A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Julho de 2016'

Sexta-feira, 29/07/2016

Projeto de Incentivo à Leitura

Tags: 4ªcre.

 

 

 

 

 

Dar oportunidade para uma criança conhecer o mundo encantado dos livros é um dos papéis fundamentais da escola. Para isso, é fundamental que os professores sejam os elementos de ligação entre os alunos e os livros, do mundo real ao mundo do faz-de-conta.

 

"A leitura tem sido historicamente um privilégio das classes dominantes; sua apropriação pelas classes populares significa a conquista de um instrumento imprescindível não só à elaboração de sua própria cultura, mas também à transformação de suas condições sociais."
                                                                                                                Magda Soares

 

 

Existem várias formas de incentivar a criança a gostar de ler, bem como a criar o hábito de leitura. Ser um bom contador de histórias é uma dessas formas, pois as crianças se encantam com o professor, com a entonação de sua voz, os gestos que faz, as caras e bocas, os risos ou choros, enfim, tudo aquilo que traz emoção para o momento.

 

 

 

"Projeto foi realizado com as turmas 1502 e 1504 da E. M. Joracy Camargo. Teve como objetivo estimular o interesse pela leitura; desenvolver a criatividade e o senso crítico; ampliar o vocabulário; identificar os diferentes tipos de texto; além de envolver a família que irá auxiliar em casa nas atividades propostas." Texto enviado pela Professora Ana Paula Souza

 

 

O ato de ler é imprescindível ao indivíduo, pois proporciona a inserção do mesmo no meio social e o caracteriza como cidadão participante. Sabemos que a criança aprende a ler antes mesmo de entrar na escola, como por exemplo, nas situações familiares.

Nos primeiros anos de escolarização a criança precisa ser incentivada e instigada a ler, de modo que se torne um leitor autônomo e criativo. Projetos como esse proporcionam momentos de leitura significativa e incentivam a formação do leitor crítico e reflexivo.

 

 

Ler é de fato uma descoberta, é uma viagem por mundos e histórias inimagináveis. Muda os horizontes, faz uma conexão do mundo real com o imaginário. Viagem essa que deve ser interpretada, compreendida, interrogada, ampliada. É desse contato, desta troca que nasce o prazer de conhecer, de imaginar, de inventar a vida. A leitura é um ato de comunhão com o mundo: expandimos o estar no mundo, alcançamos esferas de conhecimento antes não experimentadas e isso faz toda a diferença na nossa formação enquanto sujeito da nossa própria história.

 

Parabéns aos envolvidos pelo trabalho realizado!

 

 

Contato da E.M. Joracy Camargo :

Endereço: Estrada José Rucas, 1465 - Olaria
Telefone: (21) 2280-9393

 

Contato para publicações:

Ana Accioly - Representante Rioeduca 4ª CRE

anaaccioly@rioeduca.net

 

 

 

                               

 
 
 
 
 

   
           



Yammer Share

Postado por Ana Accioly Ver Comentários (0)

Sexta-feira, 29/07/2016

Entrevista com Anna Penido - Inspirare

Tags: criatividade, escola, inovação.

 

Uma entrevista para nos fazer pensar. Como podemos ver oportunizar um ambiente criativo em nossas Escolas? O que fazer? Quais são as expectativas para a Base Nacional Curricular Comum?

Leia a entrevista e reflita sobre o assunto.

 

 

Rioeduca - Quais as expectativas para a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)?

Anna Penido - A BNCC tem a missão de definir com mais clareza o que cada aluno brasileiro tem o direito de aprender e desenvolver ao longo da sua trajetória escolar. Essas definições vão orientar melhor o trabalho de escolas e educadores, bem como as expectativas de estudantes e familiares. Caso cumpra essa função, a Base vai contribuir de forma significativa para garantir mais qualidade e equidade à educação brasileira. Para tanto, é importante definirmos que ser humano queremos formar e construirmos uma proposta formativa que faça sentido para os próprios estudantes e para o nosso país. Isso significa que as áreas do conhecimento e os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento devem estar articulados em torno de uma formação mais integral e conectada com os desafios da sociedade atual.

 

Rioeduca - Qual o cenário para os próximos 20 anos para a educação pública ?

Anna Penido- Em meio a um cenário de tanta turbulência e incertezas, fica difícil fazer previsões para o futuro. Acredito, no entanto, que não conseguiremos sustentar mais o atual modelo de escola, que já se mostra esgotado e incapaz de atender as necessidades dos alunos e da sociedade. Por isso, aposto fortemente em mudanças consistentes, muitas das quais acontecerão por pressão dos próprios alunos, cujas vozes já se fazem ouvir por meio de ocupações e manifestações. Os brasileiros são criativos e abertos a novas experiências. Temos que trazer esse espírito para dentro das redes de ensino e das escolas, a fim de que elas próprias se reinventem, com base em tendências, experiências e evidências que estão sendo geradas nos quatro cantos do mundo. Afinal, a obsolescência da educação é uma preocupação global. Caso o nosso país tenha o compromisso e a tenacidade necessários, poderemos aproveitar esse momento para dar um salto rumo à construção de uma escola pública de qualidade. Para isso, precisaremos abrir mão de resistências, acomodação e disputas inócuas. O debate é importante, mas precisamos nos unir em torno de objetivos comuns.


Rioeduca- A conectividade é um dos entraves para as escolas públicas ?

Anna Penido- A conectividade é fator absolutamente relevante para acelerar mudanças e progressos, caso esteja vinculada a uma política consistente de uso de tecnologia para promoção de uma educação com mais qualidade, equidade e alinhamento com as demandas do mundo contemporâneo. Metodologias e recursos pedagógicos de base tecnológica têm grande potencial de ampliar o engajamento e a aprendizagem dos estudantes, bem como de expandir a capacidade e facilitar o trabalho de gestores educacionais e educadores. Caso as escolas públicas continuem tendo acesso limitado à internet, corremos o risco de ampliar ainda mais os níveis de desigualdade na educação brasileira.


Rioeduca- Como as escolas públicas podem oportunizar ambientes criativos ?

Anna Penido- É fundamental que as escolas estejam conectadas com tendências e práticas inovadoras, para ampliar suas referências e enriquecerem seu repertório de possibilidades. Também é importante que gestores e professores sejam capacitados e estimulados a criar novas práticas e materiais pedagógicos. Também aposto muito na criação de uma cultura de inovação dentro das próprias redes de educação, inclusive via promoção de oficinas em que professores, alunos e outros atores da comunidade são convidados a criar soluções para os problemas que enfrentam, em processo contínuo de reinvenção, sempre amarrado por um sistema eficiente de avaliação, validação e difusão das inovações que dão certo.



Rioeduca - Qual é o olhar em relação a formação de professores para inovar no uso das ferramentas que estimulam os alunos a aprender mais ?

Anna Penido- Os professores precisam mudar a visão sobre a sua própria profissão, como muitos outros profissionais tiveram de fazer. Se antes eram especialistas que transmitiam conteúdos, hoje precisam se entender como designers da aprendizagem. Ou seja, educadores que compreendem a necessidade de formação dos seus alunos e acionam diferentes fontes de conhecimento, práticas e recursos para permitir que a aprendizagem e o desenvolvimento aconteçam. Para que isso seja mais do que uma aspiração, é fundamental que os programas de formação inicial e continuada de professor tenham essa missão e direcionamento, além de permitir que os educadores vivenciem essas novas abordagens, a fim de que possam replicá-las com seus estudantes.   

 


 

Diretora do Inspirare. Jornalista formada pela UFBA, com especialização em Direitos Humanos pela Universidade de Columbia e em Gestão Social para o Desenvolvimento pela UFBA. Em 2011, participou do programa Advanced Leadership Initiative da Universidade de Harvard. Trabalhou como repórter para o jornal Correio da Bahia e para as revistas Veja Bahia e Vogue. Integrou as equipes da Fundação Odebrecht e do Liceu de Artes e Ofícios da Bahia. Fundou e dirigiu a CIPÓ – Comunicação Interativa. Coordenou o escritório do UNICEF para os Estados de São Paulo e Minas Gerais. É fellow Ashoka Empreendedores Sociais.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 29/07/2016

Chamada de Artigos - Formação de Professores

Tags: artigos, formação, professores.

 

 

 

A Revista Carioca de Educação Pública – RECEP – é um periódico eletrônico, quadrimestral, do Centro de Referência da Educação Pública da Cidade do Rio de Janeiro – Anísio Teixeira, da Escola de Formação do Professor Carioca Paulo Freire.

O objetivo da RECEP é fomentar o exercício reflexivo acerca dos processos de ensino-aprendizagem e dos contextos nos quais esses ocorrem, oportunizando indagações, a busca de respostas sobre a prática e a tomada de consciência sobre o próprio processo de transformação docente. Nessa perspectiva, a RECEP constitui espaço e veículo para publicação de artigos dos Professores da Rede Municipal de Ensino da Cidade do Rio de Janeiro. Estimula-se, dessa forma, a escrita autoral sobre os saberes docentes e sua divulgação por meio de artigos de inspiração acadêmica. O periódico em destaque, ainda, representa um valioso subsídio à formação continuada dos professores nos diferentes espaços/tempos formativos.

 

Para o segundo número, a RECEP traz o tema “Formação de Professores” e propõe uma abordagem em diversas dimensões de formação, dentre outros:

  • o professor iniciante;
     
  • a formação interdisciplinar;
     
  • a formação de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental;
     
  • a formação de professores da Educação Infantil,
     
  • a formação de professores do EJA;
     
  • a importância da escola como lócus de formação do professor da Rede;
     
  • a influência da formação na prática dos professores.

 

Os professores autores, interessados em participar desse segundo número, deverão submeter seus artigos de acordo com as orientações disponibilizadas, no primeiro número da Revista, na última página, e enviá-los até o dia 31/08/16 para o email recep.crepat@rioeduca.net

 

Este espaço é seu, professor(a)!

 

 

 

 

                            

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 28/07/2016

Votação Biblioteca Professor

Tags: mídias, livro, professor, biblioteca.

 

 

 

 

 

Caro Professor, Agente de Educação Infantil e Bibliotecário

 

A Secretaria Municipal de Educação, por intermédio da E/SUBE/CED/Gerência de Mídia-Educação, informa que está aberta a votação para a Biblioteca do Professor/2016.

Os Professores, Agentes de Educação Infantil e Bibliotecários deverão votar nos livros de sua preferência – 01 de literatura nacional e 01 de literatura estrangeira - dentre os 10 títulos apresentados.

Em outubro, cada profissional será contemplado com 01 (um) dos exemplares dentre os dois mais votados.

 

Vote aqui http://webapp.sme.rio.rj.gov.br/inscricao/ e boa leitura!

 

Em anexo, a sinopse dos livros.

 

 

Grata,

Catharina

E/SUBE/CED/Mídia-Educação

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share