Rio Educa
A A A C
email
Retornando 359 resultados para a tag '1ªcre'

Segunda-feira, 20/08/2018

As Aventuras de Alfa e Beto

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, riodeleitores, projetos.

 

De forma lúdica, projeto envolve a família em atividades de letramento em turma de Educação Infantil.

 

Com o objetivo de iniciar o letramento, de forma lúdica e prazerosa , a professora Gisele, da turma de Educação Infantil da Escola Guatemala, desenvolve, ao longo do ano letivo, o projeto “As aventuras de Alfa e Beto”.

 

 

 


Inicialmente, a professora Gisele idealizou e mandou confeccionar dois bonecos, um branco e outro pardo. Os bonecos são irmãos gêmeos e receberam os nomes de Alfa e Beto, em uma alusão ao alfabeto, objetivo fim do projeto.


A professora elaborou uma carta para as famílias, explicando como o projeto seria desenvolvido e como as famílias participariam do mesmo. Na carta as famílias autorizaram a participação das crianças e se comprometeram a zelar pelos bonecos durante a permanência dos mesmos em suas casas.

 

 


No mês abril, a professora apresentou Alfa e Beto às crianças. Explicou que eles eram novos amigos da turma e que, uma vez por semana seria realizado um sorteio entre os alunos da turma para saber qual aluno levaria o amigo para casa. Alfa é o amigo que visita os alunos da turma EI51 e Beto é o amigo que visita os alunos da turma EI52.

 

 

 


O projeto funciona assim: a professora lança uma letra do alfabeto e trabalha com a turma, no final da semana acontece o sorteio e a criança leva o amigo para casa com a proposta de fazer uma aventura em família envolvendo a letra trabalhada. Na sacola personalizada, junto com o amigo, segue o Passaporte de aventuras, onde a família registra a aventura realizada e anexa uma foto.

 

 


 


A primeira aventura foi realizada na escola, para servir como exemplo para as demais. A professora Gisele lançou a letra A e fez a brincadeira Amarelinha com as crianças.

O projeto tem uma página na Rede Social Facebook, onde semanalmente são registradas as fotos das aventuras, de forma que todas as famílias das turmas possam acompanhar o desenvolvimento do projeto.

 

Clique na foto abaixo para acessar a página:

 

 

A partir da letra B as aventuras foram feitas pelas famílias. Eventualmente, a professora realizará aventuras na escola, já que são apenas 20 alunos por turma e o alfabeto possui 26 letras. Alfa foi para a casa da ADRIELLE. A aventura escolhida pela família foi a brincadeira “BATATA QUENTE. Beto foi para a casa da MARINA. A aventura escolhida pela família foi brincar no Balanço da pracinha.

 

 

 

 

E assim, Alfa e Beto vão vivendo várias aventuras, ao longo do ano, seguindo as letras do Alfabeto. Visitaram pracinhas, foram a Feira de São Cristóvão, ficaram em casa... E continuam vivendo muitas aventuras.

 

 

 


Quando o alfabeto terminar, a professora pretende fazer uma festa de aniversário dos amigos como finalização do projeto, preferencialmente no dia da criança.

 

Através do retorno nos comentários na Rede Social e das agendas, além do feedback dado na reunião de responsáveis, já foi possível perceber a satisfação das famílias! “Estamos todos muito animados com o projeto!”, finaliza a professora Gisele Lima Tílio.

 

 

 


E por falar em professora Gisele, outro grande trabalho desenvolvido com Educação Infantil já foi destaque aqui no Portal Rioeduca, “O passaporte da Leitura”. Clique na foto abaixo e releia esse belíssimo projeto.

 

 


 


Para Saber Mais:

ESCOLA MUNICIPAL GUATEMALA

Telefone: 2224-7687

E-mail: emguatemala@rioeduca.net

Direção: Rose Leon

Direção-Adjunta: Marília Amaral

Coordenação Pedagógica: Márcia Cristina Hernandes

Professora Responsável pelo Projeto: Gisele Lima Tílio

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 06/08/2018

Bebê Squel

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, projetos, protagonismo.

 

Crianças escolhem o nome do brinquedo tendo como referência a Porta Bandeira da G.R.E.S Estação Primeira de Mangueira.

 

É um direito das crianças serem ouvidas e para isso as educadoras e educadores da Educação Infantil precisam desenvolver a capacidade da escuta sensível e da observação. A criança é potência e o centro do Currículo. Desse ponto, a Creche Municipal Vovó Lucíola, localizada no Morro da Mangueira, Zona Norte do Rio de Janeiro e que atende crianças do Berçário ao Maternal II, partiu para a construção do Projeto Pedagógico Anual “Viajando no mundo das Artes”, com muitas interações, brincadeiras e descobertas.

 

 

As crianças vivenciam cada vez mais brincadeiras de Faz de Conta e para estimular essas construções iniciaram a confecção de uma casa de papelão. Escolheram e organizaram brinquedos e materiais para compor o cenário, dentre eles bonecas/bebês. Contudo, apesar de todo o envolvimento da turma para a construção desse ambiente lúdico, foi percebida pelas educadoras a necessidade de sensibilizar as crianças para o cuidado com os brinquedos. Sendo assim, uma professora presenteou a turma com uma boneca, que além de compor o cenário possibilitaria o desenvolvimento da afetividade e responsabilidade com o outro, nesse caso o bebê.


Com esse movimento as crianças passaram a nomear as bonecas: “Como vamos chamar o nosso bebê?” Sophia Moreira (3 anos) respondeu: “Essa daqui é Squel!” (apontando para a boneca presenteada pela professora) e as outras crianças embarcaram nessa sugestão de nome. “Sabem quem é Squel?” Algumas sabiam e outras não, e então começaram as pesquisas. A aluna Sophia Moreira contou que Squel é o nome da Porta Bandeira da Mangueira. A Creche ressalta que Sophia tem uma vivência no mundo do samba, sendo sua mãe Passista e seu pai Mestre de Bateria. Dessa maneira, ela trouxe esses saberes para a creche.


A bebê Squel passou a fazer parte da rotina, para além das brincadeiras. Ela começou a freqüentar o refeitório durante as refeições, a ouvir histórias, a ficar na roda!

 

 


 

 


E as educadoras instigavam a curiosidade e o protagonismo das crianças: A gente faz aniversário, né? A bebê Squel também! E a partir disso as crianças começaram a organizar a festa. “O que teremos na festa?” As crianças fizeram a lista com comidas, bebidas e convidados. Além disso, tiveram a ideia de confeccionar uma Bandeira .

 

 

 


Prepararam também os convites para entrega em outras turmas. As turmas foram muito receptivas, brincaram com a bebê Squel e se propuseram a preparar uma receita para a festa. Tudo na festa foi produzido pelas crianças: bolo, docinho, suco e gelatina natural. As crianças cuidaram de cada detalhe.

 

 

 

 

 

 


A musa inspiradora do nome da bebê, a “Squel Grande”, como as crianças a chamam, também foi convidada. A Equipe do Museu do Samba esteve presente, prestigiando a nossa festa. 

 

 


Os músicos do Projeto Batuque Favela, Sacode Mangueira embalaram a festa e transformaram a Creche num grande samba, tocando os instrumentos musicais que fazem parte da Bateria da Escola de Samba. Além de dar depoimentos sobre ser jovem na favela, a importância do Projeto e da Parceria com a Creche Municipal Vovó Lucíola.

 

 

 

 

A Equipe da creche acredita em uma Educação Infantil em que as crianças sejam protagonistas, que criem, compartilhem saberes, construam coletivamente. Sendo são objetivos do trabalho desenvolvido:


• Oferecer condições para que a criança sinta-se cuidada em relação às suas necessidades físicas, emocionais, cognitivas e sociais, através de um ambiente aconchegante, limpo, seguro e estimulante;


• Propor a construção dos espaços com e para as crianças, de fácil acesso a brinquedos, materiais, atividades e brincadeiras pertinentes a faixa etária;


• Vincular a rotina e atividades pedagógicas à cultura da criança e a localidade do entorno, valorizando a diversidade, a identidade étnico-racial e as variadas formas de sentir e se expressar;


• Fazer com que a criança se veja pertencente a diferentes grupos sociais, sentindo-se amada, valorizada e protegida;


• Criar tempos e espaços que favoreçam o percurso criativo infantil através de interações com o outro, de vivências, experiências e do compartilhamento dos saberes;


• Resgatar a importância da creche como um espaço comunitário através do envolvimento dos pais e/ou responsáveis, a família, a comunidade e demais segmentos da sociedade.

 

CLIQUE NA FOTO ABAIXO E VEJA SQUEL DANÇANDO!

 


Para Saber Mais: 

Creche Municipal Vovó Lucíola

Direção: Kathyleen Quintan Pires

Direção-Adjunta: Eleonora Silva de Melo

Equipe do Maternal II – E.I. 31 (Professoras de Educação Infantil Patricia Sodré dos Santos e Luciana Ávila Brioso e Agentes de Educação Infantil Creusa Maria Apolinário e Kelly Barbosa Miranda dos Santos)

Telefone: 2204-0418

E-mail: cmvluciola@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 26/07/2018

ALFArte - Alfabetização com Arte na 1ª CRE

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, alfabetização, artes..

 

Projeto Articula diversos saberes, desenvolvendo nas crianças a capacidade criativa.

 

 

ALFArte é um projeto pesquisa-ação, criado pela 1ª Coordenadoria Regional de Educação da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, onde as linguagens artísticas permeiam a alfabetização, facilitando a aprendizagem de uma forma lúdica. A estratégia de sensibilizar através de uma leitura de mundo com olhar criativo, nasce da preocupação em um planejamento articulado e em conjunto entre as diversas áreas do conhecimento.

 

Valeria Jaconiano, gerente da Gerência de Educação, propôs o desenvolvimento do Projeto e diz:

“Considero imprescindível um trabalho coletivo entre o professor regente e o professor de Artes, a fim de contribuir nos processos de ensino e da aprendizagem. Nosso filho então nasce: ALFArte! Nasceu vigoroso, cheio de sensibilidade, desejoso de articulações e objetivando as concretizações dos saberes, que iluminam e propiciam a formação humana.”

 

Apresentação do Projeto, com a presença da Coordenadora Fátima Sueli, do Assessor-Adjunto, José Luiz e da Gerente de Educação, Valéria Jaconiano.

 


Esse Projeto, construído por professores de Artes, coordenadores pedagógicos, Núcleos de Artes e Alfabetizadores da 1ª CRE, pretende promover a articulação dos conhecimentos prévios dos educandos, com as linguagens artísticas. A avaliação dialógica entre o aspecto cognitivo e socioemocional, se dará pelas apresentações dos processos e produtos construídos na interdisciplinaridade e pela autoavaliação consciente das competências socioemocionais alcançadas.

 

 


O desenvolvimento se dá a partir da criação de uma mandala ALFArte, ferramenta pedagógica que articula 4 círculos concêntricos e dinamiza diversas combinações entre eles, formando raios, propondo variadas sugestões de planejamento, que com criatividade se desdobram infinitamente. O colorido dos aros define as 4 etapas que se articulam: o 1º traz os significados (o conhecimentos prévios dos alunos), o 2º as linguagens abrindo portas , o 3º as produções e processos e o 4º as habilidades socioemocionais.

 

As mandalas são de origem sagrada, tem um ponto central e ao seu redor apresentam um desenvolvimento simétrico. A mandala ALFArte tem como foco a leitura, escrita e interpretação, formando uma verdadeira rede de saberes, onde os educadores de diversas áreas planejam juntos para alcançar esse objetivo.

 

 


A inspiração veio da Mandala dos Saberes do MEC (Pressupostos para Projetos Pedagógicos de Educação Integral REDE DE SABERES MAIS EDUCAÇÃO), que busca a educação integral. A intenção é que ela seja um instrumento de auxílio e de orientação à construção de estratégias pedagógicas.(http://educacaointegral.org.br/na-pratica/wp-content/uploads/2017/08/metodologia-complementar_jogo-mandala-dos-saberes.pdf

 


Mandala ALFArte propõe um planejamento conjunto entre professores Alfabetizadores, de Artes, da Sala de Leitura, de Educação Física e outras linguagens, pensando nesse processo interdisciplinar que traz mais significado, estímulos, motivação, envolvimento e pretende proporcionar um aprendizado mais efetivo, onde a escola se torna protagonista e produtora de cultura e desenvolvimento humano.

 

 

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO:

 


O projeto pesquisa-ação começa se desenvolver em 5 escolas piloto da 1ª CRE, onde a equipe é estimulada para planejamentos coletivos, articulados com diversas linguagens e a criação autônoma pelas escolas de estratégias para o crescimento do aprendizado. Cada escola recebe sua mandala e é convidada a personalizá-la com o seu projeto.

 

Apresentaçõ do Projeto nas Escolas Piloto

 


A proposta é inovadora e sustentável, porque mantém a estrutura que existe nas nossas escolas e integra na hora de planejar, buscando dinâmicas de Projetos Coletivos Criativos entre todas as disciplinas, proporcionando a aprendizagem cooperativa e a educação integral do aluno. A Mandala é dialógica, vai além da educação autocentrada, revê processos e cria uma comunicação entre várias mãos. Ao trazer o repensar no agir em sala de aula, suscita a realização de novas descobertas a cerca de um planejamento que tenha a metacognição, a arte, a pesquisa-ação e o desenvolvimento das competências socioemocionais, como princípios norteadores de novas práticas na escola.

 

Um pouco do material Produzido

 

 

 

 

Clique nas imagens abaixo para acessar  videos do Projeto:

 

 

VIDEO CIEP JOSÉ PEDRO VARELA: Gamificação

 

 

Trabalhando Habilidades Socioemocionais, com o professor Jean Bodin

 

 

Artes e Produção de  Texto: PEJA Calouste Gulbenkian

 

 


Para Saber Mais:

Gerência de Educação: 2233-4839

 

 

Clique na Foto Abaixo e acesse o Blog, onde você vai encontrar todos os detalhes do ALFArte – Alfabetização com Arte 1ª CRE:

 

 

 

 

Contato para publicações:

 


  


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 23/07/2018

Crianças e o Mundo

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, riodeleitores, projetos.

 

Projeto Anual de Espaço de Desenvolvimento Infantil propõe um passeio por diversas regiões, visitando aspectos culturais e geográficos.

 

O Espaço de Desenvolvimento Infantil Zélia Gattai, localizada na comunidade do Fogueteiro, zona Central da Cidade do Rio de Janeiro, está desenvolvendo nesse ano de 2018 o Projeto “Crianças e o Mundo”, com o objetivo de impulsionar o interesse e o respeito por diferentes culturas e modos de vida, ampliando as relações interpessoais, tornando a empatia pelos outros um norteador, levando as crianças a perceberem que as pessoas têm diferentes formas de viver, agir e pensar.

 

 


O projeto está dividido em quatro grandes etapas, com pequenos subprojetos. São eles “Do Fogueteiro para o Mundo”, “O mundo em festa”, “Artes que o mundo inspira” e, encerrando o ano, a “Feira de Troca: trocando com o mundo”.

 

 

Atividade Estamparia Africana

 

E assim várias atividades vão sendo desenvolvidas, costurando o grande tema gerador. Na atividade “Estamparia Africana”, por exemplo, a professora Geisa fez um recorte sobre um encanto no mundo, que é a estamparia, usando símbolos adinkras. Foi escolhido símbolos com histórias bonitas, com valores universais de boa convivência. Na mistura de Poema + Desenho , o Desenhema, as crianças desenharam os poemas... E ficaram encantados.

 

 


“Eu vejo o mundo. Eu vejo o mundo em mim”, outra atividade, organizada pela professora Rafaela Pinto, nasceu do interesse da turma de desbravar as semelhanças e diferenças existentes entre os diferentes povos do mundo. A turma viajou por meio de fotografias, vídeos e livros de histórias que retratam as diferentes formas de se vestir, comer e de viver. A equipe levou diferentes objetos e elementos culturais para as nossas rodas de conversas e direcionar o enfoque das pesquisas para as diferentes infâncias no mundo, buscando curiosidades sobre as formas que as crianças brincam, se vestem, se banham e se alimentam ao redor do mundo.

 

 

E assim segue o projeto, que ao longo do ano promoverá diversas atividades e subprojetos, despertando a curiosidade e a interação de nossas crianças com outras culturas, outros modos de viver.

 

Criança observa produção 

 


Alguns depoimentos demonstram a empolgação pelo projeto:


“Eu adorei ver a Thaylla vestida de africana. Não porque ele é minha filha não, mas é a mis linda (risos)”, falou dona Elisângela, mãe da aluna Thaylla. A aluna Mirelly nos fala: “eu adorei o guarda-chuva do Frevo. Vou pedir pra minha mãe comprar um colorido igual”.

 


Para saber mais:

EDI ZÉLIA GATTAI AMADO

Diretora: Alzineia Sheila Teixeira Alves

Diretora-Adjunta: Karen da Silva Pinheiro

Telefone: 2224-0979

E-mail: edizgattai@rioeduca.net

 

 


 


   
           



Yammer Share