A A A C
email
Fique por dentro das novidades e possibilidades da plataforma online de aulas colaborativas Educopédia.

Sexta-feira, 21/03/2014

Tecnologia Nas Aulas De Língua Portuguesa

Tags: geo, portugues, educopedia.

 

 

Esta geração “plugada do século XXI” é capaz de fazer uso de várias tecnologias da informação e comunicação ao mesmo tempo, agindo com grande autonomia e iniciativa, muito mais do que muitos de nós, professores.

Neste âmbito de renovação através de redes, surgiu a “Educopédia”: uma plataforma online colaborativa de aulas digitais, onde professores e alunos podem acessar tanto em casa como na escola.

Ao longo dos três anos em que estou na rede municipal como professora das Línguas Portuguesa e Inglesa, eu e meus alunos temos utilizado muito a plataforma. Os jogos, quizzes (avaliações digitais) e textos são direcionados a eles e também orientam os professores a melhor maneira de utilizá-los. Dessa forma, as trinta e duas aulas digitais contemplam o ano letivo e auxiliam a todos de acordo com as orientações curriculares da Secretaria Municipal de Educação.

 

 

Tenho depoimentos muito queridos de alunos, que depois que conheceram a plataforma, junto com as orientações dadas em sala de aula, passaram a se destacar na aprendizagem: como foi o caso da aluna Amanda Laim, do 6º ano e a da aluna Júlia Romualdo, agora 7º ano do GEO de Santa Teresa, que utilizam a Educopédia como mais uma fonte de estudo em casa e na escola.

A aproximação e a cooperação de todos os meios disponíveis são, sem sombra de dúvida, refletidas nos resultados obtidos pelas crianças tanto, nas avaliações externas, quanto nas produções textuais mensais da rede.

Para orgulho de nossa escola - GEO Santa Teresa - no dia 13-03-2014, meu aluno do 7º ano – Matheus Lemos e o do 9º ano – Marcos Aurélio da S. Muniz, participaram do Projeto Redação 2013 promovido pela Folha Dirigida e SME – “Futebol, uma paixão Nacional” – tendo duas produções publicadas e o reconhecimento de nosso trabalho de socialização entre mídias. Assim, eles e nós começamos a tecer os fios dessa imensa rede digital que nos cerca, para que somando, consigamos alcançar o aprendizado integrado que realmente almejamos.

 

 

Possibilitando aos aprendizes o contato com os diversos tipos de suportes e de plataformas, como a Educopédia, as novas ferramentas digitais oferecem infinitas possibilidades de contato com diferentes gêneros e atitudes sociais que fazem parte de um novo contexto social.

Em termos históricos, é preciso reconhecer que o trabalho do magistério está associado ao das mídias e que. “Há muitos anos nunca se escreveu e leu tanto em tão pouco tempo”. Não é mesmo? Talvez uma nova forma de escrita e leitura, mas uma forma que está diretamente ligada ao processo midiático do ensino/aprendizagem.

O que esperamos da instituição, escola, atualmente, é que haja a integração entre as mídias que já existiam com as contemporâneas, de maneira qualitativa, crítica e criteriosa, pois negar a influência dessas culturas na escola do nosso século seria um grande equívoco.

 



Para que isso seja feito, a escola precisa repensar o seu papel diante do novo ambiente digital: dar suporte aos professores, aos alunos, modernizar equipamento... Mas, nada do que estamos falando é feito de uma hora para outra. O trabalho pedagógico sério e amplo, como pretendemos, trabalha tecendo fio a fio de forma cautelosa e organizada, pois se não for assim, todos os envolvidos serão prejudicados e a corrente net leitora acabará se rompendo antes de se fortalecer totalmente.

O ritmo acelerado das informações não pode ser desconhecido de todos os que participam do sistema, já que a dispersão das aulas, acaba transformando os dados elaborados em fragmentos sem sentido e em conhecimento desorganizado.

Navegar na Internet ou em plataformas como a Educopédia pode e é um processo de busca de informações valioso para a construção do conhecimento, gerando um rico ambiente facilitador e motivador de aprendizagem.

 

 

A adoção das diferentes mídias para o enriquecimento das atividades comunicativas depende de uma política de continuidade e de cooperação entre professores, alunos, funcionários e governo para que disponibilizem recursos e executem seus planejamentos cuidadosamente com acompanhamento e avaliação como é feito pela Educopédia, na qual trabalho há 3 (três) anos.

Sendo assim, investimentos em uma educação pública igualitária em termos midiáticos, necessita de ser compartilhada entre a escola, a família e o governo o que fará com que a responsabilidade da educação e do uso das tecnologias dentro dela atue como ferramenta poderosa de interação do conhecimento gerando resultados cada vez melhores e índices cada vez mais perto da realidade educacional que esperamos.

 

Caso queiram comprovar os depoimentos e práticas com a plataforma digital, podem acessar o blog


http://www.i9suasaladeaula.blogspot.com.br/


e viajar com as produções realizadas pelos alunos.

 

 

 

Professora Tânia Regina Almeida - Possui Mestrado em Língua Portuguesa - UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2012). Atualmente é professora I da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, do GEO de Santa Teresa em Humanidades. Tem experiência na área de educação, com ênfase nas Línguas Portuguesa e Inglesa, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura infanto-juvenil, ensino; leitura; metáfora e letramento. Trabalhou como revisora de Língua Portuguesa da Plataforma digital Educopédia até o ano passado e participou em vários projetos ligados a direitos humanos e no planejamento dos Mil dias para as Olimpíadas 2016 ano passado e neste ano participou no curso Imagem e Movimento - parceria entre a SME e o Governo Francês. Publicou um artigo, na revista portuguesa Interacções, com o professor Dr. Cândido Alberto Gomes e a professora Dra. Maria Tedesco Vilardo Abreu sobre a importância da leitura na formação acadêmica do público infanto-juvenil de onde alguns trechos deste artigo foram tirados, além de outros artigos apresentados como comunicação oral em diversos congressos e simpósios tanto no Rio de Janeiro como em outros estados brasileiros. Além de participações no ano passado na FLIST e na Feira do Livro como palestrante no stand da SME.
 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 27/02/2014

Alfabetização: Pesquisa e Ensino.

Tags: 9ªcre, alfabetização, linguaportuguesa, educopedia.

A professora Camila Coelho, da E.M. Professor Helton Álvares Veloso de Castro, da 9ª CRE, vem colaborando para o desenvolvimento de pesquisas relacionados ao processo de Ensino e Aprendizagem no processo de Alfabetização.

O trabalho da professora Camila vem sendo pesquisado pelos mestrandos do PROFLETRAS (UFRRJ) Mario Mangabeira e Janne Braga, professores de Língua Portuguesa da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.
 

 

O público-alvo do Profletras é constituído por docentes de todas as gerações de egressos de cursos de graduação em letras e que lecionam língua portuguesa no ensino fundamental. Alguns objetivos principais do programa são:


• O aumento da qualidade do ensino dos alunos do nível fundamental, com vistas a efetivar a desejada curva ascendente quanto à proficiência desses alunos no que se refere às habilidades de leitura e de escrita;

• O desenvolvimento de pedagogias que efetivem a proficiência em letramentos compatível aos nove anos cursados durante o ensino fundamental.

 

Desse modo, a prática de ensino da escrita, em turmas de alfabetização, foi um dos temas analisados na turma da professora Camila. O produto da investigação e reflexão de práticas de êxito resultou na produção de um artigo, intitulado “Desvios ortográficos na alfabetização: motivações fonético-fonológicas.”, a ser publicado na comunidade acadêmica em breve.

 

 

O artigo pautou-se na análise das produções de texto dos alunos da turma. A professora organizou o seu planejamento de modo que atividades de escrita significativa sejam garantidas.

 

 

Para atingir o principal objetivo no processo de alfabetização , a professora , além de incluir a produção textual como prática constante nas aulas, a Educopédia, a sala de Leitura e o Rioeduca são recursos constantes para dinamizar a prática de ensino e motivar a garotada.

 

 

Confira um trecho do artigo:

 

 

Acreditamos que, considerando as múltiplas tendências teórico-metodológicas e recursos, como a Educopédia e o Rioeduca , os professores possam se voltar para a inovação na sala de aula, ao mesmo tempo que, de forma crítica e responsável, possam refletir acerca de questões relevantes sobre diferentes usos da linguagem presentes contemporaneamente na sociedade. Sabemos que o professor precisará responder aos desafios educacionais do Brasil contemporâneo, considerando princípios fundamentais da construção de uma educação linguística que vise a práticas sociais mediadas pela linguagem.

 

 

 

 

 

Referências:

http://www.capes.gov.br/educacao-a-distancia/profletras


FARACO, Carlos Alberto. Linguagem escrita e Alfabetização. São Paulo: Contexto, 2012.

 

Agradecimento especial á professora Camila Coelho, pelas excelentes práticas de alfabetização e pela parceria no programa ProfLetras e aos professores pesquisadores.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 27/02/2014

Educopédia no Carnaval

Tags: 6ªcre, educopedia, carnaval, alfabetização.

 

A professora Michele do CIEP Adão Pereira Nunes, da 6ª CRE, trabalhou esta semana com a Caixa Mágica, conteúdo da Educopédia voltado para Educação Infantil.

 

 

Essa semana as turmas de 4 anos da Educação Infantil do Ciep trabalharam o carnaval e a Educopédia.


No primeiro dia fizemos a contação da história "Bruxa, Bruxa, venha à minha festa" que é parte integrante do Projeto Trilhas. Após a interpretação da história, as crianças disseram qual era a fantasia de sua preferência e as desenharam.

 


No segundo dia trabalhamos a Educopédia, na pasta da Educação Infantil, onde encontramos dentro da Caixa Mágica, 1º Bimestre, aula 2 - Festas Brasileiras, lá encontramos o assunto carnaval. As crianças puderam conhecer um pouco mais sobre essa festa popular, desde os tempos antigos até os dias atuais. Além disso viram e ouviram o funcionamento de uma bateria de escolas de samba, brincaram de fantasiar avatares e conheceram sobre as festas populares de outros Estados brasileiros, enriquecendo e contribuindo com o tema gerador desse ano que fala sobre o Brasil.

 


Após a viagem carnavalesca proporcionada pela Educopédia fizemos a contação da história "Samba Menino" que trata da viagem feita pelo samba da África até o Brasil. Encerrando as atividades tivemos nosso Baile de Carnaval com bloco, folia e sessão de cinema com pipoca.

 

 

 

Parabéns professora Michele!!


 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 24/02/2014

Mardi Gras, o Carnaval Americano!

Tags: ingles, professores, carnaval.

Um grupo de professores de Inglês da nossa rede, através de redes sociais produziram, de forma colaborativa, a tradução e a legenda do vídeo sobre o Mardi Gras, com o intuito de servir de recurso pedagógico para as aulas de Inglês.

 


Nos Estados Unidos, o carnaval resume-se basicamente na celebração do Mardi Gras (Terça-feira Gorda), vários estados celebram o carnaval.

 

O Estado mais tradicional na comemoração é New Orleans, onde, durante o Mardi Gras, desfilam pelas ruas mais de 50 agremiações. A agremiação mais conhecida é a do Bacchus, que possui gigantescos e originais carros alegóricos, mesmo tendo o Estado da Louisiana, em seu registro, o ano de 1699 como o início das festividades carnavalescas.

 

O glamour do carnaval de Nova Orleans tem sua origem em 1827, quando um grupo de estudantes retornando de Paris, saíram pelas ruas dançando com trajes estranhos. Traziam na memória as celebrações que tinham vivenciado na Europa. A primeira parada ou desfile de carnaval tem o ano de 1837 como marco da celebração carnavalesca pré-quaresmal. Na realidade, o carnaval de Nova Orleans é similar ao Fasching da Alemanha, que começa na décima segunda noite após o Natal e continua até a Shrove, a Terça-feira Gorda, véspera da Quarta-feira de Cinzas. É uma série de diversas festividades, semelhante ao que acontece no Brasil.

 


O Mardi Gras é uma festa carnavalesca que ocorre todo o ano em Nova Orleans, Estados Unidos, sendo um dos mais famosos Carnavais do mundo. Conhecido por suas máscaras de gesso, colares de continhas e paradas com bandinhas durante todo mês antes do Carnaval, na "terça-feira gorda" que significa Mardi Gras em francês.

 

O Mardi Gras começou em Louisiana, feito pelos colonizadores franceses. O primeiro Mardi Gras em registro é datado de 1699.

 

As cores típicas do Mardi Gras são: o dourado, que significa poder; o verde, que significa fé; e o roxo, que significa justiça. Outros símbolos famosos do evento são as máscaras de drama, a flor de lis e os colares de continhas.

 


 


Assista o vídeo que foi traduzido de forma colaborativa por nossos professores.

 

 

 

Agradecimentos especiais aos professores regentes de Língua Inglesa da Secretaria Municipal de Educação, envolvidos no trabalho os quais acreditam que ensinar uma língua estrangeira e sua cultura proporciona um aprendizado mais completo e global.

 


 

 

Fonte do Texto (adaptado): http://www.fernaodias.numberone.com.br/
 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share