A A A C
email
Retornando 30 resultados para o mês de 'Maio de 2018'

Quinta-feira, 31/05/2018

Maratona de Histórias no EDI Alyrio Cavalieri

Tags: 9ª cre, edi, maratona literária.

 

O Projeto Maratona de Histórias “Quem conta um conto aumenta um ponto” envolveu toda a Comunidade Escolar: professores, auxiliares de turma, equipes de limpeza, cozinha, direção, responsáveis, CEC e demais parceiros do EDI Alyrio Cavalieri, no período de 16 a 20/04/2018

 

 

Tudo começou no início do ano letivo, quando foram escolhidos os autores da Ciranda de Leitura anual e percebeu-se a necessidade de envolver toda a Comunidade Escolar no movimento de contação de histórias, familiarizando as crianças com os diferentes textos literários. Dessa forma, Monteiro Lobato foi o escolhido como autor homenageado do 1º Bimestre. 

Foram sorteadas histórias e dias em que as histórias iriam ser contadas, dessa maneira, criou-se um calendário de leitura e todas as turmas foram contempladas.

 

 

 

No dia da atividade a equipe responsável pela contação se deslocava até seu público. Essa transição de espaços foi uma linda movimentação de fantasias, perucas, livros, instrumentos e objetos, com dinâmicas bem interessantes. Turminhas do berçário, contaram histórias para as turminhas da Pré-Escola e receberam do Maternal II, a professora de Educação Física contou história para o maternal II, equipe de limpeza fez contação para turminha do Maternal I, Pré-Escola contou história para a equipe da cozinha, direção recebeu história do Maternal I e contou para a Pré-Escola. Enfim, dinâmica e uma interação que seriam inimagináveis no cotidiano.

 

 

A culminância do projeto aconteceu no Dia Nacional do Livro Infantil que também é marcada pelo nascimento de Monteiro Lobato, 18 de abril. Nela estavam presentes autora Nancilia Pereira divulgando seu mais novo lançamento: “Sou autista, e daí?” e o neto do “Profeta Gentileza”, Vagner Datrino, que abraçou o Projeto Político Anual do EDI “Colhendo valores através da gentileza” e a professora da Sala de Leitura Pólo da Escola Municipal Gastão Penalva, Joana Mury. 

 

 A autora Nancilia emocionou a todos com a história de vida de sua neta que é autista e a inspirou a escrever o livro.

 

A escritora de “Sou autista, e daí?” foi recepcionada pelas turminhas da Pré-Escola com a música “normal é ser diferente” que por sua vez retribuiu fazendo uma linda palestra para os responsáveis e toda equipe na Sala de Leitura da U.E., foi um dia maravilhoso.

 

 

As mães dos alunos incluídos participaram ativamente da palestra com perguntas e interações com a autora, foi um momento bem emocionante devido as histórias de luta pela inclusão na sociedade dos seus pequeninos filhos. Nesse momento, algumas mães também expressaram sua gratidão ao  EDI Alyrio Cavallieri, um Espaço de Desenvolvimento Infantil que se preocupa em incluir efetivamente as crianças e acolher suas famílias.

 

 

 

Crianças, profissionais e responsáveis do EDI Alyrio Cavallieri.

 

No dia 19 de abril, foi a vez dos alunos do Projeto “Voando Alto nas Asas da Leitura” do CIEP Armindo Marcílio Doutel de Andrade, também em Campo Grande, contarem histórias para os pequenos, sob o comando da Coordenadora Pedagógica Audrei Alonso e da professora Solange Andrade, uma linda interação do Ensino Fundamental com a Educação Infantil.

 

Alunos e as professoras Audrei e Solange do CIEP Doutel de Andrade levando o projeto "Voando nas asas da leitura" aos alunos do EDI Alyrio Cavalieri.

 

Fechando a semana, com chave de ouro, o EDI recebeu a autora e patronesse da Sala de Leitura, Denise Almeida, que encantou a todos com seu carisma, desprendimento e amor. A autora contou diversas histórias para as turminhas da Pré-Escola e doou vários livros para a Sala de Leitura. Além disso, assistiu a equipe da direção contar e dramatizar a história “Uma arara e sete papagaios” de Ana Maria Machado.

 

  

 

Fortalecendo esse ideal de inclusão, o EDI realizou seu Centro de Estudos Integral (CE) no Instituto Helena Antipoff (IHA), visando nstrumentalizar a Equipe Pedagógica para a questão da inclusão, uma vez que o instituto é um estabelecimento público de ensino especializado em Educação Especial, pertencente à Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, sendo centro de referência em Educação Especial no Brasil.

 

  

 

Tal ação foi socializada e ressaltada pela diretora do EDI, Evanilda de Jesus Oliveira, aos responsáveis durante a reunião destinada aos mesmos de final de bimestre. 

 

A equipe do EDI Alyrio no centro de estudos realizado no Instituto Helena Antipoff (IHA) em 11/04/2018

 

Os depoimentos sobre a Maratona de histórias: 

“Eu agradeço tanto, mas tanto a essa escola pela divulgação do autismo, pela inclusão mesmo! Claro que me emocionei, que amei. Obrigada por tudo!”– Depoimento da mãe Emilie Berreel, mamãe do aluno Miguel Berreel que é autista.

 A Equipe de Pedagógica avalia que esta primeira edição da Maratona de Histórias “foi um sucesso, uma atividade prazerosa, dinâmica e que vai deixar saudade”.

 

 

SAIBA MAIS SOBRE O PROJETO, ENTRE EM CONTATO:

EDI ALYRIO CAVALIERI (09.18.8)

DIREÇÃO GERAL: Evanilda de Jesus Oliveira

ENDEREÇO: R. José Janoni, 33 - Campo Grande, Rio de Janeiro - RJ, 23073-050

TELEFONE: 3096-0965

 

Contato para Publicações:


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 31/05/2018

Escola Municipal Brant Horta: dois anos do Projeto Intervalo Videomotivacional

Tags: 4ª cre, intervalo escolar, motivação, música, videoclipes.

 

Escola Municipal Brant Horta: dois anos do Projeto Intervalo Videomotivacional

 

Desde 13 de agosto de 2015, a Escola Municipal Brant Horta vem realizando o Projeto Intervalo Videomotivacional, que tem tornado o intervalo dos alunos mais alegre e divertido. Com uma televisão, um pen drive, uma caixa amplificadora e conectores, o projeto exibe aos alunos, durante o intervalo deles, videoclipes, para alegrá-los, motivá-los positivamente em relação à escola e à vida, integrá-los, sensibilizá-los e também para avivar neles valores essenciais, como o respeito, a solidariedade, o amor e a paz.

 


Um grande número de alunos costuma participar voluntariamente do projeto. Eles colaboram na decoração, na montagem e na desmontagem da logística do projeto. A maior parte dos videoclipes apresentados é escolhida pelos próprios alunos. Eles pedem os videoclipes das músicas das quais eles mais gostam. São apresentados artistas nacionais e internacionais do universo musical. Geralmente, os videoclipes de músicas em línguas estrangeiras (inglês, espanhol etc.) são acompanhados de legendas em português.

 


Os videoclipes são baixados da internet, reunidos em “playlists” e gravados em um pen drive.  O projeto costuma também fazer apresentação de paródias musicais, que são engraçadas e divertem bastante os alunos. Em um determinado momento, também foi promovida apresentações de karaokê com a participação de diversos alunos que cantaram animados. Além disso, alguns professores já participaram de forma direta, se apresentando com música ao vivo como Alexandre docente de Ciências, José de Música e Hélio de História.

O projeto ainda valoriza eventos da própria escola e da SME, pois exibe filmagens e fotos de oficinas, festas juninas, festas do Dia das Crianças, formaturas, Desfiles Cívicos etc.

 

 

O projeto é um verdadeiro banquete musical e cultural. Na primeira temporada, em 2015, era realizado três vezes por semana, pela manhã e à tarde. Na segunda temporada, em 2016, passou a ser realizado somente no turno da manhã, e isso se mantém atualmente na terceira e quarta temporadas.

 


A música e os videoclipes podem ajudar muito na formação intelectual e emocional dos alunos. As canções e as imagens geralmente se complementam. Com os vídeos, é possível oferecer aos alunos o visual (as imagens) e o verbal (o som e a música), explorando, assim, o estilo de aprendizagem considerado, por especialistas, como o mais predominante entre os estudantes de todo o mundo: o visual/verbal.

 

Avaliando o projeto, um dos resultados mais gratificantes foi constatar o respeito que os alunos têm demonstrado pelos diferentes gostos musicais. Ninguém é obrigado a assistir às apresentações dos videoclipes. Não há o compromisso que um vídeo didático tem dentro de uma aula, dessa maneira, os alunos entendem que o projeto é uma opção de diversão. Quem quer assiste às apresentações, quem não quer não assiste, essa liberdade gera o respeito.

 

 

Além disso, o projeto tem promovido uma boa interação entre os alunos e reflexão sobre a vida, estimulando nos alunos uma expansão no que diz respeito à apreciação artística. 

O Projeto Intervalo Videomotivacional é, portanto, avaliado como uma ferramenta pedagógica de socialização e motivação.  Aqueles que quiserem conhecê-lo melhor podem procurar a Professora Simone Flaeschen na Escola Municipal Brant Horta, às terças, quartas e quintas-feiras no turno da manhã. O projeto e um relatório sobre suas atividades foram escritos e impressos e estão disponíveis na Unidade Escolar para consulta.  

 

Clique no vídeo abaixo para saber mais sobre o projeto:



 


Parabéns pelo excelente trabalho realizado!

 


Sobre a Escola Municipal Brant Horta:
Gestor: Sergio Roberto Hing
Designação: E/CRE( 04.11.010)
Endereço: Rua Bento Cardoso, 130.
E-mail: embrant@rioeduca.net
Tel: 2573 5758 e 2573 5536
E-mail: embrante@rioeduca.net

Texto enviado pela idealizadora do projeto:
Professora Simone Flaeschen de Língua Portuguesa

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/05/2018

Semana Malba Tahan na E.M. Roberto Simonsen

Tags: matemática, projeto, malba, tahan, 8ªcre.

 

O Dia Nacional da Matemática foi comemorado com muitas atividades na Escola Municipal Roberto Simonsen.

O aluno Jhonatan Cardoso, da turma 1902, sendo caracterizado como a Múmia, para o Labirinto do Terror

 

O escritor e também professor Júlio César de Mello e Sousa, mais conhecido como Malba Tahan, foi um dos maiores colaboradores na divulgação da Matemática no Brasil e no exterior. Tamanha foi a sua criatividade que ele mesmo inventou sua  biografia fictícia, além dos inúmeros contos semelhantes aos enredos das Mil e Uma Noites. 

Seja como escritor ou professor, seu trabalho sempre assume um tom didático. Por ele, a Matemática passa a ser pensada de uma forma inovadora para os padrões escolares da época, através de jogos de raciocínio matemático que enfatizam, sobretudo, a ludicidade.

Sua obra mais famosa é O Homem que Calculava, nela é narrada a trajetória de um calculista persa, que viaja por vários lugares demonstrando grande destreza para solucionar problemas matemáticos. 

 

 

Alunos resolvendo os desafios matemáticos no pátio da E.M. Roberto Simonsen

 

O Dia da Matemática no Brasil é comemorado no dia 06 de maio, dia em que também nasceu o professor Julio Cesar de Melo e Sousa.

Para comemorar a data, os professores de Matemática da Escola Municipal Roberto Simonsen organizaram a Semana de Matemática Malba TahanDessa forma, do dia 04 ao dia 11 de maio os alunos realizaram diferentes atividades que foram planejadas com base na obra de Malba Tahan. As tarefas realizadas foram importantes para desmistificar a disciplina, incentivar o raciocínio lógico e apresentar conceitos matemáticos de maneira lúdica e criativa.

 Márcio Luiz, professor de Geografia, e o aluno Denisson Vital, resolvendo um desafio com o Tangram

 

A Semana de Matemática  não foi só de brincadeiras e experiências. O pesquisador e professor da Fundação Oswaldo Cruz, André Pereira Neto, fez uma linda palestra sobre a vida e a obra de Malba Tahan, que é seu avô.

Com uma riqueza enorme de detalhes e curiosidades, o professor André Pereira discursou sobre a vida de seu avô para alunos atentos e bem curiosos. Sua palestra possuía fotos, documentos e de uma maneira interdisciplinar trouxe temas como História, Política e é claro Matemática!

A professora Raquel Tavares Scarpelli Moreira, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e Coordenadora da Região RJ04 do Programa OBMEP na Escola, também realizou uma palestra para os alunos, apontando toda importância e benefícios que são oferecidos aos medalhistas da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). 

 

 

Professora Raquel Scarpelli palestrando aos alunos e ao lado com a professora de Matemática Deise Lava

 

Como dito anteriormente, o dia da Matemática foi comemorado durante uma semana que seguiu o seguinte cronograma: 

 

Dia 04 de maio: Labirinto do Terror Matemático!

Dia 07 de maio: Exibição dos filmes "Donald no País da Matemágica!" e "Estrelas Além do Tempo"

Dia:08 de maio: Pesquisa sobre a Biografia de Malba Tahan e produção de cartazes e murais.

Dia 09 de maio: Palestra com o pesquisador e professor André Pereira Neto, neto de Malba Tahan.

Dia 10 de maio: Palestra com a professora Raquel Tavares Scarpelli, da OBMEP.

Dia 11 de maio: Gincana de Desafios e Jogos Matemáticos

 

 

Da esquerda para direita: professora de Matemática Deise Lava, o pesquisador André Pereira Neto, o professor de História Leonardo Pinheiro e o professor de Matemática Fernando da Rocha

 

A Semana da Matemática começou bem animada,  no primeiro dia, os alunos visitaram o Labirinto do Terror Matemático!

O labirinto foi feito por um grupo de alunos do 9º ano e caracterizou uma sala com o objetivo de receber os demais alunos. Os grupos ao entrarem no labirinto deveriam solucionar os desafios matemáticos de cada etapa, porém era inevitável não se deparar com as criaturas que lá os esperavam.

 

"O Labirinto do Terror Matemático foi um sucesso absoluto entre os alunos! A Semana da Matemática veio para ficar: Vai fazer parte do calendário oficial de nossa escola (...)"

                                                                                 Iussinara de Freitas - Diretora da E.M. Roberto Simonsen

 

 

Professores da Escola Municipal Roberto Simonsen

 

 

O Rioeduca parabeniza à E.M. Roberto Simonsen pela realização da I Semana de Matemática Malba Tahan!

 

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: E.M Roberto Simonsen

Localização: Rua Marechal Marciano, s/nº

Tel.: 3335-2408

Email: emrsimonsen@rioeduca.net 

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 30/05/2018

Nosso brincar sem muros: Trocas e conversas sobre o território

Tags: 3acre, caminhada, brincar.

 

Brincar sem Muros da Creche Municipal Engenho da Rainha

 

   

 

Durante o mês de abril, a Creche Municipal Engenho da Rainha desenvolveu o subprojeto “O corpo: Lugares e Infâncias”, norteado pelos princípios básicos das Diretrizes Curriculares Nacionais e pelos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento para a Educação Infantil da Base Nacional Comum Curricular. 

O enfoque da ação foi trabalhar o espaço da creche e o entorno, ou seja, o ir e vir dos alunos.

 

 

Famílias foram convidadas a participar do mapeamento do bairro, afetando positivamente a comunidade escolar, uma vez que o registro e as percepções levaram em consideração as experiências das crianças e dos responsáveis. Dessa maneira, as próprias pessoas se engajaram e vivenciaram um fragmento do espaço, por meio da interação emocional construída a partir dos sentidos (SCHMID, 2005).

 

 

E o que seria o trabalho da creche senão mexer com os sentidos? 

 

Segundo o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil (1998, vol 1, p. 21-22): “as crianças constroem o conhecimento a partir das interações que estabelecem com as outras pessoas e com o meio em que vivem. O conhecimento não se constitui em cópia da realidade, mas sim, fruto de um intenso trabalho de criação, significação e ressignificação”. Portanto, as interações que ocorrem nos espaços influenciam de maneira significativa no desenvolvimento e na aprendizagem da criança

 

 

Pensando nessas interações, a Unidade Escolar desenvolveu o Brincar sem Muros, momento em que as famílias puderam enviar fotos e a partir delas foram surgindo trocas e conversas sobre o território. 

 

Os locais mais citados e mais fotografados foram eleitos pelas professoras e elas juntamente com as crianças construiram maquetes para representar os pontos principais do bairro, como: “morro do Engenho”, “supermercado Guanabara”, “conjunto habitacional COROADO”, “Estação do trem de Tomás Coelho”, etc. Paralelamente a esta proposta, desenvolveu-se a história do bairro, (Engenho da Rainha) recontada por uma das professoras de maneira primorosa e fazendo com que os pequenos embarcassem nas aventuras da rainha Carlota e suas fazendas de cana de açúcar.

 

 

O ponto alto do projeto foi a caminhada pela rua da creche realizada juntamente com os responsáveis. Nela se pediu à população do bairro consciência quanto aos pontos negativos observados nas fotos. Literalmente fora dos muros da amada creche, se buscou construir pontes para que moradores percebessem e se unissem na luta por um bairro melhor.

.  

 

As crianças da Creche Municipal Engenho da Rainha caminharam alegremente, com suas famílias, pela rua da creche, buscando a conscientização da população para problemas reais do entorno que foram mapeamos durante todo o mês. Desse modo, as crianças ultrapassaram os muros da escola e mostraram o valor que a Unidade Escolar possui em sua formação. Creche: lugar de infâncias, lugar de cidadania, lugar de brincadeira, lugar de construção, lugar de semeadura!

 

Parabéns a todos os envolvidos !

 

Quer saber mais sobre?

Unidade Escolar: Creche Municipal Engenho da Rainha

Telefone: (021) 3272-5557

 

Contato para publicações:

 


   
           



Yammer Share