A A A C
email
Todos os posts escritos por Taís Ferraz Duarte
Retornando 50 resultados para o autor 'Taís Ferraz Duarte'

Terça-feira, 11/02/2014

A Reescrita de Textos

Tags: professor.

Realizar a reescrita de textos de maneira coletiva com a turma é uma atividade importante que, além de aguçar a criatividade, desenvolve várias habilidades.

 

Crianças são bons ouvintes e normalmente gostam de ouvir uma mesma história mais de uma vez. Até decorando certas passagens do texto. 

 

Propor a reescrita coletiva com os alunos desde os anos iniciais, inclusive com os alunos da Educação Infantil, promove a interação, a oralidade, a textualização (na passagem do oral para o escrito), a leitura e revisão, e a preparação para o momento da sua produção individual.

 

A atividade de reescrita não é uma tarefa fácil, assim como também não existe “receita pronta”.

 

Atividade de reescrita de parlenda escrita pelos alunos.

 

Para a atividade de reescrita, podem ser utilizados os clássicos de contos de fadas, poesias, narrativas, parlendas... Não há limitações para a escolha dos textos apresentados aos alunos, desde que correspondam ao grau de maturidade da turma.

 

O objetivo da reescrita não deve ser o de reproduzir um texto de memória. E sim levá-los à reflexão do tema central, quais os personagens envolvidos, desenrolar da trama, clímax da história e seu desfecho, fazendo a sua própria releitura.

 

A atividade bem planejada pode virar um projeto a ser desenvolvida em toda Unidade Escolar, com títulos literários escolhidos previamente e etapas bem determinadas a cada ano de escolaridade.

 

 

Inicialmente o professor deverá ser o escriba, incentivando-os à participação e propondo desafios. Os alunos gostam de ser desafiados!

 

É importante também confeccionar coletivamente lista de palavras, que pode ser com o nome dos personagens, com as palavras que geraram dúvidas quanto à grafia ou com palavras com significados desconhecidos.

 

A intervenção da professora no momento de produção e a consulta dos alunos aos textos fixados em sala de aula provocam a reflexão sobre o que é produzido, conferindo aos envolvidos maior segurança na reescrita de seus próprios textos.

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 03/02/2014

Os Cantinhos Mágicos na Educação Infantil

Tags: educação infantil, professor.

 

As crianças da Educação Infantil estão experimentando pela primeira vez um ambiente diferente, estranho: a escola.
É nos “Cantinhos” do Espaço de Desenvolvimento Infantil que ocorrerão as primeiras trocas e descobertas, onde a criança construirá aos poucos sua independência e formação enquanto cidadã.

 

Criatividade e transformação são palavras-chave numa sala de aula que atende alunos da Educação Infantil. Inclusive por parte dos professores.

 

Brincar, criar, experimentar são ações imprescindíveis às crianças (em: Dê Asas à sua Criança).

 

Percebemos o seu amadurecimento através das suas atitudes e vivência em suas aprendizagens.

 

Além da empatia, paciência e linguagem utilizada de acordo com a faixa etária que esteja sendo atendida, a otimização e transformação do espaço disponível precisa ser organizada levando em consideração vários aspectos a fim de proporcionar a possibilidade de movimentação dentro da sala, promovendo a interação e fazendo com que os alunos se apropriem do espaço, interagindo.

 

O planejamento da organização do espaço é fundamental, podendo inclusive ser reorganizado com frequência e de acordo com a necessidade.

 

A ambientação da sala de aula, assim como sua “decoração”, é algo que precisa ser dinâmico e vai acontecer durante todo o ano, pois além de ser funcional, o espaço também precisa ser acolhedor.

 

Ambiente de uma sala de EI da C. M. Profª Flora Santina.

 

Os murais e objetos decorativos não devem primar pela poluição visual. Muita informação e excesso de cores podem não despertar para o objetivo principal (sobre murais: Um Cartão de Visitas: A Importância dos Murais).

 

O enriquecimento do espaço com material lúdico confeccionado em conjunto com os alunos é uma ação pedagógica que rende frutos.

 

Alunos da C.M. Flora Santina, da 9ª CRE, em atividade na oficina utilizando material alternativo.

 

.

Na construção de brinquedos folclóricos.

 

Atividade lúdica com objetivos pedagógicos que rendem um belo trabalho final!

 

Segundo Kramer (1998),  "a utilização de cantinhos na sala de aula é de fundamental importância para o bom desenvolvimento da criança, pois assim os alunos terão a oportunidade de estudar em um ambiente propício para desenvolver suas habilidades de uma maneira prazerosa e lúdica."

 

Alguns cantinhos possíveis: cantinho da leitura, da massinha (modelagem), dos jogos, da dramatização, com exploração da casinha e de fantasias, das artes, incluindo desde a pintura até as mais variadas explorações artísticas, além do espaço destinado para a rodinha, com a acolhida inicial e conversa de encerramento do dia.

 

 

No Cantinho da Fantasia, os pequenos podem brincar de faz-de-conta à vontade, reproduzindo e imitando os mais variados personagens...

 

 

Créditos da imagem: C.M. Dr. Albert Sabin da 6ª CRE.

 

"Nesse tipo de trabalho, os professores observam permanentemente a movimentação das crianças e, ao mesmo tempo, dos diferentes grupos, a fim de oferecer novos materiais, desafios ou situações capazes de enriquecer as experiências e ampliar os conhecimentos em jogo.” (KRAMER, 1998, p.76).

 

 E os cantinhos não param por aí... muitos outros podem ser criados, inseridos ou adaptados.

 

Parabenizamos o belíssimo trabalho desenvolvido pelas Creches Municipais Dr. Albert Sabin, 6ª CRE e Profª Flora Santina Ferrari Braz da 9ª CRE. Agradecemos pelas imagens retiradas de seu blog e também à professora Flavia Sardinha por ter cedido as imagens.

 

"O espaço físico isolado do ambiente só existe na cabeça dos adultos para medi-lo , para vendê-lo, para guardá-lo. Para a criança, existe o espaço-alegria, o espaço-medo, o espaço-proteção, o espaço-mistério, o espaço-descoberta, enfim, os espaços de liberdade ou de opressão".

(LIMA, 1989,p.30)

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 22/01/2014

Vivenciando Literatura na Educação Infantil

Tags: professor, educação infantil.

A apresentação e oferecimento de livros para as crianças na Educação Infantil promoverá o interesse, suscitará a criatividade e aguçará a imaginação dos pequenos pelas mais variadas obras promovendo futuros grandes leitores.

 

As crianças encontram-se imersas num ambiente letrado independente de possuírem ou não domínio pela leitura, porém o mundo de informações que nos cerca não substitui o livro, a literatura.

 

A criança que ouve histórias cotidianamente desperta em si a curiosidade e a imaginação criadora e ao mesmo tempo tem a chance de dialogar com a cultura que a cerca, portanto, de exercer a sua cidadania.” (BEDRAN, Bia, 2012, A arte de cantar e contar histórias: narrativas orais e processos criativos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012).

 

 

Cantinho da Leitura de uma Sala de Aula de Educação Infantil: fácil acesso para os pequeninos.

 

A narrativa faz parte da vida de todos nós e o contato com o “contar histórias” está presente na maioria das vezes desde muito pequenos.

 

Ouvir histórias, principalmente boas e bem contadas histórias, fascinam a todas as idades... É através da oralidade que as crianças têm o primeiro contato com o texto.. Mas isso não significa que conhecer e manusear um livro tenha que ser algo que necessite de uma grande preparação e amadurecimento.

 

 

Fontes: www.facebook.com/estantemagica e www.editoraprojeto.com.br

 


Como a criança vai se interessar por algo que sequer pode segurar?

 

Numa turma de Educação Infantil, os livros precisam estar ao alcance das crianças que necessitam tocar, folhear, cheirar, sentir e imaginar.

 

Incidentes vão acontecer, é claro, e algumas obras podem ser rasgadas ou coloridas, pois será nesse momento também que serão desenvolvidos hábitos e atitudes e aprenderão a zelar pelo material. Nessa faixa etária o que mais chama atenção são as cores, formas, tamanhos e sons. São livros de imagens, de pano, de banho...

 

 

Bebês precisam do estímulo visual e tátil que os livros de pano proporcionam.

 


Em sua turminha, faça da leitura um hábito, um deleite.

 

Leia sempre! Diariamente! Oportunize conhecer e viajar num mundo sensacional com histórias de obras diversificadas como: contos de fadas, fábulas, poesias...

 

Proporcione prazer, compartilhe leitura!
 

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 15/01/2014

Professor, Como Vai a Sua Voz?

Tags: professor.

 

Entre os profissionais que utilizam a voz como instrumento de trabalho, são os professores que mais sofrem. Infelizmente, na maioria das vezes, a voz só recebe a atenção merecida quando começa a dar os primeiros sinais de que algo não vai bem.

 


Muitos professores começam a perceber uma rouquidão (disfonia) que permanece por mais de 15 dias, cansaço vocal, além de outros sintomas como sensação de garganta “arranhando”, dores na região do pescoço e cervical. Esses sintomas ocorrem, muito provavelmente, devido ao mau uso da voz e por falta de um tratamento preventivo.

 http://ctimmadureira.blogspot.com.br/2013/04/doencas-da-voz-rouquidao.html


Nestes casos, é indicada a visita ao médico otorrinolaringologista para uma avaliação. Depois do problema diagnosticado, somente um fonoaudiólogo poderá auxiliá-lo através de tratamento específico.

 

 

 

Utilizada todo o tempo, e não somente no ambiente de trabalho, a voz, invisível, também merece descanso. Porém, quando o tempo para descanso se torna escasso, podemos ter atitudes diárias que permitem promover saúde, qualidade de vida e um melhor rendimento vocal.

 

Algumas dicas importantes:

 

 

 

  • beba bastante água, principalmente pequenos goles enquanto estiver falando;
  • respire corretamente;
  • fale pausadamente, articulando bem as palavras;
  • evite competir com ruídos externos e até mesmo do próprio local em que estiver falando;
  • procure utilizar amplificadores de voz;
  • boceje e espreguice várias vezes ao dia, pois ajuda a aliviar a tensão na região do pescoço;
  • utilize roupas que não apertem a região do abdômen e pescoço;
  • coma maçã, considerada adstringente; ela ajuda a limpar a cavidade da boca e reduz o muco da faringe;
  • preocupe-se em manter uma alimentação equilibrada, sem grande número de horas em jejum, mastigando bem cada alimento a ser ingerido;
  • após uso intenso da voz, procure manter repouso vocal, mesmo que por alguns minutos;
  • faça exercícios físicos.

 

 

Alguns hábitos devem ser incorporados ao dia a dia do professor.

 

 

  • evite gritar e pigarrear;
  • nos intervalos, evite falar muito o telefone;
  • fumaça, cigarro e automedicação causam irritação à mucosa do trato vocal;
  • alergias respiratórias influenciam na qualidade vocal;
  • sprays, pastilhas e balas têm efeito anestesiante e somente aliviam a sensação de irritação ou dor, podendo mascarar e inclusive contribuir para um maior abuso vocal;
  • alimentos gordurosos e condimentados, bebidas à base de cafeína e refrigerantes, dificultam a digestão, podem provocar refluxo gastroesofágico (azia) e essa sensação de “queimação” pode chegar às pregas vocais, ocasionando irritação;
  • evite ao máximo uma jornada sedentária.
     

Não espere ocorrer o “problema”. Antes, invista em pequenas atitudes que trarão uma boa qualidade vocal e de vida.


Procure sempre orientação de um fonoaudiólogo, que irá ensinar estratégias vocais para conservação e maximização da voz durante o uso profissional.

 


"A voz do professor chama, acalma, contém, transmite, dirige, alerta, orienta e acolhe.

A voz do professor ensina.” (Behlau)

 

 

 

Taís Ferraz Duarte é Professora da Rede Municipal
e colaboradora do Portal Rioeduca
E-mail: taisduarte@rioeduca.net

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share