A A A C
email
Todos os posts escritos por Alexandre Roque de Araujo
Retornando 104 resultados para o autor 'Alexandre Roque de Araujo'

Segunda-feira, 28/05/2018

Um Dia do Brincar Musical

Tags: 1ªcre, educaçãoinfantil, projetos, brincarsemmuros.

 

Espaço de Desenvolvimento Infantil transforma o Dia do Brincar em Dia do Brincar Musical.

 

No último mês de março, o "Brincar Sem Muros"  foi muito especial. Aproveitando a proposta e o encerramento do tema mensal "Comunicação pela música" do projeto anual "Quem não se comunica se trumbica!", o EDI Heloísa Marinho, localizado no bairro de Santa Teresa, realizou o "THE VOICE HELÔ 2018". 

 

 

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI), os eixos estruturantes das práticas pedagógicas são as interações e a brincadeira. Dessa forma, as crianças podem construir conhecimentos, por meio das suas ações e trocas com seus pares e adultos, o que possibilita aprendizagens, desenvolvimento e socialização.

 

 

Durante todo o mês, as famílias foram estimuladas e ensaiaram suas canções preferidas, para que, assim, se apresentassem no grande dia, com direito a jurado virando a cadeira para todas as nossas crianças.

 

 

 

 

E assim, os objetivos estabelecidos foram atingidos, pois a Unidade conseguiu envolver toda comunidade escolar no projeto, através da música, promovendo experiências, nas quais as crianças construíram e se apropriaram do conhecimento. 

 

 

Veja o que disseram alguns participantes:

 

“Foi uma experiência incrível e enriquecedora para toda nossa equipe, responsáveis e principalmente nossas crianças. Os alunos se soltaram e nos encantaram!” (Vania Enes, Diretora Adjunta)

“Oportunidade rica em que as crianças puderam expressar os seus talentos musicais.” (Tatiana Queiroz, professora do maternal II, EI- 31).

“Estou feliz pra caramba! Fui finalista do THE VOICE ( HELÔ) na minha escola” (Gustavo Brasileiro, aluno do EI- 52)

 


“THE VOICE HELÔ é líder de audiência em Santa Teresa. Sucesso!”

 

PARA SABER MAIS:

ESPAÇO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL HELOISA MARINHO

Diretora: Paula Cancella Januário Zuppo 

Diretora Adjunta: Vania Soares Blanco Enes

E-mail: edimarinho@rieduca,net

Telefone: 2224-5920

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 14/05/2018

Jornal Mural: O Mundo na Sala de Aula

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, riodeleitores.

 

Jornal Mural traz o o Mundo para dentro do espaço escolar na Ilha de Paquetá.

 

A escrita de fatos importantes é uma prática de letramento comum em nossa sociedade. A maneira mais comum de registrar os acontecimentos é pelo jornal, que pode ser impresso, televisivo, radiofônico, virtual. Pode ter circulação ampla (internacional, nacional), ou local (jornal de bairro, de associação de moradores etc.).

 

 


Em razão da importância desse meio de comunicação em nossa sociedade, a professora Shayna Silva, Regente da turma de 6º Ano Experimental da Escola Municipal Joaquim Manuel de Macedo, propôs um jornal mural com os alunos, em que registrem fatos e eventos da sala de aula, da escola e da comunidade relevantes para eles. A ideia é confeccionar o jornal de maneira que possa sempre ser atualizado e afixá-lo na parede, para que todos possam ler.


Uma vez por semana, os alunos levam recortes de reportagens podendo ser de jornais ou revistas. Definidos os temas, cada grupo fica responsável por trazer para sala de aula uma reportagem com um determinado tema (dicas beleza e saúde, culinária, esporte, lazer, política, superação e etc). Depois de serem selecionadas, cada grupo fica com uma das reportagens, organiza e apresenta para a turma, em roda, onde expõem suas opiniões, argumentando os diversos pontos de vista.

 

 


Essa atividade além de promover o gosto pela leitura e interpretação de texto, também proporciona as crianças conhecimento sobre o mundo que os cerca, estimulando a consciência crítica e despertando o interesse em dialogar.

 

 

 


Como desdobramento da proposta, os alunos são estimulados a escrever suas próprias reportagens, que são expostas no Mural da sala de aula.


Para a professora Shayna, “(...) essa atividade tem apresentado bons resultados no desenvolvimento dos nossos alunos, primeiramente que demonstraram uma boa desenvoltura ao apresentar o que leram para o restante da turma, dividindo entre eles as partes importantes para que cada um pudesse contar o que leu, e depois um ou dois expõem a opinião do grupo sobre o que leram, o que desenvolve autonomia, sem contar a troca de experiência que também é muita significativa nesses momentos; e segundo que eles estão realizando pesquisas, lendo reportagens mesmo não estando dentro da atividade do Jornal Mural, como aconteceu com a aluna Julia Victoria que trouxe para sala um cartaz feito por ela sobre o caso de Marielle (...). Isso nos mostra o quanto nossos alunos estão atentos e são sensíveis aos acontecimentos conosco e no mundo”.

 

 

 


E você, ficou interessado em desenvolver atividades de Jornal Mural? Dê uma lida na Matéria da Revista Nova Escola :


http://rede.novaescolaclube.org.br/planos-de-aula/reler-e-reescrever-uma-experiencia-com-jornal-mural-na-escola

 

 

Para Saber Mais:

 

ESCOLA MUNICIPAL JOAQUIM MANUEL DE MACEDO

Direção: Hanriete de Araujo da Silva

Diretora Adjunta: Rose Mary da Costa Ermida

Coordenadora Pedagógica: Maria Aparecida Bago

Telefone: 3397-0120

E-mail: emjmacedo@rioeduca.net

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 30/04/2018

Wolbito, O Mosquito do Bem!

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, saúde, pse, alfabetização.

 

Através de Atividade Lúdica, professores Alfabetizadores são chamados a participação na campanha “Aqui Mosquito não se cria 2018”.

 

Durante Encontro dos professores do Time de Alfabetizadores da 1ª Coordenadoria Regional de Educação, realizado no mês de Março, os participantes foram convidados, juntamente com seus alunos, a se engajarem na continuidade das ações de combate à Dengue, Zika e Chikungunya.

 

 


Através de atividades que uniram conhecimento e brincadeira, os professores participantes puderam aprender sobre o processo biotecnológico de modificação do mosquito Aedes Aegypti e sua transformação no “Wolbito”, o mosquito do bem, incapaz de transmitir o vírus das arboviroses. Transformação essa que ocorre no Aedes, quando o Wolbachia, um microorganismo que vive naturalmente nas células de alguns insetos, é inserido no mosquito, reduzindo sua capacidade de transmissão das doenças. Descoberto na Austrália e trazido para o Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, é um método natural, seguro e autossustentável.

 

 

Professora Renata Ricoca, apresentando a proposta de atividade com o Wolbito

 


As atividades propostas aos professores, proporcionaram que os mesmos conhecessem as diversas etapas do processo: a transformação do Aedes em Wolbito, a importância dos viveiros e a participação da FIOCRUZ nesse processo.

 

 

 


Foi discutido também a importância e o papel da Rede Municipal de Educação no apoio e na divulgação para que a sociedade entenda e participe da campanha, assim como,  o papel da escola como difusora do conhecimento científico e como transformadora da realidade.


Temas como biotecnologia, impactos ambientais , cadeia alimentar, equilíbrio ecológico, dentre outros, foram levantados como temáticas que poderão ser trabalhadas com os alunos .

 

Professora Mônica, dinamizando a atividade com os professores.

 


Os professores também conversaram sobre a capacidade de multiplicação da informação e sua territorialização no mapa da 1ª CRE.


Nesse contexto, foi proposta a utilização das Redes Sociais para compartilhamento das ações de sucesso no desenvolvimento do trabalho nas unidades escolares, através da hastag #wolbitona1cre.

 


E você, está fazendo sua parte ?

 


Para Saber Mais:

Gerência de Educação

Telefone: 2233-4839

E-mail: gedcre01@rioeduca.net

 



 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 16/04/2018

Calculadora Sim! Por Que Não?

Tags: 1ªcre, projetos, matemática.

 

Professora de Matemática faz uso do app “calculadora” dos smartphones para que os alunos descubram que nem toda raiz é exata

 

 

 

 

Gisele Pinheiro Sátyro, Professora de Matemática do Ginásio de Artes Vicente Licínio Cardoso, localizado no bairro da Saúde, zona Portuária do Rio, adaptou a ideia retirada do Caderno Pedagógico do 8º ano.

 

 

 

 

O caderno mostra como utilizar a calculadora para realizar cálculos de raiz quadrada. A professora sugeriu que os alunos utilizassem o aplicativo do smartphone, fazendo uso das novas ferramentas tecnológicas a favor de aprendizagem.

 

 

 

 

Em sua atividade, a Gisele nos conta que, a partir da projeção da página do Caderno Pedagógico no quadro, utilizando datashow, os alunos abriram o aplicativo calculadora nos aparelhos. Ela os instruiu como utilizar a ferramenta e assim, os alunos realizaram os cálculos , preenchendo o quadro no caderno com os resultados encontrados, além de classificar os números como Racionais ou Irracionais.

 

 

 


Aparentemente simples, a atividade trouxe movimento, motivou e dinamizou a aula de matemática, ajudando a aproximar os alunos dos símbolos e funções através de operações computacionais, além de proporcionar um outro instrumento para análise e gabarito de atividades diversas.

 

 

 

Para enriquecer - Leia postagem do site Olhar Digital:

 

8 razões para defender o uso do celular na sala de aula
 

O número de celulares se aproxima do número de habitantes do planeta. Segundo levantamento da União Internacional de Telecomunicações, até o final do ano, chegaremos bem perto dos 7 bilhões de aparelhos em funcionamento – o que representa 96% da população da Terra. Mas tem alguns lugares em que ele não é nada bem-vindo. E não estamos falando apenas do cinema... nas salas de aula o dispositivo continua proibido – pelo menos na maioria dos colégios.


Mas tem gente que discorda dessa proibição. Entre esses, ninguém menos que a ONU, por meio de sua agência para a educação, a UNESCO. No documento “Diretrizes de Políticas de Aprendizagem Móvel”, a Unesco defendeu o celular na escola, inclusive dentro da sala de aula como recurso didático e pedagógico.

 

A Unesco espalhou especialistas em todo o mundo para criar um guia sobre o tema. Mas, para especialistas em Educação, antes de defender o incentivo do uso de tecnologias móveis dentro da sala de aula, é preciso estabelecer regras claras de uso.

 

No documento, a Unesco também discute a necessidade de se treinar os professores para que eles lidem com a tecnologia dentro da sala de aula.


O problema é que no Brasil, na maioria dos casos, existe certa resistência por parte dos professores em incorporar novas tecnologias. Para muitos, sala de aula é lugar de desligar o celular e ponto final. (...) Mas, a agência o defende e até preparou uma lista com bons motivos para transformar cada vez mais o celular em ferramenta pedagógica. Eis alguns dos itens da lista:

 

1. Ampliar o alcance e a equidade em educação
2. Ajudar alunos com deficiência
3. Otimizar o tempo na sala de aula
4. Permitir a aprendizagem em qualquer hora e lugar
5. Aproximar o aprendizado formal do informal
6. Facilitar o aprendizado personalizado
7. Melhorar a comunicação e aprendizagem contínua
8. Maximizar a relação custo-benefício da educação


Disponível em : https://www.olhardigital.com.br/video/8-razoes-para-defender-o-uso-do-celular-na-sala-de-aula/45289
 

 

Parabéns Professora Gisele! Ideias aparentemente simples fazem a diferença e contribuem significativamente para a aprendizagem de nossos alunos!

 

Para Saber Mais:

Escola Municipal Vicente Licínio Cardoso (GEA)

Telefone: 2253-4643

E-mail: emvlcardoso@rioeduca.net

Diretor: Niverton Antunes

Diretora Adjunta: Lucimara Espíndola

Coordenadora Pedagógica: Ines Resende

Professor Responsável pela Atividade :Gisele Pinheiro Sátyro – PEF de Matemática

 


 


   
           



Yammer Share