A A A C
email
Retornando 82 resultados para o mês de 'Agosto de 2013'

Sexta-feira, 30/08/2013

Espaço Brincar na Escola Municipal J. Carlos

Tags: 5ªcre, projetos.

A Escola Municipal J. Carlos abraçou um projeto criado pela professora Jacira da Costa, da disciplina de Educação Física, com objetivos de trabalhar no relacionamento corporal e na comunicação afetiva a psicomotricidade.

 

A Escola Municipal 05.14.012 J.Carlos desenvolveu o Projeto "Espaço Brincar: A Psicomotricidade na Escola Municipal J. Carlos – Atenção Primária em Psicomotricidade na Formação do Sujeito na Infância", com objetivos de melhorar o sistema educativo por iniciativa da professora Jacira da Costa, de Educação Física.

 

A professora nos relata o projeto através da observação, interação, intervenção e conclusão sobre seu estudo, dada a importância da prática psicomotora. O trabalho visa objetivos de melhorar o sistema educativo ao introduzir a psicomotricidade junto ao grupo de trabalho da Unidade Escolar e está sendo desenvolvido desde o ano de 2012.

 

 

 

Espaço Brincar

 

“O projeto possibilitou-nos uma reflexão sobre a proposta pedagógica que leve em consideração as contribuições da psicomotricidade em um contexto biopsicossocial e educacional das crianças de forma desafiadora. Tem a finalidade de garantir a assistência nesses aspectos, na intenção de se trabalhar no relacionamento corporal e na comunicação afetiva. Oportuniza tais atividades que, muitas vezes, podem ser de acesso limitado ou privado do livre brincar, bem como, retomar as vivências que apresentaram falhas, ou não foram vivenciadas, ou fases que foram inadequadamente incorporadas. Além de acompanhar o desenvolvimento dos alunos nos aspectos psicomotores e conduzir ao descobrimento do próprio corpo, de suas capacidades na ordenação dos movimentos e do mundo que o rodeia para a formação do sujeito na infância", diz a professora Jacira da Costa.

 

 

“Após algumas pré-observações nas turmas da Unidade Escolar podemos perceber, inicialmente, que entre as crianças existe uma variedade de comportamentos comuns possuindo um precário suporte psicomotor associado aos diversos graus ou tipos de distúrbios psicomotores, problemas de linguagem e de fala, e de expressão, dificuldades de aprendizagem e disfunções de comportamento (condutas antissociais) que se encerram em um reflexo através de:

 

  • dispraxia; 
  • sincinesias;
  • disgnosias; 
  • dislalia; 
  • dislexia;
  • disgrafia; 
  • discalculia, entre outros.

 

Sendo assim, supomos que essas dificuldades poderiam estar relacionadas com o desenvolvimento psicomotor, podendo ser caracterizadas, a princípio, por apresentarem dificuldades na aprendizagem nas seguintes áreas: linguagem compreensiva e expressiva, aspectos sócio-afetivo e motricidade".

 

"A partir disso, a Unidade Escolar se propôs a criar o projeto que é desenvolvido e aplicado desde o ano de 2012, atendendo inicialmente a um público-alvo na faixa etária que compreende as idades de 6/7 anos a 12/13 anos, alunos do primeiro segmento do Ensino Fundamental”, relata a professora Jacira da Costa.

 

 


E continua: “O projeto é realizado através de uma intervenção psicomotora pelo ato do brincar espontâneo. Além de contar com a participação de todos, visando à inclusão. Ele ocorre no pátio da escola em um espaço improvisado, amplo e aberto, a fim de facilitar a movimentação do grupo...

 

Em cada contexto social observamos que existem diferentes perspectivas, atitudes, teorias e olhares frente ao brincar. Podemos afirmar que as brincadeiras são expressões de cada momento histórico, social, político e cultural, de um determinado contexto temporal e espacial. Contudo, verificam-se, na atual conjuntura, alterações sociais e econômicas em que são visíveis na própria concepção de sociedade educação e sujeito. Em consequência, muda-se também a concepção de ser criança e de infância, alterando também os tipos de brinquedos infantis e o conceito do brincar”. 

 

 

 

Na foto acima, o "Jogo Simbólico - Fugir do Jacaré" mostra uma brincadeira que foi criada pelos próprios alunos, em que consistia em "fugir do jacaré". Em seguida, o jacaré foi "morto", é claro, de "mentirinha".

 

“Em conclusão torna-se imprescindível a prática psicomotora, especialmente na escola. A maior parte das crianças que participa da prática psicomotora durante o seu período escolar é mais disponível e criativa, como também mais do que aquelas que nunca tiveram essa oportunidade. Há uma disponibilidade para receber todo tipo de atividade, criar e adquirir conhecimentos culturais.

 

Finalmente, justificam-se pela prevenção, compensação e pela reeducação de disfunções psicomotoras, que podem impedir que um problema ligeiro se transforme num problema mais sério”, finaliza a professora.

 

 

A professora Jacira da Costa é graduada em Educação Física pela UFRJ, Pós-Graduada em Educação Psicomotora pelo IBMR, Pós-Graduanda em Educação Especial e Inclusiva pela UCAM/IAVM, Psicomotricista (ABP Número 305) e Brinquedista (ABBri), também é Psicomotricista, Brinquedista (ABBri) e colaboradora voluntária do projeto Brincante - IPPMG/EEFD/UFRJ.


Parabéns à equipe de professores envolvidos nesse trabalho psicomotor, especialmente à rofessora Jacira Costa que nos contatou com a finalidade de compartilhar esse projeto.

 

Acessem o blog da E. M. J. Carlos, através do link http://emjcarlos.blogspot.com.br/

 


Regina Bizarro_ Representante do Rioeduca/5ªCRE
E-mail: reginabizarro@rioeduca.net
Twitter: @rebiza
Facebook: Regina Biza
Rioeduca/5ªCRE no Facebook:

https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/


                               

 


 

   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 30/08/2013

CONTEC na Bienal 2013

No dia 30 de agosto será realizada na Bienal a Conferência CONTEC/2013, em parceria com a SME. Teremos a participação do Subsecretário de Tecnologias – Rafael Parente.

A SME contará com 300 vagas no evento, mediante inscrição prévia dos interessados

 

A Conferência sobre Educação, Tecnologia e Literatura Infantil (Contec), organizada pela Feira do Livro de Frankfurt, no Brasil, vai realizar sua edição de 2013 durante a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. A Contec é organizada por duas divisões da feira realizada na Alemanha: a LitCam e a Frankfurt Academy e que, este ano, terá o Brasil como país homenageado. No contexto do ano da Alemanha no Brasil, a Feira do Livro de Frankfurt planeja uma atuação de longo prazo (2013 e 2014), no país.

 

 

As inscrições precisam ocorrer no site do evento (Link para Inscrição Abaixo), que gerará um convite a ser impresso. No entanto, nesse formulário não há local específico para que o inscrito se identifique como professor da rede.

De tal forma, para assegurarmos o quantitativo de vagas destinadas exclusivamente a professores da nossa rede, pedimos que após efetuarem sua inscrição, retornem a esta página e preencham o "Formulário Interno".

 

Por isso, solicitamos a inscrição nas duas etapas que seguem:

 

 

 

SITE OFICIAL DO EVENTO

 

Saiba mais sobre os palestrantes da SME/RJ

 

 

 

Confira os outros Palestrantes

Confira a Programação

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 30/08/2013

Estratégias de Leitura em Língua Inglesa

No dia a dia, usamos diferentes estratégias para superarmos dificuldades. Com base nisso, decidi pesquisar, em sala de aula, quais as estratégias usadas pelos alunos para superar os obstáculos existentes no aprendizado da Língua Inglesa, disciplina com a qual trabalho, na área específica de leitura, por se tratar de uma atividade primordial para a aprendizagem, não só de Inglês, como também de outras disciplinas.

 

O objetivo principal da investigação era identificar os recursos já utilizados pelos alunos que facilitavam sua aprendizagem para depois, de uma maneira sistematizada, mostrar-lhes a importância desses recursos, valorizando e incentivando o seu uso.

 

A investigação foi realizada segundo os princípios da pesquisa-ação, visto que os participantes eram meus próprios alunos. Interferi no contexto de modo claro por meio da aplicação de um miniprograma de leitura de língua inglesa. Esse programa era constituído de doze encontros. Os três primeiros foram dedicados à conscientização quanto a estratégias que os alunos usavam durante a leitura de alguns textos em língua materna. Os nove encontros seguintes se dedicaram a observar, por meio de protocolos verbais, o processo de leitura de textos em língua estrangeira.

 

O resultado da pesquisa mostrou que, durante a leitura dos textos, os alunos fizeram uso de estratégias cognitivas, que são as que os capacitam a entender a nova língua, tais como: identificação de palavras cognatas (transparentes), “pular” palavras desconhecidas, resumo do texto, tradução, dedução e uso do conhecimento prévio e estratégias compensatórias.

 

As estratégias compensatórias servem para compensar as lacunas existentes no conhecimento da língua inglesa, como exemplo, a análise de gravuras, do layout do texto e o uso do contexto.

 

É importante mencionar que, apesar de não entenderem todas as palavras de um texto e reconhecerem isso, os alunos foram capazes de entender a essência dos textos por meio do uso dessas estratégias. Assim, nenhum deles desistiu de ler diante das dificuldades apresentadas. Além disso, a cada dia, os alunos sentiam-se mais confiantes em ler os textos, pois estavam se tornando mais autônomos na leitura, uma vez que foram gradativamente se conscientizando que poderiam e que deveriam contar com seus próprios recursos, isto é, usar suas próprias estratégias para construir o sentido dos textos.

 

A análise dos resultados obtidos com a pesquisa demonstra o importante papel de estratégias no ensino/aprendizado da língua inglesa, já que as estratégias, enquanto ações específicas realizadas pelo aluno, são conscientes e podem ser ensinadas, contribuindo para que os alunos se tornem mais confiantes no que estão fazendo.

 

A investigação das estratégias usadas pelos alunos se faz relevante, pois a leitura possibilita ao aluno que use em LE (língua estrangeira) estratégias usadas em LM (língua materna) e vice-versa, além de desenvolver a autonomia dos alunos e poder contribuir para seu desenvolvimento em todas as disciplinas escolares. O professor, à luz dessa perspectiva, está contribuindo para que o aluno se torne o agente de sua própria aprendizagem, principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento da habilidade de leitura.

 

Acredito que as estratégias de leitura podem ser ensinadas aos alunos, em especial aos iniciantes, pois estes demonstraram que, apesar de usá-las, não estão totalmente cientes dos benefícios que elas podem lhes trazer. Para isso, os professores deveriam incluir o ensino de estratégias em suas práticas pedagógicas a fim de tornar o aprendiz mais equipado para ser o arquiteto de seu próprio saber.

 

Concluindo, o uso apropriado de estratégias pode levar o aluno ao sucesso durante a leitura de textos em língua estrangeira, estimulando-os a, de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, “trabalhar com autonomia, de forma a poderem identificar suas possibilidades e dificuldades no processo de aprendizagem.”

 

Palmyra Baroni Nunes
Professora do Ensino Fundamental da Prefeitura do Rio de Janeiro desde 1995, atuando como professora de Inglês no primeiro e segundo segmentos do Ensino Fundamental. Formada em Letras (Inglês/Literaturas) pela UERJ, com Mestrado em Linguística Aplicada pela UFF.

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 30/08/2013

O Mundo Mágico do EDI

Tags: 10ªcre.

Inaugurado em junho de 2012, o Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Prof. Celso de Almeida Chaves, da 10ª CRE, localizado no bairro de Santa Cruz, é uma Unidade de Ensino voltada ao desenvolvimento infantil e à aprendizagem contínua.

 

Tudo que é novo nasce cheio de sonhos e ótimas expectativas!


E foi com esse pensamento que a Diretora Rosane Viana Cardozo recebeu essa Unidade: como um presente! Rosane, que já está na função há 10 anos, viu a oportunidade de transformar realidades, fazer com que sonhos, esperanças e encantos pudessem permear a vida dos alunos.

A Diretora Adjunta Cláudia Pessoa e a Diretora Geral Rosane Cardozo.

 

O tema central do nosso Projeto Político Pedagógico (PPP) é “Contos e cantos que encantam e fazem sonhar...”. Isso porque ambas as Gestoras e a Equipe acreditam que a magia das músicas e histórias infantis envolvem e estimulam a criança, possibilitando o seu desenvolvimento de forma prazerosa e muito divertida.

Através da imaginação e das brincadeiras, são trabalhadas questões sociais e éticas como valores e comportamentos, que dão vazão a questões emocionais, além de desenvolver habilidades manuais e artísticas.

 

Envoltos nessa magia, acontecem vários subprojetos, tais como: 

  • Cineminha
  • Tem criança na cozinha
  •  É dia de teatro
  •  Dia da brincadeira
  •  Folclorices, e muitos outros.

 

Tema do Projeto Político Pedagógico da Unidade Escolar.

 

Trabalhos desenvolvidos pelos alunos.

 

Alunos do EDI 10.19.805 realizando atividades.

 

Outros subprojetos são desenvolvidos ao longo de todo o ano, como por exemplo o “Chá Literário”, em que os responsáveis são convidados para uma tarde gostosa, embalada por lindas histórias e um delicioso lanchinho... Momentos importantes para estimular a prática da contação de histórias e envolver os pais, conscientizando-os da importância da leitura.

 

Para o EDI Prof. Celso de Almeida Chaves, educação não se faz em um momento. É um desenvolvimento constante que acontece em todos os espaços que a criança está inserida.


Sendo assim, a Equipe da Unidade acredita que a parceria entre família e escola é fundamental para o sucesso e desenvolvimento dos alunos.


Acreditando nessa parceria, foram criadas vias diretas de comunicação com os responsáveis, que podem estar sempre por dentro de tudo o que acontece na Creche de seu filho. São elas:

 

  •  Informativo Mensal - jornalzinho impresso.

 

  •  Blog - site com atualizações constantes das atividades diárias desenvolvidas no espaço da Unidade Escolar.


Outro subprojeto desenvolvido é o “Família no EDI”, que acontece uma vez por mês. Nesse dia, os responsáveis são convidados a passar o dia na Unidade acompanhando a rotina de seu filho.


Essa parceria tem feito o maior sucesso, pois os responsáveis estão cada vez mais confiantes, visto que participam ativamente da construção de tudo aquilo que é desenvolvido pela Unidade.


 

Suelen Corrêa

é professora da rede municipal

e representante do Rioeduca da 10ªCRE

suelencorrea@rioeduca.net

twitter: @suelencorrea29
 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share