A A A C
email
A Revolução Acontece: o blog da SME
Retornando 25 resultados para o mês de 'Novembro de 2016'

Quarta-feira, 30/11/2016

Aula Passeio ao Museu de Arte do Rio

Tags: 7ªcre, projetos.

 

 

 

Sob a temática do projeto anual “Rio, juntos somos mais artes”, alunos do EDI Monsenhor Cordioli vivenciaram no mês de outubro uma aula passeio ao Museu de Arte do Rio – MAR, para conhecer um pouco da cidade do Rio de Janeiro e sua história.

 

As turmas EI 11 e EI 13 do EDI Monsenhor Cordioli participaram de uma aula passeio ao MAR - Museu de Arte do Rio, considerando que é muito importante para crianças da Educação Infantil, por propiciar o aprendizado de modo lúdico e estimulante, fazendo com que elas se conectem a outras realidades não contempladas em sua vivência cotidiana.

 

  Aula Passeio ao MAR.

 

Durante o trajeto de ida e volta da Cidade de Deus ao Centro do Rio, as crianças aprenderam e experimentaram a importância do uso do cinto de segurança. Foram observando a geografia e a paisagem dos bairros, encantaram-se quando passaram pelo túnel da Linha Amarela, observaram a diferença entre os prédios e as casas, visualizaram os diferentes meios de transporte: VLT, ônibus, carros e avião.

 

Aprendendo a importância do uso do cinto de segurança.

 

As crianças do EDI Monsenhor Cordioli  puderam aprender também o cuidado com o meio ambiente, jogando o lixo do lanche no lugar certo, partilharam o lanche que levaram com outras crianças e com isso descobriram como é bom dividir e saborear juntos o alimento e os saberes.

 

   Partilhando lanche e aprendendo a cuidar do lixo.

 

Ao chegarem ao Museu encantaram-se com a obra Morrinho. Chamou-lhes a atenção às cores, o material reciclado e como foi feito o Cristo, a presença dos carros de polícia nas ruas e becos (realidade vivenciadas por eles na comunidade onde moram), a disposição dos materiais que apresentam as moradias e as ruas do Rio.

 

 Aprendendo sobre a exposição Morrinho.

 

Olhando para parte externa do Museu as crianças visualizaram um pouco da Região Portuária. Viram o “Museu do Amanhã”, a Praça Mauá, a ponte Rio - Niterói, fizeram questionamentos sobre o que estavam vendo e o que achavam ao olharem a arquitetura do entorno. Fizeram uma leitura do Rio de ontem e o de hoje e como elas querem o Rio para o amanhã.

 

                      Descobrindo o Rio de Ontem e de Hoje, a Cor do Brasil, a Fauna Brasileira e a Independência.

 

Além disso, percorreram a exposição Leopoldina, Princesa da Independência, das artes e das ciências, viram quem era a princesa Leopoldina, o príncipe D. Pedro I, conheceram as vestimentas, mobiliários e transporte da época.

Concluíram a aula passeio vendo a exposição A cor do Brasil. Apreciaram alguns quadros que retratavam os imigrantes, encantaram-se com a fauna, com os índios e seus instrumentos.

Essa atividade trouxe muitos ensinamentos para as crianças e para as educadoras. Ambas conseguiram compreender que de fato quando estamos juntos somos mais e muito mais artistas.

 

Parabéns à todos os envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato do EDI Monsenhor Cordioli:

edicordioli@rioeduca.net

 

Contato para publicações:

robertavitagliano@rioeduca.net

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 29/11/2016

Jornal Olímpico e Paralímpico da E. M. Noronha Santos

Tags: 6ªcre, jornal, olimpíada, paralimpíada.

 

 

O Jornal Olímpico da Escola Municipal Noronha Santos foi lançado no segundo semestre deste ano e trouxe várias reportagens sobre os jogos olímpicos e paralímpicos realizados com os alunos do 1.º ano do ensino fundamental.

 

Alunos repórteres do 1.º ano se preparando para entrevistar professores e funcionários

 

Trabalhar com o jornal na escola é muito mais que divulgar informações, fazer propagandas e realizar atividades em grupo. Vai muito além, busca desenvolver a criatividade, o espírito crítico, a expressão oral e a escrita. É conhecer a realidade, os problemas locais, a cultura de um povo. 

Por isso, as professoras Ana Maria Cordeiro Costa e Michele Esteves Barabani Alves, da Escola Municipal Noronha Santos, localizada em Ricardo de Albuquerque - RJ, utilizaram o jornal com os alunos do 1.º ano para trabalhar o tema Olimpíadas, já que a Cidade Maravilhosa foi o palco deste grande espetáculo.

Segundo as professoras, esta atividade teve por objetivos:

- Compreender o funcionamento e a relevância das Olimpíadas e das Paralimpíadas para os atletas, para os portadores de deficiência e para o cidadão carioca;

- Promover a interação entre os alunos e os funcionários da escola;

- Estimular a desenvoltura e a clareza na comunicação e expressão dos alunos;

- Possibilitar a compreensão dos mecanismos necessários para elaboração e realização de uma reportagem.

 

Entrevista realizada pelos alunos com uma professora da escola

 

Várias atividades foram realizadas com os alunos do 1.º ano: manuseio e observação de jornais e revistas; confecção de listas de esportes e países que participaram do evento; apresentação e atividades diversas sobre o gênero textual jornalístico e pesquisas de reportagens e fotografias que estivessem falando sobre as Olimpíadas e Paralimpíadas.

Os alunos estavam doidos para colocar em prática tudo o que aprenderam sobre o tema em questão. Eles organizaram, junto com suas professoras, um roteiro para entrevistar funcionários e professores da escola sobre o tema que tinham trabalhado em sala de aula. “Os grupos ficaram empolgados com a atividade. Alguns alunos mostraram-se tímidos e preferiram apenas assistir”, relatou a professora Michele Esteves.

De acordo com as professoras Ana Maria e Michele, as crianças ficaram muito felizes ao assistir as entrevistas. Uma das alunas chegou a perguntar quando sua entrevista passaria na televisão, pois queria avisar aos seus pais e ao avô. Foi um momento de muita empolgação e realização para todos os alunos. 

 

Vôlei sentado, esprote realizado na aula de Educação Física

 

A professora Elaine, de Educação Física, realizou com os pequenos vários jogos que estavam nas competições. Um deles foi o vôlei sentado, um esporte Paralímpicos que foi criado com o intuito de ajudar as pessoas com deficiência motora a poder praticar um esporte e também ajudar na integração social. O outro foi a corrida de cegos, que contou com a participação dos alunos em dupla.

 

Corrida de cegos, esporte realizado na aula de Educação Física

 

Após todo este trabalho, a equipe resolveu criar um jornal impresso para reunir todas as atividades que foram desenvolvidas com os alunos do 1.º ano. Os professores e funcionários selecionaram as fotografias das atividades e dos eventos para serem publicados no jornal. Uma técnica em design para layout de páginas foi uma das parceiras neste trabalho. A primeira edição impressa está disponível na entrada da escola, onde a comunidade escolar pode ficar por dentro de tudo o que aconteceu durante este trabalho. A próxima edição já está em andamento! 

A utilização deste instrumento enriqueceu a prática pedagógica das professoras, bem como ajudou a desenvolver um trabalho de qualidade, onde os alunos demonstraram mais interesse e, consequentemente construíram conhecimentos mais significativos.

 

Equipe da Escola Municipal Noronha Santos

 

Parabéns, professoras Ana Maria Cordeiro e Michele Esteves Barabani! O trabalho realizado por vocês, com a ajuda de toda equipe da E. M. Noronha Santos, colocou seus alunos para vivenciar e refletir a atualidade, tornando-os seres ativos e, consequentemente, participativos da realidade social. É um orgulho tê-las na 6.ª Cre!

 

Quer saber um pouco mais sobre o Jornal Olímpico e Paralímpico da E.M. Noronha Santos? Entre em contato com a equipe!

Escola Municipal Noronha Santos

Telefone: (21) 3358-1059

E-mails: emnoronha@rioeduca.net

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós! Até a próxima semana!

 


 

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 28/11/2016

Ser Carioca Pede Felicidade

Tags: 10ªcre.

 

 

A Escola Municipal Paralimpíadas Rio 2016 tem um projeto político pedagógico voltado para o vínculo afetivo na aprendizagem e desenvolve excelente projeto de leitura e escrita.

 

A E/CRE (10.19.078) Escola Municipal Paralimpíadas Rio 2016 está localizada à Estrada de Sepetiba, s/n° – Nova Sepetiba, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende 610 alunos do 1° ao 5° ano experimental e tem como diretor, o professor Vitor Hugo, como diretora adjunta, a professora Ivaneide Lêdo Lobato, como Coordenadora Pedagógica, a professora Regina Célia Willmer Cardoso e, Márcia Cristina da Silva Rodrigues, como professora regente da Sala de Leitura.

 

Alunos da Unidade Escolar no dia da inauguração

 

A Unidade Escolar foi inaugurada no dia 6 de maio deste ano, junto com as demais escolas do Complexo Educacional de Nova Sepetiba. Foi um dia de muita festa para a comunidade de Nova Sepetiba, com todos os alunos estudando em tempo integral.

O projeto pedagógico da escola intitula-se “Ser Carioca pede felicidade: Juntando os retalhos para mais 450 Anos de histórias e memórias”, onde se justifica a escolha do tema para favorecer maiores e melhores interferências do vínculo afetivo na aprendizagem, no cotidiano de sala de aula e na nossa Cidade, pois a escola é um espaço de multiplicidades, onde diferentes valores, experiências, concepções, culturas, crenças e relações sociais se misturam e fazem do cotidiano escolar uma rica e complexa estrutura de conhecimentos e de sujeitos.

— Com a intenção de traçarmos caminhos que nos permita investigar a relação entre o afetivo e o cognitivo no contexto da sala de aula, na comunidade e com a Cidade do Rio de Janeiro, o projeto tem como eixos a relação entre afetividade e cognição no processo de aprendizagem e a relação afetiva do sujeito com os outros sujeitos como um elemento instigante no processo “ensinar-aprender.” — afirma o diretor Vitor Hugo

O projeto tem como objetivos cultivar os bons hábitos de convivência e amor dentro da família da escola e com os seus pares; incentivar o respeito mútuo a partir de atividades compartilhadas em grupo, diminuindo o grau de agressividade no relacionamento entre os alunos; valorizar as diversas culturas presentes na construção do Brasil como nação, reconhecendo sua contribuição o processo de constituição da identidade brasileira; reconhecer as qualidades da própria cultura, valorando-as criticamente, enriquecendo a vivência de cidadania; exigir respeito para si, denunciando qualquer atitude de discriminação que sofra, ou qualquer violação dos direitos de criança e cidadão, valorizando o convívio pacífico e criativo dos diferentes componentes da diversidade cultural e compreender a desigualdade social como problema de todos e como uma realidade passível de mudanças.

 

Apresentação dos alunos

 

— Assim, ao perpassarmos pelos temas do projeto, tentamos proporcionar com que o aluno conheça, valorize e divulgue as diversas culturas, compreendendo que não há hierarquia entre elas e que a cultura de um povo é produzida por cada um dos seus membros através da convivência em comunidade, buscando ampliar seus conhecimentos e desenvolvendo, assim, atitudes de produção cultural. — afirma a Coordenadora Pedagógica Regina Célia

Um dos projetos desenvolvidos pela escola, foi a criação do “Diário do Aluno”, instrumento de registro diário para os alunos do 4° e 5° anos, que aproveitou o livro “Abafa – Histórias de um acampamento”, material enviado pela Secretaria Municipal de Educação, como mais um recurso pedagógico na promoção e formação do aluno leitor, para desenvolver mais um projeto que é de suma importância para os alunos, uma vez que a leitura e a escrita têm papel fundamental na formação do aluno, pois ajuda a formar sujeitos sociais leitores da realidade em que se inserem e são capazes de usar a escrita como instrumento indispensável à sua participação na construção do mundo histórico e cultural.

Percebe-se que o desafio atual do processo de ensino da língua materna é de tornar o estudante competente, para que possa escrever e entender tudo o que está registrado no mundo, nas diferentes situações de comunicação e nas diferentes tarefas de interlocução em que estamos incessantemente inseridos.

 

Alunos do 4° ano lendo o livro “Abafa – Histórias de um acampamento”

 

Os alunos estiveram envolvidos com atividades como: leitura coletiva de texto, atividades do uso da língua, leitura reflexiva e dialética, produção textual com capítulos do livro no “Diário do Aluno”, onde foram socializadas as produções dos alunos, por exemplo, montando painéis, apresentando dramatizações e criando um novo final para a história, como ocorrido da Turma 1401, da Professora Marcela Vieira. O trabalho com o Diário do Aluno é um grande incentivo para os estudantes construírem sua própria forma de expressão escrita, afirma o diretor Vitor Hugo.

Estas atividades fizeram parte da prática pedagógica e têm auxiliado alunos e professores na otimização do tempo. E cabe ressaltar que, por seu conteúdo dinâmico, contextualizado com a realidade de diversos alunos da comunidade escolar, pela idade das personagens e a similaridade com a personalidade deles, o livro se tornou um estímulo à leitura e alfabetização.

Quanto ao uso do Diário do Aluno, convencionou-se sua utilização como recurso na exploração de gêneros discursivos diversos. Desse modo, os alunos a cada dia têm a oportunidade de ampliar os conhecimentos textuais e sua visão de mundo, onde não menos importante é a liberdade dada aos estudantes de exprimirem seus sentimentos através de palavras escritas.

 

Parte da equipe da E. M. Paralimpíadas Rio 2016

Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/SUBE/CRE (10.19.078) Escola Municipal Paralimpíadas Rio 2016
Email: emparalimpiadas2016@rioeduca.net

 

 

Rodrigo Abreu
é Professor da Rede Municipal
e Representante do Rioeduca da 10ª CRE
Contato: rodrigosantos@rioeduca.net
WhastApp: 98848-6724

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 25/11/2016

África de Todos Nós

Tags: 9ªcre, creche, projeto, consciência, negra.

 

 

Na semana em que se comemora o Dia Nacional da Consciência Negra, que nos leva à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira, a Creche Municipal Adélia Vieira apresenta o seu projeto “África de Todos Nós”.

 

 

O projeto “África de todos nós - Conhecendo e compreendendo a história do povo brasileiro”, contou com a participação de todos os alunos da creche. A turma EI-33 enriqueceu o projeto e iniciou as atividades com a confecção de uma máscara africana.

 

 

Máscara Africana - A máscara é um objeto que transforma qualquer pessoa e dá margem a um mundo de fantasia e de mistérios. Existem diversos tipos de máscaras em muitos lugares com significados diferentes. Para alguns grupos, como tribos africanas, o poder da máscara é usado para assegurar colheitas férteis e outras representam um papel sagrado na vida, desde sua infância até o momento de seu enterro. Na cultura africana as máscaras são compreendidas como algo que protege quem as carrega e são símbolos culturais destes povos. Máscara pronta, belíssimo trabalho de pequenos/grandes e "fofos" artistas.

 

 

As turmas EI-41, EI-43 e EI-32 também criaram suas máscaras. Conheceram instrumentos musicais africanos e jogaram capoeira. Muito aprendizado e diversão.

 

A EI-31 participou do projeto fazendo a Pintura Africana, onde os alunos pintaram os seus rostos.

No final, toda Arte se transformou em lindos murais!

 

Parabéns à Creche Municipal Adélia Vieira pelo belo trabalho! 

 

 

Contato com a creche pelo telefone 3292-1781, pelo e-mail cmavieira@rioeduca.net ou pelo blog da creche

 

 


   
           



Yammer Share

Postado por Rita Faleiro Ver Comentários (0)