A A A C
email
Retornando 43 resultados para o mês de 'Fevereiro de 2013'

Quinta-feira, 28/02/2013

Com o Samba no Pé

Tags: 4ªcre.

 

 

Alunos dos programas Mais Educação e Escola Aberta participam do desfile do projeto Escola de Bamba da Escola de Samba Mirim G.R.E.S.M. Corações Unidos do CIEP

 

                                                                                                                    

Alunos da Escola Municipal Suíça.

 


"Mesmo com a troca do desfile para a terça-feira, dia 12 de fevereiro, os alunos da Escola Municipal Suíça, que também fazem parte do Programa Mais Educação e do Programa Escola Aberta, participaram com muita empolgação do desfile na Marquês de Sapucaí, juntos com outras escolas da rede municipal.


Durante as férias, estes alunos estiveram na escola ensaiando para fazer bonito na avenida. A participação dos responsáveis também foi fundamental! É o que sempre ressaltamos sobre a importância da parceria do responsável em todos os sentidos na vida do aluno. E, este ano, oferecemos a oportunidade de os alunos levarem algum responsável junto, o que animou mais ainda.


A Escola Municipal Suíça participa desde o ano de 2004. Isto significa que são oito anos nesse projeto. A escola percebe que todos os projetos são significativos para os alunos, pois cada um deles contribuem para o sucesso no processo de construção da aprendizagem.

 

          

Professora Fátima Ramos  com os alunos do Projeto Escola de Bamba.

 


Cada ano, este projeto trabalha com um enredo, que é desenvolvido por toda a escola. Muitas vezes, a escola parte deste tema para fazer o seu Projeto Didático, envolvendo desde a Educação Infantil até o PEJA.

 

                                                                                                                   

        Aluna do Projeto Escola de Bamba.

 

O mais interessante de tudo foi ver o entrosamento destes três projetos e perceber a importância que a escola faz na mudança da vida do aluno. Afinal, são programas e projetos que se entrelaçam completando a formação crítica e construtiva dos nossos alunos."

 

Texto da Professora Fátima

 

        

   Claudia Costin, Secretária de Educação, e a Profesora Fátima Barros, Gestora da E.M. Suiça.

 

Parabéns a todos da equipe da E.M. Suiça por acreditar e apostar no trabalho realizado com base na cultura popular carioca.

 

 

 

 

Ana Accioly é Professora da Rede Municipal

e Representante Rioeduca da 4ª Coordenadoria Regional de Educação

E-mail: anaaccioly@rioeduca.net

Twitter: @Ana_Accioly

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 27/02/2013

Alfabetizar ou Letrar?

Tags: professor.



 

A velocidade com que as informações chegam até nós nos dias de hoje é cada vez maior. Precisamos estar conectados para uma constante atualização com o Mundo.

 

 

 

 

O PNAIC, Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa, foi criado em 2012 e será implementado a partir deste ano. É um compromisso formal assumido pelos estados e municípios por meio do Ministério da Educação com o Governo Federal e visa assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do Ensino Fundamental.


 

Conheça mais sobre o PNAIC em:

 

 

 

Desde que foi anunciado, muita movimentação se viu em torno do Programa.


O que é alfabetizar? O que é letrar? Esses dois termos não têm o mesmo objetivo?  Como seremos capacitados? O que será necessário mudar?


Realmente são muitas informações que precisam ser absorvidas gradativamente. Mas somente através de trocas e muita leitura seremos capazes de alcançarmos o objetivo que pretendemos.


Em julho de 2012, os diretores das escolas do primeiro segmento e os representantes das dez Coordenadorias Regionais de Educação assinaram o Pacto Carioca pela Alfabetização, prevendo que todos os alunos das escolas municipais sejam alfabetizados ao final do 1º ano de Escolaridade aos seis anos de idade. 


A Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro superou a meta e reduziu o índice de Analfabetismo Funcional com quatro anos de antecedência.


 

Alunos da Professora Luciana da E. M.Cinco de Julho envolvidos em atividade de alfabetização e letramento. Ações contextualizadas com a utilização de textos conhecidos (como parlendas), materiais concretos e inserção de atividades artísticas promovem a curiosidade e levam à Leitura de Mundo.

 

 

Na primeira semana de fevereiro deste ano, aconteceu a semana de capacitação para os professores da Rede Municipal do Rio de Janeiro com atividades e assuntos diversificados.

 

Em um desses encontros, que ocorreu na própria escola, foram preparados DVDs  com palestras das professoras Iza Locatelli e Magda Soares para os professores que atuarão nas Casas de Alfabetização (1º, 2º e 3º anos), sendo também interessantes aos professores do primário Carioca (4º, 5º e 6º anos) com roteiro de ações a ser seguido.

 

A professora doutora Iza Locatelli, que presta assessoria à SME, fala sobre a importância da diagnose, de um ambiente alfabetizador em sala de aula, da diversidade de textos, da produção de textos coletivos e individuais e do papel do professor enquanto incentivador e contador de histórias conhecendo, valorizando e compartilhando as experiências individuais.


Uma importante prática alfabetizadora é o incentivo à narrativa, pois através dela, os saberes, culturas, histórias e valores foram sendo transmitidos de geração à geração através da oralidade e, assim, se consolidando nas diversas culturas existentes.

 

É através da narrativa que o educador irá promover a troca de experiências em sala de aula, socializando, trazendo à tona diversidades culturais, principalmente nas classes populares.


Não queremos alunos somente alfabetizados, mas alfabetizados e letrados. Alunos que adquiram independência para realizarem a leitura de mundo.
Ler e escrever como um fim limita a criança como mero decifrador de códigos e não como leitor.


De acordo com Magda Soares na obra Letramento: um tema em três gêneros (Belo Horizonte: Autêntica 2003):
Letramento é o resultado da ação de ensinar e aprender as práticas sociais de leitura e de escrita. É o estado ou a condição que adquire um grupo social, ou um indivíduo, como conseqüência de ter-se apropriado da escrita e de suas práticas sociais. Apropriar-se da escrita é torná-la própria, ou seja, assumi-la como propriedade. Um indivíduo alfabetizado, não é necessariamente um indivíduo letrado, pois ser letrado implica em usar socialmente a leitura e a escritura e responder às demandas sociais de leitura e de escrita."


Felizmente, estamos no caminho certo!
 

 

 

 Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal

e colaboradora do Portal Rioeduca.

E-mail: taisduarte@rioeduca.net
 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 27/02/2013

Da Arte de Acolher

Tags: 3ªcre, gec, protagonismojuvenil.

 

 

Acolher é uma arte que envolve colocar-se junto ao coração de todos os envolvidos em uma atividade. Vamos aprender um pouquinho dessa arte com os GECs da 3ª CRE.
 

 

O Ginásio Experimental Carioca segue sua expansão em progressão geométrica e, este ano, seremos quatro unidades na 3ª CRE. São escolas voltadas para o atendimento dos alunos do 7º ao 9º ano, em que o principal objetivo é proporcionar aos alunos, além do conhecimento escolar, experiências de cidadania através do protagonismo juvenil. O aluno se torna sujeito agente de seu futuro e aprende que suas atitudes refletirão sobre o que ele deseja ser.

 

Foi com este sorriso, protagonista de quem sabe o que quer de seu futuro, que fui recebida no dia 6 de fevereiro no GEC Rio de Janeiro. Lá, os professores da escola trocariam experiências com os professores dos GECs Ceará e República do Peru que estão sendo implantados este ano.

 

 

 

 

E a chuva, que nos aborreceu em janeiro, tornou-se temática dos murais da escola, graças à criatividade da diretora adjunta Rosângela Henck. Beleza e conteúdo que espelham o trabalho da equipe que sempre foi voltado para a cidadania atuante de seus alunos mesmo antes de participarem do programa, conforme nos contou a diretora Cláudia Fonseca. Os murais são alegres e atrativos e prontos para receber as contribuições dos alunos ao longo do ano. Confiram como o belo pode ser um aliado na exposição dos desejos e objetivos que se pretende alcançar.

 

 

 

Do outro lado desse círculo de acolhimento está a E.M. República do Peru. Para acolhê-los, o GEC Bolívar, pioneiro em nossa CRE, enviou uma equipe de alunos e professores. O objetivo é fazer com que os novos aprendizes recebessem de alunos já inseridos no programa aquelas dicas úteis do cotidiano. Os alunos tomaram posse dos ambientes da escola e, como sempre acontece quando estamos em um ambiente favorável, ficaram muito à vontade para expressar seus sonhos e desejos na nova escola.

 

 

Claro que dificuldades estarão presentes, mas com cooperação poderão ser superadas como na dinâmica do barbante realizada pelos alunos. Trabalho em equipe e busca de pontos de vista novos ajudaram os alunos a se desvencilharem das voltas do barbante sem o soltarem de seus pulsos. Com o apoio de seus professores e colegas, eles estabelecerão seus projetos de vida e atuarão para alcançá-los.

 

 

Bom 2013 a toda a equipe GEC da 3ª CRE! Certamente, teremos muitas notícias da chuva de ações dessas unidades escolares.

 

 

 

Angela Freitas é Professora da Rede Municipal e

representante da 3ª CRE, no Portal Rioeduca.

E-mail: angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

RIOEDUCA/3ªCRE

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Terça-feira, 26/02/2013

Meio Ambiente, Artes, Escrita e Leitura na E. M. Dom Pedro I

Tags: 7ªcre, projetos.

 

 

 

O Projeto Político Pedagógico da E.M. Dom Pedro I pontua a Sustentabilidade e a Preservação Ambiental. Agora, em 2013, a unidade escolar pretende reforçar esta questão tão importante para a humanidade e, simultaneamente, intensificar a leitura e escrita dos alunos-autores que se encontram na escola.

 


A E. M. Dom Pedro I irá desenvolver projetos que darão suporte às curiosidades e às necessidades de aprendizagem dos alunos. Para isso, impulsiona o conhecimento em atividades de campo baseadas em propostas científicas, associando essas informações ao cotidiano do aluno, legitimando, assim, a construção do conhecimento.


O projeto também pretende ter um olhar afetivo para a comunidade escolar, já que esta alicerça o trabalho pedagógico. A preocupação com a frequência e permanência do aluno na escola e com a aprendizagem significativa norteiam os objetivos da proposta.

 


Em 2012, a escola desenvolveu diversos projetos significativos:

 

Mistério no Museu Imperial
 

A profª Rosemar Franca (História), apaixonada pela família Real, realizou um projeto com o livro Mistério no Museu Imperial, da autora Ana Cristina Massa, que foi um marco para a aprendizagem dos alunos do 6º ano. Realizou-se a leitura do livro, depois uma visita ao museu Imperial em Petrópolis e a culminância foi a visita da autora na escola para uma conversa com os alunos. Durante a visita, surgiram muitas perguntas curiosas, tais quais: onde ela busca inspiração para escrever? qual o personagem que mais gosta? 

Ao final do encontro, os alunos a presentearam com uma coletânea de ilustrações para o referido livro, pois a obra ainda não tinha ilustração. Ana Cristina ficou tão emocionada que já confirmou sua presença na escola em 2013.

 

 

 

Campeonato de Dança e Handebol

 


As turmas do 7º ano da profª Ana Paola Silva (Educação Física) nos brindaram com os campeonatos de Dança e Handebol. Os empolgados alunos desenvolveram essas atividades com muito empenho e responsabilidade. Sob a orientação da profª, elaboraram bandeiras de países para formação dos times, escolheram a cor que predominava na bandeira para ser a cor das camisas e organizaram a torcida. Na dança, surpreendeu-nos a participação de todos. A apresentação foi bem coreografada e ensaiada. As apresentações foram submetidas a um jurado formado por professores que escolheu uma turma vencedora.




 

Projeto ambiental: “Identificação da Vegetação da Praça Soldado Geraldo Cruz” – Barra da Tijuca

 


O Projeto de autoria dos professores Mariângela Valgode (Ciências), Vinicius Gouvêa (Geografia) e Daniele Cristina Pereira (História) com a turma 1905 encerrou o ano letivo de 2012 com a legitimação de um trabalho científico.

 

Este projeto iniciou-se com o evento RIO + 20 e desdobrou-se com a parceria do pesquisador Dr. Marcus Nadruz do Instituto de Pesquisa Científica do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Com objetivo de preservar o meio ambiente, decidiu-se olhar para a vegetação em volta da escola.

 

Com a presença do Dr. Marcus Nadruz na escola, os alunos da turma 1905 puderam conhecer a metodologia de coleta de amostras botânicas. Com a orientação da profª Mariângela, os alunos coletaram e enviaram as amostras para o IPCJB- RJ. Após a conclusão da identificação pelo pesquisador, a turma e os professores retornaram ao IPCJB – RJ para catalogação da vegetação pelo processo denominado exsicatas. Este material está arquivado no IPCJB – RJ e na Web. Profª Mariângela registrou este projeto através de material impresso para disponibilizá-lo na Sala de Leitura.

 


Teatro e Máscaras Gregas

 


A escola municipal Dom Pedro I emociou-se com a apresentação da peça teatral “A Trágica História de Romeu e Julieta” de William Shakespeare, dirigida e adaptada pela profª Cristina Paraizo (Artes Cênicas). Todas as peculiaridades que envolvem a montagem de uma peça teatral foram vividas neste espaço: cenário, figurino, iluminação, som, divulgação.

 

Os alunos do 7º e do 8º ano demonstraram seriedade e responsabilidade de profissionais da arte e cultura. Os responsáveis puderam assistir aos seus filhos atuando e ficaram emocionados. Assim como professores e alunos. Ao entrar no auditório, os convidados recebiam o programa da peça e, após o silêncio absoluto, iniciava-se o espetáculo. Contagiavam a expressividade, as falas e a postura teatral dos alunos.

 

Este espetáculo contou com a significativa colaboração da profª Ana Bouças (História), que revelou o seu talento, junto com os alunos, na cenografia. A dedicação das professoras foi magistral, já que oportunizar a experimentação dessa vairante da arte aos alunos é significar a aprendizagem.

 

O corredor da escola Dom Pedro I ficou emoldurado com máscaras retradando a comédia e a tragédia grega. A atividade pedagógica foi desenvolvida pela profª Cristina Paraizo (Artes Cênicas) a partir da história do teatro Grego (comédia e tragédia) com as turmas do 7º ano. Os alunos demonstraram tanto entusiasmo que surgiu o interesse de confeccionar máscaras teatrais gregas. E surgiram lindas máscaras, que provocam admiração por quem as vê. 

 

 

 

Projeto: “Releituras: O Holocausto, Ontem e Hoje”

 

As professoras Crisitina Andiotti (Língua Portuguesa e Sala de Leitura), Danielle Crisitina Pereira (História) e Thereza Cristina Ferraz (Música) realizaram o projeto “Holocausto, Ontem e Hoje” com o objetivo de levar o aluno à reflexão sobre a importância de defendermos a liberdade e a tolerância no mundo em que vivemos.

 

A partir da discussão sobre o fenômeno do Holocausto e de seus impactos no mundo atual, construiu-se uma proposta interdisciplinar que propõe um olhar conexo entre o passado e o presente através das releituras dos nossos alunos do 8º e 9º anos. Dessa forma, eles atualizam o pensamento crítico, atentos sobre o tema, ainda, tão atual. As atividades reflexivas foram construídas com o diálogo entre os livros e os filmes, cujos temas direcionavam para o Holocausto.

 

Os filmes exibidos foram: Escritores da Liberdade e Chá com Mussolini. E os livros lidos foram: O diário de Anne Frank, O Sobrevivente, A Mala de Hannah e O Menino do Pijama Listrado. Depois deste contato, estabeleceram-se discussões que foram refletidas em produção textual, produção musical, desenhos e apresentação oral da síntese do livro O Menino do Pijama Listrado, culminando num concurso de produção textos na escola. A vencedora participou do concurso de redação da comunidade Judaica.

 

A  aluna Raquel Mesquita do 9º ano foi a vencedora entre as escolas participantes do Estado do Rio de Janeiro.

 

 

 

 

 

Equipe de Professores da E.M.Dom Pedro I

 

 

 

 

A E.M. Dom Pedro I pretende, em 2013, criar mais oportunidades de aprendizagem significativa para seus alunos, inclusive através de encontros com autores de livros para estimular os alunos-autores.

 

Através de diversos projetos que visam despertar a curiosidade e o interesse, tanto dos alunos, como dos professores e da comunidade escolar, a escola espera favorecer e ampliar ainda mais o processo ensino-aprendizagem em 2013.

 

 

 PARTICIPEM, TAMBÉM, DESTE ESPAÇO QUE É NOSSO, DAS ESCOLAS, DOS PROFESSORES, DOS ALUNOS E DEMAIS FUNCIONÁRIOS QUE FAZEM A EDUCAÇÃO CARIOCA!

 

CONFIRAM, NO LINK A SEGUIR, QUAL É O REPRESENTANTE DE SUA CRE
E DIVULGUEM O QUE SUA ESCOLA REALIZA!
RIOEDUCA NET - A REVOLUÇÃO ACONTECE: QUEM SOMOS NÓS?

http://portalrioeduca/sobrenos.php


 

Contato:

 

Roberta Vitagliano

é professora da rede municipal

e representante do Rioeduca da 7ªCRE

 

robertavitagliano@rioeduca.net

twitter: @robertacarmina

 

 

                               

 

 

 

x

p> x

x


   
           



Yammer Share