A A A C
email
A Revolução Acontece: o blog da SME
Retornando 31 resultados para o mês de 'Agosto de 2017'

Quinta-feira, 31/08/2017

E. M. João de Deus Projeto Sarau Literário: Literatura, Poesia, teatro e música.

Tags: 4ªcre, literatura, poesia, teatro, música.

 

Projeto Sarau Literário: Literatura, Poesia, teatro e música na E. M. João de Deus
 

Sarau Literário - 50 anos da Autora Ruth Rocha.


O projeto Sarau Literário tem como objetivo contribuir para que os alunos conheçam e utilizem elementos constitutivos da linguagem de forma reflexiva e funcional.
 


 

Nesta perspectiva, o Sarau Literário é um projeto que visa resgatar a cultura de contar e ouvir histórias, recitar poesias, despertar o gosto pela leitura, trazer memórias de brincadeiras antigas, envolvendo a comunidade escolar interna e externa para ouvir boa leitura, escutar músicas e curtir belas histórias através da leitura de livros, poesias, apresentação teatral, num momento de inovação, descontração e satisfação.

 


Apresentar as obras da autora Ruth Rocha, sua biografia e sua importante contribuição literária para o universo infantil e juvenil, com a intenção de, por meio deste projeto, não só envolver comunidade escolar e local em atividades de leitura, mas divulgar que há várias possibilidades para despertar o gosto pela leitura e para tanto, há vários meios estratégicos para levar os alunos a adquirirem o gosto e o hábito de ler.

 

 

Alguns dos objetivos desse projeto, que foi trabalhado por todas as turmas da escola: compreender a linguagem como forma de expressão e comunicação; ampliar o repertório linguístico e literário; oportunizar o uso da linguagem em diversas situações; valorizar e aperfeiçoar a oralidade; aprender a expressar-se num grupo.

 

 

Também despertar no aluno o gosto pela leitura; desenvolver no aluno o comportamento leitor; envolver os responsáveis no universo estudantil; estimular os responsáveis a oferecerem obras literários para as crianças.

 

 

Alguns objetivos mais específicos do projeto: recitar poesias e contar histórias; apresentar peças teatrais com temas trabalhados na sala de aula e sala de leitura; ler histórias literárias; expor trabalhos realizados em sala de aula; dramatizar os livros trabalhados em sala de aula.

 

Parabéns à Equipe da escola pelo excelente trabalho realizado!

 

Sobre a escola:
Escola Municipal João de Deus (04.11.014)
Endereço: Pça Almeida Garret, S/Nº Penha Circular
CEP: 21011490
Tel: 3885-9481
Email: emjdeus@rioeduca.net
Diretora: Vânia Freitas de Brito
Adjunta: Cíntia Fernandes
CP: Petronilha Alice Meirelles
Todo o Projeto foi organizado e desenvolvido pela Equipe de direção, CP e professores da U.E.
Professores: Cíntia Fernandes
Lídia Borgatte
Daniele Coutinho
Juliana Inácio
Fernanda Mendes
Wanda Sant' Anna

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/08/2017

“O sapo não lava o pé. Será?” Abrindo espaços de discussão com alunos da Ed. Infantil

Tags: 3ªcre, fabulas, musica.

 

Partindo de uma situação corriqueira no ambiente escolar, que é o cuidado com o espaço coletivo do banheiro, foi que este projeto surgiu. Ao perceber que estava faltando cuidado em relação a este espaço, a equipe de educação infantil da Escola Municipal Marechal Carlos Machado Bitencourt resolveu se mobilizar e abrir espaços de discussão para que as crianças falassem o que achavam do assunto.

 

 

O sapo não lava o pé. Será? É uma discussão que vai além da mùsica tão apreciada pelas crianças. Visa problematizar o fato do sapo lavar ou não o pé, uma vez que (de acordo com a música) ele mora na lagoa. Também é uma oportunidade para abrir espaços de conscientização sobre o cuidado com os espaços coletivos.

Ao problematizarmos com as crianças o significado da música do sapo, música esta que eles amam cantarolar pelos espaços da escola, a equipe tomou o cuidado de permitir que as crianças chegassem às suas próprias conclusões acerca do sapo, sem que a magia da mùsica e das histórias infantis que cercam este personagem fossem retratadas apenas com a finalidade de ensinar algo. Não nos sentimos como se estivessemos ensinando algo, mas sim como se estivéssemos juntos com as crianças aprendendo.

 

 

Para alegria das crianças o sapo enviou uma carta onde dizia sobre sua visita a escola, e que antes de sua chegada, o sapo deixaria suas marcas.

Antes da chegada do sapo, também foram construidos calendários para que as crianças pudessem acompanhar as datas em que o sapo iria aparecer. E com o objetivo de dar às crianças a oportunidade de visualizarem de forma cronológica a chegada do sapo (pois as crianças perguntavam todos os dias se o sapo viria naquele dia), foi que cada dia uma criança era encarregada de marcar no calendário o dia do aparecimento do sapo. E todas às vezes em que a patinha do sapo aparecia, este seria o dia da sua chegada. Esses calendários estão em um local próximo ao banheiro e refeitório (local onde as crianças passam com frequencia). E, por vezes, algumas crianças param em frente aos calendários e conversam entre si.O que será que falam?

O sapo cumpriu sua promessa e visitou as crianças. Foram momentos emocionantes!

 

 

Com a chegada do sapo, as curiosidades só aumentavam entre as crianças. Perguntas como: de onde ele vem? Ele tem mãe? Por que ele é verde? Foram fomentadores para que a equipe abrisse um leque de pesquisas juntamente com as crianças. Ao longo do projeto e com nossas pesquisas, descobrimos que nem todo sapo é verde, que o sapo realmente mora tanto em lagoas como em beira de lagoas e etc. 

 

 

Em uma de nossas conversas, um menino de 5 anos disse que o sapo realmente não lavava o pé pois entrava na lagoa com as patinhas da frente, se referindo as patinhas da frente como as mãos do sapo e as de tras os pés.Ou seja, esse menino chegou a conclusão de que o sapo entrava na lagoa com as mãos na água e os pés para cima.

Aguardamos a vinda do sapo pela terceira vez, e planejaremos juntamente com as crianças o que faremos no dia em que o sapo aparecer. Aguardem!

 

 

Poetizar e Musicalizar as situações do cotidiano da escola é transformador, pois permite o aprendizado de forma lúdica e prazerosa. Além de despertar a fantasia tão importante para o desenvolvimento da criatividade dos alunos de Educação Infantil. Parabéns para a equipe da Escola Municipal Marechal Carlos Machado Bitencourt.

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 29/08/2017

Escola Presidente João Goulart Comemora 33 Anos de Lutas e Vitórias

Tags: 2ªcre, paz.

No mês de junho, a Escola Presidente João Goulart comemorou 33 anos com uma bela festa surpresa organizada pela direção da escola.

 

Durante seus trinta e três anos a Escola Presidente João Goulart enfrentou “Dias de Luta e Dias de Glória”, por isso, foi motivo de festa comemorar mais um ano da unidade escolar.

O evento foi uma festa surpresa para a comunidade escolar organizada pela direção da escola, professores Carlos Boaventura e Júlio César Araújo.

 

Direção da unidade escolar.

 


O evento contou com uma sessão de cinema oferecida pelo Clube Renascença, cujo o filme, escolhido pelos representantes do projeto: Nanci Rosa e João Costa, contemplou o universo da temática negra. Os alunos do 6º ao 9º ano lotaram o auditório para assistir a sessão do filme “Tiger Woods”. E ao final da sessão houve um produtivo debate.

Também aconteceu uma oficina de “Mini Ikebanas”. Os alunos da Educação Infantil ao 5º ano, sob coordenação da senhora Leisimar, participaram alegremente da confecção dos arranjos. Eles ouviram que: “A flor é capaz de tocar o coração do indivíduo, formando um escudo contra os sentimentos negativos. Purifica o ambiente e cria uma atmosfera de paz, harmonia e beleza”. Uma bela mensagem de aniversário.

 

Oficina de Mini Ikebanas

 


O mestre da capoeira CangiNova Ginga movimentou a quadra da escola com música e dança. E contou aos alunos sobre a origem da capoeira. Os educandos aprenderam que a capoeira data da época da escravidão no Brasil. Muitos negros foram trazidos da África para o Brasil para trabalhar nos engenhos de cana-de-açúcar, nas fazendas de café, nas roças ou nas casas dos senhores. A capoeira era uma forma de luta e de resistência. Porém, para não despertarem suspeitas, os escravos adaptaram os movimentos da luta aos cantos da África, fazendo tudo parecer uma dança.

 

Oficina de Capoeira

 

 

Além da confecção de arranjos de flores, dança, música, cinema. Os alunos também puderam assistir a uma apresentação teatral que finalizou a festa. A apresentação foi um esquete falando da paz e da promoção do diálogo.

 

Esquete sobre a Paz.

 


No fim da festa houve o tradicional “Parabéns para você!”. Desejamos muito sucesso a toda equipe da Escola Presidente João Goulart e que esta escola continue ensinando lições que os educandos levem para a vida. Agradecemos a professora Nilza Alves por entrar em contato conosco enviando este relato.

 

 

 

O contato da unidade escolar é: empjgoulart@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 29/08/2017

Entrou Água no Cordel: 5º e 6º ano Experimental

Tags: 11ªcre, cordel, português.

 

Alunos do 5º e 6ª ano experimental, da E.M. Holanda na Ilha do Governador, tiveram uma experiência maravilhosa: um passeio ao Parque das Ruínas para participar do Projeto "Entrou Água no Cordel" realizado pelo Grupo Ecoarte. CONFIRA!

 

 

Os alunos foram recebidos por Morena Buzar, integrante do Grupo Ecoarte, que acomodou as crianças para a apresentação de um espetáculo teatral seguido de dinâmicas que abordaram temas como: reciclagem, cuidados com a água, prevenção de doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti e consumo consciente.

 

Visita ao Parque das Ruínas para assistir a peça. Destaque na foto aos membros do Ecoarte

 

O tema em cena é ecológico: na peça, a água ganha vida, torna-se um personagem e apresenta ao público as consequências dos maus-tratos sofridos ao longo da história. O objetivo do projeto é desenvolver a consciência socioambiental em crianças e jovens através da ArteEducação, estimulando-os ao exercício da cidadania.

Os alunos foram divididos em grupos e cada grupo foi supervisionado por um integrante do Grupo Ecoarte que apresentaram atividades sobre prevenção de doenças causadas pelo Aedes Aegypti. Ao final das atividades eles ganharam uma mochila e caneta feitas com material reciclado, além de um lanche saboroso.

 

Alunos animados participando das atividades

 

 

Os alunos e professores adoraram a manhã prazerosa que eles tiveram com esse evento. Educação de forma lúdica e prazerosa!


 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: E.M. Holanda

Telefone: 3353-9933 

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share