A A A C
email
A Revolução Acontece: o blog da SME
Retornando 4 resultados para o mês de 'Janeiro de 2017'

Segunda-feira, 30/01/2017

Projeto Formação de Leitores de Imagens

Tags: sala de leitura, leitura de imagens, barão do amparo, 5ªcre.

 

 

 

A Escola Municipal (05.15.035) Barão do Amparo teve, no ano de 2016, um Projeto desenvolvido pela professora Marcia Brum, da Sala de Leitura, onde o principal objetivo foi trabalhar com os alunos além da simples leitura dos livros: formar leitores de imagens.

 

 

Sobre o Projeto:


"JUSTIFICATIVA:

• Favorecer a reflexão de que a leitura não está presa apenas às palavras. É um processo de compreensão abrangente destas e das imagens. Portanto, é necessário dar relevância tanto à leitura das palavras quanto a de imagens. Na atualidade, vivemos rodeados por imagens que demandam de nós mais do que um simples passar de olhos.

 

OBJETIVOS:


• Informar que as ilustrações (imagens utilizadas para acompanhar, explicar, interpretar, acrescentar informação, sintetizar ou até simplesmente decorar um texto) funcionam como elementos enriquecedores das obras, sendo atrativas e colaboradoras na contação da história.

• Promover a leitura de diversos livros de textos literários com diversidade de ilustrações que levem à admiração da Arte, dos autores e dos artistas ilustradores.

• Fazer com que os alunos despertem e desenvolvam competências e habilidades para exteriorizarem e desenvolverem as suas capacidades artísticas.

 

PÚBLICO ALVO:

Todos os alunos do E.I. ao 5º ano e Classe Especial, professores e funcionários da Unidade Escolar.

 

CRONOGRAMA:

1º de setembro à 4 de novembro.
Culminância: 4 de novembro com a visita da ilustradora GRAÇA LIMA.

 

 

CULMINÂNCIA:

Na manhã do dia 4 de novembro de 2016, para a culminância do Projeto Formação de Leitores de Imagens, reuniram-se alunos, professores e funcionários no pátio interno da escola Barão do Amparo, que com uma mistura de livros, cartazes, murais, exposições, carinho, dedicação... transformou-se num cenário encantado e agradável para unir dois importantes personagens na magia da leitura: a autora ilustradora e o leitor.

Tivemos a honra e imenso prazer em receber a ilustradora Graça Lima. Foi um encontro alegre e agradável que propiciou aprendizagem, encantamento e incentivo à valorização da ilustração... Inesquecível para os pequenos e grandes admiradores.

No evento houve lindas apresentações que enalteceram a culminância do Projeto. Os alunos da Educação Infantil, orientados por seus professores estavam lindos na apresentação da música “ Jacaré” em homenagem ao livro “Sai da lama jacaré” de Graça Lima. Foi bonito ver tamanha empolgação!

Os alunos da 1.501 e 1.502, auxiliados pela professora Karla, com brilhantismo, dançaram e cantaram uma música enaltecendo os índios e a obra “Abaré”, de Graça Lima. Foi emocionante!

A aluna Nicole Catarine Souza Gomes, da turma 1.402 - profª Karla, fez uma belíssima caricatura da ilustradora, a qual foi emoldurada e carinhosamente presenteada à Graça Lima que ficou feliz!!

 


 

Os livros ilustrados por Graça Lima foram trabalhados prazerosamente com as turmas da Educação Infantil, Classe Especial , 1º ao 5º ano.

Estiveram em destaque, apreciadas e enaltecidas as ilustrações da homenageada, e com base nelas, exposição dos trabalhos realizados pelas turmas.

A ilustradora encantou-nos com sua história de vida e vivências. Neste evento escolar, houve apresentações e homenagens à ilustradora, além de entrega de presentes confeccionados por alunos".

Texto enviado pela professora Marcia Brum.

 

Parabéns ao trabalho de excelência da Escola Municipal Barão do Amparo! Parabéns pelo envolvimento e comprometimento de toda comunidade escolar no investimento de uma educação de qualidade!

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.15.035) - Escola Municipal Barão do Amparo
Rua Ana Teles 30 - Campinho
e-mail: emamparo@rioeduca.net
Tel: 30182319 / 30182463

 

Gostou da nossa publicação sobre a escola República Dominicana? Gostaria de mostrar pra nossa rede municipal de ensino o trabalho de excelência da sua escola? Entre em contato com o(a) Rioeducador(a) da sua Coordenadoria Regional de Educação (CRE).

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 16/01/2017

Maratona de Histórias na E. M. República Dominicana

Tags: maratona, histórias, 5ªcre.

 

 


O dia 25 de outubro de 2016, na Escola Municipal República Dominicana, foi uma manhã de festa, teatro, contação de histórias e de muito carinho para a nossa homenageada, a escritora Sonia Rosa.

 

 

No ano de 2016 a escola República Dominicana desenvolveu o projeto "Autores da Imaginação" e, dando continuidade ao mesmo, tivemos como foco do nosso trabalho a autora brasileira Sonia Rosa.

Sônia Rosa é uma escritora brasileira voltada para a literatura infantil, com cerca de 40 livros publicados, sendo o seu primeiro livro "O Menino Nito."

Paralelamente desenvolvemos nossa Maratona de Histórias com suas obras. Trabalhamos com contações de histórias, atividades relacionadas e pesquisas biográficas.

 


Na culminância tivemos a honra de receber a escritora em uma maravilhosa visita. Vivenciamos momentos de imensa alegria e prazer, mergulhados no mágico universo da leitura.

Homenageando a convidada, a turma 1503 apresentou o Maculelê, sob a orientação do professor Marciano da Silva/Oribhe, onde Sonia deliciou-se com os ritmos apresentados.

 

   


Também houve uma releitura do livro "Alice vê" com a turma 1301. A aluna Emily, turma 1302, dançou ao som da música "No tabuleiro da baiana" e ainda houve uma dramatização do livro "O menino Nito", com a turma 1502. 

Para finalizar a autora contou algumas de suas histórias e conversou com as crianças. Como mensagem, a escritora deixou para seus pequenos leitores, as seguintes palavras: "Leiam, leiam e leiam!". Foi um dia inesquecível para todos na Escola Municipal República Dominicana.

 

Parabéns a todos pelo trabalho maravilhoso desenvolvido pela escola! Parabéns pelo comprometimento e pela excelência na qualidade do ensino! 

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.15.059 Escola Municipal República Dominicana
Rua Compositor Silas De Oliveira 113 – Madureira
e-mail: emdominic@rioeduca.net
Tel: 3457-0959 2482-9591

 

Gostou da nossa publicação sobre a escola República Dominicana? Gostaria de mostrar pra nossa rede municipal de ensino o trabalho de excelência da sua escola? Entre em contato com o(a) Rioeducador(a) da sua Coordenadoria Regional de Educação (CRE).
 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 12/01/2017

Centenário de um Cidadão Brasileiro, o Samba!

Tags: 8ªcre.

 

 

100 anos do Samba é uma data que merece grande comemoração. As escolas da prefeitura do Rio de Janeiro diversificaram na hora de passar aos alunos a importância de conhecer como e quando tudo começou. O espetáculo Samba, Cidadão Brasileiro foi o destaque da Escola Municipal Nações Unidas.

 

Alunos da E.M. Nações Unidas no palco da Areninha Carioca Hermeto Pascoal

 

Em 2016 o mais brasileiro dos ritmos completou 100 anos!

O samba originou-se dos antigos batuques trazidos pelos africanos que vieram como escravos para o Brasil.

Esses batuques estavam geralmente associados a elementos religiosos que instituíam entre os negros uma espécie de comunicação ritual através da música, da dança, da percussão e dos movimentos do corpo.

Os ritmos do batuque aos poucos foram incorporando elementos de outros tipos de música, sobretudo no cenário do Rio de Janeiro do século XIX.

 

Aluno Júlio César, da turma 1904, representando o griô contador de histórias.

 

No dia 10 de novembro, a Escola Municipal Nações Unidas apresentou na Areninha Carioca Hermeto Pascoal um belo e emocionante espetáculo musical.

Sob a direção do Professor Nilton Barbosa Filho, alunos do 6º ao 9º ano encantaram os presentes pela demonstração de talento e criatividade.

Samba, Cidadão Brasileiro é o nome do espetáculo que abrange diversos momentos históricos da trajetória desse gênero musical, a partir da segunda metade do século XIX.

O evento reverencia não só o negro, mas todos aqueles saudosos baluartes e bambas que nos deixaram essa herança, viva, ainda hoje, nos botequins, nas vielas, nas gafieiras, nos palcos, nas escolas de samba, nas esquinas e no jeitinho malandro brasileiro e, sobretudo, carioca de ser.

O espetáculo é uma aula de cultura tanto para quem assiste quanto para quem participou da sua formação.
 

 

Alunos  da E. M. Nações Unidas representando a gafieira, a malandragem e a Era de Ouro do rádio

 

 

"(...)  O samba ainda vai nascer, o samba ainda não chegou.

O samba não vai morrer, veja o dia ainda não raiou.

O samba é o pai do prazer, o samba é o filho da dor,

O grande poder transformador!" 

 

                                                        (Trecho da música Desde que o Samba é Samba, de Caetano Veloso) 

 

A abertura do espetáculo foi em grande estilo para saudar o público presente. Para começar, os professores Daniel Cruz, no vocal e Raul Borges, no violão trouxeram a música “Desde que o Samba é Samba” de Caetano Veloso e, em seguida, um show com alunas da escola Nações Unidas que são passistas do Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Padre Miguel.  

Após a apresentação, a plateia já estava totalmente envolvida no clima: ritmo, alegria e identidade!

Ao descobrir a origem do samba, se reconhece que o gênero musical é originalmente brasileiro e sua trajetória conta a história da formação de nosso povo.

 

 

Elenco formado por alunos da E.M. Nações Unidas

 

O roteiro do espetáculo, Samba, Cidadão Brasileiro, contou também com a participação de uma equipe docente comprometida em apresentar um trabalho de excelência.

O texto foi do professor Nilton Barbosa Filho, argumento da Professora Simone Ricco, pesquisa histórica, Professor Nilton Barbosa Filho, Professor Raul Borges e Professora Marcia Oliveira, cenário, professora Mariana Maia, professora Rosane Mangorra e Professora Monique Pimenta, idealização de figurino, professor Nilton Barbosa Filho, iluminação e sonorização, professor Leonardo Mazzei.

O trabalho envolveu toda a equipe da Escola Municipal Nações Unidas e foi compartilhado com alunos das escolas: Henrique de Magalhães e Antônio Austregésilo, que compareceram à Areninha Carioca.

 

 

Professor Nilton Filho, idealizador do projeto

 

 

O Rioeduca parabeniza à Escola Municipal Nações Unidas, principalmente aos alunos da unidade, pelo lindo espetáculo!

 

 

Fonte: http://historiadomundo.uol.com.br/curiosidades/origem-samba.htm

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 03/01/2017

Exposição Fotográfica Subúrbio Carioca

Tags: exposição, fotografia, malba tahan, 5ªcre.

 

 

 

Em outubro de 2016, o Ginásio Carioca Malba Tahan promoveu um curso de fotografia para seus alunos, onde o professor do curso foi um ex-aluno da escola: Lucas Andrade. A seguir, um texto escrito pelo mesmo sobre sua curadoria da exposição com as fotos produzidas durante o curso.

 

 

A exposição fotográfica "Subúrbio Carioca" trouxe ao público 63 imagens que foram produzidas pelos alunos da 3ª Edição do Curso de Fotografia da Central Única das Favelas. Fotografias essas que representam em sua essência tudo que vimos no subúrbio e podemos contrastar com que não vemos nos demais lugares da cidade do Rio de Janeiro.

 

 

Se trata de uma exposição que buscou apresentar uma visão do subúrbio, de uma forma atrativa para os que estão dentro e fora do próprio cotidiano do suburbano: fotos com eventos locais, uma mistura de charme, roda de jongo , pagode e por que não um boa vista do Parque de Madureira?

Uma exposição com mix de imagens, desde a capoeira, ao Mercadão de Madureira, ou até mesmo os retratos dos suburbanos... sem falar nas lindas imagens feitas em Quintino durante os festejos religiosos de São Jorge.

 

 

Afinal o que dizer da palavra “subúrbio”? O termo vem do latim suburbium, que, literalmente, significa subcidade. Buscando inspiração para escrever um pouco dessa curadoria, que para mim, Lucas Andrade, foi uma honra fazer essa a curadoria. Escutei Chico Buarque, que tem na letra “Subúrbio”, uma contraposição à cidade bem estabelecida. São citados bairros bem diferentes entre si, mas que se homogeneizam: “pela cara a tapa”, “pela chapa quente”, “pelas quebradas teus exus”, “por não ter turista”, “por não sair nas revistas”.

 


No entanto, no Rio de Janeiro, a designação “subúrbio” também é usada com sinal positivo, com uma certa nostalgia amorosa. Ou seja, a palavra “subúrbio” não traz consigo uma oposição/tensão social similar àquela encontrada desde sempre na palavra “favela” e agora mais recentemente, na palavra “periferia”.

 

 

Sintam-se bem vindos a Exposição Fotográfica Subúrbio Carioca e que as fotos falem por si um pouco do que o subúrbio em sua raiz tem de melhor para transmitir ao olhar de quem o assisti.
Curadoria,
Lucas Andrade.

Sobre a escola:

E/CRE(05.14.029) - Escola Municipal Malba Tahan

Endereço: Av. Brasil 17.221

Bairro: Irajá

Telefone: 3373-2365 / 3373-2003

E-mail: emtahan@rioeduca.net

 


Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades bacanas e que gostariam de compartilhar. Clique AQUI para saber o e-mail do seu representante



   
           



Yammer Share