A A A C
email
A Revolução Acontece: o blog da SME
Retornando 28 resultados para o mês de 'Fevereiro de 2014'

Terça-feira, 18/02/2014

Professor Rafael Procópio e o Canal Matemática Rio

Tags: matematica, youtube, professores.

Professor da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro cria o Canal no YouTube Matemática Rio, a partir de vídeos criados por ele mesmo para suas aulas.

 

Rafael Rodrigues Procópio leciona na Escola Municipal Rosa da Fonseca (Vila Militar) e vem fazendo muito sucesso junto aos seus alunos.

 

Vamos conhecer um pouco mais a trajetória desse jovem professor que é um autodidata na produção de seus vídeos e de como ele passou a fazer parte do YouTube Edu.

 

- Como surgiu a ideia do Matemática Rio?

Rafael: Sempre gostei de gravar vídeos e quando percebi que o YouTube poderia servir como ferramenta pra eu guardar meus vídeos, então decidi usá-lo, mas sem intenção de me tornar famoso ou algo do tipo. A princípio eu queria apenas guardar meus vídeos na internet e usar vez ou outra nas minhas aulas. Mas com o passar do tempo as pessoas foram descobrindo os vídeos e o canal foi ganhando inscritos e as visualizações foram aumentando. Então decidi lançar mais vídeos e cá estou hoje, orgulhoso do canal Matemática Rio!

 

- Quando você decidiu tornar-se professor? Qual a sua graduação e cursos de extensão, e qual a importância de ambos na sua formação?

Rafael: No ensino médio a minha dúvida era entre ser professor de matemática ou de língua portuguesa. Sempre sonhei em ser professor. Decidi pela matemática quando expliquei pra uma amiga minha da escola sobre uma matéria que ela estava com dúvidas e ela tirou nota máxima. Me senti tão bem que resolvi ser professor de matemática! Me formei na Universidade Gama Filho, aqui no Rio de Janeiro, e fiz pós-graduação Lato Sensu (especialização) em Ensino de Matemática na UFRJ. Também fiz inúmeros cursos de capacitação, tanto de forma independente quanto pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Tudo isso agregou muita coisa à minha formação, me fez enxergar mais longe e aprimorar as minhas práticas. Mas na parte tecnológica mesmo, tudo que aprendi foi colocando a mão na massa e fazendo. Foi por tentativa e erro.

 

 

- Você acredita que, atualmente, a relação professor x aluno mudou? Por quais motivos? Os métodos tradicionais de ensino estão ultrapassados?

Rafael: Eu já passei por realidades bem diferentes na minha profissão. Dou aulas há uns 10 anos. Comecei com Ensino de Jovens e Adultos, primeiramente na rede particular e depois que me formei na rede estadual do RJ, e a relação com os alunos era bem respeitosa, apesar da minha pouca idade na época (comecei com 19 anos, hoje tenho 30). Depois fui para a SME-RJ para dar aulas para o ensino fundamental dentro de uma comunidade carente em Bangu, bairro da Zona Oeste carioca. Ali a relação professor x aluno era mais complicada. O dia-a-dia de violência, a pouca intervenção dos responsáveis na educação dos filhos, tudo contribuía para um ambiente difícil de aprendizagem. Fiquei nesse lugar por 3 anos. Depois mudei de escola, pois eu estava desanimado e queria respirar novos ares. Fui para uma na Vila Militar chamada Escola Municipal Rosa da Fonseca, onde estou até hoje. E foi nessa escola, com o convívio com os meus alunos, que criei o canal de vídeos e o desenvolvi também com a ajuda deles (em muitos vídeos eu filmo com os meus alunos da Rosa da Fonseca). Sou muito feliz onde trabalho, a minha relação com os alunos é a melhor possível. Há, claro, alguns alunos mais difíceis de lidar, gente com problemas diversos, mas no geral é muito legal. Eu não acho que nenhuma metodologia está ultrapassada. Mas devemos sempre buscar o conhecimento e tentar coisas novas. Mas cada professor deve dar a sua aula da maneira que se sente mais confortável, porém não deve nunca se acomodar. A busca por novos métodos é gratificante e os alunos gostam também das novidades. Uma aula mais dinâmica, onde o aluno participa mais ativamente, acaba por melhorar a relação professor x aluno.

 

 

- Existem projetos paralelos ao Matemática Rio? Em que escolas você leciona e em que locais presta serviços relacionados a Educação?

Rafael: Eu tenho vários canais no YouTube. Atualmente tenho me dedicado mais ao Matemática Rio. Mas tenho também: Minuto da Física (tradução autorizada do MinutePhysics); Minuto da Terra (tradução autorizada do MinuteEarth); Minuto Matemática; Minuto Ciência; Ciências Gerais. É muito canal pra uma pessoa só! rss Pra aumentar a qualidade dos vídeos, decidi focar mais no Matemática Rio e no Minuto Matemática, mas os outros canais não morreram. Eu leciono apenas na Escola Municipal Rosa da Fonseca, que citei na pergunta anterior. Também sou professor educopedista, meus vídeos são aproveitados numa plataforma educacional da SME-RJ chamada Educopédia (http://www.educopedia.com.br), desenvolvida de forma colaborativa por vários professores, de todas as disciplinas, e que aborda o ensino fundamental. E também faço os vídeos por hobby para o YouTube, hehe.

 

 

- Como você adquiriu conhecimento para comandar todo o processo de criação de seu conteúdo? Você quem cria as letras, paródias e roteiros? É a favor do autodidatismo?

Rafael: Eu sou uma equipe de um homem só. Quando preciso, minha noiva me ajuda com as filmagens, mas normalmente faço tudo sozinho. E as coisas que aprendi para a produção dos vídeos foi através do método tentativa e erro. Sempre gostei de botar a mão na massa e fazer. Aí vou ajustando e melhorando com o passar do tempo e conforme vou aprendendo melhor. Quando tenho dúvidas recorro a tutoriais no próprio YouTube, me considero autodidata nesse quesito produção de vídeos. Mas em novembro de 2013 tivemos uma semana de curso intensivo no YouTube Brasil, chamado YouTube Creator Camp Brazil 2013, com canais como Porta dos Fundos, Galo Frito, Jovem Nerd, Manual do Mundo e Vestibulândia, onde pude aprender muita coisa mesmo e que já estou utilizando nos vídeos novos.

 

- Como você avalia o desempenho dos seus alunos após a consolidação do Matemática Rio como material de apoio?

Rafael: No geral eu percebo que o rendimento aumentou sensivelmente. Ainda há muito o que aperfeiçoar e o potencial é enorme. Mas a análise das notas dos alunos da minha escola mostram uma melhora. Claro que os méritos não são só meus, mas de toda a equipe da Escola Municipal Rosa da Fonseca. É muito bom ter colegas e a direção e coordenação pedagógica me apoiando em tudo o que faço. Faz toda a diferença.

 

- Existe alguém que lhe inspira a realizar vídeos educacionais para a internet?

Rafael: O canal que mais admiro no YouTube Brasil é o Manual do Mundo, do Iberê Thenório. Aliás, com ele aprendi muita coisa e utilizo nos meus vídeos os ensinamentos que recebi dele. O estilo dele eu acho parecido com a meu. Mas há outros canais bacanas como o Numberphile (em inglês) e o MinutePhysics (em inglês). O próprio Khan Academy no início foi uma inspiração legal, meus primeiros vídeos seguiam a linha do Khan.

 

 

- Como rolou o convite para participar do YouTube Edu? Como tem sido o retorno dos internautas e dos alunos? Existe troca de conhecimento entre os professores que fazem parte da plataforma?

Rafael: Fiquei muito feliz com a escolha do Matemática Rio para participar da primeira fase do YouTube EDU. Recebi um email me comunicando da escolha do meu canal, foi muito legal. O feedback que recebo é, com exceção dos haters da internet, muito positivo! Adoro quando recebo mensagens de alunos e professores dos mais diversos cantos do Brasil, bom saber que ajudo de alguma forma na melhoria da educação do meu país, já que o YouTube acaba democratizando o ensino, pois a mesma aula que uma pessoa no Rio e em São Paulo assistem pode ser também assistida no interior do Amazonas e no Sertão Nordestino. A troca entre os professores da plataforma acaba acontecendo através de conversas pelas redes sociais e quando nos encontramos pessoalmente. Essa troca de experiências é muito legal!

 

- A Educação no Brasil passa por um momento de transição. Na sua opinião qual o papel da EAD e dos vídeos educacionais neste processo?

Rafael: Eu ainda não vejo a Educação brasileira como prioridade, pelo menos para o governo em geral. Vejo iniciativas privadas (Fundação Lemann, Google, professores inovadores), mas não vejo ainda como política pública. Temos ainda escolas em péssimo estado e sem infraestrutura em todo o país. Ainda falta o professor ser valorizado, os salários são muito baixos na maior parte do Brasil. Mas a iniciativa de quem quer, de fato, mudar o quadro da nossa Educação eu vejo com bons olhos. Os vídeos são uma excelente ferramenta de aprendizado, uma vez que o estudante pode pausá-lo, assisti-lo quantas vezes quiser e interagir nos comentários ou tirando dúvidas de outras formas. Claro que os vídeos não devem ser usados sozinhos, nada substituirá a figura do professor em sala de aula, eu considero a interação física importante, o olho no olho de uma aula presencial é legal e tem seu valor. Mas a EAD vem crescendo e obtendo sucesso e isso é excelente. Qualquer coisa que torne a prática de estudo mais prazerosa e fácil é bem-vinda.

 

 

Conheça os Canais do Matemática Rio nas redes sociais:

http://www.youtube.com/MatematicaRio

http://www.facebook.com/MatematicaRio

http://www.twitter.com/MatematicaRio

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 17/02/2014

I Prêmio Paulo Freire de Educação 2014

Tags: premio, educaçãoinfantil, ciep.

 

A Associação dos Pedagogos do RN – ASPedRN, divulga a lista dos projetos vencedores no I Prêmio Paulo Freire de Educação. Foram escolhidos os 3 melhores projetos de cada categoria, conforme o regulamento do prêmio. Destacamos aqui na Modalidade I – PEDAGOGOS a professora Michelle Dantas Ferreira, que tirou o 1º Lugar com o Projeto “SocioTecnopasseando”, que desenvolveu com sua turma de Educação Infantil do CIEP Doutor Adão Pereira Nunes na 6ª CRE.

 

Professora Michelle e sua turma chegando ao prédio localizado no Largo do Machado RJ após sair da estação do Metrô de mesmo nome.

 

“No ano de 2013 recebi uma turma de Educação Infantil na faixa etária de 4/5 anos. Sempre gostei de trabalhar com aula passeio e com as tecnologias, mesmo nesse segmento, por isso incorporo essas práticas ao currículo. A escola em que leciono é um CIEP da Prefeitura do Rio de Janeiro e está localizada no bairro de Irajá, atendendo as comunidades de Acari e Fazenda Botafogo. Esse local conta com um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da América Latina. As crianças, portanto são muito carentes de afeto e de cultura.”


“O Projeto Político Pedagógico da escola prioriza a ampliação do capital cultural dos alunos e vem por meio de temas geradores apresentando assuntos diversificados. No já referido ano trabalhamos as Grandes Culturas da Civilização (Greco-romana, Pré-colombiana, Oriental e Africana) e utilizamos das aulas-passeio e das ferramentas tecnológicas para aprimorar nossos conhecimentos com relação ao PPP.”


Professora Michelle Dantas

 

Veja algumas imagens do projeto:

 

Como parte do projeto a apresentação dos alunos para as outras turmas de EI sobre o trabalho realizado com os instrumentos musicais e a literatura de cordel.

 

Professora Michelle pesquisando na internet utensílios utilizados pelos povos Pré-colombianos.

 

A turminha localizando os povos pré-colombianos no Mapa Mundi.

 

A turma trabalhando com a Educopédia no Auditório.

 

Professora Michelle na Exposição Gênesis no Museu do Meio Ambiente - Jardim Botânico.

 

Professora Michelle na Casa Daros Museu – Exposição Le Parc que trata sobre luz e sombras.

 

 

Clique aqui para conhecer, na íntegra, o projeto da professora Michelle. 

 

 

SOBRE O PRÊMIO PAULO FREIRE DE EDUCAÇÃO

 

O I Prêmio Paulo Freire de Educação foi idealizado pela Associação dos Pedagogos do Rio Grande Norte, Regional Trairi e é promovido por esta mesma associação.


Foi pensado visando valorizar e homenagear projetos didático-pedagógicos bem sucedidos em instituições escolares, como também homenagear o Patrono da Educação brasileira, considerado um dos maiores educadores do mundo, Paulo Freire.


Paulo Freire dedicou a sua vida à Educação, defendendo uma educação emancipadora e consonante com as realidades vivenciadas pelos educandos. Ele trouxe uma nova visão para a Educação dos Jovens e Adultos (EJA) e problematizou questões primordiais que nortearam, e norteiam, a pedagogia brasileira.


O Prêmio é destinado a Pedagogos e professores de diversas áreas do conhecimento que atuem na Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio.
 

Fonte: http://premiopaulofreire.blogspot.com.br/

 

 

Parabéns professora Michelle, que seu exemplo contagie muitos colegas da nossa rede.

 


 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 14/02/2014

Era Uma Vez... Sala de Leitura Menino Maluquinho

Tags: 5ªcre.

 

A Escola Municipal República Dominicana reinaugurou sua Sala de Leitura no fim de 2012. Foram dias de muita preparação e trabalho. Eleito o nome da Sala de Leitura, quem venceu foi toda comunidade escolar que a denominou "Menino Maluquinho".

 

Foi exatamente no dia 29 de novembro de 2012 que a Escola Municipal República Dominicana reinaugurou com muita alegria e trabalho sua sala de leitura, que recebeu o nome de Menino Maluquinho.


Estavam presentes a antiga Coordenadora da 5ª CRE, professora Célia Regina Nápole, as professoras Rute (GED), Elza Caputo, antiga diretora da escola e aposentada, Jussara Araujo, ex-professora da escola, aposentada, a diretora adjunta da E.M. Mestre Darci do Jongo, Roberta Cecília, a Coordenadora do Projeto Bairro Educador, as representantes do programa Saúde na Escola, a representante do Rioeduca na 5ª CRE, professora Regina Bizarro; professores e alunos da escola.

 

Após os momentos iniciais e solenes, aconteceu a entrega dos certificados "Leitores do Ano" aos alunos que mais se destacaram pegando livros emprestados do acervo da sala de leitura. Logo após, foi oferecido um coffee break aos alunos e convidados.

 

 

Estiveram coordenando a reinauguração da sala de leitura: a diretora da escola, professora Maristela Tantos, e a professora Elisa Bamonte, regente da sala de leitura.

 

Alunos apresentaram depoimentos escritos, leitura de mensagem e uma adaptação do livro O Menino Maluquinho, de Ziraldo.

 

Até o Menino Maluquinho compareceu à reinauguração da sala de leitura que recebeu seu nome!

 

 

Mas, para que esses momentos tivessem esta linda repercussão, a equipe da Escola Municipal República Dominicana desenvolveu o projeto que culminou nesse dia tão importante para toda comunidade escolar, o projeto Sala de Leitura da República.

Projeto Sala de Leitura da República

 

  • Justificativa: Desde a reinauguração da Escola Municipal República Dominicana, situada na Rua Compositor Silas de Oliveira, 113, em Madureira, que a sala de leitura não possuía um nome, um autor homenageado. Simplesmente chamava-se "sala de leitura". Então pensamos, por que não fazer uma eleição direta entre os alunos e todos os funcionários da escola para escolhermos um nome para a Sala? Seria uma maneira bem democrática de darmos um nome a este espaço de leitura, e ainda mais sendo nomeada pela comunidade escolar!

 

  • Objetivo: Regulamentar o nome que será dado à Sala de Leitura, como a escolha deste por voto direto de alunos, professores, direção, coordenação, funcionários e estagiários.

  • Desenvolvimento: Pensamos nos autores nacionais. Pesquisamos alguns nomes relacionados à literatura infanto-juvenil brasileira para a homenagem. Mas os mais conhecidos e trabalhados com os alunos já haviam sido escolhidos para outras salas de leitura da rede. Queríamos um nome inédito.

 

Uma nova ideia surgiu: por que não dar o nome de um personagem famoso de um autor conhecido pelos alunos? E apareceram quatro nomes: Marcelo Marmelo Martelo, de Ruth Rocha, O Menino Maluquinho, de Ziraldo, Emília e Visconde de Sabugosa, de Monteiro Lobato.

 

Os alunos trabalharam os personagens através dos livros, tiveram acesso às biografias dos autores, assistiram a entrevistas através de vídeos, filmes, dramatização, capítulos do seriado Sítio do Picapau Amarelo, realizaram trabalhos de controle motor, de leitura e escrita.

 

Ruth Rocha, Ziraldo e Monteiro Lobato também foram trabalhados pelos professores regentes das turmas. Esse projeto foi compartilhado por toda a escola.

 

A avaliação não podia ter sido melhor. Alunos, professores, convidados, funcionários, estagiários, todos foram unânimes em dizer que foi a melhor possível.

 


 

Foi uma comemoração linda!

 

Parabéns a toda equipe da Escola Municipal República Dominicana que, sempre unida, desenvolve grandes projetos para sua comunidade escolar, aumentando o comprometimento com a qualidade da educação oferecida aos seus alunos.

 

Conheçam o blog da Sala de Leitura Menino Maluquinho clicando na imagem.

 

 

  

 Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro.

Representante do Rioeduca na 5ªCRE _ Professora Regina Bizarro

Twitter: @rebiza

Facebook: https://www.facebook.com/messages/100003368450955#!/rebiza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                                


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 14/02/2014

Educação Infantil em Foco

Tags: 10ªcre.

 

Com o foco no Projeto Político Pedagógico da Unidade, cujo tema é “Gentileza, gera gentileza”, a Semana da Educação Infantil para a Escola Municipal Professor Francisco José Antônio teve um gostinho todo especial!

 

O principal objetivo desse trabalho foi promover aos alunos e responsáveis momentos agradáveis de interação com seus filhos e com a comunidade escolar. Além de promover a conscientização do cuidado com os outros e de desenvolver os valores necessários a uma convivência saudável, tem como objetivo conscientizar a família de seu papel fundamental no desenvolvimento pessoal e acadêmico de suas crianças. As atividades foram iniciadas com o projeto dos livros da “Minha primeira biblioteca”.


A turma EI 10 desenvolveu suas atividades baseados no livro "Um Pirata Muito Só", de Denise Crispun.


O pontapé inicial foi dado quando, ao ler a história para os alunos, as crianças observaram a ilustração final da história, onde constataram que o tesouro encontrado pelo pirata foi uma família. A partir desse ponto, começou então uma “caça ao tesouro”, para que cada aluno pudesse viver com seus responsáveis a alegria de buscar este tesouro, que é a família.

 

Foi decidido em grupo, quais partes da história retrataríamos. As escolhidas foram:

 

1. O mar com o barco.

2. A ilha.

3. O fundo do mar.

4. A ponte.

5. O baú.
 

E então, começaram os trabalhos:

 

Alunos ilustrando as passagens do livro "Um Pirata muito só"

 

Alunos ilustrando as passagens do livro "Um Pirata muito só".

 

Outra atividade realizada foi a colagem com o retrato de cada criança, caracterizando-a de pirata com a técnica de recorte e colagem. E outra colagem com corações em um retrato da família.

Atividades de corte e colagem , desenvolvidas do livro "Um Pirata muito só"

 

Então, no dia 30 de agosto, os responsáveis foram convidados a “embarcar” em um “Navio Chamado Imaginação” juntamente com os filhos! Depois de todos acomodados, foi pedido que cada responsável se caracterizasse e que colocassem nos filhos, uma bandana de pirata.

 

Atividade desenvolvida com alunos e reponsáveis, interação familiar.

 

Após, foi exibido um vídeo do making-off de todas as atividades desenvolvidas e, posteriormente, todos saíram em busca das pistas para chegar ao tesouro!

 

Atividades de "caça ao tesouro" , desenvolvidas com alunos e responsáveis.

 

Responsáveis participando das atividades.

 

Ao final da caçada, cada um se deliciou ao pegar o seu tesouro: SUA FAMÍLIA. Juntos, posteriormnete, sentaram para ouvir a história "Um Pirata Muito Só" embaixo da amendoeira.

 

Momento de integração familiar: alunos, responsáveis e Unidade Escolar.

 

Foram realizadas também as seguintes atividades, contextualizadas a história:


ATIVIDADES DE PRODUÇÃO ESCRITA:


• Produção Textual Coletiva;

• Escrita de listas com os nomes dos familiares;

• Pesquisa de letras e sílabas com os nomes;

• Marcação no texto e em frases, do início e final das palavras, e delimitação dos espaços entre as palavras.

 

ATIVIDADES DE CONHECIMENTO LÓGICO-MATEMÁTICO:


• Montagem de barquinhos de formas geométricas;

• Experiências de Contagem.


ATIVIDADES DE CONHECIMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS:


• Esquema Corporal;

• Animais Marinhos.


ATIVIDADES DE CONHECIMENTOS SOCIAIS:


• Relações de respeito aos mais velhos e aos amigos e familiares.


ATIVIDADES DE MOVIMENTO:


• Dramatizações;

• Coreografias;

• Circuitos motores.


VÍDEOS DAS ATIVIDADES:


LISTA DE REPRODUÇÃO:

http://www.youtube.com/playlist?list=PL6o6HYvh55H6O0tfHpHT4EldVhdhKAhqy

 

• OS PIRATINHAS - CONVITE PARA A II SEMANA DE EDUCAÇÃO INFANTIL 2013:

http://www.youtube.com/watch?v=8effrl6k-58&list=PL6o6HYvh55H6O0tfHpHT4EldVhdhKAhqy&index=1

 

• UM PIRATA MUITO SÓ – A grande exposição:

http://www.youtube.com/watch?v=yaRM3uwvDhE&list=PL6o6HYvh55H6O0tfHpHT4EldVhdhKAhqy&index=2

 

Parabéns aos Gestores!

Parabéns aos Professores!

Parabéns a toda Comunidade Escolar!

 

Suelen Corrêa

é professora da rede municipal

e representante do Rioeduca da 10ªCRE

suelencorrea@rioeduca.net

twitter: @suelencorrea29


 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share