A A A C
email
Retornando 69 resultados para a tag 'leitura'

Quinta-feira, 04/10/2018

Pequeno Leitor na Creche Municipal Maria Altamira

Tags: 4ªcre, leitura, prazer.

 

Pequeno Leitor na Creche Municipal Maria Altamira


“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer” (Carlos Drummond de Andrade)

 

 

 

O Projeto Pequeno Leitor teve início no dia 8 de agosto de 2018, todos os responsáveis foram convidados a participar da abertura do evento, que ocorreu no pátio da Creche Municipal Maria Altamira Chaves Olegário.

 

"Acreditamos que a presença da família é de suma importância, pois o ato de ler torna-se mais agradável com a participação de todos." Membros da equipe da Creche Municipal Maria Altamira Chaves Olegário
 

 

 

 

 

O projeto tem como objetivo: estimular o hábito da leitura; possibilitar que os responsáveis tenham acesso aos livros do acervo e despertar o prazer pela leitura.

 

No dia da culminância do projeto, foram proporcionados momentos de deleite literário, onde cada turma ficou responsável por suas atividades e rodas de conversas. Além disso, foram disponibilizados diversos gêneros textuais, a fim de que as crianças e seus responsáveis imaginassem e criassem a partir das histórias.


No decorrer do projeto, a equipe da Unidade Escolar conversou com os familiares, explicando que todas as sextas-feiras, cinco crianças de cada turma levariam para casa uma sacolinha feita de tecido contendo um livro, um caderno de registro e um cartão informando sobre o projeto e os cuidados necessários com o material.

 

 


 

 

Os livros foram escolhidos pelo professor de cada turma, de acordo com a faixa etária. Eles eram compartilhados entre a criança e seus familiares, e logo após a leitura, a família deveria utilizar o caderno de registro para desenhar o que entendeu da história.

 

"Acreditamos que a leitura traz infinitas possibilidades e por isso, incentivamos e proporcionamos diversos momentos para que nossas crianças, desde o berçário, tenham acesso a diversos estilos literários." Equipe da Creche Municipal Maria Altamira Chaves Olegário"

 

 

 

 

Parabéns pelo excelente trabalho!

 

Quer saber mais sobre?


Unidade Escolar: Creche Municipal Maria Altamira C. Olegário 
Diretor: Alessandra de Souza Dassie
Endereço: Rua Vicente Caneco 200
Bairro: Braz de Pína
Telefone: 3457-0560
E-mail: cmmolegario@rioeduca.net

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 28/09/2018

Ziraldo, o Eterno Menino Maluquinho!

Tags: 8ªcre, sala de leitura.

O cartunista e escritor Ziraldo foi homenageado pela Escola Municipal Engenheiro João Thomé. A Mostra Cultural que apresentou os clássicos de sua obra, envolveu toda a comunidade escolar pela alegria, irreverência e criatividade de seus personagens.

 

 

 

 

Visando divulgar e aproximar a comunidade escolar da cultura e Literatura Brasileira, anualmente a Sala de Leitura Cecília Meireles, da Escola Municipal Engenheiro João Thomé, organiza sua Mostra Cultural.

O evento apresenta os trabalhos criados pelos alunos ao longo do ano. São as mais diversas formas de manifestações artísticas, como música, pintura, cartazes, dança e teatro, que são um convite para os presentes se aventurarem no mundo da literatura.

Em 2017, em virtude de seu 85º aniversário, a 3ª Mostra Cultural da Escola Municipal Engenheiro João Thomé homenageou o grande artista e escritor, Ziraldo Alves Pinto, o autor do fenômeno "O Menino Maluquinho"! O autor não pode estar presente no evento, mas enviou uma mensagem para a escola.

 

Confira no vídeo abaixo:

 

 

 

 

Professoras Creuza Torres e  Silene Steenhagen no desfile da Unidos da Engenheiro

 

 

A Mostra Cultural na E.M. Engenheiro João Thomé foi intitulada “Arte e Peraltices nos Jardins de Cecília: vem aí Ziraldo, o eterno Menino Maluquinho!”

No primeiro momento, foi realizado um desfile carnavalesco onde a Unidos da Engenheiro contou com a participação e colaboração de toda comunidade escolar e local.

Embalados pelo som da bateria da escola de samba mirim, Estrelinha da Mocidade, que apresenta em sua composição alguns alunos e ex-alunos da escola, a Unidos da Engenheiro desfilou pelas ruas próximas à escola, irradiando animação e beleza!

 

 

Desfile dos alunos pelo entorno da E.M. Eng. João Thomé

 

 

"O samba enredo intitulado “Ziraldo: brasileiro, orgulho mineiro!”, composto exclusivamente para este grande evento, foi um presente do amigo, compositor e intérprete Fernando Muniz, que nos deu ainda a honra de sua presença nos dois momentos da mostra e conduziu nosso desfile com sua voz marcante e envolvente!"

Professora Ruth Nóbrega - Regente da Sala de Leitura na E.M. Eng. João Thomé

 

 

 

 

A Unidos da Engenheiro foi dividida em comissão de frente e cinco alas. A comissão de frente, composta pelos alunos do Projeto Acelera e suas professoras, apresentou um grande bolo em homenagem aos 85 anos de Ziraldo, a Professora Maluquinha e o Menino Maluquinho!

A primeira ala, também composta por alunos do Projeto Acelera, intitulada Ziraldo vem aí, abria caminho para outras que convidavam todos a conhecerem e passearem por algumas das principais publicações de Ziraldo, como A Turma do Menino Maluquinho, Flicts, Queremos Paz e O ABZ de Ziraldo.

A segunda ala, composta pelos alunos do 6º ano representava a Turma do Maluquinho e trazia, entre os adereços, a indispensável panela na cabeça. Irreverência e alegria foram as marcas dessa Turminha que foi conduzida pela querida personagem: SuperMãe.

A terceira ala, com o 7º ano mostrou Flicts - O livro das Cores; a quarta ala, com o 8º ano, Rio: Queremos Paz, e a quinta e última ala com Ziraldo de A a Z.

 

 

Compositor e intérprete Fernando Muniz palestrando aos alunos 

 

 

O segundo momento da Mostra Cultural foi realizado no auditório da escola. A escritora e ilustradora Pris Mageste prestigiou o evento com um descontraído bate papo, onde contou um pouco sobre a influência de Ziraldo. na sua escolha profissional e no seu estilo de desenhar.

A Medalha da Inventividade foi oferecida pela Sala de Leitura da E.M. Engenheiro João Thomé aos alunos que se  apresentaram no palco do auditório, participaram do Concurso Retratos de Ziraldo e se destacaram nas atividades do projeto.

Mais uma vez Fernando Muniz, autor do samba "Ziraldo: brasileiro, orgulho mineiro", abrilhantou o encerramento com muito samba e alegria!

 

 

Alunos apresentando o Jogral em homenagem a Ziraldo

 

 

O Rioeduca parabeniza a professora Ruth Nóbrega e toda a Escola Municipal Engenheiro João Thomé pela realização da Mostra Cultural em homenagem ao querido cartunista e escritor Ziraldo!

 

 

 

 

 

Para acompanhar as ações da escola, clique abaixo e acesse:

 

Sala de Leitura /E.M. João Thomé

 

Jornal Escolar Eng. João Thomé

 

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: Escola Municipal Engenheiro João Thomé

Diretor: Simpson De Brito Melo Baumann

Diretora Adjunta: Jane dos Reis teixeira

Telefone: 3468-8699

E-mail: emthome@rioeduca.net

 

 

 

Envie sua participação para o Rioeduca!

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 17/09/2018

Projeto: Somos Todos Amigos do Lobo

Tags: 6.ª cre, leitura, 6ªcre.

 

O projeto “Somos Todos Amigos do Lobo” foi desenvolvido no EDI Wesley Guilber Rodrigues de Andrade, pelos alunos do maternal II, turma EI-31, no primeiro semestre do ano de 2018. A professora Mariana Ferreira desenvolveu as atividades com a ajuda das Agentes de Educação Infantil, Dionice Brito e Cláudia Oliveira.

 

Vamos acompanhar o trabalho desenvolvido com os pequenos?

 

Turma EI-31 a festa de encerramento do projeto

 

No início do ano letivo, logo na segunda semana de acolhimento da turma EI-31, durante a roda de leitura, as educadoras disponibilizaram diversos livros na rodinha. A aluna Ana Clara escolheu um livro “Chapeuzinho Vermelho” para a professora ler. Após a realização da leitura, elas perceberam que algumas crianças demonstraram bastante medo e, em alguns casos, até choro, quando falavam do lobo da história.

 

Em todos os momentos o personagem “lobo” era citado pelas crianças, envolvendo diversos sentimentos como medo, curiosidade e encanto. Como o assunto se tornou recorrente, as professoras desenvolveram o projeto “Somos Todos Amigos do Lobo” com o objetivo de desmistificar o papel de vilão que o lobo tem na maioria das histórias. Fizeram pesquisas e, através delas, puderam perceber que o lobo aparece em diversas histórias e com funções diferentes em cada uma delas. Ao longo do projeto, propuseram várias atividades envolvendo o personagem para as crianças e as famílias, possibilitando que pudessem conhecer e explorar as maneiras que o lobo é retratado nos contos.

 

 

Caça ao lobo

 

 

Corrida de circuito e construção da salada de frutas

 

 

Inicialmente foi feita uma dramatização da história Chapeuzinho Vermelho. Em seguida, as educadoras promoveram uma brincadeira de caça ao lobo no espaço externo do EDI. A corrida de circuito foi usada para conscientizar as crianças sobre a importância de uma boa alimentação. Nela, cada criança teve que levar uma fruta até a cesta da vovó que estava doente. Os alunos construíram também um livro de receitas, de onde tiraram e fizeram a salada de frutas da vovó. Na roda de conversa usando o livro “Lobo-guará”, as professoras e os alunos conversaram sobre o habitat do lobo, sua alimentação e seus hábitos.

 

 

“Em uma manhã, após o horário do desjejum, fomos para o parquinho, que é de costume em nossa rotina. Quando chegamos à sala, percebemos que ela estava toda desorganizada. O lobo havia passado pelo EDI e, como não nos encontrou, deixou uma carta para a nossa turma. Após a leitura da carta, construímos um texto coletivo, sobre a visita do lobo.” relatou, entusiasmada, a professora Mariana

 

 

Atividade a partir do livro O Lobo-guará

 

 

Carta deixada pelo lobo e construção de texto coletiva

 

 

Escrita de cartas para o lobo

 

A professora e as agentes de educação infantil contaram que, em determinado momento, perceberam que as crianças estavam ansiosas para falar com o lobo e saber coisas da sua vida na floresta. Então elas propuseram que as crianças, junto com seus familiares, construíssem cartas, para enviar para a casa do seu lobo. Dessa forma, além de possibilitar a comunicação de interesse das crianças, puderam explorar mais de um gênero textual, envolvendo assim o PPA da nossa unidade. As cartas foram colocadas em uma caixa de correio que as educadoras construíram. O carteiro do bairro abraçou esta tarefa, recolheu as cartas na creche e firmou o compromisso de entregá-las na casa do lobo. Neste momento, foi lido o livro “O carteiro chegou”.

 

“Então, resolvemos falar sobre as cartas, meio de comunicação pouco usado pela nossa sociedade atualmente. A professora Alana em uma roda de conversa releu o livro: “O carteiro chegou”. As crianças, no desenrolar da conversa, sugeriram que fizéssemos uma festa para o lobo, assim ele poderia nos conhecer e virar nosso amigo. Foi construído um bilhete, para as turmas os convidando, para o aniversário. Iniciamos a confecção e convites e dos preparativos da grande festa.” contou a professora Mariana

 

 

Visita do carteiro para reecolher as cartas escritas pelas crianças para o lobo

 

Para realizar o encerramento do projeto foi realizada a grande festa do lobo com a participação das famílias, de alguns profissionais da escola e do personagem principal deste projeto, o lobo, que foi conhecer a criançada. A cantiga de roda “Enquanto seu lobo não vem” se tornou o hino da turma EI-31. Em diversos momentos, as crianças se reuniram para brincar e cantar a cantiga.

 

Construção coletiva do convite da festa de encerramento do projeto

 

Parabéns à professora Mariana e às agentes de educação Infantil Dionice Brito e Cláudia Oliveira pelo trabalho de excelência que realizam com nossas crianças. Vocês são algumas das várias pérolas que a Rede Municipal de Ensino possui.

É um orgulho tê-las na 6.ª CRE. 

 

Que conhecer um pouco mais do trabalho desenvolvido no EDI Wesley Guilber?

Entre em contato com a equipe!

 

EDI Wesley Guilber Rodrigues de Andrade

E-mail: emguilber@rioeduca.net

Telefone: (21) 2407-0354

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 10/08/2018

Resgatando e Valorizando o Hábito Pela Leitura

Tags: cre10, 10ªcre, fotografias, leitura.

 

Escola Municipal Professora Zélia Carolina da Silva Pinho promove atividades como Exposição de Fotografias e Leitura Lounge com o intuito de despertar nos alunos o interesse pela leitura através de propostas diferenciadas.

 

A Escola Municipal Professora Zélia Carolina da Silva Pinho está localizada a Rua Felipe Cardoso, n° 1536 – Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 20 turmas, com 657 alunos do 6° ao 9° ano. Tem como diretora, a professora Tânia Maria Gonçalves dos Santos, como diretor adjunto, o professor Eduardo do Amaral Santos e, como coordenadora pedagógica, a professora Luana Fortunato Costa.

 

A equipe gestora é formada por professores que acompanham a trajetória da Unidade. A diretora, professora Tânia Maria Gonçalves dos Santos, debuta junto a escola, que neste ano completou 15 anos, pautados no empenho em construir um espaço democrático e organizado, que valoriza o aluno como parte principal do processo ensino- aprendizagem.

 

Pelotão da Bandeira da Unidade Escolar

 

O estímulo à leitura é sempre um desafio para o professor de língua portuguesa, uma vez que o desinteresse pela prática é frequente entre adolescentes de hoje, tão imersos a uma realidade virtual que, muitas vezes, desestimula a concentração. Dessa forma, pensando em uma maneira de despertar nos aprendizes uma vivência agradável e estimulante de leitura, os professores realizaram uma atividade um pouco diferente das realizadas habitualmente no ambiente escolar. 

 

 O texto trabalhado com as minhas turmas no 1° bimestre foi o conto “Venha ver o pôr do sol”, de Lygia Fagundes Teles. No entanto, eu gostaria de estar com a turma durante a leitura para perceber como era a postura de cada aluno. Dessa forma, não pedi para que lessem o texto em casa. A atividade deveria acontecer na escola. Como muitos alunos não têm o hábito de ler em casa, tentei encontrar alguma forma de proporcionar-lhes um ambiente que oferecesse o relaxamento e a descontração que o lar oferece. Verifiquei que havia na escola uma sala de instrumentos, onde não ocorriam aulas em meu horário com as turmas, e resolvi fazer a atividade por lá. Como havia poucas mesas e cadeiras, os alunos poderiam ficar como quisessem, inclusive deitados. O resultado superou as expectativas, pois os alunos ficaram 40 minutos em silêncio lendo o texto e ainda finalizaram a leitura bastante exaltados com um dos personagens.  afirma a professora Lygia Figueira

 

 

Alunos da 1801 em atividade de leitura

 

Como o resultado da atividade foi muito proveitoso, a direção da escola resolveu investir na sala, transformando-a em um espaço preparado para receber bem os alunos. Sendo assim, com as próximas turmas, o ambiente estava mais bonito, com paletes, colchonetes e flores.

 

A proposta da atividade foi oferecer aos alunos a leitura de um bom texto de maneira relaxada e concentrada. Alguns trabalhos surgiram em decorrência da atividade, mas se deram de maneira natural, a pedido de alunos ou devido a uma reflexão ocorrida após debate. A turma 1801, por exemplo, decidiu adaptar a história para uma peça. Selecionaram atores, diretores, pensaram no cenário e no figurino. Na turma 1902, o texto gerou reflexão sobre os temas feminicídio e independência da mulher. A professor propos que se expressassem sobre as reflexões que fizeram a partir do texto. Foram feitos desenhos, maquetes, poesias, vídeos, cartazes e músicas. Na 1901, os alunos se dividiram para um seminário sobre mulheres. Um dos grupos pesquisou e apresentou sobre a autora Lygia Fagundes Teles.

 

Diante da necessidade de se trabalhar valores, dentre os quais o cuidado e o respeito com o próximo e, ainda, no anseio de resgatar o gosto pela leitura, a professora Andréia pensou em uma proposta que pudesse englobar as prioridades mencionadas. Contudo, havia a necessidade de encontrar uma proposta que possibilitasse uma leitura única para toda turma 1606, tendo em vista a inviabilidade de se dar conta de várias leituras ao mesmo tempo e que essa fosse realizada no ambiente, pois somente assim se teria a certeza de que todos de fato iriam ler o livro. Em consulta a sala de Leitura, ela encontrou o livro “O Pequeno Príncipe” com 11 exemplares. Como a direção havia criado o espaço Leitura Lounge, o projeto pode ser realizado de maneira que os alunos pudessem ter um espaço diferenciado para realizar a leitura.

 

 Alunos sem nenhuma concentração em sala de aula se silenciaram diante da encantadora leitura do livro “O Pequeno Príncipe” e a todo instante demonstravam curiosidade em saber sobre o final da história. Em determinados momentos, fazia intervenções com a preocupação de que todos estivessem no mesmo momento da leitura ou próximos e, ainda, buscando neles o entendimento sobre a importância de uma simples florzinha para o Pequeno Príncipe e o que ele foi capaz de fazer para cuidar dela. Desta forma, trabalhamos valores no sentido de como cuidar um do outro, do que devemos fazer para cativar as pessoas, que todos são importantes independente de quem seja. Foi um momento mágico, finalizado com um lindo musical cantado por toda turma.  afirma a professora Andréia Souza

 

 

Alunos da 1606 no espaço Leitura Lounge

 

 

Outra projeto de grande sucesso na Unidade Escolar foi a exposição de fotografias organizada pela professora de Artes, Fernanda Miguel. As fotografias foram produzidas pelos alunos do 9º ano após estudo resumido e adaptado a faixa etária da história da fotografia.

 

As fotografias feitas com aparelhos celulares e filtros artesanais, que vão de papéis coloridos, cd, descartáveis, espirais de cadernos e diversos outros materiais.

 

 

 Um processo que começa no escuro de uma caixa, onde a luz se transforma poeticamente em imagem. A câmara escura é nosso primeiro objeto de transformação do olhar, treinando a observação da paisagem, enquadramento, luz e sombra, plantando a semente da fotografia na alma de nossos alunos. A intenção maior do trabalho não estava apenas nas imagens que resultaram dele, mas em desenvolver nos alunos um olhar crítico de mundo, uma observação maior, não só de pequenos detalhes e novas belezas, como de tudo que os rodeiam.  afirma a professora Fernanda Miguel.

 

 

Fotografia de aluna do 9° ano

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.062) E. M. Professora Zélia Carolina da Silva Pinho.
E-mail: emzpinho@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share