A A A C
email
Retornando 274 resultados para a tag '2ªcre'

Terça-feira, 18/07/2017

Semana Literária na Escola Francisco Cabrita

Tags: 2ªcre, literatura.

 

Os alunos da Escola Francisco Cabrita participaram de uma Semana Literária bastante dinâmica, envolvendo a comunidade escolar, e que também foi premiada na Feira Nacional do Livro Infanto Juvenil.

 

O ano de 2016 conjugou o quarto centenário de morte de William Shakespeare e de Miguel de Cervantes e o centenário do Samba. Com temas tão relevantes, a Escola Municipal Francisco Cabrita organizou uma Semana Literária com o objetivo de contemplar grandes clássicos da literatura e a importância do Samba como patrimônio cultural da humanidade.

O projeto foi realizado no ano de 2016, mas premiado no ano de 2017 na Feira Nacional do Livro Infanto Juvenil.

 

 

Cartaz de abertura da Semana Literária de 2016 – trabalho premiado no Concurso Leia Comigo 2017 da FNLIJ.

 

 

A proposta dessa Semana surgiu de uma conversa informal com alguns professores que desejavam implementar uma prática pedagógica que pudesse democratizar a Arte na escola e estimular a leitura literária dos alunos. Em conjunto com a Direção, Coordenação, Corpo Docente, e funcionários da escola, foi definido que a Semana Literária seria o projeto da Escola Francisco Cabrita, de todos aqueles que compõem a comunidade escolar.

Sob a coordenação da professora regente da Sala de Leitura, Jenny Iglesias Polydoro Fernandez, iniciou-se a divulgação do evento para todas as turmas do colégio. Os alunos receberam explicações e informações sobre o projeto e o mais importante: foram convidados a participar com ideias e propostas. A intenção era estimular a autonomia dos estudantes a partir do momento que eles se apropriassem do evento.

Intitulada Donga convida: Shakespeare, Cervantes e quem mais chegar...”, a Semana Literária tinha como fios condutores os clássicos da Literatura e a história do Samba. Então, o Projeto foi desenvolvido através das leituras compartilhadas em salas de aula, com a parceria entre a professora da Sala de Leitura e os professores das demais áreas do conhecimento.

Assim, entre setembro e novembro de 2016, todas as 14 turmas da Francisco Cabrita fizeram a leitura, de pelo menos, um clássico da Literatura em sala de aula. De forma criteriosa, foram escolhidas boas adaptações de Romeu e Julieta, A Megera Domada e Otelo, de Shakespeare; Dom Quixote de La Mancha, de Cervantes; A Volta ao Mundo em 80 dias, de Júlio Verne; Helena, de Machado de Assis. Somadas a estas leituras, ensaios de músicas de Cartola, Ismael Silva e Pixinguinha ecoavam pelos corredores da escola.

Este movimento se repetiu nas aulas de Inglês, de História, de Geografia, de Ciências e de Língua Portuguesa. E gerou uma boa expectativa entre alunos e professores que já esperavam “a hora da leitura”. É importante ressaltar que muitos professores foram contagiados e resolveram ler com as turmas outras obras, e assim, houve turmas que leram até mais de um título ao mesmo tempo.

Estes encontros eram semanais e a leitura era feita por capítulos sempre com a participação voluntária dos alunos, que aos poucos foram vencendo a timidez de ler em voz alta para toda a turma e as suas próprias limitações. Então, neste período, entre alunos e professores, ultrapassou-se o número de 500 leitores lendo histórias, conhecendo personagens e se apropriando dos textos literários. Fato que é motivo de orgulho para a comunidade escolar e também ajuda a explicar o protagonismo dos estudantes nos belos trabalhos nos murais e nas paredes, nos ensaios teatrais, nas conversas sobre os textos, nas leituras dramatizadas, nos sambas cantarolados e, também, no nervosismo dos alunos que dramatizaram, com orgulho, trechos de algumas obras lidas.

A programação da Semana Literária foi extensa e contou com a visita de escritores renomados como: Júlio Emílio Braz e Luciana Sandroni. Foram bate-papos descontraídos em que alunos e professores puderam perguntar, expor suas opiniões e conhecer mais sobre o ofício da leitura e da escrita.

 

A escritora Luciana Sandroni ao centro junto com os alunos tirou fotos depois de um bate-papo animado.

 

A participação dos professores e funcionários em declamações de poesias, leituras de textos e músicas e apresentação de jograis foi um exemplo bonito para os alunos que puderam assistir a estes profissionais que tinham como único objetivo emocionar o público. Emoção também todos sentiram, na abertura da Semana, quando uma turma cantou músicas do mestre Cartola, ou ainda, ao ouvir o coro afinado de um outro grupo cantar “Não deixe o samba morrer”, eternizado na voz da intérprete Alcione.

 

Homenagem ao centenário do samba em mosaico.

 

O evento incluiu ainda palestras que abordaram desde a importância do estímulo à leitura na mais tenra idade até o jovem leitor que se apaixona pela obra de Clarice Lispector e de Machado de Assis. A Literatura de Cordel foi apresentada para uma plateia atenta, que, também, lotou o auditório para assistir o espetáculo teatral “Acorda Amor”, com a atriz Florência Santangelo.

A escola também recebeu com entusiasmo os jovens ritmistas da Bateria da Império da Tijuca, e o grupo de dança Origens que presenteou o evento com performances afrodescendentes. Nestas apresentações, alunos também ritmistas e dançarinos, sentiram-se à vontade para participar e entraram na roda para celebrar a pluralidade cultural do povo brasileiro.

Durante alguns meses, a unidade escolar se envolveu e abraçou a ideia de realizar uma Semana Literária. Evento lindo que contribuiu de forma dinâmica para aquisição de conhecimentos dos estudantes.

 

Pátio da escola onde livros foram expostos entre tambores e tamborins que tocaram sambas que embalaram professores, funcionários e alunos.

 

 

O portal Rioeduca agradece a professora Jenny Iglesias Polydoro Fernandez por compartilhar conosco esta experiência que contribuiu para que a comunidade escolar conhecesse mais sobre literatura e cultura.

 

 O contato da professora Jenny Iglesias é: jennyfernandez@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 04/07/2017

Literatura e Arte Lado a Lado

Tags: 2ªcre, literatura.

 

Os alunos do 5º ano do CIEP Nação Rubro Negra participaram de uma Feira Literária. Os educandos pesquisaram, estudaram e apresentaram grandes obras da literatura e do cinema.

 

Nesta publicação destacamos a participação da Professora Flávia Brasil com a sua turma 1501 do 5º ano na Feira Literária do CIEP Nação Rubra Negra. Sempre pensando em inovar, a professora propôs aos seus alunos uma feira literária que associasse a arte literária e a arte cinematográfica com o tema “Obras Literárias que Viraram Filmes”, rememorando aos alunos que a literatura também pode ser materializada em filmes.

Os alunos se empolgaram e iniciaram semanas de estudos, pesquisas, montagem e trabalhos visando um apanhado contextualizado de obras que abordassem passado, presente e futuro. Então preparados, com textos estudados, maquetes prontas, alunos com vestimentas caracterizadas para as obras expostas e a sala de aula montada foi iniciada a exposição. Logo na entrada, os visitantes receberam um ticket de visitação e depois na porta da sala, encapada com um grande rolo de filme de cinema, era aberta e o visitante recebido com uma apresentação original da turma.

 


Entrada com os tickets e porta decorada.

 

A professora Flávia Brasil, vestida de egípcia, orientava a equipe onde inicialmente era exibido um vídeo de apresentação do filme “Os Dez Mandamentos” e, em seguida, os alunos muito bem caracterizados de Moisés e egípcias expunham a respeito dessa obra. E também abordavam os gêneros como a Epopeia na narrativa de heróis como Abraão e Davi; o Épico nas façanhas militares como a conquista de Canaã; a Tragédia na decadência de Sansão e Saul; o Romance nos livros de Rute e Cânticos e a Poesia em Salmos. Outro, como o gênero jurídico, ressaltado no Pentateuco (cinco primeiros livros) onde estão as leis, como as tábuas dos dez mandamentos da Bíblia, Livro do qual foram extraídas as bases literárias para a criação da novela e do filme de mesmo nome, ressaltados pelo grupo e pelo personagem Moisés, que encantou os visitantes pela caracterização.

 


Professora Flávia Brasil e alunos caracterizados.

 

Na primeira foto: alunos com as tábuas dos Dez Mandamentos

Na segunda foto: Professora Flávia Brasil, alunos e o cartaz do filme.

 

Os visitantes que prestigiaram o evento com a presença foram representantes da 2ª CRE, a direção da escola, responsáveis de alunos, parentes, muitas turmas, professoras, bem como convidados dos alunos que após entrarem na sala iam seguindo a rota traçada para exposição.

Em cada estande os visitantes puderam apreciar as maquetes, os apresentadores fantasiados, as obras literárias, assistir encenações teatrais e receber informações. Como o desenho do Batman no gênero história em quadrinhos, seu filme e personagens. E o especial: A Menina que Roubava Livros, com a explanação dada pelos alunos bem caracterizados.

 


Nas imagens vemos Batman e a Menina que Roubava Livros.

 

De igual modo assistiam apresentação em: A Culpa É das Estrelas, com o trio de personagens principais. Também o clássico: Cinderela, um conto de fadas, com a atuação e representação do príncipe, da Cinderela, sua madrasta e irmãs malvadas. Além de poderem observar a maquete que continha até uma carruagem.


A Culpa É das Estrelas e Cinderela.

 

Nos corredores da visitação, os visitantes encontravam também o best-seller: Harry Potter, sua grande maquete e os alunos fantasiados a rigor dos personagens. Ao lado se exibiam os Três Mosqueteiros que pronunciavam a frase “Um por todos e todos por um”.

 


Harry Potter e Os Três Mosqueteiros.

 

No decorrer da exposição era perceptível ao visitante que os expositores se empenharam na realização do evento, vieram caracterizados, trabalharam na montagem das maquetes, na configuração de roupas e apresentavam aquisição de conhecimentos. Realizaram um trabalho que era visto e elogiado pelos visitantes que podiam seguir para outros estandes da sala com as apresentações de: Drácula, um romance de ficção gótica com sua maquete, e ainda observar as maquetes de livros diversificados que estavam expostas.

 


Drácula, Titanic e outras obras da literatura  e do cinema.

 

Na finalização era apresentado Hamlet, com a encenação teatral da máxima “ser ou não ser, eis a questão”. Famosa frase da peça “A Tragédia de Hamlet”, de William Shakespeare. Muito usada como fundo filosófico e sem dúvida, uma das mais famosas frases da literatura mundial. No original em inglês é “to be or not to be, that is the question”. Também citada assim pelo aluno ao fim da exposição. Depois disso a turma se despedia dos visitantes.


Alunos fazendo apresentação sobre Hamlet

 

O evento culminou na revelação da aquisição de conhecimentos pelos alunos e da participação efetiva com trabalho em equipe, união e companheirismo. A “Feira Literária” foi muito bem apresentada por todas as turmas participantes, mostrando que a literatura traz em si um conjunto de saberes e habilidades de escrita e leitura e, literalmente, quando associada à arte do cinema expande o campo da imaginação para o campo da realidade, inspirando a arte e a vida.

Agradecemos a professora Flavia Brasil por compartilhar conosco esta rica experiência pedagógica e desejamos sucesso.

O contato da professora Flávia Brasil é: supersucessomil@gmail.com

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 20/06/2017

Dia do Brincar - Vamos Brincar de Casinha?

Tags: 2ªcre, familia, educação, infantil.

 

Os alunos da Escola Almirante Barroso aprenderam brincando sobre o papel do adulto na sociedade e no cotidiano da família.

 

A professora Sandra Nigro, diretora da Escola Almirante Barroso, entrou em contato com o portal Rioeduca para contar sobre o trabalho desenvolvido no “Dia do Brincar”.

O trabalho foi realizado a partir do Projeto Político Pedagógico da unidade escolar que tem como título: “Reverberando Através do Mundo – A Formação do Cidadão do Século XXI” e o Dia do Brincar com o tema “Vamos Brincar de Casinha?”. Ideia proposta com o objetivo de que as crianças compreendam, através do simbólico, o papel do adulto e o funcionamento da sociedade no cotidiano da família. Quando brinca de casinha a criança assume uma postura de cidadão responsável e, consequentemente, ciente de seus deveres com relação à família. Brincar de casinha é uma simulação da realidade, onde as tarefas domésticas são para homens e mulheres. Desta forma percebemos que não há necessidade de professores e responsáveis terem preconceitos e separarem as brincadeiras por gênero, tendo como norte o pensamento de que brincar de casinha é para meninos e meninas.

 

Dia do Brincar

 

Através desses pressupostos, as turmas de Educação Infantil brincaram e se divertiram, desde a confecção dos cômodos e objetos até a planta baixa da casinha, que foi feita no pátio da escola.

 

Planta baixa da casinha

 

É importante ressaltar que tudo foi construído levando-se em conta o tamanho dos alunos para que a noção de realidade estivesse presente durante a brincadeira. Cada detalhe foi produzido e elaborado com a participação das crianças opinando, criticando e construindo com a mediação e participação direta dos professores e da direção da escola.

 

Assistindo televisão

 


O resultado não poderia ser outro: sucesso total e alegria contagiante de toda comunidade escolar. O gosto de “quero mais” despertou o desejo de continuar a brincar, pois é brincando que se constrói o futuro.

 

Agradecemos a equipe da Escola Almirante Barroso por compartilhar conosco esta experiência pedagógica e desejamos sucesso.

 

O contato da unidade escolar é: emabarroso@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 06/06/2017

Aqui É um Lugar de Paz

Tags: 2ªcre, paz.

As unidades escolares da 2ª CRE continuam desenvolvendo ações sobre o projeto “Aqui É um Lugar de Paz”.

 

Na publicação “Nossa Escola É um Lugar de Paz”, conhecemos o trabalho de algumas escolas da 2ª CRE sobre o projeto que foi lançado a partir do mês de abril. O objetivo é desenvolver ações que conscientizem a comunidade escolar sobre a necessidade de termos atitudes que tragam paz ao ambiente escolar e ao meio onde vivemos.

No dia 6 de abril, a Escola Abelardo Chacrinha Barbosa realizou uma atividade pela Paz. O evento aconteceu no horário de entrada dos dois turnos de alunos com a presença de todos os funcionários, alunos e responsáveis. Foi um momento de conversa sobre os acontecimentos que levaram a esse ato em todas as Escolas Municipais do Rio de Janeiro.

 

Momento de conversas sobre a Paz.

 

Os alunos entraram com as faixas produzidas por eles e uma aluna do 5º ano leu trechos de um poema da Sandra Berg, chamado “Canto a Paz”.


"...O amor conhece a paz,
na paz cabe todo amor,
É a calma expressão da flor,
Resgata-nos da desventura...

 

... A paz é a mão do Redentor
tocando a flor, alma e canção
no mais fundo do ser
a paz vem acolher
o bem insofismável
que, só nela se pode compreender..."

 

Foi lido também o livro "A Vaca que Botou um Ovo", de Andy Cutbill, e, após essa leitura, foram tratadas as questões de diferenças e preconceitos que acabam gerando conflitos.

As crianças falaram o que significa paz para elas. Uma delas, de 8 anos, disse o que significa amor. Uma menina de quatro anos disse que paz é quando temos nossa mãe perto da gente, ou seja, segurança. Alguns responsáveis falaram em respeito, dignidade, afeto.

As faixas foram penduradas na grade da faixada da escola e a comunidade escolar decidiu mantê-las por tempo indeterminado, pois esse ato foi só o começo de uma grande ação.

Na Creche Municipal Raio de Sol as ações sobre a Paz foram direcionadas através do afeto, da conversa com as crianças e da confecção de um mural. O objetivo era fazer com que percebessem que precisamos de "menos dias iguais" de "mais dias de paz".

Os murais foram deixados à disposição dos responsáveis para que completassem a frase: “A paz é ...”

Em outro mural eles puderam deixar suas sugestões para o questionamento: “Como podemos nos mobilizar para termos mais segurança e paz em nosso ambiente escolar?”

 

Confecção do mural "Aqui É um Lugar de Paz"

 

No Espaço de Desenvolvimento Infantil Bárbara Ottoni houve muito trabalho e discussões produtivas sobre a Paz com os alunos.

O cartaz “Aqui É um Lugar de Paz” foi confeccionado com a ajuda dos alunos e exposto na porta da escola. A turma 45, das professoras Heliana e Ana Paula, realizaram atividades que foram expostas no mural do corredor.

A turma 54 da professora Luiza Christie, exibiu com orgulho o trabalho realizado após conversa sobre o tema e da contação da história do livro: "Um Mundinho de Paz", de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen. Foi um dia bastante produtivo de conscientização sobre a paz.

 

Mural confeccionado com a ajuda dos alunos e exposto na entrada da escola.

 

Professora e alunos com o trabalho produzido sobre o tema Paz.

 

Agradecemos as unidades escolares que têm compartilhado conosco as ações desenvolvidas em torno do tema “Aqui É um Lugar de Paz”.

 

Os contatos das unidades escolares são:

Escola Abelardo Chacrinha Barbosa : emchacrinha@rioeduca.net

Creche Raio de Sol : cmraiodesol@rioeduca.net

EDI Bárbara Ottoni : ediottoni@rioeduca.net

 

 

Divulgue também o trabalho de sua escola no portal Rioeduca.

Entre em contato com o representante de sua CRE.

 

 

Renata Carvalho - Professora da Rede e representante do portal Rioeduca na 2ª CRE

renata.carvalho@rioeduca.net


 


   
           



Yammer Share