A A A C
email
Retornando 66 resultados para o mês de 'Novembro de 2013'

Sexta-feira, 29/11/2013

Entrevista com a Professora Michelle - Blog Fazendo Leitura

Tags: 5ªcre.

 

A professora Michelle Moreira criou o blog Fazendo Leituras, com o objetivo de estimular os professores ao trabalho com livros infantis em sala de aula, além de sugestionar atividades desenvolvidas a partir das leituras.

 

Michelle Moreira é professora da Rede Municipal da Cidade do Rio de Janeiro há quase doze anos. Está lotada na E. M. 05.14.016 Pires e Albuquerque, e exerce a função de regente de Sala de Leitura.


Alfabetizadora por excelência, a professora Michelle já teve a oportunidade de trabalhar com turmas de projetos, tais como o Se Liga (atual Realfabetização) e o Acelera (atual Aceleração) do Instituto Ayrton Senna. Nesses projetos, pôde lidar muito mais com a questão dos empréstimos de livros, já que a rotina realizada nestas aulas priorizava a leitura. A partir daí, Michelle passou a utilizar livros de literatura em todas as áreas do conhecimento, todos os dias. “As crianças gostavam muito! Além dos livros divertidos no final das aulas e das produções textuais”, acrescenta a professora Michelle.

Professora Michelle Moreira.

 

Na vida pessoal, Michelle é casada, cursa a Faculdade de Letras e tenta realizar seu trabalho da melhor maneira possível, com foco no aluno.

 

“Sou muito feliz com o que eu faço!”, afirma Michelle ao Portal Rioeduca.

 

Blog Fazendo Leitura nas Redes Sociais


Observando o blog Fazendo Leitura, http://fazendoleitura.blogspot.com.br/, existente há algum tempo, onde Michelle posta suas dicas de leitura, vi que, quase diariamente, ela o atualiza explorando sempre a leitura, motivando e postando atividades para o trabalho dos professores com seus alunos. Por isso decidi realizar esta entrevista, onde a professora fala como surgiu a ideia de criar o seu blog e deixa uma mensagem aos leitores do Portal Rioeduca.


“Criei uma página no Facebook onde estimulo o trabalho com livros infantis em sala de aula, além de dicas e atividades desenvolvidas a partir das leituras. Convido os leitores e especialmente os 164 seguidores do grupo a acompanharem as dicas e atividades através do Blog”, finaliza a professora Michelle Moreira.

 

Entrevista com a professora Michelle Moreira

 

1- Como surgiu a ideia de criar o blog Fazendo Leitura indicando sugestões de leitura aos professores?

Como professora da Sala de Leitura da E. M. Olegário Mariano, onde trabalhei de 2002 até o ano passado, eu sempre sugeria livrinhos de literatura infantil às professoras regentes em seus planejamentos. Elas também me procuravam na sala e pediam pra que eu separasse alguns livros que falassem sobre determinado assunto e, assim, surgiu a ideia do blog! Por que não sugerir leitura de livros para mais e mais professores? Então, criei o Fazendo Leitura que, em princípio, seria focado apenas na sugestão de livros, mas passei a dar ideias de atividades, mostrando fotos e postando modelos de trabalhinhos para os alunos. Deu super certo! Muitos professores de diversos lugares do país acessam o blog e deixam seus comentários!
Devo lembrar que o público-alvo é o PROFESSOR.

 

 

Mural da Sala de Leitura da E. M. Pires e Albuquerque.

 

2- Há quanto tempo você trabalha como regente de Sala de Leitura?

 

Trabalhei na Sala de Leitura em 2012 na E. M. Olegário Mariano e, agora em 2013, na E. M. Pires e Albuquerque. Antes mesmo de estar na Sala de Leitura, eu já praticava a leitura de livrinhos com minhas turmas através de rodas de leitura, contação de histórias, além do famoso “Cantinho da Leitura” e empréstimos semanais.

 

3- Conte-nos um pouco sobre suas experiências de trabalho neste espaço virtual.

 

Recebo muitos comentários elogiando o blog e as atividades. Mas o que me deixa mais contente é ver que muitos professores estão utilizando, realmente, estes livros em sala de aula, e até realizando as atividades que sugiro.

 

Aluno da Classe Especial realizando atividade na Sala de Leitura.

 

4- A indicação de livros faz parte de algum projeto?

 

Não. Geralmente sugiro livros que trabalho nas minhas aulas na Sala de Leitura ou de acordo com alguma data comemorativa do mês. Também já estou estudando alguns projetos para 2014 que envolverão o blog.

 


5- Há interação entre os livros e os leitores do blog, um feedback?

 

Sim. Muitos professores deixam comentários no próprio blog, dizendo que realizaram as atividades sugeridas a partir dos livros e a maioria parece gostar do resultado.

 

Alunos da E. M. Pires e Albuquerque lendo os livros que foram dicas da professora Michelle Moreira.

 

6- Como se sente ao saber que outros professores visitam seu blog?

 

Sinto-me muito feliz por poder contribuir um pouco com os meus colegas professores, facilitando a pesquisa dos livrinhos, já que muitas vezes esse professor não tem tempo de ir à Sala de Leitura para procurar por um livro adequado a sua aula ou a sua necessidade.
Também fico surpresa ao receber mensagens de professores de outras partes do Brasil, como Ceará, Rio Grande do Sul, Fernando de Noronha... O Fazendo Leitura está crescendo e espero que todos estejam gostando das sugestões.
Em menos de um ano da criação do blog, o Fazendo Leitura já teve mais de 80.000 acessos. Fico contente por isso!!


7- Em quais outras redes sociais você interage com os leitores do seu blog Fazendo Leitura?

 

Criei uma página do blog no Facebook. O Fazendo Leitura já tem mais de 164 “curtidas”. Os professores que acessam o blog recebem um aviso sobre as atualizações da página, que é atualizada quase todos os dias.

 


 

8- De que forma você avalia essa interação?

 

Positiva. Através dela tenho contato direto com os leitores do blog. Compartilhamos experiências, já que isso tudo é uma aprendizagem. Nem sempre um colega pensou numa atividade do jeito que eu pensei, ou vice-versa. Por isso, é muito bom interagirmos procurando ideias aqui e ali. O trabalho cresce e quem ganha é o aluno.

 

9- Conte-nos uma experiência de algum professor que já tenha usado o livro sugerido no blog Fazendo Leitura.

 

A professora Raquel, regente da turma 1302 da escola em que trabalho, utilizou vários livros que sugeri no blog. Mas, um livro, em especial, “Liga e desliga”, foi um sucesso entre os alunos, já que ela criou uma atividade bem diferente a partir da minha sugestão de leitura.
As fotos dessa atividade estão no blog da E. M. Pires e Albuquerque.

 

Alunos da professora Raquel, com livros sugeridos pelo blog Fazendo Leitura.

 

10- Deixe uma mensagem aos leitores do portal Rioeduca sobre esse trabalho.

 

Sempre gostei muito de livros, desde pequena. O meu sonho era crescer bem perto deles.
Desde que estou em sala de aula, trabalho com atividades a partir de leituras de textos, sejam livros, sejam receitas, jornal ou gibi... Quando passei a ser regente de Sala de Leitura, pensei: é a hora!


O incentivo à leitura é fundamental. A leitura precisa estar presente e VIVA dentro das escolas e dentro da gente também...


Então, é muito gratificante saber que estou contribuindo, nem que seja o mínimo, para a propagação da leitura pelas salas de Aula e de Leitura que estão por aí. Acredito que uma ideia não deve ser guardada pra si. O livro “Nicolau Teve uma Ideia” nos mostra isso. Gosto muito de compartilhar, de dividir, e o blog me permitiu realizar esta vontade quase que inata: levar a leitura para mais e mais crianças através de seus professores.
 

 

Agradeço a professora Michelle Moreira pela presteza em compartilhar com o Portal Rioeduca o trabalho desenvolvido nas redes sociais. Assim como agradeço a Escola Municipal Pires e Albuquerque através da direção e das professoras Janaina Stasio e Solange Rosa por acreditarem neste maravilhoso trabalho!

 

Visitem o blog da professora Michelle Moreira http://fazendoleitura.blogspot.com.br/.

 

Regina Bizarro é professora representante do Portal Rioeduca/5ªCRE.

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net
Twitter: @rebiza


Rioeduca/5ªCRE no Facebook:

https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

                               

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 29/11/2013

Prorrogadas as Inscrições - Programa de Bolsas para Professores Regentes

Foram prorrogadas, até o dia 06/12/2013, as inscrições para o Programa Anual de Bolsas de Estudos de Mestrado e Doutorado para Professores Regentes da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

 

Para maiores informações acessem as páginas 61 e 62 do Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro do dia 04/11/2013, através do link: http://doweb.rio.rj.gov.br/visualizar_pdf.php?edi_id=2225&page=1 ou entrem em contato através do endereço eletrônico: crepatsme@rioeduca.net ou pelo telefone 2253-1050.

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 29/11/2013

Educação, Leitura e Tecnologia

Tags: blogsderioeducadores, educopédia, mídias, especialistas, leitura.

O desinteresse dos estudantes em diferentes níveis de escolarização pela leitura de livros constitui uma grande preocupação das escolas de hoje.

 

 

Muitas vezes nós (educadores) fazemos listas do que os discentes devem ler (nos livros) ou nas telas dos computadores, refletindo o nosso desejo de torná-los aquilo que queremos ou de cumprir o papel de transmitir a cultura de uma geração para outra. Então, surge o saudosismo em face do pretenso paraíso perdido: “Ah, como era diferente no meu tempo!”. Na verdade, o tempo flui, ainda que devagar, modificando os hábitos.

 

Biblioteca Folha Clássicos da Literatura Universal.

 

Em termos históricos, é preciso reconhecer que o trabalho do magistério estava associado a mídias. A escola utilizou em seu percurso sempre algum tipo de mídia para apoiar o processo de ensino/aprendizagem. O que se espera da instituição, atualmente, é que haja a integração das mídias antigas com as mais modernas, de maneira qualitativa e crítica, pois negar a influência dessas culturas na escola seria um grande equívoco. Para que isso seja feito, a escola precisa repensar o seu papel diante do novo ambiente digital. Não se pode esquecer que a tecnologia é uma ferramenta a mais de auxílio ao trabalho pedagógico. Ela não substitui os outros recursos, nem os indivíduos envolvidos no processo.

 

 


Estudar é necessário para sobreviver na escola. Mas, unidos em grupos, os alunos podem ter, pelo menos, a intuição de que a sala de aula é uma arena, onde podem cooperar com o ritmo de avanço do professor no programa e negociar critérios de avaliação dando em troca - ao docente - várias recompensas, dentre elas, o prestígio de poder ensinar a lidar com as novas tecnologias.

 

 


Diversas pesquisas têm procurado ao menos caracterizar as novas gerações, chamadas de net ou lap generation. Elas são capazes de fazer uso de várias tecnologias da informação e comunicação ao mesmo tempo, agem com maior autonomia, têm mais iniciativa. A escola e o professor reconhecem que a educação precisa se aproximar da realidade, adaptando o âmbito pedagógico a uma sociedade em constante mudança. Possibilitar aos aprendizes o contato com os diversos suportes, com as linguagens e com os gêneros é uma atitude que faz parte do seu trabalho. Tais mudanças do mundo influenciam o sistema educativo da mesma forma que a escola tem um papel na inserção de cada indivíduo nesse contexto social.

 

 

 

 

Tânia Regina Pinto de Almeida é Mestre em Língua Portuguesa pela UERJ em 2012. Em 2013, leciona no GEO de Santa Teresa (Humanas) e também é revisora de Língua Portuguesa na Educopédia. Artigo publicado na Revista Portuguesa Interacções sobre a importância da leitura na formação acadêmica do público infanto-juvenil, com os Professores Dr. Cândido A. Gomes e Teresa Tedesco.

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 29/11/2013

O Estudo do DNA

Tags: 10ªcre.

 


 

A E. M. Floripes Angladas Lucas, da 10ª CRE, localizada em Barra de Guaratiba, possui quatro salas de aula, oito turmas, 140 alunos. Por ser uma escola bem próxima da natureza, a Unidade Escolar tem como hábito desenvolver projetos ambientais.

 

Todos os anos, a escola promove uma feira de Ciências internamente, que envolve todos os alunos. Neste ano, em especial, o Projeto IV Mostra da Revista Ciência Hoje teve a participação da Equipe do Instituto Estadual do Ambiente (INEA).


Todas as turmas (da EI ao 5° Ano) participam, preparando cada uma o seu projeto. Durante a feira, os alunos ficam responsáveis em explicar todo o processo apresentado. A comunidade escolar também é convidada a participar.


As professoras do 4° e 5° ano costumam utilizar a revista Ciência Hoje em sala de aula. Tanto que, quando foi feita a divulgação da Feira de Ciências, os alunos logo se interessaram e já começaram a pesquisar um projeto para ser apresentado. O tema escolhido foi o DNA.


Por que um assunto tão complexo despertaria curiosidade em alunos tão pequenos? 

 

O motivo dessa curiosidade foi o fato de uma aluna da própria turma participante estar passando por teste de paternidade e a mesma, ao se deparar com o assunto na revista Ciência Hoje, levou sua história para a sala de aula. Foi quando despertou o interesse nos alunos em entender como esse “DNA" funciona. Se de fato poderia confirmar a paternidade das pessoas. A professora Claudia dos Santos Martins Alves decidiu aproveitar o momento para fazer uma pesquisa sobre o assunto que seria o tema para a Mostra de Ciências 2013.
 

Segue, abaixo, uma breve explicação sobre o teste do DNA:

 

Teste de paternidade pelo DNA

 

Os testes de paternidade são feitos através da análise do DNA encontrado nas amostras de sangue dos supostos pai e filho. Mas a análise também pode ser feita através de outros tipos de materiais biológicos como saliva ou fio de cabelo.


O teste baseia-se na comparação entre os genes que compõem o DNA. O grau de coincidência deve ser total, se não for, a legitimidade paterna é excluída. Se todos os genes coincidirem, então afirma-se que o suposto pai é verdadeiro com grau de certeza acima de 99,99%.

 

Testes de paternidade sem o pai


Esse tipo de teste pode ser feito quando o pai em questão já faleceu. Nesses casos tenta-se extrair amostras de DNA da ossada, porém, muitas vezes não vale a pena a tentativa, pois esse DNA é de má qualidade e já exposto ao ambiente, isso pode interferir no resultado do exame.


Outra alternativa é tentar recompor as características genéticas do falecido com base em material colhido de parentes próximos. Porém esse tipo de exame também pode fracassar, pois depende da quantidade de pessoas que foram analisadas e o grau de parentesco delas com a pessoa falecida.

O teste paternidade ou maternidade é um teste conduzido para estabelecer se uma pessoa é a mãe biológica ou o pai biológico de um certo indivíduo.


No genoma humano existem regiões polimórficas, geralmente presentes em regiões não codificantes, que apresentam diferenças de um indivíduo para outro. Isso é, juntas tais regiões representam uma característica distintiva típica de uma pessoa. Além disso, as regiões polimórficas também são herdadas 50% do pai e 50% da mãe, o que permite identificar se um indivíduo é ou não progenitor de outro.


Teste de paternidade pela internet


Esse tipo de teste, embora não determine com totalidade a paternidade, fornece uma pista da legitimidade paterna. Esses testes podem ser um bom início para uma investigação mais aprofundada.


O teste de paternidade pela internet é baseado em cálculos científicos analisando algumas características genéticas, como tipo sanguíneo, cor dos olhos ou lóbulo da orelha.


Após as pesquisas, e com a ajuda da Revista Ciência Hoje através do vídeo http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=wNnwA2PB9Jk, os alunos conseguiram extrair o DNA do morango. Foi uma experiência fantástica!
 

Seguem, abaixo, alguns momentos da Pesquisa:

 

Alunos pesquisando o DNA.

 

Alunos aprendendo mais sobre o DNA com a Equipe do INEA.

 

Diante dos estudos e interesse, os alunos começaram a preparar todas as etapas para a apresentação na feira. Eles confeccionaram um folder com as explicações sobre o projeto, um jogo onde constariam algumas perguntas sobre o que seria explicado durante a apresentação e redigiram um texto contando o que foi apreendido por eles.


Antes de levar o projeto para a feira, resolveram apresentar primeiro dentro da Unidade Escolar.


Durante a apresentação, os alunos explicaram com bastante desenvoltura e segurança sobre todo o processo da extração do DNA. Logo após a explicação, eles utilizaram o jogo com perguntas para avaliar o que as pessoas tinham entendido com a explicação deles. O jogo foi bem animado e todos participaram.

 

Alunos fazendo pesquisa sobre o DNA.

 

Alunos fazendo pesquisa sobre o DNA.

 

Alunos fazendo pesquisa sobre o DNA.

 

A mostra foi tão bem apresentada que a escola foi selecionada como finalista. Assim, os alunos fizeram nova demonstração na quadra da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel no dia 31 de outubro.

 

Ao final da feira, a Escola Municipal Floripes Angladas Lucas foi agraciada com o Troféu Curioso, que é dado para as escolas que mais se destacam.


Os alunos vibraram quando a escola foi contemplada. A professora e os alunos voltaram para a escola muito orgulhosos e satisfeitos pelos seus esforços terem sido recompensados e por ter podido contar com o apoio da 10ª CRE, que nos deu condições para que essa participação se efetivasse.
 

 

Parabéns aos Gestores!

Parabéns aos Professores!

Parabéns a toda Comunidade Escolar!

 

 

 

Suelen Corrêa

é professora da rede municipal de ensino e

representante do Rioeduca da 10ª CRE

 

Contatos:

suelencorrea@rioeduca.net

twitter: SuelenCorrea29

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share