A A A C
email
Retornando 39 resultados para a tag 'educopedia'

Sexta-feira, 15/12/2017

Educopédia e Rioeduca com acesso direto pelo e-mail institucional

Tags: e-mail, educopédia, rieoduca.

Novidade no e-mail Rioeduca: agora é possível acessar a Educopédia e o Rioeduca sem precisar sair do e-mail.

 

O e-mail institucional das escolas, professores, alunos e demais funcionários da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro agora tem uma novidade! Uma vez feito o login, poderá acessar a Plataforma Educopédia e o Portal Rioeduca por meio dele. 

No ladrilho do e-mail, é importante que todos fixem as ferramentas na página inicial. Veja abaixo um tutorial de como fazer esse processo que é bem simples.

 

Passo 1 - Acesse o seu e-mail Rioeduca. Caso tenha problemas com o login ou senha, entre em contato com o suporte nos números 0800-0316341 ou 4501-4018;

 

Passo 2 - Clique no ladrilho do e-mail que fica no canto superior esquerdo;

 

 

 

Passo 3 - Abaixo do ladrilho, você terá três opções: "Página Inicial", "Novo" e "Tudo". Clique em "Novo";

 

 

 

Passo 4 - Clique nos três pontos ou aperte o botão esquerdo do mouse e terá uma caixa com opções. Clique em "Fixar à página inicial".

 

 

Pronto! Toda vez que abrir o e-mail e clicar no ladrilho, a Educopédia e o Rioeduca estarão à sua disposição.

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 03/06/2016

A Importância dos Objetos de Aprendizagem para o Ensino da Geografia

Tags: educopédia, objetos de aprendizagem, tecnologia da educação.

 

 

 

 

 

 

 

A utilização de recursos digitais da plataforma Educopédia como tecnologia da educação. 

 

 

Como trabalhar conceitos e aprendizagens de uma disciplina que não se limita às quatro paredes de uma sala de aula? Ou como fazer associações, relações do mundo nas suas diversas escalas de espacialidade, do local para o global e vice-versa, se fundamentando somente em textos discutidos em sala de aula? E ainda, provocando uma argumentação, como fazer com que o Ensino da Geografia vá além de uma disciplina meramente descritiva ou de memorização de dados e conceitos? Reportando-nos ao que escreveu MORAES (1999) sobre a obra de Lacoste em relação à Geografia dos Professores: “Em primeiro lugar, mascarar a existência da “Geografia dos Estados-Maiores”, apresentando um saber inútil; assim, mascarar o valor estratégico de saber pensar o espaço, tornando-o desinteressante para a maioria das pessoas.”


A priori é fundamental a compreensão do que a Geografia significa enquanto “Ciência da Sociedade e da Natureza”. De acordo com PONTUSCHKA (2009), a Geografia “como ciência humana, pesquisa o espaço produzido pelas sociedades humanas, considerando-o como resultado do movimento de uma sociedade em suas contradições e nas relações estabelecidas entre os grupos sociais e a natureza em diversos tempos históricos.” Partindo dessa premissa, dissociar o Ensino da Geografia da relação homem-mundo a faz assumir um caráter sem qualquer relevância para a formação do educando em uma instituição educacional.


Uma questão que curiosamente podemos salientar é o caráter que a Geografia assume na Geopolítica de Geografia do “Poder”, sendo suas informações, dados e compreensão das relações no espaço sócio –econômico imprescindíveis para “fazer a guerra” em relação ao surgimento e uso das tecnologias, como diz KENSKI (2012): “desde o início dos tempos, o domínio de determinados tipos de tecnologias, assim como o domínio de certas informações, distinguem os seres humanos. Tecnologia é poder. ” O que esses saberes têm em comum, pode potencializar o processo de ensino-aprendizagem. Ainda como diz KENSKI (2012), “a educação também é um mecanismo poderoso de articulação das relações de poder, conhecimento e tecnologias. ”


E na atualidade, o meio digital proporciona essa possibilidade de trazer as discussões que perpassam por todos os níveis da sociedade, por todos os segmentos sociais (política, econômica, ambiental, etc), para dentro de uma sala de aula através de Objetos de Aprendizagem disponíveis como recursos digitais. De acordo com PONTUSCHKA (2009), “na era da globalização, em que as informações chegam de forma muito rápida por meio da televisão, do cinema, do rádio, do vídeo, do computador, o trabalho pedagógico do professor enriquecer-se-á se ele utilizar todos esses recursos para a produção de um conhecimento que ajude o aluno a compreender o mundo em que vive. ”


Um exemplo de utilização de Objetos de Aprendizagem como facilitador ou suporte para o processo de ensino-aprendizagem é a “Plataforma Virtual de Aulas Digitais da Educopédia”, onde todas as aulas de todas as disciplinas têm um repositório desses recursos digitais como vídeos, games, notícias, enfim, uma gama de recursos disponíveis como sugestões para o professor trabalhar com seus alunos não tão somente dentro da sala de aula, mas também como fonte de pesquisa e investigação para além do ambiente escolar. Mas é fato pontuar que esses chamados “Objetos de Aprendizagem” não têm um fim em si mesmos e não funcionam como passe de mágica. Cabe ao professor aproveitar ao máximo esses recursos, propondo discussões, atividades, trabalhos em grupos, análises, para que o mesmo objetive a otimização do ensino. Só a sua execução ou exibição não garantem o êxito de uma proposta pedagógica.


A seguir, um exemplo prático de utilização de um objeto de aprendizagem da Educopédia em uma aula de geografia:
 

Acesse 8ºano – Geografia

Aula nº 29: O Espaço Econômico Canadense e suas Relações com os EUA – atividade 21

 

Referências Bibliográficas:
MORAES, Antonio Carlos Robert. Geografia pequena história crítica. SP: Hucitec, 1999.
KENSKI, Vania Moreira. Educação e Tecnologias. O novo ritmo da informação.8ªed – Campinas, SP. Papirus, 2012.
PONTUSCHKA, Nídia Nacib. Para ensinar e aprender geografia/Nídia Nacib Pontuschka, Tomoko Lyda Paganelli, Núria Hanglei Cacete. - 3ªed.-SP: Cortez, 2009.

 


 

 

 

Juliana de Oliveira da Silva
Graduada em Geografia – Licenciatura - pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro – Faculdade de Formação de Professores
Professora de Geografia no Município do Rio de Janeiro.
Professora do Ensino Médio de Geografia e Sociologia no Estado do Rio de Janeiro.
Elemento da Equipe Educopédia/Rioeduca da SME/RJ.

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 02/06/2016

Jogos digitais off-line na Educopédia

Tags: jogos, games, educopédia, off-line, digital.

 

A gameficação na educação e a utilização de jogos digitais off-line da Educopédia.

 

A gameficação é um conceito utilizado pela primeira vez em 2010, contudo já praticado há um tempo maior, segundo o livro Gamificação na educação (2014), organizado por Luciane Maria Fadel, Vania Ribas Ulbricht, Claudia Regina Batista e Tarcísio Vanzin. O conceito é abrangente e não se trata apenas de jogos digitais, contudo esse é o mote deste breve artigo que pretende tratar dos games disponíveis de forma aberta (disponível para todos os usuários) na Plataforma Educopédia.

Considerando fatores diversos das escolas do país, todos os 30 (trinta) jogos podem ser baixados para utilização off-line, ou seja, ainda que a sala de aula ou sala de informática, ou mesmo sala de leitura, não possuam internet, os alunos são desafiados e levados à problematização e à resolução de desafios. Os pais e alunos também podem fazer o download em casa.

Em se tratando de século XXI, de um contexto onde os próprios alunos criam canais no Youtube, produzem e assistem vídeos tutorias de jogos, onde as pessoas estão cada vez mais conectadas em rede e ávidas pela vivência e teorias aplicadas, os games disponíveis na Educopédia podem ser fortes aliados do processo de ensino e aprendizagem.

 

Jogo: Caçando Raízes

 

Jogo: Caçando Raízes

 

Jogo: Por mares nunca antes navegados

 

A seguir o caminho com os 5 cliques necessários para baixar os jogos.

 

 

Veja a lista completa dos jogos digitais disponíveis para baixar e utilizar off-line.

 

 

                            

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 23/03/2016

Laboratório Virtual, para encantar

Tags: educopédia, laboratório, virtual.

 

 

 

 

O Laboratório Virtual da Educopédia é um recurso que possibilita diferentes abordagens. Você conhece?


Nesse aplicativo, o aluno pode ver esquemas de átomos animados e interagir com essas estruturas. Sei que nada substitui a experiência em sala de aula ou em um laboratório físico, mas essa ferramenta é interessante para trabalhar conceitos que são muito abstratos para o aluno. A ideia é estimular a compreensão de conceitos, como o comportamento de átomos nos estados físicos da matéria, de forma bem lúdica.


Para usar você deve:


1- Entre na Educopédia ou como visitante ou com o seu login/ senha.

 

2- Escolha a pasta do 9º ano.
 

3- Escolha a pasta do Laboratório Virtual.
 

 

4- Aparecerão aulas, clique a que você quer.


Observe que apesar de estar na pasta 9º ano, esse recurso pode ser usado em vários anos de escolaridade, incluindo 4º ano.

Vou focar na aula de Estados Físicos da Matéria, porque usei essa aula de diferentes formas. No 6º ano, quando falamos de mudança de estado físico da água, este recurso é bem interessante. Acho que essa aula é tão interessante para o 6º ano quanto para o 9º ano.

Vejamos como podemos explorar essa aula.

1- Em uma primeira tela, temos uma pergunta desafio. Essa pergunta será respondida conforme usamos a plataforma.


Outros recursos disponíveis nesta plataforma, não só nesta aula , são um lápis e uma janela para escrever textos ( veja a letra T). Com isso, sua aula pode ficar bem mais interativa. Você e seus alunos podem escrever e desenhar na tela, indicado os pontos mais importantes.
 

 

2- Conforme você vai andando com a seta para a direita, pode-se ter outras telas com mais interação e animações.

3-  Em algumas telas, podemos usar o recurso de uma lupa. Ao clicarmos na lupa e arrastarmos para qualquer objeto, podemos ver o comportamento das moléculas em cada estado físico da matéria. Sei que mesmo com um poderoso microscópio, é impossível observar um átomo ou moléculas. Mas essa é uma aproximação e a lupa representa o aumento da estrutura da matéria.

4- Essa é uma ferramenta com diversos recursos, onde podemos utilizar mais de um recurso ao mesmo tempo, como a lupa e a escrita de textos.

No 6º ano, com a ajuda do Laboratório Virtual, vamos pavimentando habilidades importantes que serão trabalhadas no 9º ano. Nada como usar recursos que encantam os alunos e ensinam ao mesmo tempo.

5- Além disso, vemos experimentos que são um pouco mais difíceis de serem reproduzidos em sala , embora possamos fazer, mesclando com outros recursos, como fazer um gráfico. Tudo animado.
 

Observe a variedade de possibilidades e quão rica poderá ficar a sua aula, aproximando o aluno da parte experimental das Ciências. Embora, essa ferramenta não substitua um experimento, ela pode garantir uma dinâmica diferente em sala de aula.
 

Veja o vídeo abaixo:

 

 

 

 

                               

 

 
 
 
 

 

 

 


   
           



Yammer Share