A A A C
email
Fique por dentro das novidades e possibilidades da plataforma online de aulas colaborativas Educopédia.
Retornando 6 resultados para o mês de 'Abril de 2015'

Quarta-feira, 29/04/2015

Como Formar Meninas Cientistas? Já Pensou Nisso?

Tags: educopedia.

 

 

Como professora de Ciências sempre fiquei intrigada em compreender a falta de interesse das meninas pela carreira científica. Parece que em determinado momento da vida escolar meninos e meninas são levados para escolhas distintas, onde a carreira cientifica não faz parte do leque de opções femininas.


Acredito que isso possa ser mudado na escola e em casa, desde que as meninas possam ser motivadas a realizar e participar de atividades científicas. Atividades simples, como criar um vivário, um herbário ou até mesmo atividades on line.


Pesquisando sobre o tema descobri o Digigirlz, uma plataforma criada pela Microsoft para incentivar meninas (alunas de ensino médio) a conhecer melhor carreiras científicas. Na plataforma é possível participar de oficinas e cursos, criar seu próprio poadcast.

 

Veja o link: http://www.microsoft.com/en-us/diversity/programs/digigirlz/default.aspx


 

 

Outra boa dica é a publicação: Sim, nós temos cientistas! E você pode baixar na Educoteca , a biblioteca da Educopédia.


 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 24/04/2015

Na minha sala não pega internet, e agora?

Tags: saladeaula, internet.

 

 

Um dos dilemas enfrentados por professores que utilizam ou planejam utilizar novas tecnologias em sala de aula é a falta ou a baixa velocidade da conexão à internet. Aliás, esse é um problema que o país precisa enfrentar ferrenhamente. Segundo Relatório da Akamai, empresa de soluções para internet, o Brasil ocupa a 89ª posição do ranking de internet mais rápida do quarto trimestre de 2014, perdendo seis posições em relação a 2013 – apesar do aumento de 11% na velocidade. No continente americano, estamos em 10º lugar, atrás de países como Colômbia, Equador, Uruguai e Argentina.


É claro que o cenário ideal é uma internet com boa velocidade de conexão e chegando a todos os cantos do Brasil. Contudo, pensando nesse desafio, que é de todas as secretarias municipais de educação do país, a Educopédia disponibiliza algumas alternativas.


Especificamente para os 5º e 9º anos, todas as aulas de Língua Portuguesa e de Matemática estão disponíveis para download em Flash Player. Isso significa que, uma vez salvas na máquina ou em um pen drive, o professor poderá utilizá-las em sala como se estivesse conectado, com os mesmos vídeos, links e animações. É o que chamamos de conteúdo off-line. Além dessas aulas, os livros, minigames, vídeos e as aulas do Pé de Vento do 1º e 2º anos compõem o núcleo off-line.

 


 


Quanto às demais aulas digitais, todas possuem uma versão em Power Point, que o professor pode facilmente baixar e até customizar. A seguir o link com um tutorial para baixar os vídeos do YouTube, que são indicados nas aulas: http://migre.me/pvM5l

 


 


A Educopédia é um REA (Recurso Educacional Aberto) e está licenciada sob Creative Comons (CC BY 3.0 BR), assim, é possível compartilhar e adaptar as aulas à realidade de cada turma remixando, transformando e até criando a partir do material.


 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 20/04/2015

Educar Para Inovar e Inovar Para Educar

Tags: professor, inovação, tecnologia, transformação3.0.

 

 

 

Inovação Tecnológica é algo que está presente em nosso cotidiano e que quando ouvimos estas duas palavras, somos remetidos a pensar em qualidade, genialidade, avanço e outras expressões que se associam com o que é diferenciado e que está à frente do nosso tempo. Como professor de temas associados à aplicação tecnológica, procuro sempre meios de compreender e sistematizar formas mais fáceis e efetivas para transmitir aos meus alunos e àqueles que assistem às minhas palestras, o que pode ser inovação tecnológica de maneira acessível. Aquilo que falarei a seguir é resultado destas minhas reflexões, pesquisas e aplicações sejam elas profissionais ou didáticas.
 

Neste princípio, vamos entender o sentido de ambas as palavras:

  • Inovação: é uma palavra latina que tem como tradução literal renovação, ou seja, alguma coisa que está muito além de criar ou inventar, e que atribui um novo sentido de prática visando a otimização;

 

  • Tecnologia: antes de falarmos sobre ela, é importante entender duas outras palavras: Filosofia e Ciência. Pois, enquanto - em linhas gerais - a Filosofia é o saber para saber, a Ciência é o saber para fazer e a Tecnologia é o fazer para dominar. Desta maneira, a releitura dos procedimentos vigentes, é utilizada para obter melhores resultados não só do produto final, mas, também, em relação ao custo/benefício. Para isto surge uma nova variável na equação, a criatividade e, por conseguinte toda a complexidade também associada ao termo.

 

O uso da expressão Inovação Tecnológica sempre vem associada a algum tipo de genialidade, algo que quebra paradigmas, onde alguém com uma ideia genial realizou aquilo que antes ninguém tinha pensado fazer, promovendo uma revolução, seja no âmbito restrito do seu espaço profissional ou de forma mais ampla em escala global. Com isto, em um curto espaço de tempo criou-se um novo modelo de salvador, um novo arquétipo de herói, alguém extremamente genial que poderá revolucionar muita coisa. Penso que este senso comum é muito perigoso e até mesmo sabotador, pois, aqueles que estão distantes dos processos muitas vezes, são levados a crer que os resultados apresentados surgiram de uma maneira quase que espontânea. Simplesmente devido a uma partícula de genialidade, brotou-se uma ideia, e pronto, a solução como um passe de mágica, apareceu. Porém, é importante refletir sempre, que tudo que tem um fim, obviamente também tem um começo e por mais redundante que isto pareça devemos ressaltar, pois os processos de criação e finalização sempre são ocultos e por estarem distante de nós, nos leva a pensar muitas vezes, no imediatismo em que as coisas possam ter chegado àquele resultado. Existe gráfico que explica as variáveis de perfis inovadores onde dois eixos se cruzam, um vertical (que vai de Trabalho até Diversão) e outro horizontal (que vai de Pensamento Racional até Pensamento Fantasioso). Estas variáveis se cruzam entre si gerando outras resultantes, por exemplo:

  •  Pensamento Racional + Diversão = Perfil Experimental - Ole Kirk Christiansen (Criador do Lego) 
     
  •  Diversão + Pensamento Fantasioso = Perfil Visionário - Walt Disney
     
  •  Pensamento Fantasioso + Trabalho = Perfil Inventivo - Steve Jobs 
     
  • Trabalho + Pensamento Racional = Perfil de Cálculo - Albert Einstein 


Tudo é uma questão de padrões, pois, por mais simples que possa ser este gráfico, ele serve de base para sistematizar perfis, tanto de realizadores como de suas realizações. Cada ser humano é único em sua essência, na sua formação, naquilo que sensibiliza e também em como pode ver de forma diferente a solução para problemas comuns. Uma maneira para explicar esta configuração baseia-se no binômio, cognição e expressão. Isto se aplica a nós mesmos, à nossa família, aos nossos alunos, aos nossos colaboradores, etc. Além do ponto final e do ponto inicial existe uma jornada. Este caminhar é muito rico e especial, pois aquilo que possa surgir, vem de um ímpeto de transformar e de agregar valor e com capacidade e potencialidade de transformação. O processo de criação tem muitas transformações ao longo do processo, a adaptação e superação dos percalços é uma das partes mais valiosas que fazem a ideia se materializar, e certamente o que for aprendido se refletirá em outros projetos em forma de experiência. Logo, a inovação é uma resultante de fatores como formação, perspectiva e até mesmo como nos colocamos frente ao nosso espaço. A técnica é muito importante, porém a necessidade de transformar e de inovar como está intrínseca ao ser humano às vezes é necessária que seja estimulada e respeitada.

 


  Francisco Tupy

Professor do Colégio Visconde de Porto Seguro de Tecnologia  Educacional e da   Oficina de Games. Formado em Geografia pela    FFLCH-USP, Mestre e Doutorando pela ECA-USP.

Atua em projetos na parte de Game Design e Gamificações.
Nas horas vagas pratica Jiu-Jitsu, anda de skate e coleciona quadrinhos
 

 

 


 

 

Você conhece o curso da Educopédia para Professores Transformação 3.0 ? Que tal conhecer?

Entre na Educopédia, Curso para Professores e busque o ícone Transformação 3.0 .

Assista aqui um vídeo da aula 1.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 15/04/2015

Como Fazer Planejamento Colaborativo - Utilizando a Nuvem Como Recurso

Tags: educopedia, nuvem.

 

 

Planejar com seus colegas de trabalho é sempre um desafio, por conta dos horários e atividades escolares. Um recurso que pode ajudar com esse problema é a nuvem. A nuvem permite que você crie um documento e o armazene online e que outras pessoas selecionadas por você possam editar o documento simultaneamente. Por exemplo, você pode criar um planejamento em um editor de texto e compartilhar com seu colega de turma, dessa forma tanto seu colega como você podem elaborar o texto de planejamento e ter acesso a contribuição do outro.


Os recursos de nuvem mais utilizados são: Google Drive e One Drive, basta ter uma conta no Gmail ou Outlook para ter acesso a ferramenta. Com a ferramenta é possível editar colaborativamente arquivos de editores de texto, planilhas e até apresentações.


Para saber mais, acesse a EducopédiaCursos para Professores -Transformação 3.0 -Aula 21.

 

 


 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share