A A A C
email
Retornando 122 resultados para o mês de 'Outubro de 2012'

Quarta-feira, 31/10/2012

Saúde e Educação, a parceria que vem dando certo

Tags: 10ªcre, pse, dentescola.

 


O Programa Saúde nas Escolas, lançado no Rio de Janeiro no início de 2011, vem proporcionando excelentes resultados nas unidades escolares da 10ª Coordenadoria Regional de Educação

 

A Escola Municipal 10.19.047 Joaquim da Silva Gomes, da 10ª CRE, é uma das unidades beneficiadas com a parceria entre as secretarias de Educação e de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro, principalmente a partir da gestão da secretária Claudia Costin no início de 2009.

 


Além das Salas de Saúde, implantadas nas Escolas do Amanhã, para primeiros atendimentos aos alunos com o programa Saúde nas Escolas, são inúmeras as ações contando com a parceria das duas secretarias.  Essas ações incluem, desde a inserção de alunos surdos em escolas municipais, passando pelo Programa de Promoção de Saúde e Cidadania “Dentescola”, até consultas oftalmológicas, com distribuição de óculos, vacinação, palestras e visitação às unidades municipais de saúde.

 

 

Foto enviada pela assistente social Janaína de Souza Mattos

Foto copiada do Blog http://oticssantacruz.blogspot.com.br/2011/09/odontologia.html

 


 

No dia 25 de setembro de 2012 (terça-feira), alunas do 9º ano, turma 1903, da Escola Municipal Joaquim da Silva Gomes, em companhia do professor de Matemática, Raul, visitaram o Centro Municipal de Saúde Lincoln de Freitas Filho (CMSLFF), localizado na Rua Álvaro Alberto, em Santa Cruz.

 


O convite, feito pelo Dr. Marcelo, odontólogo sanitarista do CMSLFF, incluiu uma programação matinal de visitação, palestras e oficinas.
 

 

Em relato feito à professora Sheila Silva, coordenadora pedagógica da E.M. Joaquim da Silva Gomes, as alunas da turma 1903 descreveram alguns dos temas, que incluíram conceitos de promoção à saúde, abordados durante a visita e a palestra,

 

 


 

Após a palestra apresentada pelo Dr. Marcelo, o professor Raul e as alunas da turma 1903, visitaram todas as dependências do CMSLFF e conheceram os diversos serviços prestados à população da Zona Oeste, em particular aos moradores de Santa Cruz.

 


A aluna Maiara Oliveira disse que ficou muito bem impressionada com a dedicação dos profissionais do Centro Municipal de Saúde e considerou importante a palestra do Dr. Marcelo, principalmente por ele ter chamado a atenção para inúmeras doenças que precisam de cuidados especiais como a hanseníase e a tuberculose.

 


Fabrícia disse que gostou quando o odontólogo falou sobre dentição, esclarecendo que os dentes não têm que ser, como algumas pessoas supõem, totalmente brancos.

 


De um modo geral, as alunas da E.M Joaquim da Silva Gomes que visitaram o Centro   Municipal de Saúde  Lincoln de Freitas Filho, elogiaram a abrangência da abordagem da palestra apresentada pelo Dr. Marcelo.  Ele deu exemplos de várias doenças, citou formas de tratamento e resumiu, segundo palavras da aluna Alexia Andrade, dizendo que todas as pessoas devem ser tratadas e olhadas com especial carinho, principalmente em relação aos cuidados que cada um deve ter com a sua saúde.

 


Por ter sido tão positiva e proveitosa a visita da EMJSG ao Centro Municipal de Saúde Lincoln de Freitas Filho, as alunas do 9º ano já planejam ações para divulgar na escola tudo o que aprenderam com o Dr. Marcelo, além de produzir murais com informações sobre os cuidados que todos devem ter com a saúde e incentivar a visita de outras turmas ao CMSLFF.

 


A professora Sheila, coordenadora pedagógica da escola, responsável pela organização da visita, e o professor Raul, que acompanhou as alunas ao CMSLFF, também elogiaram a iniciativa do Dr. Marcelo e o comportamento das alunas, que se interessaram e fizeram muitas perguntas durante a palestra.

 


 

Fotos acima: 1 - Alunas da 1903 visitando o CMSLFF. Foto enviada

por Janaína de Souza Mattos

Foto 2 - Professora Sheila dos Santos, sentada à esquerda, com as alunas que participaram da visita ao Centro Municipal de Saúde Lincoln de Freitas Filho.

 

Contato: Professor Sinvaldo do Nascimento Souza, representante do Rioeduca na 10ª Coordenadoria Regional de Educação.

E-mail: sinvaldosouza@rioeduca.net
Twitter: @SinvaldoNSouza
Facebook: Sinvaldo Souza


 


 

 

 

                                      

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 31/10/2012

Sujeitos da Ação

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, artesvisuais, blogsdeescolas.

 

 

A arte de contar histórias nos encanta desde sempre. Na E.M. Reverendo Álvaro Reis, da 3ª CRE, os alunos encantam e contam histórias de uma maneira especial. Me acompanhem no próximo capítulo!

 

 

Há uns dez dias, o país parou para assistir ao final de uma novela de sucesso. Até mesmo quem não seguiu os capítulos anteriores, conhecia os personagens e viu-se envolvido pelo último episódio. Nossa índole humana nos leva a seguir histórias e não abandoná-las, ainda mais se forem bem contadas.

 

A Escola Municipal Reverendo Álvaro Reis pretende em seu projeto político pedagógico educar o aluno para a ação consciente sobre a comunidade em que vive, reconhecendo-se e ao outro com que interage. Na postagem Formando Valores através da Cultura Indígena, podemos ver um pouco deste trabalho.

 

Agora, vamos conhecer o projeto Sujeito da Ação, realizado pela professora Fabiana Costa da Sala de Leitura da escola. Com o objetivo de incentivar a leitura e a produção textual através da vivências das histórias, ela colocou os alunos para envolver-se em todas as partes da produção de uma fotonovela.

 

 

 

 

 

 

A fotonovela era um tipo de narração muito famoso na década de 1960 e 1970. Publicadas nas revistas mais famosas da época, faziam sucesso entre as leitoras. As crianças, nativas digitais, adoram a facilidade de produção que a informática e o acesso à tecnologia proporciona. Eles mesmos podem escrever, fotografar e editar suas produções.

 

A escolha dos temas e a produção dos diálogos ficou por conta da imaginação de cada grupo. O 1º ano, sempre envolvido em fábulas e contos de fadas ficou com "Enquanto Seu Lobo não Vem", canção popular na boca dos pequenos.

 

 

A turma 1401 resolveu registrar uma das lendas do folclore escolar: "A Loura do Banheiro". Assim desmistificam a lenda, ao repensá-la e vivenciá-la teatralmente.

 

 

 

 

 

 

A aluna Yasmim, da turma 1402, produziu o texto que foi encenado pela turma. "O Monstro" é uma narrativa com elementos do universo dos pré-adolescentes e elementos fantásticos. Os efeitos especiais também estão presentes.

 

 

 

 

 

 

 

A professora Fabiana Costa nos conta o passo a passo: “Este trabalho foi realizado em etapas específicas para cada grupo, que consistem em:

- Escolha do texto, contação da história, música e fotografia para o 1º ano.

- Escolha do texto, contação da história, elaboração do figurino e fotografia para o 2º ano.

- Aula sobre quadrinhos, produção textual, montagem, elaboração do figurino e fotografia no 3º ano.

- Escolha do gênero, produção textual, escolha dos melhores textos, dos grupos de trabalho (atores, figurino, cenário, informática) e fotografia no 4º ano.”

 

Assim, cada ano de escolaridade pode produzir de acordo com suas habilidades e potencialidades. A turma 1301 produziu a fotonovela "A Dorminhoca" é de autoria da aluna Marcele.

 

 

 

 

 

 

O prazer da produção textual com papel social e da leitura de textos produzidos por seus pares são grandes incentivadores para a fruição da leitura. As tarefas que envolveram a produção das fotonovelas resgatam nossa cultura, desenvolvendo a criatividade interpretativa e facilitando a capacidade de ação de cada aluno para o sucesso do trabalho. Os sujeitos da ação, nesee projeto, vão continuar interagindo na assimilação dos conteúdos e na construção de seus conhecimentos.

 

Para visualizar todo o projeto e as demais fotonovelas criadas, o blog E.M. Reverendo Álvaro Reis aguarda sua visita. Confiram as ações dos sujeitos e deixem seu comentário.

 

 

 

 

Contate-nos:

 

angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 31/10/2012

Pequenas Atitudes para Escrever Melhor

Tags: protagonismojuvenil, leitura.

Uma grande preocupação dos estudantes de hoje é como escrever melhor. Mais do que formas e padrões a serem seguidos, é preciso tornar a escrita mais coerente com o que se quer abordar. Para isso, há algumas atitudes que podem contribuir para a construção de um texto que comunique melhor e seja agradável de ler.

 

 

Escrever é um trabalho que exige prática e leitura. Vamos ver algumas dicas para melhorar a forma de escrever:

 

- Use palavras conhecidas, adequadas e escreva com simplicidade. A simplicidade é importante para todos aqueles que estão buscando o desenvolvimento na escrita;

 

- Para que se tenha um bom domínio, preferir frases curtas;

 

- Organizar as frases e as ideias, pois é fundamental que o texto fique coerente;

 

- Cuidado e atenção para não mudar de assunto de repente e acabar se distanciando do tema sugerido;

 

- Procure não repetir as ideias, não use palavras demais ou outras coisas só para aumentar as linhas e preencher o espaço da folha;

 

- Fazer uma pequena prévia ajuda a selecionar melhor o que escrever. E a leitura é uma fonte extraordinária de argumentação;

 

- Ficar atento à coerência entre todas as partes do texto, pois ela é um dos fatores essenciais para se escrever bem;

 

- Uma boa conclusão é essencial para mostrar a importância do assunto escolhido. Voltar à ideia inicial é uma boa maneira de fechar o texto.

 

Tomar nota de que é fundamental pensar, planejar, escrever e reler seu texto. Faça isso com calma. E releia o que escreveu, pois, possibilita que as falhas apareçam, inclusive erros de ortografia, acentuação e concordância.

 

E, principalmente, não se apegue ao que está escrito. Refaça se for preciso, não tenha preguiça. Passe tudo a limpo quantas vezes forem necessárias. Pois, segundo os escritores, nesta hora saímos do estágio emocional para o estágio da razão. Assim, você se sentirá mais à vontade para corrigir quanto quiser, pois sabe que sempre poderá voltar atrás.

 

Então o que você está esperando? Mãos à obra!

 

Vamos escrever?!

 

Maria Delfina é Professora da Rede Municipal

e responsável pelo Blog Família do Portal Rioeduca.

E-mail: mariadrodrigues@rioeduca.net

Twitter: @mariadelfina11

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 31/10/2012

Maratona de Histórias

Tags: 6ªcre, riodeleitores.

 

A Escola Municipal Thomas Jefferson realizou, durante o mês de outubro, a Maratona de Histórias com os alunos da Educação Infantil ao 5º ano.  Foram dois dias de viagem ao incrível mundo da imaginação! Pais, funcionários, professores e gestores contaram histórias com o objetivo de despertar a imaginação e o prazer pela leitura, trabalhar a concentração e ensinar princípios.

 

 

 

Contar uma história é dar um presente de amor - Lewis Carrol

 

 

A experiência de ouvir e contar histórias é uma antiga arte ligada à essência do ser humano. As narrativas tradicionais expressam, em imagens, as verdades mais profundas da vida. Daí serem eternas.

 

Era uma vez...histórias de heróis, príncipes e princesas, bruxas e dragões. Todas elas mexem com a fantasia, com os sonhos e ajudam crianças e adultos a separarem, com simplicidade e beleza, muitos conflitos. É um convite para o sonhar e, sonhando, formar o próprio caminho.

 

 

A arte de contar, ler e ouvir histórias

 

Contar histórias é a mais antiga e, paradoxalmente, a mais moderna forma de comunicação. No passado, era contador de  histórias o depositário da  experiência, do conhecimento e da sabedoria.

 

Em tempos passados, o rito familiar possibilitava o clima intimista na relação entre as gerações  nas sessões de contação de história. Os tempos mudaram: a relação intimista entre as gerações  está prejudicada pelo acelerado dos ritos sociais modernos, e a nova figura do contador de história passa a ser o monitor de TV.

 

Em um mundo sem tempo como o que vivemos atualmente, torna-se necessário o resgate do instante mágico da contação de história e da leitura.

 

 

 

Criar o hábito da leitura é uma tarefa que deve envolver o hábito daqueles que com ela convive

 

 

 

A Criança e o Livro: relação crítica e reflexiva

 

 

A contação de história é um grande instrumento para despertar o senso crítico e reflexivo nas crianças, afinal, um mesmo texto pode ser interpretado de diferentes formas. Essa mediação de leitura torna-se ainda mais envolvente quando a criança se identifica com a história pelas suas experiências de vida.

 

 

A contação de história transporta a criança para outros mundos e dá vida aos seus sonhos, além de contribuir para o desenvolvimento infantil por despertar emoções e valorizar sentimentos através da magia e da atração que as histórias causam.

 

 

Contar histórias contribui para a formação do hábito de ler. Sandroni e Machado, em seu livro A Criança e o Livro: guia prático de estímulo à leitura, afirma que o amor pelos livros não é coisa que apareça de repente, é preciso ajudar a criança a descobrir o que eles lhe podem oferecer.

 

 

Maratona de Histórias na Escola Municipal Thomas Jefferson

 

 

Partindo da afirmação de que utilizamos a contação de história para promover o incentivo à leitura, podemos então dizer que sonhar, imaginar e sentir são elementos essenciais nesse processo.

 

 

Buscando desenvolver esses elementos em seus alunos, os professores da Escola Municipal Thomas Jefferson promoveram, no mês de outubro, a Maratona de Histórias. Durante dois dias, pais, funcionários, professores e a gestora contaram histórias!

 

 

Após as histórias, os alunos participaram das oficinas de desenho, dobradura e pintura sobre os temas trabalhados. Enfim, foram dois dias de viagem ao incrível mundo da imaginação!

 

 

 

O fascínio da leitura leva as crianças à concentração

 

 

 

 

O universo infantil é cheio de faz-de-conta e a criança leva para o imaginário seu mundo real

 

 

 

 

Ensinar os pequenos a amar os livros não é difícil, pois  existe um encantamento que a história transmite

 

 

 

Práticas lúdicas literárias e o processo de ensino a aprendizagem

 

 

A Maratona de Histórias realizada pela Escola Municipal Thomas Jefferson ajudou a enriquecer várias habilidades que os alunos precisam dominar: a capacidade de dar sequência lógica aos fatos, sentido da ordem, esclarecimento do pensamento, a atenção, o gosto literário, ampliação do vocabulário, o estímulo e interesse pela leitura.

 

 

Diante deste contexto, é que cada vez mais as escolas e os pais devem adotar a literatura infantil para a educação das crianças, pois somente assim formarão adultos competentes e responsáveis na formação de um mundo melhor.

 

 

Parabéns à equipe da Escola Municipal Thomas Jefferson por ajudar a modificar a estrutura social do futuro e a formar cidadãos com consciência social e moral capazes  de melhorar o mundo violento e conturbado em que estamos inseridos através da contação de histórias.

 

 

Você gostou desta postagem? Então envie o seu projeto e/ou ação para ser publicado no Portal Rioeduca! Será um prazer divulgar o seu trabalho ! Nós somos a seXta CRE!

 

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE

Twitter: @PatríciaGed

E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

 

 

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share