A A A C
email
Retornando 77 resultados para o mês de 'Maio de 2013'

Sexta-feira, 31/05/2013

Giovanna, Inclusão e Relatos de Progressos

Tags: 10ªcre, pse, síndrome de down, inclusão.

 

Giovanna dos Santos Lopes tem síndrome de down, vai fazer três anos em junho e está matriculada na Creche Municipal Inspetor Heraldo Carvalho de Sousa desde os onze meses.

 

Conheci a Giovanna em julho de 2012, por ocasião da visita que fiz à Creche Municipal Inspetor Heraldo Carvalho de Sousa para o Rioeduca. Ela brincava alegremente com o como as demais crianças.

 

Alessandra, mãe da Giovanna e diretora adjunta da Creche, pediu-me que fotografasse a sua filha, mas disse que não poderia ser vista por ela, para evitar choro e manha.

 

Giovanna era apenas sorrisos e simpatia. Simpatia, empatia e integração ao grupo, quase como se tivesse demonstrando que era capaz de ver os seus coleguinhas pelo ponto de vista deles próprios.

 

Giovanna dos Santos Lopes com a mãe Alessandra.


 

Giovanna tem síndrome de down, mas está perfeitamente integrada à sua turminha da creche.

 

Para Alessandra, diretora que é, antes de tudo, aquela mãe carinhosa e atenta aos progressos e conquistas da Giovanna, a filha cresceu em todos os sentidos após ter sido matriculada na Creche Municipal Inspetor Heraldo.

 

Não poderia ser diferente. As educadoras, em depoimento pedido para o Rioeduca, são unânimes em afirmar que Giovanna, da mesma forma que as demais crianças, participa de todas as atividades propostas.

 

Iraci Cristina dos Santos Mendonça Santos, Alessandra dos Santos Lopes e Cristiane Varelo.


Segundo Alessandra, em casa Giovanna é uma criança muito carinhosa. Gosta de beijar e de abraçar e tem as suas preferências musicais, dançando e fazendo gestos aprendidos na creche.

 

Giovanna (no centro de lacinhos cor-de-rosa na cabeça) participando de atividade na Creche Municipal Inspetor Heraldo.


Para a auxiliar de creche Iraci Cristina dos Santos Mendonça Santos, que acompanha de perto o desenvolvimento da Giovanna, a aluna surpreende, querendo participar de todas as brincadeiras e atividades pedagógicas. “Ela está sempre interagindo com as outras crianças e não deixa de estar presente em momento algum”, diz Iraci.

 

Giovanna (no centro de lacinhos cor-de-rosa no cabelo) participando da contação de história.

Giovanna em dois momentos especiais na Creche Inspetor Heraldo.

 

Cristiane Varelo, também auxiliar de creche, diz que a Giovanna é muito carismática e carinhosa. “Ela manda beijo pra todo mundo”, diz Cristiane.

 

Falando um pouco mais sobre a filha, Alessandra diz que Giovanna passou por uma cirurgia cardíaca aos nove meses, exigindo cuidados especiais, mas aos poucos ela, como mãe, foi observando que muitas das previsões dos médicos que afirmavam que seria natural a demora no aprendizado, não se confirmaram no caso da Giovanna, pois a filha aprende tudo com muita facilidade.

 

Cristiane Varelo concorda com Alessandra e afirma que Giovanna tem extraordinária memória, e mesmo não tendo completado três anos, já é capaz de fazer diversas tarefas apropriadas à sua faixa etária, inclusive se alimentar com o uso da colher, pintar, rasgar e amassar papel, agindo da mesma forma que os seus coleguinhas, nos jogos, nas brincadeiras e na roda de história.

 

Alessandra reforça dizendo que Giovanna está perfeitamente incluída na Creche Municipal Inspetor Heraldo e aproveita para elogiar o bom trabalho desenvolvido pelo Instituto Helena Antipoff que, em visita à creche, demonstrou preocupação com a situação da Giovanna, recomendando que ela fosse atendida pela Sala de Recursos da Escola Municipal Mário Lago, que fica localizada nas proximidades da creche.

 

Mesmo tendo a preocupação de acompanhar o tratamento complementar da Giovanna em clinicas de fonoaudiologia e de fisioterapia, Alessandra considera importante que a filha também passe a participar do programa de Educação Especial na Escola Mário Lago.

 

Pelos relatos de progressos na Creche Municipal Inspetor Heraldo Carvalho de Souza, é possível constatar a inclusão da Giovanna, portadora de síndrome de down, com ênfase na proposta pedagógica da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

 


Sinvaldo do Nascimento Souza, professor representante do Rioeduca na 10ª CRE
Twitter: @SinvaldoNSouza
Facebook.com/SinvaldoSouza
E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net



 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 31/05/2013

Fazendo Arte com Villa-Lobos e Portinari

Tags: 5ªcre.

 

Muitos acontecimentos marcaram o mês de abril e, por ser um mês de comemorações pelo descobrimento do Brasil, a EDI Fernão Dias trabalhou a arte brasileira de Villa-Lobos e Portinari com seus alunos.

 

Em abril, muitas atividades aconteceram na rede municipal do Rio de Janeiro e, para o EDI 05.15.804 Fernão Dias, mostrar a importância do descobrimento Brasil, retratando o povo brasileiro através das obras de Villa Lobos e Portinari, foi muito importante!

 

 

Heitor Villa-Lobos

 


Heitor Villa-Lobos nasceu no Rio de Janeiro em 5 de março de 1887 e faleceu, também no Rio, aos 17 dias de novembro de 1959. Foi maestro e compositor brasileiro. Destacou-se por ter sido o principal responsável pela descoberta de uma linguagem peculiarmente brasileira em música, sendo considerado o maior expoente da música do modernismo no Brasil, compondo obras que contêm nuances das culturas regionais brasileiras, como os elementos das canções populares e indígenas.

 


Cândido Portinari

 


Cândido Torquato Portinari nasceu em Brodowski (interior de São Paulo) a 29 de dezembro de 1903 e faleceu no Rio de Janeiro em 6 de fevereiro de 1962. Foi um grande artista plástico e pintou quase cinco mil obras, de pequenos esboços e pinturas de proporções padrão, como “O Lavrador de Café”, até gigantescos murais, como os painéis “Guerra e Paz”, presenteados à sede da ONU em Nova Iorque em 1956, e que, em dezembro de 2010, graças aos esforços de seu filho, retornaram para exibição no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Portinari é considerado um dos artistas mais prestigiados do Brasil e foi o pintor brasileiro a alcançar maior projeção internacional.

 

Escola Municipal Fernão Dias, Trabalhando a Arte de Villa-Lobos e Portinari

 

Em abril, mês em que se comemora o descobrimento do Brasil, os artistas escolhidos pela Escola Fernão Dias foram Villa-Lobos e Portinari, para retratar o povo brasileiro através de suas obras. A música “O Trenzinho Caipira” foi apresentada em dramatização às crianças, associada à poesia de Manuel Bandeira, “Trem de Ferro”.

 


Música "O Trenzinho Caipira", Bachiana Brasileira Nº 2 de Villa-Lobos.

 

 

Poema Trem de Ferro

(Clique na foto para ler o poema)

 

Fonte da foto: Blog de Antônio Campos (Advogado, Conselheiro Federal da OAB; escritor, editor, Membro da Academia Pernambucana de Letras e Curador da Fliporto/PE.

 

“A estação ferroviária de Marechal Hermes, que fica próximo ao EDI, foi fonte de inspiração com a sua arquitetura inspirada nas estações inglesas do início do século XX e uma das poucas estações quem ainda mantém seu prédio original. Os meios de transportes foram trabalhados nesse período e a visita ao Museu Aeroespacial também foi uma das ações planejadas, mas que infelizmente não aconteceu pela falta de transporte para conduzir as crianças. As salas foram nomeadas com nomes dos estados do Brasil e serão conhecidos pelos alunos através dos quadros de Portinari e das viagens de Villa-Lobos”, revela a Coordenadora Pedagógica Santana Paiva.

 


Releitura das obras de Portinari.

 

E continua: “A criança revela, através do seu modo de pensar, agir e interagir com os outros, a sua capacidade imensa de buscar, de explorar, de criar e aprender porque é um ser curioso e apto a explorar sempre. Neste sentido, no contexto escolar, ela precisa vivenciar situações que estimulem e despertem ainda mais a sua curiosidade, para que possa revelar as suas características, externar as suas dificuldades, os seus sentimentos e os seus talentos e expressões próprias”.

 

“Ouvindo o 'Trenzinho Caipira' de Villa-Lobos, as crianças foram levadas a imaginar o caminho percorrido pelo trem. O desenho de linhas curvas e aleatórias foram traçadas com olhos fechados e imaginação aberta. E virou arte!”, continua a professora Santana.

 

"Trem de Ferro" retratado de várias formas.

 

 

“A partir do poema de Manuel de Barros, Trem de Ferro, este foi retratado de várias formas em trabalhos, músicas e dramatizações. E a estação de Marechal Hermes, além de ser fonte de inspiração, foi a grande homenageada também em decorrência dos 100 anos do bairro”, diz a professora Santana.

 


Estação de trem em Marechal Hermes, que conserva a arquitetura original.

 

A escola elegeu como proposta pedagógica 2013 o trabalho com artes, fazendo uma “ponte” com o Centenário de Marechal Hermes, bairro onde a escola fica localizada.

 

Segundo a Coordenadora Santana: “nos utilizaremos de artistas nacionais e internacionais, através de pinturas, técnicas visuais, música, poesia, para conduzir mensalmente o projeto pedagógico. Cada data comemorativa será associada a um artista e sua obra, reproduzida pelas crianças através de criações e releituras, e contextualizadas localmente através do bairro de Marechal Hermes, suas particularidades, arquitetura, tipos humanos e aspectos sociais, culturais, físicos, etc. E assim os nomes de Pollock, Van Gogh, Villa-Lobos e Portinari têm sido ouvido pelas falas das crianças e incorporados ao seu vocabulário e à sua cultura.

 

Em fevereiro, o artista plástico apresentado foi Jackson Pollok, que dizia ser sua pintura “tão fácil que qualquer criança pode fazer”. Através da técnica “dripping” (gotejamento), foram reproduzidos em sala de aula trabalhos visuais, após exibição de vídeo do artista ensinando sua técnica. A técnica foi aproveitada para a confecção de trabalhos alusivos a comemoração do aniversário da cidade do Rio de Janeiro, na reprodução dos pontos turísticos que nomearam as salas de aulas neste mês.

 

Técnica “dripping” (gotejamento).

 

Logo em seguida, quando comemoramos a Páscoa, o símbolo girassol foi contemplado na obra de Van Gogh e também através do plantio da semente nas áreas externas da escola, onde os alunos vivenciaram a germinação dos vegetais e também realizaram trabalhos plásticos de pintura.

 

Girassol e Van Gogh.

 

E muitos outros artistas ainda vêm por aí: Tarsila do Amaral, Romero Brito, Ivan Cruz, Monet, Vinicius de Moraes, Vik Muniz, Mestre Vitalino, Volpi...”.


E finaliza, afirmando que “pretendemos com o Projeto Pedagógico “Ativos e Criativos” incorporar à nossa prática um sentido maior, onde os sonhos, sentidos e criação própria da criança sejam estimulados e ampliados, através da arte, ora como artista, ora como apreciador ou espectador. Acreditamos que é urgente e necessário despertar nas crianças o sentimento de amor pela arte e que através da audição de uma música, da leitura e da dramatização de uma história, ou na apreciação de uma obra de arte os sentimentos são despertados. “

 

Conheça o blog da Escola Municipal Fernão Dias. Você vai se encantar! http://emfernaodias2011.blogspot.com.br/

 

Parabéns aos professores e a todos os envolvidos, pois demonstraram através deste projeto grande sensibilidade com a arte da música e da poesia.

 

Agradeço especialmente a professora Santana pela presteza em participar desta matéria enviando um relato.

 

Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Visitem, acompanhem e comentem nos blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. Conheça os blogs da 5ª CRE.

 

Acompanhem, também, nosso grupo no Facebook, sendo mais um membro:
https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE

Twitter: @rebiza

Facebook: Regina Biza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                               


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 30/05/2013

Os Parceiros da Escola

Tags: família.

Quando valorizam o papel da educação, dedicando tempo e atenção ao tema, os pais cultivam nos filhos a noção de que é possível sonhar e batalhar por um futuro melhor. Ao participarem de projetos que beneficiam a escola, estão apostando numa parceria cujo resultado é uma sólida formação do aluno e do cidadão.

 

Muitos pais estão descobrindo que a participação na vida escolar dos filhos é muito mais do que acompanhar as notas no boletim.

 

A partir das próprias expectativas em relação ao futuro dos filhos, apostando no potencial das instituições de ensino e na disponibilidade de profissionais esclarecidos, eles vêm contribuindo para melhoria da escola. Os professores sentem-se prestigiados, os alunos passam a ter orgulho da escola e toda comunidade sai ganhando.

 

 

Participar depende antes de tudo do interesse e da disposição dos pais. Embora qualquer manifestação possa começar individualmente, é no esforço coletivo que as ações se concretizam. Quando a direção da escola se abre a esse envolvimento, os responsáveis ficam mais à vontade e confiantes para dar sugestões e acabam contribuindo na prática com o que melhor sabem fazer.

 

O processo de participação pode começar pelo Conselho Escola-Comunidade (CEC), responsável pela gestão da instituição do ensino. É formado por pais, alunos, professores e funcionários. Esse é um direito assegurado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e permite que os responsáveis elejam, ampla e democraticamente, a diretoria da escola.

 

O envolvimento deles é sempre uma garantia de continuidade das propostas. E para que esta parceria funcione, é indispensável que, além dos pais, a direção da escola esteja disposta a se abrir para comunidade.

 

Juntos, a família e a escola são responsáveis pela formação de uma pessoa com direito a sonhar com trabalho e emprego, mas principalmente com um lugar reconhecido de cidadão.

 

A família, cumprindo o seu papel de formar o caráter e cultivar noções de justiça e valores de respeito ao próximo, contribuirá para que os filhos absorvam o que a escola deve oferecer: as ferramentas para equacionar problemas, fundir e gerar ideias, aplicar conhecimentos. Esse é o ponto de ligação entre escola e pais, cujo resultado é a formação integral do cidadão. Como principais responsáveis pela educação dos filhos, os responsáveis devem ficar atentos e acompanhar a escolarização.

 

 

As reuniões entre pais e mestres servem para que os pais se informem não apenas sobre o aproveitamento dos seus filhos, mas também sobre o que está sendo ensinado e até como participar e ajudar a resolver eventuais dificuldades que o aluno esteja enfrentando.

 

É fundamental que os responsáveis acreditem que vale a pena investir em confiança na escola, pois isso representa a construção do futuro de seus filhos.

 

 

Por conta disso, já existem experiências que estão dando certo, nas escolas municipais, com oficinas de trabalho, grupo de esportes, dança, trabalhos ecológicos, rodas de leitura e ações voltadas à comunidade escolar. Essas iniciativas reúnem o pessoal da escola, alunos e pais dos alunos, e cada qual se dispõe a contribuir.

 

É possível ver que pais ensinam suas habilidades, como horticultura, marcenaria e pintura. E mães que ensinam trabalhos manuais. Juntos, esses pais acabam multiplicando ideias e criando necessidades de forma que outras comunidades também se organizem e invistam nessa produtiva parceria.

 

Veja alguns desses trabalhos :

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=14&id=3371

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=14&id=3127

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=14&id=3328

http://www.rioeduca.net/blogViews.php?bid=14&id=3376

 

 

A parceria, enfim amplia o vínculo de todos com a escola, que passa a ser algo do aluno e para o aluno: feito e voltado para ele, para seus pais e para toda a sociedade!

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 30/05/2013

A E. M. Eneyda Rabello de Andrade em Prosa e Verso

Tags: 4ªcre, projetos.

Poeta essencialmente lírico, também conhecido como "poetinha", apelido atribuído por Tom Jobim, notabilizou-se pelos seus sonetos. Esse é Vinicius de Moraes, imortalizado pela peça de teatro "Orfeu da Conceição", com uma obra vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. Um importante legado  para a cultura brasileira.

 

A infância é uma gaveta fechada, numa antiga cômoda de velhas magias A regra pode-se enunciar assim: espera-se que a avó entre para descansar, depois vai-se pé ante pé ver se o avô está mesmo (...)

Vinícius de Moraes

 

A Importância dos mais Variados Tipos Textuais no Estudo da Língua Portuguesa
 

O uso dos gêneros textuais em aulas de língua portuguesa trazem bons resultados. Na prática todos os falantes de uma língua aprendem, juntamente com a aquisição de regras gramaticais dessa língua, a se expressarem por meio de diferentes gêneros textuais, antes mesmo de aprendê-los na escola.Cabe à escola aproveitar esse conhecimento intuitivo, sistematizá-lo e tornar consciente o uso de diferentes gêneros textuais com os quais convivemos nos diversos níveis das nossas práticas sociais.

 

Culminância do Projeto "Eneyda em poesia com Vinícius de Moraes"

 

É incontestável a contribuição de Vinicius de Moraes para a cena cultural brasileira do século XX. Assim, torna-se vasto e interdisciplinar as possibilidades de trabalhar com os seus textos em sala de aula. É o que nos conta Elisandra Lopes a Coordenadora Pedagógica da Escola Municipal Eneyda Rabello de Andrade sobre o trabalho desenvolvido junto aos seus alunos.

 

Culminância do Projeto "Eneyda em poesia com Vinícius de Moraes"

 

A Escola Municipal Eneyda Rabello de Andrade promoveu uma Ode a Vinícius de Moraes

 

"Realizamos o projetinho Eneyda em poesia com Vinícius de Moraes, que movimentou a nossa escola e culminou com as turmas apresentando uma obra de Vinícius. O trabalho visou a ampliação do conhecimento de diferentes textos entre os alunos inclusive a poesia, o conhecimento e a valorização da vida e obra desse poeta que este ano comemora seu centenário. Essa foi a nossa homenagem a esse poeta que está inserido na cultura de nosso país através de sua contribuição na literatura, música, cinema e teatro." Texto enviado pela Professora Elisandra Lopes - Coordenadora Pedagógica

 

Culminância do Projeto "Eneyda em poesia com Vinícius de Moraes"

 

As atividades de linguagem funcionam como um apoio para que o indivíduo compreenda como ocorre a construção interna dos conhecimentos, isto é, o que é de fato  necessário para o indivíduo produzir e compreender a linguagem. Dessa forma, a inserção dos gêneros no processo de ensino-aprendizagem faz-se necessária, para o desenvolvimento da linguagem, promove a cultura brasileira e funciona como objeto  de trabalho para professores. 

 

Equipe da Escola Municipal Eneyda Rabello de Andrade

 

Parabéns a toda equipe da Eneyda por promover o desenvolvimento das capacidades necessárias para aprender e fazer uso com maior mestria dos mais variados  gêneros textuais.

 

 

Ana Accioly é Professora da Rede Municipal

e Representante Rioeduca da 4ª Coordenadoria Regional de Educação

E-mail: anaaccioly@rioeduca.net

Twitter: @Ana_Accioly

 

 

 

                              

 

 

 

 


   
           



Yammer Share