A A A C
email
Retornando 288 resultados para a tag '2ªcre'

Terça-feira, 17/04/2018

Brasileiro, Sim! Cidadão do Cantagalo

Tags: 2ªcre, paz.

 

O projeto anual da Escola Municipal Presidente José Linhares tem como proposta trabalhar a identidade e a diversidade cultural.

 

 

O título do projeto anual da E.M Presidente José Linhares é: "Brasileiro, sim! Cidadão do Cantagalo".

Construir a identidade implica em conhecer os próprios gostos e preferências e dominar habilidades e limites, sempre levando em conta a cultura, a sociedade, o ambiente e as pessoas com quem se convive.


Nesse contexto, o projeto tem por finalidade mostrar para as crianças que a cultura popular brasileira é plural, que o povo brasileiro é resultado de uma diversidade de sons, cores e valores que, ao se misturarem, nos tornamos este Brasil, um país, acima de tudo sincrético, miscigenado, com seu tempo e sua história.
 

O início do projeto teve como proposta o reconhecimento de si, enquanto, indivíduo inserido num meio social. 

 

 

Homenagem à cidade do Rio de Janeiro no dia de seu aniversário

 


Dentre os principais objetivos do projeto anual estão: resgatar a história da formação do povo brasileiro; reconhecer a diversidade cultural existente em nosso país, bem como os costumes e tradições; conhecer as regiões brasileiras, abordando aspectos econômicos, geográficos, étnicos, culturais e históricos.

 

Muitas atividades serão desenvolvidas ao longo do ano. Dentre elas estão: rodas de conversas, contação de histórias, produção e uso de canções,  apresentação do hino do país e da escola, pesquisa sobre a história da unidade escolar, do bairro e do país, desenvolvimento geográfico quanto à localização do Brasil e do Rio de Janeiro no globo terrestre, apreciação de fotos e imagens antigas sobre a escola, bairro e país, trabalho com artes, como pinturas, colagem, sucatas, desenhos etc, apreciação de vídeos e clipes do Brasil e do Rio de Janeiro e atividades que trabalhem os pratos típicos, danças e literatura dominante de cada região do Brasil.

 

Cartaz desejando paz para a cidade

 

O projeto já começou e de uma excelente maneira: conhecendo a história da escola e da cidade, através de pesquisas realizadas pelos alunos. No dia 01 de março, aconteceu uma pequena solenidade para homenagear o Rio de Janeiro e a escola, pois ao longo desses anos construiu-se uma história linda e cheia de encantos. A comunidade ficou feliz ao ver as crianças participando desse momento com tanta desenvoltura e entusiasmo! Sabendo que aprender com significado é muito melhor!

 

 

Solenidade no dia do aniversário da cidade

 

 

Agradecemos a professora Michelle Guido por compartilhar conosco este projeto e desejamos sucesso à comunidade escolar.

 

O contato da unidade escolar é:  emlinhares@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 03/04/2018

Escola Francisco Cabrita Ganha Nova Sala de Leitura

Tags: 2ªcre, literatura.

 

A Sala de Leitura é um espaço para ler, escrever e pesquisar. É o coração da escola!

 


A professora Jenny Iglesias, escreveu ao portal Rioeduca contando sobre o novo espaço de leitura que foi reinaugurado com o nome de Sala de Leitura Maria Apparecida Arnaldo Alves. Uma justa e bonita homenagem à saudosa professora Cida que por muitos anos se dedicou à Sala de Leitura da Escola Francisco Cabrita.

 

Porta de entrada da Sala de Leitura e geladeira literária – um convite aos leitores.

 

 

Logo que foi reinaugurada, a Sala de Leitura recebeu dois prêmios da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), referentes a dois trabalhos realizados, no ano de 2016. Como premiação a escola foi contemplada com livros que renovaram o acervo e puderam alimentar as prateleiras da geladeira literária, caprichosamente pintada pelo Diretor Adjunto Heriton Bacury. O diretor também foi responsável pela decoração da entrada da sala utilizando capas de livros e revistas, formando assim, um verdadeiro mosaico literário.

 

Este novo espaço conta com duas salas de aula que foram adaptadas e remodeladas, com o apoio da Direção, para abrigar um acervo renovado e reorganizado; em uma das salas há cadeiras para as rodas de leitura e, na outra, conjuntos de mesas e cadeiras para o incentivo à pesquisa e à escrita.

 

 

Sala de múltiplas linguagens.

 

 

Na sala chamada de múltiplas linguagens, ocorrem diversas atividades em torno da leitura, escrita e pesquisa, há a projeção de pequenos curtas, debates, ensaios musicais, trabalhos artísticos e plásticos, tornando-se, assim, um espaço de muitas trocas pedagógicas entre professores, alunos e funcionários. 

 

Em roda, ficam organizadas as cadeiras na outra sala que compõe o novo e moderno espaço de leitura da Escola Francisco Cabrita, lá são realizados os empréstimos dos livros e as rodas de leitura. Em média, por mês, são emprestados mais de 800 exemplares para alunos, professores e funcionários; números que confirmam a importância que a Sala de Leitura tem para a comunidade escolar.

 

 

Espaço das rodas de leitura e empréstimos de livros.

 

 

Desde a reinauguração, muitas parcerias já foram realizadas entre a professora da Sala de Leitura e os professores das outras áreas do conhecimento, com a proposta de ler várias obras com as turmas e compartilhar os tesouros que a Literatura é capaz de oferecer.

 

Professora Carina de Inglês lendo para a Turma 1601.

 

 

Agradecemos a professora Jenny Iglesias por compartilhar conosco este material e desejamos que a Sala de Leitura da Escola Francisco Cabrita seja um espaço de muita leitura e construção do conhecimento.

 

 

O contato da unidade escolar é: emcabrita@rioeduca.net

 


Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 19/12/2017

Inclusão: Dentro e Fora dos Espaços Escolares

Tags: 2ªcre, educação especial, inclusão.

 

Os alunos da Escola Municipal Noel Rosa visitaram o AquaRio e a equipe pedagógica organizou-se para que um aluno da Educação Especial também pudesse participar das atividades propostas neste dia juntamente com sua turma e demais participantes.

 

A professora Claudia Togashi, regente da Sala de Recursos da E. M. Noel Rosa, enviou ao portal Rioeduca um relato sobre a experiência do trabalho realizado nas Salas de Recursos que dão suporte aos alunos da Educação Especial.

No dia 27 de setembro de 2017, as turmas 1.202 e 1.402 da Escola Noel Rosa foram visitar o AquaRio, localizado na Zona Portuária da cidade. Buscando promover cada vez mais o processo de inclusão de pessoas que fazem parte do público-alvo da Educação Especial, não somente no espaço escolar, mas também em outros espaços sociais, a escola se organizou para que um aluno com diagnóstico de Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) da turma 1.202 pudesse participar também deste dia diferente e animado.

 

Visita ao AquaRio

 

Com a parceria da família de da sua rede de apoio (professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE) e uma voluntária da Educação Especial), o aluno participou de todas as atividades propostas para aquele dia, juntamente com seus colegas da turma e da escola, a professora da turma e a direção escolar.

A professora do AEE confeccionou para a excursão uma prancha de Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA) temática desenvolvida especialmente com vocabulários possíveis para serem utilizados na visita. A Comunicação Alternativa e Ampliada é uma importante ferramenta para oferecer aos indivíduos que possuem dificuldades de oralização a possibilidade de comunicar-se com seus pares. É usada para favorecer a comunicação dessas pessoas, como foi o caso do aluno com TGD.

 

Professora da turma e aluno usando a prancha  temática de Comunicação Alternativa e Ampliada.

 

Ressalta-se que o Atendimento Educacional Especializado é, de acordo com o MEC, “um serviço da educação especial que identifica, elabora, e organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade, que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando suas necessidades específicas" (SEESP/MEC, 2008). Os professores de AEE atuam nas diversas Salas de Recursos disponibilizadas pela rede municipal de ensino, oferecendo suporte no processo de inclusão dos alunos público-alvo da educação especial matriculados na rede regular de ensino.

Prancha de Comunicação Alternativa e Ampliada.

 

Com o uso da prancha temática de Comunicação Alternativa e Ampliada, o aluno conseguiu expressar suas vontades e desejos, mostrando que queria ver o tubarão e o peixe palhaço (referindo-se ao personagem Nemo, do filme de animação).

É importante promover mais espaços inclusivos para que não somente a pessoa com deficiências e TGD possa permear por todas as esferas sociais, mas também para que todos ao seu redor aprendam outros e/ou novos mecanismos ou recursos que existem, a fim de facilitar a vida desses indivíduos na sociedade. A participação no evento fora dos muros da escola garantiu não somente o desenvolvimento das questões sociais e comunicativas, como também favoreceu a possibilidade de mais um espaço de aprendizagem garantida para todos os alunos e profissionais envolvidos!

Agradecemos à professora Claudia Togashi por compartilhar conosco esta atividade de inclusão de alunos especiais e desejamos sucesso a toda equipe da unidade escolar.

 

O contato da unidade escolar é: emnoelrolsa@rioeduca.net

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net
 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 12/12/2017

Área Verde da E. M. Camilo Castelo Branco Transforma-se em Sala de Aula

Tags: 2ªcre, literatura, meioambiente.

 

A área verde da E. M. Camilo Castelo Branco é uma grande e rica sala de aula. Nela alunos aprendem História, Matemática, Ciências, Geografia, Literatura e cuidados com o Meio Ambiente.

 


O texto abaixo foi enviado pela professora Jenny Iglesias, regente da unidade escolar, que nos conta sobre a proposta de ter uma horta colaborativa na escola.

Vizinha do imponente Jardim Botânico, a escola tem uma grande área verde, com canteiros de uma horta, muitos jardins, árvores nativas da Mata Atlântica e uma vegetação que atrai muitos animais e, por isso, a equipe pedagógica apostou no seu potencial para incluir no currículo um assunto essencial: a Educação Ambiental.

Este espaço privilegiado recebe a visita de alunos e professores que estudam e aprendem sobre a importância de preservar o meio ambiente e de torná-lo sustentável. Nesta sala de aula ao ar livre fica mais fácil entender sobre o clima na Terra, a erosão do solo, o crescimento dos vegetais, a decomposição de matérias orgânicas que se transformarão em adubo e tantos outros assuntos que escutamos e lemos nos livros didáticos.

 

Professor Roberto, de História, cuida da área verde e usa este espaço como sala de aula para ensinar arqueologia.

 

Através de algumas parcerias, a escola complementa o estudo de Ciências e de Geografia a partir de projetos como o do Ciclo Orgânico, idealizado e coordenado por Lucas Chiabi, que utiliza a escola como ponto de coleta e compostagem de material orgânico recolhido nas residências do entorno. Em troca, alunos e professores da Camilo veem de perto o processo de decomposição de restos orgânicos até a obtenção do adubo.

 

O material é recolhido nas residências em bicicletas que não poluem e ainda incentivam a diminuição de veículos na cidade.

 

Parte deste adubo é utilizado em outro projeto desenvolvido desde agosto deste ano pela profissional Renata Carijó, coordenadora do projeto socioambiental Carpe, que revitalizou os canteiros de uma horta desativada há tempos. Duas turmas de 6º ano participam desta atividade cujo objetivo é a produção de alimentos livres de agrotóxicos que complementarão a merenda escolar.

Cerca de 60 alunos fazem a manutenção dos canteiros, o plantio de alimentos orgânicos, regam as mudas sempre e aguardam ansiosos a primeira colheita de hortaliças, legumes e ervas medicinais, tudo sob a supervisão de Renata, que realiza este trabalho de forma voluntária e tem uma ajuda de custo para a compra de mudas e sementes de ex-alunos da escola.

A Matemática teve destaque no início do processo de revitalização da horta, pois os alunos aprenderam a calcular a área e o perímetro de cada canteiro para distribuir harmoniosamente as mudas. Entre centímetros e metros, os alunos usaram as unidades de medidas para chegar aos resultados! Assim, também se aprende matemática!

 

Renata Carijó, no centro, ensina como plantar as mudas de hortaliças.

 

No dia do plantio, Renata e Lucas na orientação dos alunos.

 

Também a Literatura é mais que fundamental neste projeto pedagógico que tem o apoio da Direção, da Coordenação, dos professores, dos funcionários e dos alunos da Escola Municipal Camilo Castelo Branco. Nas rodas de leitura, os alunos estão lendo um clássico de Monteiro Lobato: A Reforma da Natureza. A obra dialoga com o trabalho feito na horta e com a própria área verde da escola, fazendo-nos refletir sobre a realidade e a ficção, faz de conta e verdade. O que podemos modificar na natureza para melhorar nossas vidas? Esta é uma questão que o livro nos apresenta.

 

Parte da turma 1602 lendo na sala de leitura com a professora Jenny.

 

Ainda se desenvolvem ações em relação ao paisagismo da área e à preservação de espécies nativas da Mata Atlântica. A próxima meta é montar um pequeno orquidário na escola para estudo e ornamento desta bela planta, com a ajuda dos professores. Também conta-se com a parceria do setor de Educação Ambiental do Jardim Botânico e da Fundação Parques e Jardins, que auxiliam no plantio e na doação de mudas, e da Comlurb que faz a limpeza mensal do espaço.

É importante ressaltar que, aos poucos, toda a comunidade escolar se apropria deste espaço público e compreende que é possível preservá-lo e torná-lo mais sustentável!

 

Agradecemos à professora Jenny Iglesias por compartilhar conosco este projeto de integração do Meio Ambiente com o currículo escolar e desejamos sucesso a toda equipe da Escola Camilo Castelo Branco.

O contato da unidade escolar é: emcbranco@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share