagonismo infantil'

Quarta-feira, 15/05/2013

Amigos Imaginários no Universo Infantil

Tags: protagonismo infantil.

Alguns pais se assustam quando veem seu filho brincando e conversando sozinho. As crianças também podem criar um amigo, brincar e conversar como se ele existisse realmente. Toda essa imaginação é uma etapa do desenvolvimento Infantil e pode ser o caminho para o pequeno treinar as relações com outras pessoas.

 

Os responsáveis não devem ficar preocupados com esse tipo de comportamento. Faz parte do processo de desenvolvimento da criança e não tem idade certa para acontecer, surgindo normalmente quando a criança aprende a falar. Também não tem tempo exato para o amigo imaginário ir embora.

 

A figura de um companheiro invisível surge devido a alguma necessidade da criança, uma maneira de se expressar. Pode acontecer devido a inúmeras novas situações, pode ser uma mudança, a gravidez da mãe ou o nascimento de um irmãozinho, mas não necessariamente tem que haver um motivo.

 

I

Os amiguinhos criados pelas crianças normalmente têm nome.

 

Os adultos geralmente ficam na dúvida de qual seria a melhor maneira de intervir neste momento. O mais adequado é observar, deixando a criança brincar. O amigo imaginário é uma criação dela e nesse momento ela controla a situação dividindo seus sentimentos e até mesmo brinquedos. É um momento de troca da realidade pela fantasia, uma fantasia criada por ela.

 

Porém é importante encontrar um “meio termo”. Procure não fingir que não está vendo, como também não supervalorize as suas atitudes. Ignorar, criticar ou dar força para brincadeiras com o amigo imaginário pode atrapalhar o processo de amadurecimento natural da criança.

 

Uma série de desenho infantil que retrata bem a interação de uma criança com seu amigo imaginário é Charlie e Lola. Originalmente criados para livros infantis, foram transformados posteriormente em animação para a televisão.

 

Conheça e divirta-se com as histórias de Charlie, Lola e seu amigo imaginário Soren Lorense. 
 

Brincar sozinho com o amigo invisível não deve ser motivo de tanta preocupação. Gradativamente, a criança vai conquistando coleguinhas reais e, aos poucos, deixando o mundo da imaginação.

 

A participação e observação familiar são importantes para que a criança não continue utilizando a fantasia e cresça preferindo estar só.

 

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/05/2013

Influência da Televisão na Vida das Crianças

Tags: mídias, protagonismo infantil.

 

Nos dias atuais a televisão ainda exerce grande fascínio na vida das crianças e adolescentes. Desenhos e até seriados têm audiência garantida entre a garotada. Mas, você sabe o que seu filho anda assistindo?
 

 


A cada dia as crianças e adolescentes estão mais imersos no mundo tecnológico através de jogos, redes sociais e até mesmo salas de bate-papo. Mas ainda é a televisão um dos grandes responsáveis pela apresentação da mídia na vida deles. Considera-se ainda o poder aquisitivo e a realidade socioeconômica de boa parte da população, que ainda não dispõe de computadores.

 

A televisão chama atenção de bebês com suas cores e sons, criando inclusive estímulos audiovisuais que auxiliam o desenvolvimento através de desenhos e DVDs voltados para o público infantil.

 

 

Cores e sons despertam o interesse de bebês.

 

 

Os responsáveis, porém, precisam estar atentos com o período em que as crianças ficam à frente da TV, assim com o que elas mais assistem.

 

Muito tempo dedicado aos programas de televisão, de acordo com as pesquisas, terão consequências negativas relacionadas à alimentação, à aprendizagem e à saúde emocional. Mas você pode mudar isso. Fique por dentro em:

http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/quando-hora-desligar-tv-705997.shtml.

 

Para o momento de ligar e desligar a TV, a família deve criar estratégias em coletividade com as crianças e adolescentes, fazendo com que se tornem gradativamente uma rotina no lar, apurando e reafirmando os limites necessários evitando, assim, conflitos e imposições.

 

 

Família reunida à frente da televisão proporciona momentos de união.

 

Para as crianças, as imagens que assistem na TV confundem-se com realidade e fantasia, eles ainda não atingiram o amadurecimento necessário para fazerem esse discernimento.

 

Assista aos programas que seu filho aprecia com ele, converse, estimule-o, aprenda com ele também. Apresente outras formas de entretenimento, ampliando as opções de lazer que certamente serão momentos prazerosos, principalmente se realizados juntos.


 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 24/04/2013

A Importância do Desenho para o Desenvolvimento Infantil

Tags: protagonismo infantil.

Os desenhos surgem de maneira natural através da imitação e vão se modificando à medida que as crianças se desenvolvem. Toda criança desenha, independente do recurso que utilize.

 

“Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo.
Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva,
E se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva...”

 (Toquinho)

 

 

 

Desenhar é uma forma de expressar sentimentos, uma manifestação da maneira como a realidade é vista e sentida.

 

Desde muito cedo, ao disponibilizar para crianças materiais que sejam possíveis oferecer rabiscos numa folha de papel, observa-se essa manifestação por parte dos pequenos, sem que necessariamente tenham sido ensinados.

 

Ao perceberem que são capazes de reproduzir traços em determinado local, sentem prazer e vão gradativamente explorando essa nova sensação.

 

É neste período que podemos observar que os mais variados materiais são experimentados, podendo ser desde lápis e canetas, até mesmo um batom ou pedaço de carvão, isso sem falar, que os experimentos não ficarão limitados ao papel!

 

 

 

 


No início, as pequenas obras de artes não demostram significado, são para nós adultos linhas, traços, aparentemente simples e rudimentares riscados e recebem o nome de garatujas. Nesse momento, mais do que nunca, a criança reproduz, experimenta e cria.

 

Com o tempo, esses desenhos vão se modificando gradativamente e, então, os pequenos procuram reproduzir sua vivência, aumentando a riqueza de detalhes num desenho.

 

O desenho desempenha um importante papel no desenvolvimento e na aquisição da língua pela criança, estimulando a criatividade, a coordenação motora, incentivando a experimentação de diversos materiais para produção artística e desenvolvendo a noção de percepção artística-visual.

 

Incentive-o a produzir, dê asas a sua imaginação e colabore com a formação de um "pequeno-artista"!

 

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 17/04/2013

O Ato de Elogiar

Tags: família, protagonismo infantil.

 

 A ação de elogiar é extremamente importante para a construção e a valorização da autoestima. Uma criança que recebe elogios de maneira correta certamente desenvolverá mais confiança e respeito por si mesma e pelo próximo.

 

 

A autoestima se desenvolve no dia a dia. Trata-se da autoimagem, opinião e sentimentos positivos que temos ou fazemos de nós mesmos, que construímos partindo do nosso interior para o exterior.

 

O desenvolvimento da autoestima dependerá da maneira como a criança é tratada, dos exemplos que lhe são apresentados, assim como dos elogios ou críticas que lhe são atribuídas.

 


Críticas devem ser evitadas em público.

 

Independente da idade, quem não gosta de receber um elogio? Eles são sempre bem-vindos. Principalmente quando são sinceros e contemplam o nosso esforço e mérito.

 

Na infância, eles se tornam fundamentais, pois é nesta fase que está sendo formada a personalidade das crianças.

 

Porém deve-se ter o cuidado de não tornar o elogio uma situação banal. Eles precisam ser verdadeiros e valorizar o esforço individual, a persistência e cada etapa do processo, mesmo que o objetivo final seja parcialmente alcançado.

 


O fortalecimento da autoestima é importante.

 

• Elogie o “caminhar” e não somente o “produto final”;

• Não faça elogios superficiais;

• Respeite o momento e o tempo de cada criança, não crie expectativas;

• O elogio não precisa ser somente com palavras; atos e atitudes como carinho e abraço também são maravilhosos;

• Não utlilize-se da comparação entre crianças, respeitando suas diferenças individuais;

• Algumas frases utilizadas pelos adultos com as crianças podem surtir um efeito nocivo. Muito cuidado com o que diz, pois a lógica das crianças não é como a de um adulto, ela pode assimilar como acerto uma situação errônea, sem perceber tê-la feito. 

 

Crianças elogiadas por seus esforços crescem mais felizes, criativas, capazes de respeitar as diferenças, confiantes de si mesmas, tornam-se pessoas éticas e capazes de amar ao próximo.

 

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share