A A A C
email
Retornando 50 resultados para a tag 'dengue'

Quinta-feira, 17/08/2017

CIEP Gregório Bezerra – Projeto Arboviroses

Tags: 4ªcre, dengue, zica, chikungunya.

 

As escolas municipais do Rio de Janeiro continuam mobilizadas contra a dengue. Transmitida pelo mosquito Aedes aegypt, a Dengue é um problema que precisa ser tratado com muita seriedade e trabalho.

 

 

O CIEP Gregório Bezerra desenvolveu o Projeto Arboviroses com o objetivo de desenvolver ações de mobilização socioeducativas de modo que provocar mudanças de comportamento da comunidade escolar e local frente as condições necessárias para o controle do mosquito vetor, intervindo na manutenção da saúde local, buscando uma sensibilização social e física da comunidade escolar local sobre a importância da prevenção e combate dos criadouros do mosquito Aedes aegypti partindo do ambiente escolar para o ambiente comunitário.

 


Atividade realizada com a turma 192 pela professora Débora Lopes.

 

Essa era uma atividade de escrita que tinha por objetivo fazer uma diagnose da escrita dos novos alunos e também verificar os conhecimentos já construídos sobre o tema. A ideia era que os estudantes se colocassem no lugar (uma brincadeira) do mosquito Aedes aegypti e se defendessem frente à forte campanha de mobilização promovida pela Secretaria Municipal de Educação. Os textos construídos não sofreram intervenção da professora. A turma 171 fez um cartaz sobre o tema "Dengue" partindo da seguinte pergunta: "Qual a sua imagem, quando você ouve 'mosquito da dengue'? A atividade foi ministrada pela Profª. Maria Felícia.

 


O Projeto contou com diversas atividades realizadas pelos professores: roda de conversas e discussão oral dirigida nas salas de aula sobre os relatos dos alunos (Turma 172 – Prof: Cyntia); construção de cartazes preventivos de combate ao mosquito transmissor (Turma 191); palestra realizada pelo professor de ciências, Eduardo, sobre arboviroses com os alunos do PEJA II.

 


 

Para o trabalho de elucidação foram realizadas palestras e roda de conversas, com uso do Data Show e vídeos sobre o ciclo de vida do Aedes aegypti (PEJA I – Bloco I).

Várias produções foram realizadas pelas turmas. O mural informativo sobre arboviroses e ações de combate foi um exemplo que alcançou a comunidade interna e externa ao CIEP, realizando um trabalho de divulgação da informação com bastante eficácia.

 

Parabéns à Equipe da escola pelo excelente trabalho realizado!

 

Sobre a escola:
Ciep Gregório Bezerra
EQUIPE
DIRETORA: Patrícia da Silva Pitta de Mattos
DIRETORA ADJUNTA: Eliane Simões Mendes
APOIA DIREÇÃO: Raquel Cruz Ventura Bueno
COORDENADORA: Carmen Lucia Barreiros Pereira
PROFESSOR ORIENTADOR:Luciano da Silva Moreira
PROFESSORES: Eduardo Allen de Araujo
Débora da Silva Lopes dos Santos
Fernando Pereira dos Santos
Maria Felícia de Freitas Filizzola
Cyntia Kelly Menezes da Silva Burguinhão
José Ricardo Carvalho Silva
Sandra Maria Jardim Serra Pires
Rogério Silva dos Santos
Camila Regina Soares da Silva
Endereço:Rua Plinio de Oliveira s/nº Penha, Rio de Janeiro - RJ, CEP:21070-040
Telefone: (21) 3885 8591
Email: ciepbezerra@rioeduca.net
Texto enviado por: Luzanira Scalercio – E/SUBE/CEDGEJA

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 14/06/2017

Somos Incansáveis contra o Aedes aegypti

Tags: 8ªcre, pse, dengue.

 

A conscientização das medidas para prevenir as doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti é algo que passou a fazer parte da vida da cidade do Rio de Janeiro. A Secretaria Municipal de Educação entrou nessa parceria para que o êxito da campanha seja real.

 

Alunos preparando materiais para a campanha "Aqui Mosquito Não se Cria!"

 

Mobilizados de forma sincronizada, as escolas da prefeitura do Rio de Janeiro realizaram a Campanha "Aqui Mosquito Não se Cria!"

Durante a semana de mobilização, as escolas seguem um cronograma feito pela Secretaria Municipal de Educação, com a finalidade de orientar e sugerir ações que envolvam todos os seguimentos das escolas.

O Grêmio Estudantil, o Conselho Escola Comunidade (CEC), os funcionários, os professores e os alunos fazem parte da programação. Além deles, a escola conta com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde, que, através do PSE (Programa Saúde nas Escolas), orienta, divulga e informa sobre as arboviroses: Dengue, Zika e Chikungunya.

 

Caminhada ao redor da E.M. Professor Firmo Costa

 

A Escola Municipal  Professor Firmo Costa é uma das escolas da 8ª Coordenadoria de Educação que fez um belo trabalho durante a campanha contra o mosquito.

O início das atividades aconteceu dentro da sala de aula. Alunos e professores pesquisaram e conversaram sobre o mosquito e as doenças que ele transmite.

Em seguida os alunos prepararam alguns materiais de divulgação da campanha, visando a caminhada que aconteceria ao final da semana, que é o ponto de maior interação com a comunidade, pois a escola sai pelas ruas próximas alertando sobre a gravidade das doenças e de como são simples as medidas preventivas que todos nós devemos ter.

No dia da caminhada "Aqui Mosquito Não se Cria" da Escola Municipal Professor Firmo Costa, Agentes de Saúde também estiveram presentes, falaram com os alunos e fizeram buscas de focos do mosquito no pátio da escola e nos arredores. 

 

 

Agentes de Saúde dando instruções aos alunos

 

Não diferente das escolas, a Gerência de Educação (GED) da 8ª CRE também realizou uma ação direcionada aos profissionais que lá trabalham.

Com a presença de representantes da SMS (Secretaria Municipal de Saúde) e da SMASDH (Secretaria Municipal de Assistência Social dos Direitos Humanos), o evento trouxe muitos esclarecimentos aos presentes.

No pátio da Coordenadoria foram montados estandes, onde era possível aprender sobre o trabalho das secretarias e coordenadorias.

A Vigilância Ambiental em Saúde discursou sobre os riscos biológicos e não biológicos presentes nas comunidades.

A equipe dos Educadores em Saúde apresentou seu plano de trabalho, que é todo voltado para a prevenção. Eles formam um grupo que, através do teatro, passa todas as informações pertinentes ao combate ao mosquito. Na 8ª Coordenadoria eles fizeram uma demonstração do trabalho com muita animação e humor!

 

 

Uma nova informação trouxe mais urgência ao combate ao mosquito Aedes aegypti: o surgimento da Febre Amarela! Nas cidades esse mosquito, previamente contaminado, é o transmissor da doença.

Em algumas pessoas não há manifestação de sintomas da Febre Amarela, porém em outras, o quadro se apresenta bastante sério com febre, náuseas, dor de cabeça e nos músculos. Esses sintomas podem aparecer associados ao amarelamento da pele e dos olhos do paciente.

A Febre Amarela pode levar à morte, por isso é tão importante conscientizar a população da necessidade de vacinar-se e de prevenir a proliferação do mosquito.

 

Representantes das equipes da Secretaria de Saúde e da Assistência Social

 

Doutora Marluce Santana respondeu perguntas sobre os sintomas das arboviroses

 

O Rioeduca parabeniza à E. M. Professor Firmo Costa e também à Gerência de Educação da 8ª CRE.

Um especial agradecimento à professora Leila Soares, que colaborou com essa publicação e foi a organizadora do evento.

 

Para entrar em contato com:

E.M. Professor Firmo Costa: empcosta@rioeduca.net

Gerência de Educação da 8ªCRE: gedcre08@rioeduca.net

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 07/06/2017

Feira de Ciências e Cidadania

Tags: 8ªcre, pse, dengue.

 

No dia 11 de maio, a Escola Municipal Gil Vicente reuniu em seu espaço diferentes organizações com um igual objetivo: informar e multiplicar conhecimentos importantes para a qualidade de vida do bairro de Realengo.

 

 

No dia 11 de maio foi realizada uma importante ação para a Escola Municipal Gil Vicente e para a comunidade que reside ao redor da unidade.

O evento realizado foi mais do que uma Feira Escolar de Ciências, pois as parcerias presentes tornaram o momento rico em informações preventivas e de combate às possíveis epidemias.

O PSE (Programa de Saúde na Escola) desenvolveu atividades que envolveram os alunos, os professores, os funcionários e os responsáveis.

Essa interação entre os grupos que formam a comunidade escolar é o que consolida e torna real toda a aprendizagem cuja temática seja saúde, prevenção, cuidados com o meio ambiente e cidadania.

 

 

Nos espaços da Escola Municipal Gil Vicente aconteceram várias palestras, além de jogos e exposições. 

Todos os presentes receberam revistas e panfletos com diversas orientações para a comunidade.

Para a realização desse evento, a E. M. Gil Vicente contou com a parceria da Clínica da Família Faim Pedro, a Defesa Civil, a Foz Águas 5, a Vigilância Ambiental de Saúde, a Comlurb e também a Faculdade São José.

Os estandes foram montados pela escola e pelas parcerias presentes. No estande da Foz Águas, por exemplo, os presentes puderam perceber, através das maquetes e montagens, alguns conceitos sobre saneamento básico, sua importância e sobre a coleta seletiva do lixo.

A E. M. Gil Vicente localiza-se bem próximo à local onde há alagamentos na época das chuvas. É muito importante informar a população sobre suas ações, que podem ser uma contribuição para o entupimento das redes pluviais e consequentemente, causarem as enchentes.

 

 

Todos que participaram desse evento na escola se mostraram muito atentos a tudo o que lhes foi passado, mas os alunos foram os que mais interagiram com as propostas apresentadas.

Eles comentaram, fizeram perguntas, tocavam e queriam entender sobre todos os assuntos abordados. Esse evento certamente foi bem significativo e teve seus desdobramentos posteriormente, na sala de aula.

A Feira de Ciências da E. M. Gil Vicente tornou-se também uma aula de cidadania, pois a maior mensagem passada foi a responsabilidade que temos sobre o ambiente em que vivemos, portanto é de cada um o dever de cuidar e fazer a sua parte no combate ao Aedes aegypti, ao lixo dispensado de forma irregular e outras tantas atitudes responsáveis pelo bem comum.

 

 

A Feira de Ciências da E. M. Gil Vicente abordou também os cuidados com o corpo para termos uma vida saudável: alimentação equilibrada, saúde bucal, prática de exercícios... enfim, um dia dedicado ao bem estar da comunidade!

 

O Rioeduca parabeniza à Escola Municipal Gil Vicente e todos os parceiros nesse evento!

 

Para entrar em contato com a escola:  emgvicente@rioeduca.net

 

 

Equipe de parceiros que participaram da realização do evento

 

 

Participe do Rioeduca!

Entre em contato conosco e compartilhe as ações da sua escola!

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 25/05/2017

Abertura do Projeto “Canta, Canta Minha Gente”

Tags: 4ªcre, música, dengue, arboviroses.

 

O trabalho com Projetos oferece múltiplas possibilidades de utlização de temas variados. A E. M. IV Centenário utilizou a música para um trabalho multidisciplinar, abrangendo também as artes, as ciências, e a história.

 


No dia 18 de março de 2017, a E.M. IV Centenário realizou a abertura do Projeto "Canta, canta minha gente" com as turmas e os profissionais da escola envolvidos.

 


Com uma pequena dramatização realizada pelos professores, contaram a história da migração do nordestino na Maré. As turmas e os professores se envolveram no projeto e o resultado foi muito bom.

 

.
O que é que tem na sopa do neném? As turmas 1101, 1102 e 1201 trabalharam a música: “O que tem na sopa do neném”. Como estão no período de alfabetização, foram trabalhados ritmo e lista de nomes com coisas que podemos colocar na sopa. Na apresentação, os alunos cantaram a música utilizando latas e colheres de pau, dando o ritmo à música, depois cantaram sem os utensílios.

 

 

A turma 1301 trabalhou as 4 estações, aproveitando a atividade sobre estações do ano de nossa apostila. Cada aluno, representando uma estação, falou sobre as vantagens e desvantagens de cada uma. Ao final, todos cantaram uma belíssima canção do grupo Roupa Nova: “Canção de Verão”.

Em fevereiro, durante a campanha contra o Aedes aegypti, a turma 1302 trabalhou o tema. Houve produção coletiva de texto, cruzadinha, pintura do mosquito, procura de focos pela escola e cantou-se a paródia "Que zum, zum, zum!" sobre a melodia de MC Perla. MC Dengosa e seus Dengosinhos se apresentaram para a escola! Foi um momento muito divertido! Deste jeito, combater o mosquito Aedes aegypti fica mais fácil, pois o trabalho desenvolvido pela escola internaliza isto na criança.

A Professora Andreia, da 1401, trabalhou o Rio de Janeiro. Sua turma conheceu os pontos turísticos e selecionou algumas músicas que foram trabalhadas: Rio 40°, Aquele Abraço, Do Leme ao Pontal e Cidade Maravilhosa (pout pourri).

A professora Luana trabalhou com a turma 1402 sobre a cidade do Rio de Janeiro: História do carnaval. Um aluno fez a narração dessa história.

A professora Eliane com a turma 1403 trabalhou marchinhas de carnaval. Escolheu Lamartine Babo, pois suas composições marcaram e são cantadas até hoje, assim como os hinos dos times de futebol do Rio de Janeiro. Carioca da gema, morador do bairro da Tijuca. Foi realizada com a turma trabalhos onde abordaram: bairro, relevo, produção de texto, além de escolher a marchinha ‘O seu cabelo não nega, mulata’. Trataram de temas como: a beleza e a valorização da mulher, além da miscigenação do Brasil. Na apresentação, um aluno representava Lamartine e contava resumidamente sua história e a paixão por futebol. Em seguida, pediu a participação da plateia para darem continuidade ao hino do time que ele iria cantar (interação). Em seguida os alunos cantaram a marchinha fazendo uma adaptação para homenagear mulatas e mulatos com um toque de humor, marca registrada de Lalá.

 

 

As turmas 1501, 1502, 1503 e 1504 trabalharam sobre o tema "Mulher".

O dia 08 de março é, desde 1975, comemorado pelas Nações Unidas como o Dia Internacional da Mulher em homenagem a todas as mulheres, pois neste dia no ano de 1875 as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve ocupando a fábrica para reivindicarem a redução da jornada de trabalho, que era de 16 horas por dia, para 10 horas e por um salário mais justo, pois recebiam menos de um terço do salário dos homens.

As mulheres, com sua luta constante, estão sempre resgatando seus direitos e ocupando lugar na sociedade. Porém, o esforço ainda é para tentar diminuir e, quem sabe um dia, terminar com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado na política, esporte, justiça e outros, mas muito ainda há para ser modificado nesta história. Por isso, com o objetivo de conscientizar nossos alunos sobre a importância da mulher, repensando o seu papel e sua importância na sociedade, além de sua independência pessoal e profissional, o 5° ano trabalhou o tema com diversas atividades interdisciplinares, finalizando o trabalho com a apresentação da música "Maria, Maria".

Os alunos da turma 1601, por sua vez, fizeram uma paródia com o ritmo da música “Baile de favela”, letra criada por três alunos da turma: Fábio Queiroz Soares Júnior, Carlos Eduardo de Carvalho Bernardo e Juan Soares de Oliveira, falando sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Os alunos da turma 1602, fizeram uma paródia com o ritmo da música “Malandramente”, letra criada por uma aluna da turma: Ana Vitória da Silva Carneiro, falando sobre o combate ao mosquito Aedes. Trabalhando questões sobre o combate e de onde veio o mosquito de acordo com o desenvolvimento do nosso Projeto deste ano, onde o 6º ano trabalhará o mundo e em consonância com a campanha “Aqui mosquito não se cria”.

 


Encerramos com a apresentação do Rapper Thiago Soul.

Parabéns à Equipe da escola pelo excelente trabalho realizado!


Sobre a escola:

Escola Municipal IV Centenário
Gestoras: Alessandra da Cunha Aguiar Fonseca e Elaine Cristina Sabino Neves Vieira
Coordenadora Pedagógica: Eliane Pinto Rodrigues
Endereço: Rua Nova Jerusalém nº 495 - Bonsucesso, Rio de Janeiro - RJ, CEP:21042-235
Telefone: (21) 3868-0844 e 3868-0010
Email: emcentenário@rioeduca.net


Texto: Enviado por Eliane Pinto Rodrigues.

 

 


   
           



Yammer Share