A A A C
email
Todos os posts escritos por Angela Regina de Freitas, Representante da 3ª CRE
Retornando 39 resultados para o autor 'Angela Regina de Freitas, Representante da 3ª CRE'

Quarta-feira, 05/02/2014

Mantendo o Olhar Atento

Tags: 3ªcre, blogsdeescolas, .

 

 

 

Educar já é, em si, uma tarefa especial. Torna-se ainda mais quando os alunos precisam de um olhar mais atento. As escolas E.M. Rubens Berardo e Tagore mantêm o olhar focado nas necessidades especiais de seus alunos.

 

Para ensinar é preciso aprender sempre. Assim, a coordenadora Tânia Barbosa organizou com o grupo de professores da E.M. Rubens Berardo um sistema para que todos tenham acesso ao material para formação continuada. Ela seleciona textos, vídeos e arquivos sobre a temática escolhida. Em março, o tema foi as necessidades especiais que podem acometer nossos alunos.

 

A reflexão abrange, inclusive, comentários sobre a legislação, além de informações que detalham as dificuldades a serem superadas por nossos alunos. Também tem espaço para as dicas de como melhor atendê-los.

Se você também quiser saber um pouco mais, acesse a pasta Centro de Estudos Rubens Berardo. Lá, os textos falam de dislexia, dislalia e Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).

Já os vídeos abaixo ainda tratam de TDAH e de baixa visão. São ótimas dicas sobre como atendê-los e auxiliá-los na superação de suas dificuldades.

 

 

Dicas para professores com alunos portadores de TDAH Como Estrelas na Terra, Toda Crianc?a é Especial Políticas públicas educacionais crianças com transtornos do déficit de atenção e com transtornos de aprendizagem Baixa visão em alunos: dicas Image Map

 

 

Mas o olhar deve estar atento também para a afetividade e a integração com toda a comunidade escolar. É essencial que os alunos se sintam respeitados em suas diferenças e tenham espaço para desenvolverem suas capacidades.

 

Na Escola Municipal Tagore, as diferenças são acolhidas nas salas de aula, com a inclusão de alunos portadores de necessidades especiais na sala de recursos, nas classes especiais e até nas atividades extraclasse.

 

 

 

No vídeo, a criatividade é estimulada para que sentimentos e ideias sejam expostas de diferentes maneiras. O giz, o papel, o lápis e o próprio corpo servem de instrumento de expressão. A participação efetiva na comunidade escolar faz com que a autoestima aumente e o prazer de aprender aflore, vencendo quaisquer obstáculos.

 

 

 

Nosso olhar atento na busca do conhecimento e buscando no olhar de cada um deles aquela força especial vai apontando o caminho a seguir.

Confiram também outras atividades deles no blog.

A preparação da homenagem às mães chama atenção pelo empenho dos alunos em fazer o melhor para aquelas que os acompanham sempre.

 

 

Angela Freitas é Professora da Rede Municipal e

representante da 3ª CRE, no Portal Rioeduca.

E-mail: angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

RIOEDUCA/3ªCRE

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 29/01/2014

Ouvindo Mãos

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, blogsdeescolas.

 

 

 

A professora Fabiana Costa, regente da Sala de Leitura, partilhou via e-mail uma atividade do Projeto Inclusão da E. M. Reverendo Álvaro Reis. A escola abraçou o uso da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS.

 

 

Parodio o livro Vendo Vozes, de Oliver Sacks para apresentar este projeto que envolve a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Ela é a primeira língua dos portadores de deficiência auditiva e precisa ser aprendida como nós aprendemos a falar português em nossa primeira infância com nossos familiares. É necessário estar imerso em um universo que utilize a língua de sinais para aprendê-la. Por isso, é importante o contato do aluno surdo com a língua em seu cotidiano.

 

 

“Desde o começo do ano, nós estamos, equipe da direção, sala de recursos, professores, funcionários e instrutor de LIBRAS, buscando uma escola que seja acessível a todos, onde todos possam ser protagonistas neste meio. Como ações para tal, estamos fomentando o uso de LIBRAS por todos os alunos, colocando etiquetas, ensinando alguns sinais de comunicação simples e a datilologia (alfabeto em LIBRAS), permitindo um convívio maior entre o alunado e o instrutor e outras atitudes.”, nos relata o professor Douglas Neves, da sala de recursos.

 

Ainda segundo o professor Douglas, ao projeto político pedagógico da escola Construindo a Cidadania com a Formação de Valores foi adicionado o subprojeto Valor da Inclusão porque: “No caminho para esta sociedade (mais justa), entendemos que se faz necessário trabalhar na perspectiva da inclusão, valorizando a diversidade e fomentando a aceitação das diferenças individuais, sejam elas quais forem". O objetivo é: “Uma escola inclusiva em que todos entram e todos aprendem.” 

 


 

 

Então, com o trabalho conjunto da sala de recursos, do instrutor de LIBRAS Augusto Machado e da sala de leitura, o projeto tomou forma. Os alunos das turmas do quarto e quinto anos foram apresentados à língua de sinais e conscientizados da sua importância. Uma oficina de LIBRAS realizada pelo instrutor ensinou e fomentou o uso da língua de sinais na escola. Foram colocadas etiquetas com alguns sinais mais simples e o alfabeto de sinais (datilologia) foi divulgado. Uma música foi escolhida e, com ajuda das professoras Tatiana Moraes, da turma 1401, e Hebe Duarte, da 1501, os ensaios começaram.

O resultado podemos ver no vídeo que mostra a festa de Páscoa da escola. O intérprete de LIBRAS foi o cinegrafista emocionado do evento que registrou, entre lágrimas, a apresentação da música “cantada” na língua de sinais.

 

 

A inclusão, então, ocorre em uma via de mão dupla. O professor Douglas ainda arremata:

 

“Crescem todos: nossos alunos DA (deficientes auditivos) aprendem sua língua primeira em um ambiente em que esta é valorizada e os que não o são acabam apreendendo mais uma língua e um universo de possibilidades.”  

 

Visitem o blog da escola para conhecer um pouco mais o trabalho e o projeto. Deixem seu comentário por lá também.

 

 

 

Angela Freitas é Professora da Rede Municipal e

representante da 3ª CRE, no Portal Rioeduca.

E-mail: angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

RIOEDUCA/3ªCRE

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 09/05/2013

Fazendo a Diferença

Tags: 3ªcre, entrevistas, jogos.

 

 

No dia 15 de maio, comemoramos o Dia do Gari. Vamos conhecer, hoje, um gari que faz diferença na Escola Municipal Suécia. É a nossa maneira de homenagear profissionais tão indispensáveis.

 

 

Na verdade, o gari Sidney Moreira já é nosso conhecido. E nos foi apresentado por seu trabalho com xadrez na E. M. Suécia nas postagens "O Xeque Mate da Escola Municipal Suécia e Xadrez" e "Educação Física na E. M. Suécia". E como será que o xadrez entrou na vida dele?

 

Sidney Moreira: Aprendi a jogar xadrez na adolescência, com um grupo de amigos. Nunca fui "TOP", mas sempre me esforcei para aprender mais e mais. Acho que a maior lição que o xadrez passa é que nunca devemos perder o foco e ter atenção sempre.

 

 

Rioeduca/ 3ª CRE: E como o xadrez pode contribuir para o desempenho do aluno?

 

 

Sidney Moreira: O xadrez ajuda na concentração, desenvolve o raciocínio lógico e a disciplina, além de trabalhar a memória contribuindo para o desenvolvimento intelectual.

 

Rioeduca/ 3ª CRE: E como o projeto das oficinas de xadrez nasceu?

 

Sidney Moreira: Antes desse projeto vitorioso na E. M. Suécia, eu já havia tido uma experiência inicial na E. M. Alagoas. Por iniciativa da professora Nilza Moita, fizemos um minitorneio com a turma dela na época. Quando retornei à E. M. Suécia, conheci a professora de educação física Ana Cristina.

A professora Ana Cristina nos conta como foi este momento inicial: "A diretora adjunta da época Daniele Peres sugeriu oficina de xadrez, mas eu não tinha conhecimento sobre este jogo, apesar de já ter visto reportagens, ter pessoas na família que jogam e achá-lo muito interessante.
Comecei a estudar, a me dedicar. Quando o tio Sidney (sempre vou chamá-lo assim) soube que eu iria dar oficinas de xadrez, ficou muito feliz e se prontificou a me ajudar. A partir daí, comecei a trabalhar com a iniciação e ele, com a parte de aperfeiçoamento, estratégia.
Sidney realiza oficinas com os alunos com melhor desempenho no xadrez, no contraturno. Nos acompanha nos Jogos Estudantis e qualquer torneio realizado na escola ou fora dela".

 

Rioeduca/ 3ª CRE: E os resultados logo apareceram.

 

Sidney Moreira: As diretoras Luciana Rocha e Daniele Peres abraçaram o projeto. Com o sucesso dos torneios internos, em 2011, decidimos inscrever alguns alunos nos Jogos estudantis do município na categoria mirim. O resultado foi além das expectativas. Ficamos em 1º lugar na 3ª CRE e em 10 º lugar no geral!!
No ano passado, resolvemos inscrever também os alunos na categoria pré-mirim e conseguimos o 3º lugar no geral!!!

 

 

 

 

 

Rioeduca/ 3ª CRE: Quais os planos para o futuro do projeto?


Sidney Moreira: Para este ano, fizemos algumas mudanças no planejamento e estamos confiantes de conseguir o 1º lugar! Quando estou com os alunos, além dos ensinamentos do xadrez, procuro passar alguns valores como ética, respeito e, principalmente, humildade.

 

Rioeduca/ 3ª CRE: São valores relevantes em qualquer profissão. Assim como o orgulho ao exercer uma profissão tão essencial para a sociedade.

 

Sidney Moreira: Penso que o maior orgulho, na profissão de gari, é o fato de poder estar contribuindo diretamente com o bem-estar dos moradores do Rio de Janeiro. Afinal, a limpeza urbana é um dos principais cartões postais de uma cidade.
No meu caso em particular, como gari da escola, além de cuidar da limpeza da U. E., posso ter um contato mais próximo com a educação escolar. Esse foi um dos motivos que me fez optar por fazer Licenciatura Plena em Letras (me formei em março/2013).
Aos que estão iniciando, digo que não pode faltar paciência e determinação.

Para finalizar, Sidney nos deixa uma frase do treinador Bernardinho, um de seus ídolos. Ela passa aos alunos o valor da persistência e do estudo em suas vidas.



"A vontade de se preparar tem que ser maior do que a vontade de vencer. Vencer será consequência da boa preparação".

 

 

Hoje, entrevistamos Sidney Moreira, gari da Escola Municipal Suécia. Homenageamos seu trabalho e sua dedicação e estendemos nossa gratidão a todos os garis que participam da educação carioca em nossas escolas. O vídeo passa em revista as equipes que fazem a diferença na limpeza de algumas da escolas da 3ª CRE. Prestigie-os!

 

 

 

Angela Freitas é Professora da Rede Municipal e

representante da 3ª CRE, no Portal Rioeduca.

E-mail: angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

RIOEDUCA/3ªCRE

 

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 24/04/2013

Integrar-se

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, blogsdeescolas.

 

 

Estar no mundo é interagir com as diferentes realidades que nos cercam. É estar antenado com os assuntos que mobilizam a sociedade. Futebol e novelas são os mais comentados em nosso país. As classes especiais da E. M. Pareto uniram inclusão, conhecimento, futebol e novelas. Confiram!

 

 

Em nosso país, as novelas são acompanhadas de perto por pessoas de diferentes níveis sociais. Os últimos capítulos são vistos por milhões. As cenas mais interessantes são comentadas em todas as rodas de conversas. O que é sucesso nas novelas é, automaticamente, sucesso nas ruas.

 

As classes especiais das professoras Beatriz, Felisbela e Rejane da E.M. Pareto exploraram o tema. As canções Vida de Empreguete e Ex My Love, da novela "Cheias de Charme", foram tema das aulas de interpretação de textos e se tornaram duas apresentações muito bem-humoradas.

 

 

 

O futebol é outro tema que mobiliza a sociedade e é discutido em qualquer bate-papo. Eles estudaram as competições futebolísticas inciando com o Campeonato Carioca e passando ao Campeonato Brasileiro. O Brasileirão, como é conhecido este torneio, tomou os murais da turma com alfabetário, reportagens e produções de texto coletivas.

 

 

 

O "Cafezinho na Pareto" foi uma paródia do programa televisivo que apresenta os melhores momentos da rodada. Eles estudaram as características de seu time preferido e as apresentaram como um desafio ao espectador juntos com os gols mais bonitos de cada time. O projeto "Futebol, uma Paixão Nacional" se repete desde 2005, sempre com muito sucesso entre os alunos. O vídeo editado pelas professoras registra a atividade.

 

 

 

Também, em vídeo, estão registradas as atividades das turmas ao longo do ano de 2012. O clímax foi a visita ao Estádio Olímpico João Havelange. O Engenhão, como é conhecido o estádio, recebeu-os na Tribuna de Honra. Experiência memorável para todos os alunos como também foram as outras ações realizadas. As aulas-passeio, comemorações festivas e folclóricas e a participação nas atividades da escola foram reunidas para se tornarem recordações do trabalho realizado ao longo do ano. Confiram até o final e não percam as apresentações das canções citadas acima.

 

 

 

 

Agradeço a prof.ª Simone Cardoso pelo gentil compartilhamento deste trabalho e parabenizo os alunos e professores da Classe Especial pela imagens inspiradoras.

Para saber mais do trabalho da E.M. Pareto, acessem o blog da escola e comentem.
 

 

 

Angela Freitas é Professora da Rede Municipal e

representante da 3ª CRE, no Portal Rioeduca.

E-mail: angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

RIOEDUCA/3ªCRE

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share