A A A C
email
Retornando 397 resultados para a tag '10ªcre'

Sexta-feira, 19/10/2018

Negritude: Orgulho e Respeito Também se Aprendem na Escola

Tags: cre10, 10ªcre.

 

Escola Municipal IPEG promove mais uma edição da Gincana do Conhecimento com o objetivo de estimular o resgate da identidade dos alunos e fomentar a valorização da raça e da cultura negra através de atividades interdisciplinares.

 

A Escola Municipal IPEG está localizada a Rua Cabo Saulo de Vasconcelos, s/nº - Jardim Palmares – Paciência, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 26 turmas, com 937 alunos do 6° ao 9° ano. Tem como diretora, a professora Angelina Rodrigues, como diretor adjunto, o professor Jefferson Leite Maia e, como coordenadora pedagógica, a professora Flávia Renata Figueira de Freitas.

Desde 2012, a equipe gestora busca desenvolver um trabalho que contemple a construção de um espaço democrático, no qual todos participem ativamente e que viabilize, além do processo de ensino-aprendizagem, a promoção de valores como Respeito, Responsabilidade, Paz e União.

A partir da observação dos alunos, perceberam que os mesmos possuem um perfil competitivo e que apresentam melhores resultados quando são submetidos a atividades desafiadoras. Entretanto, nas relações interpessoais revelam dificuldades de aceitar a diversidade nas suas múltiplas formas.

Em consonância com os ideais propostos pelo programa “Rio – Escola sem Preconceito”, a gestão também defende que é fundamental a compreensão de que a diversidade das culturas e etnias que formam a sociedade brasileira é fator de enriquecimento do qual devemos nos orgulhar.

Assim, as atividades propostas na gincana visam ao desenvolvimento de uma convivência mais saudável, a fim de promover a conscientização sobre a importância do respeito a todos os indivíduos independentemente de sua origem, raça, cor, idade, gênero ou religião para que tenhamos uma família, uma escola e uma sociedade melhor.

 

"A escola foi dividida em doze equipes multisseriadas. Desse modo, os alunos tiveram inicialmente o desafio de interagir com colegas de outras séries e turmas com os quais deveriam se unir para realizar com êxito as tarefas da gincana. Cada equipe possuía cinco alunos líderes que demonstraram na prática o quanto o protagonismo juvenil é importante no contexto escolar. Percebemos, ainda, que a motivação de muitos conflitos escolares deve-se ao fato de nossos alunos não reconhecerem sua própria identidade étnico-cultural, o que os impulsiona a terem atitudes racistas e preconceituosas. A fim de minimizar tais conflitos e promover a valorização dos negros e de sua importância tanto no cenário nacional como internacional, cada equipe representou um ícone negro escolhido pelos docentes. As tarefas da gincana foram relacionadas à divulgação dessas personalidades negras. O resultado foi maravilhoso, pois os alunos envolveram-se com a temática e produziram trabalhos incríveis valorizando as personalidades homenageadas." afirma a coordenadora pedagógica Flávia Renata.

 

Alunos do 9º ano caracterizando as personalidades:
Obama, Mariele Franco, Conceição Evaristo, Carolina de Jesus e Martin Luther King

 

 

A gincana aconteceu nos dias 5 e 6 de setembro e ao longo do evento os alunos participaram de diferentes atividades que propiciaram a construção do conhecimento através de diferentes áreas, respeitando e valorizando as habilidades intelectuais, artísticas ou esportivas de nossos educandos. Na abertura do evento, os alunos do nono ano emocionaram a todos com a caracterização das 12 personalidades e com o coral e a dramatização da música “Cota não é esmola” da compositora Bia Ferraz. As personalidades homenageadas foram: Mandela, Martin Luther King, Zumbi, Mariele Franco, Dona Ivone de Lara, Tia Ciata, Obama, LeBron James, Martinho da Vila, Conceição Evaristo, Elza Soares e Carolina de Jesus.

 

 

Alunos do 9º ano após apresentação do coral e da dramatização
“Cota não é esmola”

 

 

Na atividade da trilha do conhecimento, os alunos revelaram de forma lúdica, o conhecimento adquirido sobre as personalidades homenageadas. No show de talentos, cada equipe apresentou de forma artística a personalidade representada e a riqueza da cultura negra.

 

No segundo dia da gincana, a Unidade Escolar recebeu a ilustre visita de atletas consagrados do Clube de Atletismo da 10ª CRE. Dentre eles, Chayenne Silva, ex-aluna da IPEG, ela é um exemplo de atleta, jovem e negra que está conquistando o mundo com seu talento, mostrando aos nossos alunos que eles também podem realizar seus sonhos com disciplina e determinação.

 

 

Alunos da IPEG com os atletas do Clube de Atletismo da 10ª CRE

 

 

"Outro ponto alto da gincana é o estímulo à solidariedade. Nossos alunos conseguiram arrecadar junto à comunidade de Jardim Palmares 1 tonelada de alimentos que foram distribuídos para quatro instituições de caridade. É gratificante testemunharmos a alegria de nossos alunos ao entregarem as doações às instituições. Assim aprendem que respeitar o próximo e ser solidário é algo que nos faz muito bem e torna esse mundo um lugar melhor para todos." — afirma a coordenadora pedagógica Flávia Renata.

 

 

Equipe gestora e alunos que expressam o valor do protagonismo juvenil na IPEG

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.035) Escola Municipal IPEG
E-mail: emipeg@rioeduca.net

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 05/10/2018

Vamos Abraçar o Mundinho

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Creche Municipal Adalto Bastos conscientiza a todos da comunidade escolar que é necessário uma mudança de hábitos que venha melhorar a qualidade de vida, o respeito e a preservação do meio ambiente através de ações positivas e significativas.

 

A Creche Municipal Adalto Bastos está localizada a Estrada Santa Eugênia, s/n – Paciência, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 8 turmas com 208 alunos do Maternal a Pré-Escola. Tem como diretora, a professora Rosangela Trindade da Silva, como diretora adjunta, a professora Maria da Conceição Bastos Moreira e como articuladora, a professora Maria de Lima Rodrigues Souza.

 

A equipe gestora é formada por professores que acompanham a trajetória da Unidade. A diretora, professora Rosangela, está há 5 anos na creche, empenhada em construir um espaço democrático, organizado e propício para acolher os alunos da primeira infância com respeito, honestidade e compromisso. Além disso, promover o desenvolvimento pleno através de aprendizagem significativa, trabalhando valores e formação de cidadãos solidários, autônomos e competentes.

 

 

Equipe da Creche Municipal Adalto Bastos

 

 

Para esse ano foi proposto o projeto “Vamos Abraçar o mundinho”, baseado no livro de Ingrid Biesmeyer, com o intuito de propiciar aos alunos experiências diferenciadas. O objetivo era conscientizar sobre a importância de se preservar o meio ambiente e ensinar o respeito pelos animais e seres vivos.

 

A professora da turma EI-43 conversou informalmente com os alunos sobre o projeto e realizou uma roda de leitura com o livro, explicando sobre a importância do respeito pela natureza e da reciclagem para um mundo mais sustentável. Foram utilizados materiais recicláveis para criar em uma tartaruga.

 

Os alunos da turma EI-21 experimentaram brincar com elementos naturais colhidos por eles no quintal da própria creche. As crianças passearam e podiam tocar nas folhas, pedrinhas, terra e tudo aquilo que fosse natural e chamasse a atenção delas. Eles brincaram, mexeram na terra, interagiram com as árvores e folhas.

 

 

Alunos preparando o casco da tartaruga com material reciclado

 

— Sabemos que hoje em dia devido às mudanças ocorridas no modo de viver, modificou a forma como as crianças brincam e interagem com o mundo. Hoje com tecnologias e toda modernidade brincar no quintal para alguns de nossos alunos é algo que quase inexiste e nossa intenção é trazer para eles essa experiência de brincar num espaço aberto, ou seja, em contato com a natureza. — afirma a professora Deiseane

 

Outras experiências marcantes foram vividas pela professora Luciana com as turmas EI-33 e EI-31, tendo como objetivos a conscientização da necessidade de reduzir o desperdício na alimentação, sugerir receita elaborada a partir da casca de frutas e construir noções de grandezas, medidas e raciocínio lógico como uma das possibilidades de conscientização.

 

Em rodinha conversaram sobre o lixo, reciclagem, enfatizando o reaproveitamento da casca de alguns alimentos. A professora explicou a proposta de atividade seria uma aula de culinária com uma parte de uma fruta que iria para o lixo. Aproveitaram a casca da banana e fizemos um delicioso bolo, sinalizando assim uma das maneiras positivas para a redução do lixo, além de uma deliciosa degustação do bolo.

 

A professora aproveitou para abordar a letra inicial da palavra banana e a cor da casca (amarela). Através da escrita da receita do bolo, muitos conceitos foram sinalizados como: quantidades, formas (a partir do tabuleiro/forma do bolo), gosto (ao provarem o sabor do açúcar), cheiro, texturas, muito/pouco, da transformação da mistura de todos os ingredientes em uma única massa, assim como uma massa líquida se transformará em uma massa sólido e etc.

 

 

Alunos das turmas EI-31 e EI-33

 

 

— Falamos da questão da higienização: de lavarmos as mãos, já que todos participariam da elaboração da culinária; da utilização da touca na cabeça para não cair cabelo na massa durante a preparação do bolo, de lavarmos a casca da fruta conforme a solicitação da receita. — afirma a professora Luciana

 

A professora Jéssica da turma EI-41 realizou atividades sobre o cuidado com as praias e mares, cujo objetivo era conscientizar sobre o cuidado e a importância de não jogar lixo no mar. Ela mostrou aos alunos que o lixo jogado nos mares faz mal aos animais marinhos, uma vez que eles não sabem que é lixo e o ingere, causando sérios problemas, inclusive a morte.

 

Os alunos fizeram cartazes ilustrativos de mar limpo com peixes, baleias e tubarões e mar cheio de lixo com a água suja. Em seguida, a professora propôs uma atividade com a cantiga “Peixe Vivo”.

 

— Confeccionei para cada aluno um “peixe articulado” para utilizarem na hora da cantiga. Sentei com as crianças na rodinha e perguntei se conheciam a música “Como pode um peixe vivo”. Eles responderam que sim, e propus que cantássemos, dei um peixe para cada criança e mostrei como o peixe podia se movimentar. Cantamos a música e brincamos com os peixinhos. — afirma a professora Jéssica

 

Cartazes ilustrativos sobre os mares

 

Nas turmas EI-22 e EI-32, as atividades foram feitas em continuidade ao projeto. A professora começou a aula com a rodinha e através da conversa, falou sobre alguns alimentos saudáveis e como eles nascem na natureza. Além disso, mostrou diversos tipos de frutas e legumes usados na alimentação escolar, onde eles puderam manusear.

 

Após esse momento, a professora explicou que alguns deles nascem por meio de sementes e mostrou alguns exemplos aos alunos. Em seguida, as crianças foram para o pátio da Creche onde havia sido preparada previamente uma horta suspensa feita de garrafas pet e já com a terra adubada. Com isso, as crianças puderam ter a experiência de plantar e regar as sementes.

 

 

Horta suspensa

 

— As crianças regaram a horta e observaram seu desenvolvimento, ansiosos para verem brotar. Com o passar dos dias, as sementes brotaram e todos ficaram muito empolgados. Eles levaram uma mudinha para casa. — afirma a professora Rosangela

 

A professora Rosangela contou com ajuda das agentes de Educação Infantil Debora Siqueira, Andrea Cristina e Priscila Dornele para o sucesso da atividade.

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.607) Creche Municipal Adalto Bastos
E-mail: cmabastos@rioeduca.net
Telefones: 3403-8399

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 21/09/2018

Construindo Valores por uma Escola de Excelência

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A escola Nelson Romero promoveu ações com o intuito de proporcionar aos alunos o contato com eventos que tem como objetivo resgatar os valores fundamentais para que haja a mudança em nossa sociedade.

 

A E/CRE (10.19.026) Escola Municipal Nelson Romero está localizada à Rua José Baldino s/n°- Sepetiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 806 alunos, distribuídos em 26 turmas da Educação Infantil, modalidade Pré-Escola, ao 6º Experimental. Formando a equipe gestora temos a professora Carla Paiva de Mesquita, como diretora, a professora Margareth Matos de Queirós, como diretora adjunta e a professora Danielle Berrondo Cardoso Gomes, como coordenadora pedagógica.

 

De acordo com as vivências e acontecimentos, quanto às rotinas e convivência entre as crianças e professores, observados pela direção da Unidade Escolar, foi decidido, em conjunto, a realização de um projeto onde as regras de boa convivência, combinados e organização ganhassem um maior significado no cotidiano escolar. Sendo assim, foi necessário criar algumas estratégias, com o intuito de proporcionar sempre um ambiente atrativo e acolhedor, para que os alunos pudessem repensar atitudes, desenvolvendo afetividade, ética, cidadania, minando, aos poucos, as dificuldades encontradas quanto ao respeito com o próximo e consigo mesmo.

 

 

Mural sobre a Valorização Étnica

 

 

Durante o 1° semestre, os estudantes puderam constatar que valores familiares e cidadania precisam estar nas pequenas ações e nas escolhas diárias que fazem e que amizade e o brincar juntos requer cuidados, compreensão, amor e respeito.

 

A ideia da direção era proporcionar aos alunos condições para que, juntamente com os professores, refletissem sobre a necessidade de respeito entre todos através da aplicação dos direitos e deveres de cada um, formando valores éticos e morais para o exercício da cidadania. Dessa forma, favorecendo uma aprendizagem realmente significativa na formação de seres humanos mais conscientemente participativos e responsáveis no convívio social.

 

 

Alunos apresentando trabalho sobre a importância da família

 

 

— Construímos rotinas nas turmas para que as falas fossem diárias e que a reflexão dos temas de valorização ético e racial, respeito, igualdade permeassem os conteúdos didáticos. Junto nesse processo a oficina Caminhando com os Ciganos. — afirma a diretora Carla

 

A família e a escola são espaços socioculturais do cotidiano e tem históricos no processo de socialização, tornando-se berço de atitudes, bem como de mudanças, ou estagnação, da realidade na qual a sociedade a insere, pois delas partem os sujeitos sociais que irão manter, ou mudar, a si próprios e, consequentemente, a realidade onde estão inseridos.

 

— Um dos objetivos do trabalho era salientar a importância dos pais no processo educativo dos filhos, onde se pressupõe que trabalhando adequadamente com a educação e os valores familiares, conseguiremos nos transformar em uma sociedade mais justa e ética. Neste trabalho, relatamos que a contextualização do tema objeto e as questões abordadas são muito importantes, pois a mudança é necessária. É preciso que todo responsável saiba que o apoio da família é crucial no desempenho escolar. — declara a coordenadora Danielle

 

 

Projeto Receita da Felicidade

 

 

A honestidade é um dos valores mais importantes na formação da personalidade e do caráter das crianças. É base das suas relações com os demais. As crianças podem interiorizar exemplos de honestidade através da conversa e observação. Durante o projeto, houve uma palestra do Delegado Federal Victor Hugo Touvel, que falou sobre “Ser honesto é respeitar aos demais, é não se apropriar do alheio, é ser sincero na relação com o outro, é não mentir e sempre dizer a verdade por mais difícil que seja”.

 

Compreende-se que, o papel a ser exercido pela escola, ultrapassa o ensino pedagógico presencial da sala de aula, vai muito além de o simples passar conteúdos, é preciso construir valores.

 

 

Feira Cultural na quadra da Unidade Escolar

 

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.026) Escola Municipal Nelson Romero
E-mail: emnromero@rioeduca.net
Telefones: 3158-0848

 

Contato para publicações:


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 07/09/2018

Diversão e Aprendizagem no Contexto Escolar

Tags: cre10, 10ªcre, xadrez.

 

Projeto de xadrez desenvolvido com os alunos da Escola Municipal Nair da Fonseca ajuda na disciplina, concentração, tomada de decisão, respeito, ética e autoestima.

 

A E/CRE (10.19.025) Escola Municipal Nair da Fonseca está localizada à Rua Pirai do Sul, s/n°, Sepetiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 749 alunos com 19 turmas do primeiro segmento e 4 turmas de 6º Ano Experimental. Tem como diretora, a professora Vania Cristina Villas Boas Ferreira Marques, como diretora adjunta, a professora Angélica Henriques Camargo e como Coordenadora Pedagógica, a professora Veronica Cristina Vianna de Araújo.

 

Durante o ano letivo, pensando em provocar a concentração, a interação e o raciocínio dos alunos, o professor, Edson Paiva, construiu junto com a equipe gestora da escola o projeto de xadrez, um jogo milenar. O docente aproveita o projeto para desenvolver, também, atitudes de respeito, tolerância, paciência e harmonia entre os alunos, promovendo um clima saudável de disputa entre os jogadores.

 

Alunos que participaram do projeto e o professor Edson

 

O projeto é desenvolvido durante todo o ano letivo e culmina com um xadrez vivo, na quadra da escola, no final do ano letivo, com a participação da família dos participantes e da comunidade escolar, onde os jogadores são as próprias peças.

 

O professor Edson relata que tem inúmeros problemas e possibilidades pedagógicas diariamente. E, a partir da observação dos problemas, é possível usar a criatividade para sanar tal dificuldade no aluno, seja cognitiva, indisciplinar ou comportamental.

 

— Cada caso é um caso, não há receita mágica, claro. Porém, as tentativas devem ser incansáveis. Em 2107, atuando no 6° ano Experimental,numa turma bastante diversa, com grandes desafios, tentei incansavelmente com diversas tentativas e possibilidades reunir diversão e aprendizagem. É importante entender que, quanto mais atualizado o regente estiver, mais condição, mais possibilidades poderá utilizar em sua prática de ensino. — afirma o professor Edson

 

O professor começou esse trabalho em 2016, também com 6° ano experimental, e vem conseguindo bons resultados, os avanços são muito significantes. Tudo é muito bem planejado, desde o ensino do jogo, a história do xadrez, contos relacionados ao xadrez, vídeos sobre o valor e importância de saber jogar e os seus benefícios.

 

O xadrez utilizado como ferramenta pedagógica é arte, jogo da memória, disciplina, concentração, tomada de decisão, respeito, ética, autoestima e muito mais.

 

Xadrez Humano

 

Os alunos representando as peças do xadrez

 

O encerramento do projeto em 2017 aconteceu no dia 17 de novembro. Houve uma integração entre alunos do 4°, 5° e 6° anos, todos contribuindo para excelência do aprendizado e os mesmos articulando junto ao professor o processo de organização das ações. Dentro do andamento das atividades, tiveram alunos monitores, que monitoravam alunos de outras turmas.

 

— No Xadrez Humano, as peças eram os próprios alunos. Tinha um tabuleiro gigante e apresentação dos alunos foi incrível. Eles se apresentaram para a comunidade escolar e para os demais alunos da escola. O xadrez escolar interage com o meio externo, sai da teoria e se torna prática, ao mesmo tempo em que é possível aguçar a relação mediada por sistemas simbólicos. No xadrez há interdisciplinaridade, amadurecimento da percepção, atenção e memória. E tudo isto com muita diversão. — afirma a diretora Vânia

 

Alunos vencedores

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.025) Escola Municipal Nair da Fonseca
E-mail: emnairf@rioeduca.net
Telefones: 3317-7265

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share