A A A C
email
Todos os posts escritos por Rodrigo Abreu
Retornando 64 resultados para o autor 'Rodrigo Abreu'

Sexta-feira, 13/07/2018

Vivendo Direito e Deveres

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Escola Municipal Ana Neri trabalha os direitos e deveres com os alunos fazendo com que criem o hábito diário de seguir os combinados feitos. 

 

A E/CRE (10.26.013) Escola Municipal Ana Neri é centenária, está localizada na Estrada Roberto Burle Marx, 9953, Barra de Guaratiba, em frente à praia, possui 8 turmas em horário parcial, com atendimento de 199 alunos da Educação Infantil (4 anos) ao 5° ano. A Unidade Escolar tem como diretora, a professora Ana Paula Albuquerque de Souza, como diretora adjunta, a professora Vania Maria Machado de Araújo, como coordenadora pedagógica, a professora Gloria Maria Bastos e como professora de sala de leitura, a professora Cintia Farag Goulart de Araújo.

Frente da Unidade Escolar

 

O corpo docente da escola é formado pelos professores Jéssica Pereira Amorim Santos (turmas EI-41 e EI-51), Debora Carlota Nunes Barbosa (turmas 1201 e 1301), Andrea Santos de Lima (turmas 1402 e 1501), Aline Ribeiro Rangel (turmas 1101 e 1401), Sabrina Ribeiro Guimarães (Artes), Janaine Medeiros santos (Inglês) e Marco Antonio de Alvarenga Mendonça e Andreia Ferreira Maciel (Educação Física).

 

A temática pedagógica de 2018 é “Vivendo Direitos e Deveres”, essa nasceu da avaliação da proposta pedagógica de 2017, que era “Descobrindo Barra de Guaratiba” e o desenvolvimento do PPP/Construindo Valores e Saberes. O grupo acho que surgiu a necessidade de focar as vivências e instrumentos de inserção participativa, protagonismo e ação transformadora em cada lugar que vivem, no convívio com ações cotidianas de limites, cidadania e solidariedade na escola, família e na comunidade.

 

Alunos em atividade de contação de histórias no quintal da escola

 

Além disso, os professores e direção buscam gerar a consciência em cada um como sujeito ativo na dinâmica dos direitos e deveres, sendo resultado da atitude pessoal e do compromisso coletivo frente aos combinados, na Unidade Escolar, como um todo.

— Ampliar as atitudes de pensar/agir frente aos conflitos e entraves de relacionamento pessoal, percebendo o conhecimento e informação como ferramentas para as ações participativas, democráticas e de cidadania efetiva e diária, usando a reflexão e o diálogo como alicerce do compromisso dentro das situações coletivas, vem sendo o destaque. — afirma a diretora, Ana Paula.

 

 

Alunos na aula de Educação Física

 

 

— A execução dos projetos temáticos (escola, família e comunidade) são planejados e avaliados em conjunto pelos regentes, inclusive as professoras de sala de leitura, Artes, Inglês, Educação Física, Estudo Dirigido e Reforço Escolar. — explica a coordenadora pedagógica, Glória Botelho.

 

A Unidade Escolar tem alguns parceiros, que contribuem muito com as temáticas específicas: Posto de Saúde – Centro Municipal de Saúde Mourão Filho – CMS Barra Guaratiba, que contribui com prevenção de doenças, higiene, alimentação, controle e acompanhamento; Embrapa, que contribui com pesquisa alimentar e alimentação saudável; Guarda Municipal do Rio de Janeiro/Grupamento Ronda Escolar, que contribui com palestras de Convivência sem violência, prevenção à violência, cidadania, bullying, atividades socioeducativas e atividades lúdicas.

 

 

Alunos recebendo visita dos funcionários do posto de saúde 

 

 

Parabéns a todos da Escola Ana Neri por fomentar uma formação cidadã!

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?

E/CRE (10.26.013) E. M. Ana Neri
E-mail: emananeri@rioeduca.net
Telefone: 3377-1387


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 29/06/2018

Desmistificando a Matemática

Tags: cre10, 10ªcre.

 

Escola Municipal Francisco Caldeira de Alvarenga promoveu a Semana da Matemática com o intuito de despertar nos alunos o interesse pelo estudo da disciplina através de propostas diferenciadas.

 

A Escola Municipal Francisco Cadeira de Alvarenga está localizada a Rua Wilson de Souza Pinheiro, s/n° - Urucânia, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade atende a 16 turmas, com 584 alunos do 7° ao 9° ano e Projeto de Aceleração. Tem como diretora, a professora Kimie Serpa Lobato, como diretor adjunto, o professor Márcio do Nascimento e, como coordenador pedagógico, o professor Marcos Alves Pinto Junior.

 

Palestra sobre o Dia Nacional da Matemática (07/05) com os professores Renan e Rogério

 

A atual gestão investe diariamente na melhoria da qualidade do ensino das diferentes disciplinas ministradas aos discentes, baseada, entre outros fatores, no princípio de que a relação ensino-aprendizagem não precisa ser engessada. Todos acreditam que os estudantes são capazes de desenvolver suas habilidades e competências, por meio de atividades prazerosas durante o processo educativo, inclusive, o que para muitos é quase inacreditável, no ensino da Matemática.

 

Nos dias 7 a 11 de maio do ano letivo, a Unidade Escolar realizou a 1ª Semana da Matemática, a qual foi organizada pelo professor Renan da Silva Costa (Matemática), contou com a colaboração dos professores Rogério (Matemática), Bruno (Matemática), Sidney (Ciências), Nelson (Educação Física) e Marcelo (História), e coordenada pela equipe pedagógica da escola. O evento teve como principal objetivo despertar nos alunos o interesse pelo estudo da disciplina através de propostas diferenciadas: exposição de cartazes, jogos de tabuleiro, gincanas, oficinas, filmes e rodas de debates. Onze turmas participaram da Semana da Matemática (1701, 1702, 1703, 1801, 1802, 1805, 1901, 1902, 1903, 1902 e 8002), envolvendo aproximadamente 350 alunos.

 

Palestra sobre a importância do estudo da Matemática

 

O projeto envolveu, em sua fase inicial, palestras que visavam inserir a Matemática no cotidiano dos discentes. Os alunos puderam, durante essas palestras, relatar suas experiências com a disciplina, bem como identificar situações onde ela se encontra presente.

 

Durante muitos anos o ensino da Matemática se baseava na estratégia de fazer o aluno decorar tabuada e fórmulas; as questões eram muito objetivas e diziam claramente qual a operação matemática o discente deveria utilizar para chegar ao resultado. Também se observava que as questões não envolviam conteúdos de outras disciplinas. — afirma o professor Renan.

 

 

Professores Rogério e Renan com os alunos das turmas 1701 e 1702 

 

 

Estudos comprovam que a Matemática é uma das disciplinas mais odiadas, ou pelo menos temidas, pelos alunos em qualquer nível de ensino. Alguns afirmam que muitos conteúdos são desnecessários, pois não são aplicados no dia a dia e outros alegam que não basta somente a compreensão de determinado conteúdo, a ideia é existir uma prática através de lista de exercícios.

 

O avanço da tecnologia contribuiu para a ampliação da interdisciplinaridade e, atualmente, as avaliações apresentam questões contextualizadas, estratégia que aproxima o discente das situações vividas em nosso cotidiano, visando facilitar o processo de ensino-aprendizagem. — afirma o professor Rogério Marques.

 

 

Alunos realizando atividades relacionando a Matemática e fatos do cotidiano

 

A aplicação da Matemática em pequenas tarefas do dia a dia, além de levar o aluno a perceber que a disciplina está presente praticamente em tudo, contribui para o desenvolvimento do raciocínio lógico, melhora a atenção e concentração do discente, ajuda a afastar os fantasmas provenientes do seu contato com essa matéria, propiciando a eles uma aprendizagem prazerosa. — afirma a diretora Kimie.

 

Com o objetivo de demonstrar para os alunos que o raciocínio lógico é usado nas mais diferentes atividades do nosso cotidiano, o Professor Nelson, da disciplina Educação Física, reforçando a proposta de interdisciplinaridade, organizou e coordenou um torneio de damas.

 

 

Alunos das turmas 1703 e 1805 jogando damas

 

A Unidade Escolar também realizou outras atividades: o professor Bruno ministrou oficina de Tangram, que além de contribuir com o desenvolvimento do raciocínio lógico, introduz o aluno no universo lúdico, propiciando-lhe o contato com noções básicas de algumas formas geométricas e o professor Renan solicitou aos alunos uma pesquisa acerca dos principais conteúdos matemáticos e que produzirem cartazes, os quais ficaram expostos na escola, com o objetivo de criar um maior interesse pela disciplina.

 

Além disso, foram exibidos alguns filmes, tais como: A Teoria de Tudo, Uma Mente Brilhante, Donald no País da Matemágica e Estrelas Além do Tempo. Os filmes foram exibidos não só pela relação direta com o mundo da Matemática, mas, também, pelo fato de exibirem diferentes conflitos nos quais as personagens principais se envolvem provenientes, muitas vezes, do preconceito, da intolerância, da dificuldade de se lidar com as diferenças, mas, sobretudo, sobre a sua capacidade de superação, apesar de todos os percalços por eles vividos.

 

 

Alunos assistindo filme

 

Para encerrar o evento, foi promovido um debate sobre o medo da Matemática com as turmas 1903 e 1904. O projeto tinha como objetivo inserir a Matemática no cotidiano do aluno; promover discussões sobre a Matemática; desenvolver o senso crítico do aluno, em relação à Matemática; identificar e classificar as figuras planas através de atividades lúdicas; contribuir para o desenvolvimento do raciocínio lógico do aluno; promover interatividade, competitividade, socialização e entretenimento no estudo da Matemática e ampliar e diversificar o estudo da Matemática na unidade escolar.

 

Foram utilizados como instrumentos avaliativos, a participação, o interesse, a iniciativa, a disciplina e os conhecimentos de Matemática dos alunos. Verificou-se um grande sucesso na realização das atividades. O entusiasmo dos alunos foi evidente e o esforço dos professores que participaram foi recompensador. O evento foi bastante dinâmico e os alunos demonstraram total comprometimento. — afirma o professor Renan.

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.037) E. M. Francisco Caldeira de Alvarenga
E-mail: emalvarenga@rioeduca.net
Telefone: 3395-3417

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 15/06/2018

Investindo na Comunicação Para a Boa Convivência

Tags: cre10, 10ªcre.

 

A Escola Municipal Jorge Luiz acredita no ditado “É conversando que a gente se entende”.

A E/CRE (10.26.028) Escola Municipal Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida, localizada à Rua Alexis Carrel, s/n°, Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, atende a 13 turmas, com 483 alunos do 7° ao 9° ano e Projeto de Aceleração 8. A Unidade tem como diretora, a professora Jane Correa Brandão, como diretora adjunta, a professora Solange Maria da Silva, e como Coordenador Pedagógico, o professor Nelson Rangel Coutinho Neto.

Em 2018, a unidade escolar vem investindo maciçamente no combate ao bullying. Muitas ações pedagógicas, relacionadas às diversas áreas do saber, estão sendo desenvolvidas, no intuito de conscientizar os alunos sobre a importância da boa convivência entre as pessoas. Algumas delas estão diretamente vinculadas à melhora na comunicação e na expressão dos alunos, contribuindo para a geração de um ambiente propício ao entendimento mútuo e ao respeito. 

 

Os professores Aline Valadão, de Artes, e Leonardo Rafael Cerqueira, de Língua Portuguesa, têm trabalhado com o desenvolvimento da comunicação e da expressão dos alunos

 

O objetivo maior de tais ações transcende ao desejo de produzir um ambiente escolar tranquilo e respeitoso e vai ao encontro da necessidade de contribuir para a construção de uma sociedade mais pacífica e solidária.

Nós, professores, observamos uma ansiedade enorme nas crianças. Todos querem falar ao mesmo tempo. No fim das contas, já que todo mundo só fala, ninguém se escuta. Portanto, nada de bom é produzido... Ao contrário, o ruído de tantas falas descoordenadas gera estresse, desentendimento e desconexão. Temos mostrado aos alunos que a falta de comunicação pode conduzir a problemas graves, como o bullying... Não é raro, num espaço sem comunicação efetiva, haver os mal-entendidos que conduzem às agressões. Explico sempre aos nossos alunos que aprender a conversar e a expressar nossas vontades e necessidades é tão importante quanto saber ouvir as solicitações dos outros. Falar e ouvir respeitosamente são atitudes saudáveis, que demonstram empatia e que contribuem para o bom entendimento e para a tomada de decisões importantes. Falar e ouvir direito, no momento certo e com o vocabulário adequado, são atos agregadores, porque geram boa vontade e promovem amizades. E a gente precisa disso, dentro e fora da escola afirma a professora de Artes, Aline Valadão.

 

Além das aulas de Artes, professora Aline Valadão ministra a disciplina eletiva “Ilustração – palavras e imagens de mãos dadas”. Para ela, a disciplina vem obtendo êxito, porque, de modo descontraído, leva os alunos a apreciar textos literários, compreendê-los e traduzi-los em forma de imagens. Tais práticas aprimorariam as habilidades da atenção, da interpretação e da expressão plástica, ampliando a capacidade comunicativa dos alunos.

 

 

Grupos de alunos da disciplina eletiva “Ilustração – palavras e imagens de mãos dadas”, observando criticamente as capas das publicações oferecidas pela professora. Na atividade retratada, cada grupo deveria mencionar pontos positivos e negativos da capa analisada e propor um redesenho, conforme suas observações

 

 

Ilustrações para as capas e os “miolos” de livrinhos contando a história de “João e Maria”

(livre adaptação, baseada na obra dos Irmãos Grimm)

 

Outro aspecto importante da comunicação e da expressão tem sido abordado pelo professor de Língua Portuguesa, Leonardo Rafael Cerqueira. Suas turmas de sétimo ano redigiram cartas aos familiares.

 

Alunos do sétimo ano produzindo e envelopando suas cartas

 

 O trabalho sobre o gênero textual intitulado “carta pessoal” teve como objetivo ressaltar a importância da comunicação entre as pessoas e motivar os alunos para o estudo desse gênero. Esclareci que a carta é um dos mais antigos meios de comunicação e que além da carta pessoal há outros tipos de cartas explicou o professor de Língua Portuguesa.

 

A experiência das cartas fez com que os alunos buscassem se expressar com clareza por meio da escrita. Porém, mais que isso, gerou contatos efetivos entre as crianças e a família, já que as cartas foram, de fato, postadas aos remetentes, via Correios.

 

— A professora Aline Valadão e o professor Rafael chegaram a Unidade Eescolar somando desejos e desafios para fazer a diferença na vida das crianças. Esse ano, a proposta é conter o bullying e fortalece a interdisciplinaridade. As atividades lúdicas fazem a diferença no contexto escolar e na assimilação da proposta do aprendizado.  — afirma a diretora Jane.

 

 

Quer saber mais sobre o nosso trabalho?

 

E/CRE (10.26.028) E. M. Professor Jorge Luiz Itaboraí de Almeida

E-mail: empalmeida@rioeduca.net

Telefone: 3317-3194

 

 

Contato para publicações:


 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 01/06/2018

Aprendendo e brincando com o Sítio do Picapau Amarelo

Tags: cre10, 10ªcre.

 

EDI Katia Miranda trabalhando obra de Monteiro Lobato para construção de um aprendizado significativo


O E/CRE (10.19.822) EDI Katia Miranda Santos está localizado à Estrada de Sepetiba, 3.325 bloco 1 - Campus Nova Sepetiba - Santa Cruz, Zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade possui 486 alunos, com 19 turmas, sendo 6 de creche (integral) e 13 de Pré escola (parcial). Tem como diretora a professora Shenia Cristina Ferreira da Silva do Pilar Cobra e como diretora adjunta a professora Juliana Campos de Siqueira Paes.


O projeto nasce a partir do planejamento anual do EDI, que tem como tema “Aprendendo e brincando com o Sítio do Picapau Amarelo”. Uma das atividades é a transformação do espaço em um ambiente encantado das fábulas de Monteiro Lobato, onde os alunos se sentem no próprio sítio, em meio a corujas, pintinhos e outros animais.

 

Alunos em atividade no EDI Katia Miranda dos Santos


É nesse mundo de faz de conta, entre Emília e Visconde que construímos juntos, professora e alunos, um ambiente alfabetizador favorável à descoberta de novos conhecimentos, na construção de um aprendizado significativo. — afirma a professora Shirley Nidech Corrêa


Para que os alunos sejam os construtores do saber, nada melhor que os próprios façam parte da confecção do cenário. Sendo assim, a turma EI-41 confeccionou pintinhos com pratos de papelão – eles pintaram pratos (dois tamanhos diferentes) com tinta guache. Em seguida, colaram os olhinhos, bico, crista, pezinhos e as asas confeccionadas com o desenho de suas mãos. Já os alunos da turma EI-43 confeccionaram corujas com sacos de papel e colaram os olhos, bicos, pezinhos e asas. 

 

Alunos com os trabalhos confeccionados em sala de aula

 

O trabalho foi muito proveitoso e despertou grande interesse aos alunos, que puderam, além de exercitar a coordenação motora grossa e fina, e o movimento de pinça, ver seus trabalhos decorando a sala de aula. — afirma a diretora Shenia


A próxima atividade de decoração será colar jabuticabas com bolinhas de papel crepom na árvore, afinal a jabuticabeira é sempre citada nos livros sobre o Sítio do Picapau Amarelo. O livro “As jabuticabas” faz parte do acervo literário da Unidade Escolar. Essa atividade vai envolver duas turmas com um trabalho de coordenação motora fina, amassando as bolinhas de papel; interatividade, pois farão o trabalho em conjunto; percepção visual, ao verificarem onde há necessidade de mais bolinhas e, principalmente, a autoestima, ao ver seu trabalho exposto e elogiado.

 

Alunos em atividade do projeto

 

É gratificante ver o orgulho que nossas crianças mostram aos seus pais o que fizeram para contribuir com o ambiente da sala de aula, que cada dia mais parece com o “Mundo encantado do Sítio do Picapau Amarelo”. — afirma a diretora adjunta Juliana

 

Parabéns a todos os envolvidos no projeto !


Quer saber mais sobre o projeto?
Entre em contato com a Unidade Escolar.

E/CRE (10.19.822) EDI Professora Katia Miranda Santos
E-mail: edipsantos@rioeduca.net

 


 


   
           



Yammer Share