A A A C
email
Retornando 62 resultados para a tag 'leitura'

Sexta-feira, 03/04/2015

Três Historias na França, Rio 450 Anos

Tags: 5cre, leitura, leitores.

 

 

A Escola Municipal 05.15.038 França participou do Projeto Redação Rio 450 Anos, do Jornal Folha Dirigida em parceria com o Ministério da Cultura, através da Fundação Biblioteca Nacional. Três alunas foram destaques e, como prêmio, um tablet, incentivo para escrever cada vez mais.

 

Em parceria com o Ministério da Cultura e através da Fundação Biblioteca Nacional, o Jornal Folha Dirigida criou o Projeto Redação que objetiva um incentivo à criação literária entre estudantes de escolas públicas e particulares no Estado do Rio de Janeiro.

Com o projeto, os alunos têm a oportunidade de expressar suas ideias que, mais tarde, farão parte de dois livros: um com o nome da escola e 50 redações de seus alunos. E outro com as três melhores redações de cada uma das instituições participantes.

A Escola Municipal França, localizada no bairro de Piedade, teve três alunas premiadas com um tablet no Projeto Redação Rio 450 Anos, da Folha Dirigida.

São elas: Evellyn Mota Pereira, Daniella Baptista de Oliveira e Rayssa Gonçalves que aceitaram ser entrevistadas e vão nos contar tudo sobre o concurso e a premiação.

 

Aluna Evellyn Mota Pereira

 

RIOEDUCA: De onde veio o estímulo para você se tornar uma grande leitora e escritora?

Evellyn Pereira: Meus pais sempre me estimularam a ler, desde que eu era muito pequena. Compravam livros infantis e gibis para que eu lesse e me aconselhavam a ler bastante se quisesse ouvir e falar bem. Acho que é por isso que falo tanto e gosto muito mais de escrever do que ler. Adoro conversar!

 

RIOEDUCA: Qual tipo de leitura você mais gosta?

Evellyn Pereira: O tipo de leitura que eu mais gosto são os romances infantis porque eles contam histórias de jovens adolescentes. Também gosto de crônicas e alguns tipos de contos.

 

RIOEDUCA: Qual o livro que você mais gostou de ler e o que você aproveitou para sua vida?

Evellyn Pereira: O livro que mais gostei de ler chama-se “Meninos Não Entram”, de Michelle M. Adams. Este livro dá boas dicas de como as meninas devem se comportar para se relacionarem bem com os meninos.

 

RIOEDUCA: Por que você acha que ganhou o Prêmio da Folha Dirigida?

Evellyn Pereira: Acredito que ganhei o Prêmio da Folha Dirigida porque me considero boa escritora, pois tenho apoio dos meus pais e fui muito bem orientada pelos meus professores. Além disso, amo a minha cidade, o Rio de Janeiro, porque dá pra contar muitas histórias e escrever bastante sobre ele.

 

RIOEDUCA: O que você sentiu ao saber que foi uma das premiadas?

Evellyn Pereira: Senti um grande orgulho em ter ganhado o prêmio. Minha mãe até chorou de emoção quando lhe contei pelo telefone.


 

Aluna Daniella Baptista de Oliveira

 

RIOEDUCA: De onde veio o estímulo para você se tornar uma grande leitora e escritora?

Daniella Oliveira: Minhas tias e minha mãe foram as pessoas que mais estimularam a leitura na minha vida. A professora Lourdes Loureiro também me incentivava bastante e lia muitas histórias pra minha turma. Lembro-me das visitas que sempre fazíamos à Sala de Leitura.

 

RIOEDUCA: Qual tipo de leitura você mais gosta?

Daniella Oliveira: Gosto muito de ler livros sobre Mitologia, mistérios e aventuras. Harry Potter e suas histórias me encantam bastante.

 

RIOEDUCA: Qual o livro que você mais gostou de ler e o que você aproveitou para sua vida?

Daniella Oliveira: O livro que eu mais gostei foi “A hospedeira” e “Teorema de Katherine”, escrito por John Green. São leituras envolventes e despertam em nós o desejo de ler e ansiedade por terminar cada história.

 

RIOEDUCA: Por que você acha que ganhou o Prêmio da Folha Dirigida?

Daniella Oliveira: Creio que ganhei o prêmio da Folha Dirigida pelo fato de ter lido bastante, ter sido bem orientada pela Professora da Sala de Leitura e pelo simples fato de gostar muito da Cidade onde moro. A premiação foi uma motivação a mais para que eu continue a escrever.

 

RIOEDUCA: O que você sentiu ao saber que foi uma das premiadas?

Daniella Oliveira: Sinto-me feliz em ter participado da coletânea de textos sobre o Rio de Janeiro, no ano da comemoração dos seus quatrocentos e cinquenta anos. Valeu a pena ter participado e sinto-me orgulhosa em saber que posso continuar tentando escrever melhor e buscando vencer sempre as barreiras que aparecerem diante de mim.
 

 

Aluna Rayssa Gonçalves

 


RIOEDUCA: De onde veio o estímulo para você se tornar uma grande leitora e escritora?

Rayssa Gonçalves: Minha mãe foi a maior incentivadora da leitura, juntamente com meu pai. Antes de dormirmos meus pais iam ao quarto onde minha irmã gêmea e eu aguardávamos ansiosamente o momento em que eles chegavam felizes, trazendo sempre um livro nas mãos para lerem para nós. Eram lindas histórias de fadas, princesas, Branca de Neve e muitas outras. Minha professora também lia e contava lindas histórias que eu adorava ouvir.

 

RIOEDUCA: Qual tipo de leitura você mais gosta?

Rayssa Gonçalves: Gosto muito de ler romances e histórias de terror.

 

RIOEDUCA: Qual o livro que você mais gostou de ler e o que você aproveitou para sua vida?

Rayssa Gonçalves: O livro que mais gostei de ler foi “A Ternura”, de Pedro Bandeira, pois me identifiquei muito com a história.

 

RIOEDUCA: Por que você acha que ganhou o Prêmio da Folha Dirigida?

Rayssa Gonçalves: Creio que ganhei o Prêmio porque sempre tive vontade de participar de um concurso, tenho muito amor pelo Rio de Janeiro e gostaria de contribuir de alguma maneira para melhorar a minha cidade.

 

RIOEDUCA: O que você sentiu ao saber que foi uma das premiadas?

Rayssa Gonçalves: Senti-me imensamente gratificada e muito feliz por ter ganhado um tablet e não esperava ganhar, porque foi a primeira vez que escrevi para concurso. Meus pais também ficaram muito felizes, é claro!

 

 

Alunas e professoras na entrega da premiação junto à Secretária Municipal de Educação, professora Helena Bomeny.

 

Agradeço a presteza da professora Ruth Macedo, regente da Sala de Leitura da Escola Municipal França, no envio das entrevistas, assim como agradeço a direção da escola, professora Marilia Leal.
 

Regina Bizarro é a professora Representante do Rioeduca/5ªCRE.

Contatos: reginabizarro@rioeduca.net

Facebook: https://www.facebook.com/rebiza

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 23/03/2015

Somos Apaixonados por Leitura!

Tags: 6ªcre, leitura, .

 

 

 

Os Apaixonados por Leitura do Ciep Glauber Rocha estão de volta! Os alunos estavam muito animados e capricharam na produção: grupos de contação de histórias se espalharam pela escola e fizeram o maior sucesso!

 

Contar histórias para crianças é poder sorrir, rir, gargalhar com as situações vividas pelas personagens, é provocar a imaginação, é encontrar ideias para solucionar questões. É uma possibilidade de descobrir o mundo imenso de conflitos. É ouvindo histórias que se pode sentir emoções importantes como tristeza, pavor, insegurança e tantas outras.

O Ciep Glauber Rocha encontrou no projeto Apaixonados por Leitura, uma forma exemplar de estimular a aprendizagem. Os alunos do 6º Ano Experimental realizam, semanalmente, a contação de histórias para os alunos da Educação Infantil e do 1º ano.

Os próprios alunos cuidam das roupas e maquiagem que irão utilizar na hora da história. Cada contador criou um personagem, que tem características próprias e destacam alguma qualidade ou traço de sua personalidade, e este é utilizado todas as vezes em que houver a contação.

 

As alunas do 6º Ano Experimental criam personagens para realizar a contação de histórias

 

Além de se vestir de forma encantadora, utilizam sussurros, tocam música, fazem caras e bocas e deixam o corpo expor os movimentos narrados. Os pequeninos ficam encantados com as apresentações!

Ela vem proporcionando prazer tanto para quem escuta, quanto para quem conta. Além disso, muitos talentos estão sendo revelados. É um momento de entrega, de descanso, de compartilhamento de experiências e emoções.

As histórias são escolhidas com todo cuidado: falam de amores, aventura, humor, colocam desafios, mostram superação, ensinam valores. Tudo isso, para ajudar na aprendizagem das crianças e na construção do seu caráter.

 

Os alunos ficam encantados com a apresentação das contadoras de histórias

 

O projeto Apaixonados por Leitura vem enriquecendo os alunos contadores e os ouvintes e trazendo vários benefícios para a aprendizagem das crianças: o desenvolvimento da linguagem oral e escrita, o gosto literário, o interesse pela leitura, a ampliação do vocabulário e a atenção.

Parabéns a toda equipe do Ciep Glauber Rocha por desenvolver um projeto de tamanha importância para o desenvolvimento de seus alunos. As histórias são fontes maravilhosas de experiências. São meios de ampliar o horizonte da criança e aumentar seu conhecimento em relação ao mundo que o cerca.

 

O projeto Apaixonados por Leitura será implementado nas outras turmas do Ciep Glauber Rocha

 

Você também tem uma atividade interessante sendo realizada com os alunos de sua escola? Que tal divulgá-la no Portal Rioeduca? Entre em contato com o representante de sua Cre! Será um prazer ter você por aqui!

 

 

Prof.ª Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6ª CRE
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 13/03/2015

Escrevendo em Linhas Tortas

Tags: 5ªcre, eventos, leitura.

 

 

A Professora Sandra Lucia e alunos da turma 1501, Escola Municipal 05.15.009 Velinda Maurício da Fonseca, produziram um livro intitulado Escrevendo em Linhas Tortas.


“Quando começamos a ler uma narrativa ou um poema corremos o risco de nos tornar diferentes do que éramos”

(Antoine Compagnom).


Sim. A literatura pode fazer grandes modificações, pois ela trata do que é coletivo, mesmo quando mostra o pensamento de um só poeta – a nossa humanidade e a nossa desumanidade, diz a Professora Sandra Lucia S. Farias.


Na tarde de 01 de dezembro de 2014 realizou-se a manhã de autógrafos do livro Escrevendo em Linhas Tortas, produzido pela turma 1501 da Professora Sandra Lucia, Escola Municipal 05.15.009 Velinda Maurício da Fonseca.

 

Alunos autores autografando os livros.

 


Projeto Escrevendo em Linhas Tortas


O Projeto “Escrevendo em Linhas Tortas” foi desenvolvido pela Prof.ª Sandra Lucia Farias, durante o reforço escolar.

A primeira etapa se deu com a leitura e muitas releituras do poema “Pardalzinho”, de Manoel Bandeira. Depois, os alunos passearam pela apresentação do poema “Linhas Tortas”, de Graciliano Ramos, dando continuidade às reflexões com o clipe do Gabriel Pensador “Linhas Tortas”. Após, assistiram o filme “Escritores da Liberdade”, passando a produção textual.

Com a produção textual preparada, correções, escolha da ilustração da capa aconteceram e, finalmente, gráfica!

Assim nasceu o nosso primeiro livro “Escrevendo em Linhas Tortas”, diz a professora Sandra.

Livro “Escrevendo em Linhas Tortas”.

A manhã de autógrafos do Livro “Escrevendo em Linhas Tortas” teve o objetivo de apresentar um resumo do trabalho desenvolvido pela professora e alunos, além de valorizar o prazer de ler e escrever. Esta manhã contou com a presença dos responsáveis, professores e convidados

Assistimos ao clipe do Gabriel Pensador “Linhas Tortas”, depois uma aluna leu o poema “Linhas Tortas”, de Graciliano Ramos, seguido de um slide que mostrava o trabalho das lavadeiras de Alagoas. A Prof.ª Sandra explicou também a importância do poema para o entendimento da produção textual.

E continua, o poema base “Pardalzinho”, de Manoel Bandeira, foi lido por outra aluna e foi explicado como os alunos desenvolveram seus textos. A direção falou sobre a iniciativa e parabenizou a todos os autores. No final da cerimônia foi realizada a leitura do primeiro texto do livro, uma autobiografia da aluna Talita. Em seguida, cada aluno junto com o seu responsável, foi chamado para receber seu livro. Fechamos a manhã com os autógrafos e o coquetel de lançamento. Durante esse momento os visitantes podiam ler diferentes textos na “árvore literária”. Foi uma cerimônia muito marcante, pois em vários momentos os pais e os alunos se emocionaram, finaliza a professora Sandra Lucia.

 

Professores, alunos e responsaveis.

 


Objetivos e Desenvolvimento do Projeto Escrevendo em Linhas Tortas


1º Conceito: a importância da Literatura


Apesar da Literatura ainda ser considerada de “elite” e somado a isso, passamos anos em que a metodologia usada para ensinar literatura não aproximava a maioria dos alunos, pois para muitos literatura se tornou, apenas, nomes de autores e suas escolas literárias, com suas devidas datas. No entanto, sabemos que o conteúdo literário e o que carrega a alma da Literatura.


O professor francês Antoine Compagnom apresenta uma ideia simples, porém crucial que nos estimula a trabalhar textos literários em qualquer segmento escolar “Quando começamos a ler uma narrativa ou um poema corremos o risco de nos tornar diferentes do que éramos”. Sim. A Literatura pode fazer grandes modificações, pois ela trata do que é coletivo, mesmo quando mostra o pensamento de um só poeta – a nossa humanidade e a nossa desumanidade.


2º Conceito: narração


Desde os tempos mais remotos o homem deixou suas histórias relatadas de algum modo: quer nas cavernas através de desenhos, quer na oralidade, quer na escrita, quer através dos meios tecnológicos, ou seja, o processo de narração é intrínseco ao ser humano.
O narrar não é desprovido de subjetividade, mesmo quando a narrativa diz respeito a um fato real (elementos da narrativa), pois toda história, tanto real como ficcional, perpassa pelo mundo interior do narrador e de lá sai com características próprias, impregnada de emoções e vivências individuais, com isso, cada um de nós nos tornamos autores, pois as nossas histórias carregam o nosso jeito, o nosso olhar, o nosso cheiro... A nossa alma.

Objetivo do Projeto: Fazer o aluno entender o texto literário como um texto plurissignificativo e levá-lo a uma produção textual significativa calcada nas suas vivências e no seu olhar sobre o mundo.

Justificativa do Projeto: O Projeto Escrevendo em Linhas Tortas nasceu da necessidade de explorar o processo de produção textual de forma diferenciada, não evidenciando em primeiro plano a construção gramatical e sintática, porém buscou-se a construção de um texto humanizador, impregnado de emoções e vivências individuais, com isso, tornando nossos alunos, autores, pois as nossas histórias carregam o nosso jeito, o nosso olhar, o nosso cheiro... A nossa alma.

Desenvolvimento do projeto dentro de sala de aula: Apresentação do poema O Pardalzinho (Manoel Bandeira)


Pardalzinho

O pardalzinho nasceu
Livre. Quebraram-lhe a asa.
Sacha lhe deu uma casa,
Água, comida e carinhos.
Foram cuidados em vão:
A casa era uma prisão,
O pardalzinho morreu.
O corpo Sacha enterrou
No jardim; a alma, essa voou
Para o céu dos passarinhos!

 

 

Objetivos: identificar os elementos da narração – transformar o poema em um texto narrativo / reconhecer o poema como um texto plurissignificativo.

Desenvolvimento: através de debates, levar o aluno a perceber as várias temáticas abordadas pelo texto, como: simplicidade cotidiana, maldade, bondade, amor, justiça, liberdade, transcendência, etc.

Exposição das etapas do texto narrativo.

Objetivo: conhecer a estrutura do texto narrativo: fato, tempo, lugar, personagens, causa, modo, consequência.

 

Apresentação do poema Linhas Tortas (Graciliano Ramos)

“Deve-se escrever da mesma maneira com que as lavadeiras lá de Alagoas fazem em seu ofício. Elas começam com uma primeira lavada, molham a roupa suja na beira da lagoa ou do riacho, torcem o pano, molham-no novamente, voltam a torcer. Colocam o anil, ensaboam e torcem uma, duas vezes. Depois enxáguam, dão mais uma molhada, agora jogando água com a mão. Batem o pano na laje ou na pedra limpa, e dão mais uma torcida e mais outra, torcem até não pingar do pano uma só gota. Somente depois de feito tudo isso é que elas dependuram a roupa lavada na corda ou no varal, para secar. Pois quem se mete a escrever devia fazer a mesma coisa. A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra foi feita para dizer.”


Objetivo: mostrar de forma simbólica as etapas de construção (escrever e reescrever) um texto.

 

Apresentação do slide As lavadeiras de Alagoas

Objetivo: fazer uma relação concreta entre a produção de texto e o trabalho das lavadeiras (conforme o poema Linhas Tortas).

 

Apresentação do clip Linhas Tortas - letra e música Gabriel o Pensador.

Objetivo: Levar o aluno, através da música, da letra e da imagem, a ver a criação textual como uma forma de interação social e assim motivá-lo a uma produção significativa e não mecânica.

 

Apresentação do filme Escritores da Liberdade

Objetivo: motivar / conscientizar sobre a importância social e histórica da escrita.

 

Exposição de recursos para a produção textual.

Objetivo: oferecer recursos linguísticos para a elaboração de textos.


Conectivos e recursos estilísticos.

Produção de textos

Objetivo: fazer com que o aluno produza um texto livre, através do seu olhar e transformação do texto base / utilizar os recursos estudados.

 

Revisão coletiva dos textos

Objetivo: levar os alunos a uma maior perceptividade na hora da correção.

Desenvolvimento: apresentar todos os textos produzidos pela turma no data show e corrigi-los.

 

• Produção do livro – Escrevendo em Linhas Tortas
Digitação e montagem do livro


• Manhã de autógrafos
Lançamento do livro com a participação dos autores e suas famílias.

 

Na primeira foto a diretora, professora Rosamar, parabenizando os alunos_autores e nas outras fotos demais professores, alunos e responsaveis.

 

Professores, alunos e responsaveis

 

Queria acrescentar que esse livro nasceu das redações produzidas pelos alunos do 5º ano, após ter sido trabalhado um poema. Para mim foi uma experiência marcante e desafiadora, pois sou prof. de Literatura e Prod. Textual no Estado e levar essa prática para o 1º segmento com esse retorno foi incrível! 

Sandra Lucia S. Farias

 

Agradeço o relato enviado pela professora Sandra Lucia S. Farias e parabenizamos a professora e aos alunos da turma 1501 por este belíssimo trabalho autoral.


Parabenizamos também a diretora Rosamar Lacerda de Carvalho pelo apoio a este projeto.

 

Matéria criada e postada por Regina Bizarrro

Professora representante da 5ª CRE/Rioeduca.

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 28/10/2014

Maratona de Histórias na E. M. Conjunto Praia da Bandeira

Tags: 11ªcre, leitura, maratona.

 

 

No dia 13 de outubro aconteceu a Maratona de Histórias na Escola Municipal Conjunto Praia da Bandeira, localizada na Ilha do Governador. O evento acontece anualmente em comemoração ao Dia Nacional da Leitura. Confira!

 

A Maratona de Histórias começou com a criação de cartazes pelos alunos. Eles utilizaram diversos materiais para a confecção.

 

Confeccção de murais pelos alunos para divulgar a Maratona de Histórias.

 

A escola, com turmas desde o educação infantil ao 9º ano, comemorou contando com a participação de todos os professores e alunos.

 

A turma 8.801 (Projeto), da professora Rosane, utilizou o livro: "O sertão do Conselheiro Antônio" e confeccionaram um painel sobre o ambiente onde se passava a história, no qual puderam utilizar diferentes materiais e técnicas na produção dos trabalhos, tais como: desenho, pintura e colagem. 

 

 

Turma 8.801 criando um painel sobre o ambiente da história.

 

No dia da Maratona, cada professor participou escolhendo um cantinho acolhedor para a realização da atividade. 

 

Apaixonada por Literatura, a professora Rosane narrou para a turma 1602 o conto "De torre em torre", de Mariana Colasanti. A leitura foi realizada em um pátio interno da unidade escolar e os alunos ficaram bem atentos durante a contação.


Na parte da tarde, a professora contou para a turma de projeto a história "O sertão do conselheiro Antônio", de Luciana Savaget. A leitura pôde ser acompanhada por cada aluno em um livro individual.

 

 

Roda de Leitura com a professora Rosane. Turmas 8.801 e 1.602.

 

A professora Andrea, da turma 1201, contou a história "Para que serve um livro?", de Chloé Legeay. É uma narrativa bastante apropriada para a ocasião, pois trata da importância do livro e da leitura.

 

 

 

A professora Sylvia, do projeto Acelera, escolheu dois livros para a narração: "Quando Pedro tinha nove anos", de Mariana Massarini, e "Carlinhos precisa de uma capa", de Tomie de Paola.

Os alunos se organizaram em roda e prestaram bastante atenção na hora da leitura!

 

 

 

A professora Sueli preferiu a quadra da escola para realizar a contação de histórias para a turma 1.501.

 

 

 

A professora Ana Cristina contou a história "O mundinho", de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen para as suas turmas de educação infantil, na parte da manhã e de tarde para o 1º ano.

 

 

Alunos contadores de Histórias

A aluna Gláucia, da turma 1802, contou a história "A viagem de Filomena", de Vera Granado, para a turma da educação infantil. E a aluna Larissa, também do oitavo ano, contou a história do livro "Palmas e vaias", de Sonia Rosa, para a turma do segundo ano.

 

 

 

 

VISITE O BLOG DA E. M. CONJUNTO PRAIA DA BANDEIRA - 11ª CRE

 

 

Parabéns a toda a equipe da E. M. Conjunto Praia da Bandeira por comemorar o Dia Nacional da Leitura! Prazer aliado ao ato de ler, narrar e contar histórias! 

 

Laura Fantti Davilla Serpa

Representante Rioeduca da 11ª CRE

Facebook: http://www.facebook.com/laura.fanttidavilla

                                 Twitter: https://twitter.com/laurafanttini                                   

WhatsApp: 96852-3714

E-mail: lauradavilla@rioeduca.net

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share