Rio Educa
A A A C
email
A Revolução Acontece: o blog da SME
Retornando 25 resultados para o mês de 'Abril de 2018'

Segunda-feira, 30/04/2018

Wolbito, O Mosquito do Bem!

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, saúde, pse, alfabetização.

 

Através de Atividade Lúdica, professores Alfabetizadores são chamados a participação na campanha “Aqui Mosquito não se cria 2018”.

 

Durante Encontro dos professores do Time de Alfabetizadores da 1ª Coordenadoria Regional de Educação, realizado no mês de Março, os participantes foram convidados, juntamente com seus alunos, a se engajarem na continuidade das ações de combate à Dengue, Zika e Chikungunya.

 

 


Através de atividades que uniram conhecimento e brincadeira, os professores participantes puderam aprender sobre o processo biotecnológico de modificação do mosquito Aedes Aegypti e sua transformação no “Wolbito”, o mosquito do bem, incapaz de transmitir o vírus das arboviroses. Transformação essa que ocorre no Aedes, quando o Wolbachia, um microorganismo que vive naturalmente nas células de alguns insetos, é inserido no mosquito, reduzindo sua capacidade de transmissão das doenças. Descoberto na Austrália e trazido para o Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, é um método natural, seguro e autossustentável.

 

 

Professora Renata Ricoca, apresentando a proposta de atividade com o Wolbito

 


As atividades propostas aos professores, proporcionaram que os mesmos conhecessem as diversas etapas do processo: a transformação do Aedes em Wolbito, a importância dos viveiros e a participação da FIOCRUZ nesse processo.

 

 

 


Foi discutido também a importância e o papel da Rede Municipal de Educação no apoio e na divulgação para que a sociedade entenda e participe da campanha, assim como,  o papel da escola como difusora do conhecimento científico e como transformadora da realidade.


Temas como biotecnologia, impactos ambientais , cadeia alimentar, equilíbrio ecológico, dentre outros, foram levantados como temáticas que poderão ser trabalhadas com os alunos .

 

Professora Mônica, dinamizando a atividade com os professores.

 


Os professores também conversaram sobre a capacidade de multiplicação da informação e sua territorialização no mapa da 1ª CRE.


Nesse contexto, foi proposta a utilização das Redes Sociais para compartilhamento das ações de sucesso no desenvolvimento do trabalho nas unidades escolares, através da hastag #wolbitona1cre.

 


E você, está fazendo sua parte ?

 


Para Saber Mais:

Gerência de Educação

Telefone: 2233-4839

E-mail: gedcre01@rioeduca.net

 



 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 30/04/2018

Projeto: Maleta Viajante

Tags: 6.ªcre, rio de leitores, maleta viajante.

 

O Projeto de Leitura Maleta Viajante, idealizado pela professora Aurelian Tenório, foi desenvolvido na C.M. Sônia Maria de M. Angel Jones, no 2º semestre de 2017 e continua durante o ano de 2018. Crianças entre 2 e 3 anos e 11 meses participam deste projeto de incentivo à leitura. Vamos conhecer um pouco deste trabalho de excelência?

 

O Projeto Maleta Viajante que continuará a ser desenvolvido durante todo o ano de 2018

 

O projeto Maleta Viajante: conte uma história a quem você ama, tem como objetivo despertar o amor à leitura e proporcionar oportunidades de interação entre aluno e responsáveis, contextualizando as literaturas com o PPA da escola. A Maleta Viajante contém um livro infantil, um caderno de registros e suas mascotes, Piteco e Leleco. A criança a leva para casa e o responsável realiza a leitura junto e à criança. Em seguida, o aluno ilustrará o momento que mais gostou da história, com a ajuda da pessoa que realizou a leitura para ele, em casa. O livro Registro de Histórias da Turma é colocado na Bebeteca como um precioso acervo e lembrança da turminha.

 

O projeto surgiu de diversas fontes inspiradoras, da paixão pelos livros e da necessidade de resgatar o hábito do adulto de contar histórias para a criança. A escolha dos títulos dos livros está de acordo com a proposta pedagógica da unidade escolar. Isso faz com que o pedagógico ultrapasse as paredes da instituição escolar e entre no meio familiar.

 

Hoje eu venho relatar sobre a nossa experiência, minha e do meu filho, em relação ao projeto Maleta Viajante. Quando ele trazia a maleta pra casa, era uma felicidade que só! Antes desse projeto eu não tinha o costume de ter um tempo para ler pro meu filho, mesmo eu amando a leitura. Ele nunca mostrou muito interesse. Com esse projeto, eu descobri o quanto é importante e maravilhoso ler para uma criança. Meu filho ficava encantado, enquanto me via lendo, prestava atenção e depois passava para o papel tudo o que tinha aprendido. Hoje meu filho adora livros e eu adoro ler para ele! Sem dúvidas, foi uma experiência maravilhosa e muito importante.” – depoimento da responsável Fabiane de Souza (mãe do aluno Enzo Costa / EI-32)

 

Responsáveis e alunos interagem com o material da Maleta Viajante

 

 

O momento do registro do que leram é uma das partes que os alunos mais gostavam

 

Bom, sobre o projeto Maleta Viajante, só tenho a agradecer, pois pra mim foi um momento mágico contar a história para a minha filha e ver ela prestando atenção e depois contando a história. Com isso, eu pude perceber que ela adorou a leitura. Depois desse projeto ela sempre vem com um livro para eu ler. Esse projeto foi muito bom para incentivar as crianças para a leitura. Eu adorei e ela também! Agradeço à professora e a todos que criaram esse momento com as crianças.” – depoimento da responsável Priscila (mãe da Camili / EI-32)

 

A aluna Ana Júlia Monteiro, do EI-32, levou para casa o livro “A Tartaruga Esperta”, de Nandika Chand. A leitura foi feita pela avó, a senhora Marilene Monteiro, que relatou que o projeto foi ótimo e estimulou tanto ela quanto os pais da pequena Ana Júlia a sempre ler para ela. A vovó do Gabriel Gatinho, a senhora Marilene Gatinho, leu para ele o livro “Chapeuzinho Amarelo”, de Chico Buarque. Ela disse que foi muito bom aproveitar este momento com seu neto e que ficou encantada em ver a imaginação dele.

 

Aluna da Creche Municipal realizando o registro da história lida

 

 

Todos os alunos ficavam muito felizes no dia de levar a Maleta Viajante para casa

 

 

Segundo o pai do Davi Leonardo, o senhor João Batista, a iniciativa de realizar este projeto foi muito boa. Segundo ele, foi uma forma de incentivar a leitura, que com a tecnologia ficou um pouco esquecida. O pai relatou ainda que sempre compra livros para seu filho , e solicita os livros do Itaú, pois acha fundamental a leitura. “Foi uma ótima iniciativa esta da creche de levar conhecimento para as crianças com os livros, pois muitas não tem o hábito de ler. Parabéns!”afirmou senhor João Batista

 

Maria Alice levou para casa o livro “Pais e Mães”, de Paulo Abissú. Sua mãe fez um relato emocionante: “A vinda da maleta viajante para nossa casa foi muito boa, pois reuniu a família para ler a história e depois desenhar. Depois do dia da maleta viajante, todos os dias contamos historinha.” relato da Viviane (mãe da Maria Alice)

 

No seu relato, a Agente de Educação Infantil, Lúcia Chaim, diz que o projeto da Maleta Viajante é muito interessante, pois enfoca a importância de ouvir histórias e do contato das crianças, desde cedo, com os livros. Além disso, promove divertidos momentos em família. É notório a alegria deles ao perceber a participação dos pais em suas atividades, fortalecendo assim o vínculo familiar, muito importante na educação e no desenvolvimento infantil.”

 

Leitura encenada

 

 

Registro do momento de leitura dos alunos em sala de aula

 

Segundo Regina (apud Silva, 2003, p.49), [...] a leitura capacita o ser humano a pensar e agir com liberdade, combatendo o autoritarismo e outros ‘ismos’ que sinalizam a reprodução das estruturas injustas da sociedade. Nesta esfera, a educação e a escola desempenham um papel de suma importância [...]

 

Fazer o ato de ler ser um marco na vida dos nossos alunos é uma grande honra e um privilégio. Proporcionar momentos únicos entre esse aluno e familiares é muito mais que cumprir com objetivos curriculares, é semear laços e ampliar sentimentos fraternos e vindouros. Parabéns a toda equipe da C.M. Sônia Maria de M. Angel Jones pelo trabalho de excelência que realizam com os alunos. É um orgulho tê-los na 6.ª CRE!

 

Quer conhecer um pouco mais do trabalho desenvolvido pela equipe da C.M. Sônia Maria de M. Angel Jones? Entre em contato com a Unidade Escolar!

 

C.M. Sônia Maria de M. Angel Jones

E-mail:cmsjones@rioeduca.net

Telefone:3448-1693

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 20/04/2018

Água, nosso bem mais precioso!

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Escola Municipal Mario Lago desenvolve projeto com os alunos sobre a importância da água


A E/CRE (10.19.065) Escola Municipal Mario Lago está localizada à Rua Nilton de Souza Filho, s/n° - Conjunto Manguariba - Paciência. A unidade atende a 19 turmas em horário parcial, com 540 alunos do 1° ao 6° ano experimental do Ensino Fundamental, Classe Especial e Sala de Recursos. Tem como diretora, a professora Katia Gonçalves Bezerra, como diretora adjunta, a professora Jeane Catizano Fortunato Costa, e como Coordenadora Pedagógica, a professora Maria Cristina Machado Inácio.

 

Parte da equipe da E. M. Mario Lago

 

Em 1993, a Organização das Nações Unidas, ONU, institui o Dia Mundial da Água, buscando alertar a população mundial em relação a importância deste mineral para a vida de todos os ecossistemas e destacando a necessidade de cuidado e proteção deste bem comum.

 

Preocupada em formar cidadãos atuantes e conscientes, para a construção de uma sociedade mais digna, equilibrada e feliz, a equipe da Escola Municipal Mário Lago organizou, em consonância com o Projeto Político Pedagógico da Unidade Escolar, o projeto: “Água, nosso bem mais precioso”, com o objetivo de desenvolver nos alunos a consciência global assim como alertar a comunidade interna e externa sobre as responsabilidades individuais no cuidado com este mineral para o bem coletivo.

 

Todas as turmas, do 4° ao 6° ano Experimental, realizaram pesquisas sobre o tema e, além disso, aconteceram debates, apresentações e seminários. Como conclusão de toda esta investigação e produção, os discentes organizaram um estande externo apresentando o resultado de todo o trabalho desenvolvido ao longo do mês.

 

Alunos que participaram do projeto

 

— Alguns cartazes foram posicionados na entrada da escola, buscando conscientizar e alertar não somente quem participa do ambiente escolar, mas também aqueles que passam nas proximidades da escola, sendo convidados a participar das atividades e assistir as experiências e constatações. — afirma a diretora Katia

— Aproveitando o trabalho em relação à agua é o alerta à comunidade, realizamos atividade conjunta com o projeto “Aqui mosquito não se cria”, onde nossos alunos do 5° ano apresentaram o resultado de suas pesquisas, realizaram experiências e ofereceram sugestões do que cada um pode fazer para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti na comunidade de Manguariba e adjacências. — comenta a Coordenadora Maria Cristina

 

Alunos com cartazes sobre o Aedes Aegypti

 

Os alunos explicaram as características de cada uma das doenças transmitidas pelo mosquito, formas de contaminação, condições para proliferação e formas de prevenção. Além disso, esclareceram a comunidade quanto ao wolpto, o mosquito do bem, criado pela Fiocruz para tentar conter a doença. Destacaram suas características formas de atuação, ideologia e aplicabilidade.

 

— A comunidade recebeu bem a iniciativa do projeto, participando de forma ativa e intensa. Avaliamos, assim, o projeto como produtivo e eficaz, provocando efeitos práticos na comunidade e motivando nossos alunos. — afirma a diretora adjunta Jeane.

 

 

Equipe gestora da E. M. Mario Lago

 

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.065) Escola Municipal Mario Lago
E-mail: emmariolago@rioeduca.net
Telefones: 3292-6195

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 20/04/2018

Visita do Escritor Rogério Andrade Barbosa na E.M. Barão do Amparo

Tags: escritor, rogério andrade barbosa, sala de leitura, 5ªcre.

 

 

 A E.M. Barão do Amparo recebeu, no dia 28 de novembro de 2017, a visita do ilustre escritor Rogério Andrade Barbosa, que desde o dia da confirmação de sua presença, provocou um borbulhar de muita alegria e orgulho.

 

 


Durante o ano letivo, a escola trabalhou o Projeto Contos, Cantos e Encantos, e entre muitos livros, a Professora de Sala de Leitura, Marcia Brum, apresentou aos alunos e ao corpo docente, algumas das inúmeras obras do escritor Rogério Andrade Barbosa. Todos ficaram encantados com os Contos e Histórias Africanas, recontadas pelo estimado autor.

 

 


Professores e alunos, prepararam várias atividades, murais, cartazes, músicas, paródias, danças para apresentar no dia tão aguardado: a visita do escritor. A escola ficou bela com a exposição dos trabalhos!

Com a presença tão agradável do competente, premiado e carismático escritor, o dia foi maravilhoso e inesquecível.

 

 


As crianças sentiram-se encantadas e felizes ao conhecer o autor de muitos livros lidos por eles. Os professores ficaram contentes com o resultado obtido, pois a Unidade Escolar ficou enriquecida com a experiência de vida e a obra literária do escritor Rogério Andrade Barbosa, que os presenteou com uma conversa agradável  e com muita troca na Sala de Leitura da escola.

 

Autor conta histórias trazidas da África e rege os alunos ao som da Kalimba!

Sobre o autor:


Rogério Andrade Barbosa é um escritor brasileiro que percorre a África em busca de histórias infantis dos países de Língua Portuguesa. Nas histórias recolhidas pelo autor, cruzam-se lendas e narrativas da cultura oral africana povoadas por animais e seres mitológicos. 

Para recolher os contos, o escritor, viaja com frequência para vários países africanos, onde visita escolas, pedindo às crianças que lhe contem as histórias ouvidas dos pais e avôs. A especialidade do autor Rogério Andrade Barbosa, através de seus livros e vivências, é descortinar a África para as crianças e jovens do Brasil.

Ele possui mais de 90 livros publicados, milhões de exemplares vendidos para vários países e diversos prêmios literários. A paixão pelas narrativas africanas, começou quando foi professor voluntário da ONU, na Guiné-Bissau, de 1979 a 1981. Quando regressou ao Brasil, em 1981, tinha dois grossos diários com histórias e lendas, e decidiu passar a escrito os contos que recolheu. (Informação do site http://portocanal.sapo.pt/noticia/67057)

 

Sobre a escola:

Unidade Escolar: Escola Municipal Barão do Amparo
Diretor: Eloisa Jesus da Silva

Endereço: Rua Ana Teles 30, Campinho
Telefone: 3018-2319 | 3018-2463
E-mail: emamparo@rioeduca.net 


   
           



Yammer Share