A A A C
email
Retornando 87 resultados para a tag 'protagonismojuvenil'

Sexta-feira, 07/02/2014

Línguas de Vinicius, Sonetos de Moraes

Tags: 5ªcre, protagonismojuvenil.

No dia 10 de maio os alunos do Ginásio Experimental Carioca Malba Tahan apresentaram uma releitura das obras de Vincius de Moraes criando um espetáculo maravilhoso, tendo à frente do projeto uma equipe de professores nota 10.

 

 

No dia 10 de maio aconteceu no Ginásio Experimental Carioca Malba Tahan, na 5ª CRE, um lindo espetáculo protagonizado pelos alunos tendo como tema Vinicius de Moraes. Um lindo espetáculo que contou com a orientação de professores engajados, que prezam a arte de interpretar, a dança e a música, através das letras deste encantador poeta.


Segundo a equipe, o trabalho foi a concretização das pesquisas e experiências dos alunos que foram realizadas de forma interdisciplinar nas aulas de Artes, Línguas Estrangeiras (Inglês e Espanhol), Português e Sala de Leitura.

 

Estiveram presentes as professoras Catharina Baptista e Gina Mor/SME, Regina Bizarro, representante do Rioeduca na 5ª CRE, professoras de Salas de Leitura e alunos dos GECs Anísio Teixeira e Rio de Janeiro, acompanhados dos seus professores.

 


Vinicius, Sonetos e Lirismo

 


Vinicius de Moraes nasceu no Rio de Janeiro em 19 de outubro de 1913, no bairro do Jardim Botânico. Foi diplomata, dramaturgo, jornalista, poeta e compositor.

 

Notabilizado pelos seus sonetos, Vinicius de Moraes carregava consigo um lirismo peculiar. Ficou conhecido como "poetinha", apelido atribuído por Tom Jobim. Era boêmio inveterado, fumante e apreciador de uísque. Foi também conhecido por ser um grande conquistador e casou-se por nove vezes.


Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o Vinicius teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell, João Gilberto, Chico Buarque e Carlos Lyra.

 

O “poetinha” veio a falecer na manhã de 9 de julho de 1980, de edema pulmonar, em companhia de Toquinho e de sua última mulher, a atriz baiana Gesse Gessy.

 

A Secretaria Municipal de Educação, junto às escolas da rede, está comemorando ao longo do ano letivo os 100 anos de nascimento de Vinicius de Moraes.

 


 


Conheça mais sobre a vida de Vinicius de Moraes, clicando aqui.

 

 

Línguas de Vinicius, Sonetos de Moraes – Uma Prática Interdisciplinar na Escola Pública de Horário Integral e seus Desdobramentos

 


Segundo o professor de Artes Cênicas Fabio Fortes, “a ideia da peça surgiu na primeira reunião de planejamento do ano. A coordenadora Valéria Valentim convocou o grupo de professores da escola a desenvolver projetos interdisciplinares. A professora da Sala de Leitura, Andrea Alves, propôs o Centenário do poeta Vinicius de Moraes como tema gerador das discussões. Ocorreu então a união do grupo de Línguas, Artes e Sala de Leitura, que começaram a idealizar a peça “Línguas de Vinicius, Sonetos de Moraes”. O planejamento coletivo sugeriu que os professores dessas disciplinas fossem para suas salas de aula apresentar a proposta aos alunos.


Poemas, Sonetos, Músicas de Vinicius foram os elementos indutores para a criação e a experimentação da obra do “Poetinha” no corpo e na voz dos alunos do GEC Malba Tahan. As professoras de línguas estrangeiras, Miriam Pinheiro (7°ano), Aniger Capano (8°ano) e Viviane Passos (9°ano) dividiram a interação do inglês e do espanhol da seguinte forma: o 7°ano trabalhou o inglês nas obras da "Arca de Noé", o 8°ano, as músicas de Vinicius, cantando-as em inglês e 9°ano, Sonetos e músicas em espanhol. A professora da Sala de Leitura, Andrea Alves, trabalhou com a imersão nas obras e vida do poeta. O elemento cenográfico do espetáculo foi desenvolvido pela professora de Artes Visuais, Vivian Sobrino, que conduziu a produção de ilustrações, feita pelos alunos, tendo como inspiração não só as obras do poeta como também fotografias e vida do artista. O Professor de Artes Cênicas, Fabio Fortes, produziu as encenações de cada obra. O conjunto destas práticas integrou o resultado de nossa peça, que encenou as obras em Português, Inglês e Espanhol.


Por estarmos em uma escola de horário integral, os alunos e os professores puderam interagir com mais facilidade. O encontro entre os pares é facilitado pela presença diária de todos na escola durante o período integral. Os ensaios aconteceram durante as aulas de Artes, nas aulas de Línguas e nos horários de Estudo Dirigido. Vale ressaltar a integração da equipe em prol deste resultado, que trabalhou com ensaios, cenografia, indumentária, organização, pronúncia, ritmo, cooperação mútua entre professores e alunos nesta realização. Foi um trabalho gratificante que uniu a escola e proporcionou aos alunos um contato efetivo com a obra e vida de Vinicius de Moraes”.

 


Os alunos do GEC Malba Tahan deram um show de talento e fizeram uma linda e emocionante releitura da obra de Vinícius de Moraes!

 

O painel que vemos ao fundo na foto abaixo e na foto destaque desta matéria foi criado pelos professores do GEC Malba Tahn a partir dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos nas aulas de artes.

 

 

 

 

No dia 20 de maio o GEC Malba Tahan foi convidado a reapresentar a peça Línguas de Vinicius, Sonetos de Moraes na abertura oficial do Projeto Teatro das Letras, no Centro de Formação de Professores Paulo Freire. Desta forma, as experiências proporcionadas aos alunos e ao grupo de professores envolvidos neste projeto enriqueceram o conhecimento e proporcionou uma grande valorização de suas práticas.

 

O Rioeduca congratula alunos, professores e equipe da direção do GEC Malba Tahan pelo brilhante trabalho.

 

Agradeço a parceria do professor Fabio Fortes nesta publicação.

 

Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Visitem, acompanhem e comentem os blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. Conheçam os blogs da 5ª CRE. Acompanhem, também, nosso grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE

Twitter: @rebiza

Facebook: Regina Biza

E-mail: reginabizarro@rioeduca.net

 

                               


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 29/01/2014

Ouvindo Mãos

Tags: 3ªcre, protagonismojuvenil, blogsdeescolas.

 

 

 

A professora Fabiana Costa, regente da Sala de Leitura, partilhou via e-mail uma atividade do Projeto Inclusão da E. M. Reverendo Álvaro Reis. A escola abraçou o uso da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS.

 

 

Parodio o livro Vendo Vozes, de Oliver Sacks para apresentar este projeto que envolve a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Ela é a primeira língua dos portadores de deficiência auditiva e precisa ser aprendida como nós aprendemos a falar português em nossa primeira infância com nossos familiares. É necessário estar imerso em um universo que utilize a língua de sinais para aprendê-la. Por isso, é importante o contato do aluno surdo com a língua em seu cotidiano.

 

 

“Desde o começo do ano, nós estamos, equipe da direção, sala de recursos, professores, funcionários e instrutor de LIBRAS, buscando uma escola que seja acessível a todos, onde todos possam ser protagonistas neste meio. Como ações para tal, estamos fomentando o uso de LIBRAS por todos os alunos, colocando etiquetas, ensinando alguns sinais de comunicação simples e a datilologia (alfabeto em LIBRAS), permitindo um convívio maior entre o alunado e o instrutor e outras atitudes.”, nos relata o professor Douglas Neves, da sala de recursos.

 

Ainda segundo o professor Douglas, ao projeto político pedagógico da escola Construindo a Cidadania com a Formação de Valores foi adicionado o subprojeto Valor da Inclusão porque: “No caminho para esta sociedade (mais justa), entendemos que se faz necessário trabalhar na perspectiva da inclusão, valorizando a diversidade e fomentando a aceitação das diferenças individuais, sejam elas quais forem". O objetivo é: “Uma escola inclusiva em que todos entram e todos aprendem.” 

 


 

 

Então, com o trabalho conjunto da sala de recursos, do instrutor de LIBRAS Augusto Machado e da sala de leitura, o projeto tomou forma. Os alunos das turmas do quarto e quinto anos foram apresentados à língua de sinais e conscientizados da sua importância. Uma oficina de LIBRAS realizada pelo instrutor ensinou e fomentou o uso da língua de sinais na escola. Foram colocadas etiquetas com alguns sinais mais simples e o alfabeto de sinais (datilologia) foi divulgado. Uma música foi escolhida e, com ajuda das professoras Tatiana Moraes, da turma 1401, e Hebe Duarte, da 1501, os ensaios começaram.

O resultado podemos ver no vídeo que mostra a festa de Páscoa da escola. O intérprete de LIBRAS foi o cinegrafista emocionado do evento que registrou, entre lágrimas, a apresentação da música “cantada” na língua de sinais.

 

 

A inclusão, então, ocorre em uma via de mão dupla. O professor Douglas ainda arremata:

 

“Crescem todos: nossos alunos DA (deficientes auditivos) aprendem sua língua primeira em um ambiente em que esta é valorizada e os que não o são acabam apreendendo mais uma língua e um universo de possibilidades.”  

 

Visitem o blog da escola para conhecer um pouco mais o trabalho e o projeto. Deixem seu comentário por lá também.

 

 

 

Angela Freitas é Professora da Rede Municipal e

representante da 3ª CRE, no Portal Rioeduca.

E-mail: angela.freitas@rioeduca.net

twitter @angeladario

facebook Angela Regina de Freitas

RIOEDUCA/3ªCRE

 

 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share

Sexta-feira, 24/01/2014

Projeto Web TV Figueiredo Pimentel

Tags: 5ªcre, protagonismojuvenil.

O projeto Web TV desenvolvido na Escola Municipal Figueiredo Pimentel vem sendo uma experiência bastante positiva, pois é visível o interesse e a participação dos alunos em espaços da escola como a sala de leitura e a de informática.

 

 

A Escola Municipal Figueiredo Pimentel vem desenvolvendo o projeto Web TV, levando seus alunos a participação neste projeto bastante positivo, tendo participação maciça dos alunos em espaços da escola como a Sala de Leitura e a de Informática.


Para concretizar este projeto, criou-se um espaço da unidade escolar na web agregando atividades já realizadas na própria escola, tais como: a antiga “Rádio Web” (Rádio Malagueta), o extinto “Jornal Malagueta” e o “Projeto Memória Local”, todos com resultados diferentes.


Segundo o Professor Sidney Jr., regente de turma da disciplina de Geografia: “o projeto da 'Rádio Web' não foi à frente devido a várias dificuldades com a elaboração das mídias, com a visão que os alunos deram ao projeto-rádio e com o próprio momento em que a escola passava na época. Os alunos e os professores envolvidos não dominavam os programas necessários. Mesmo com um grupo de docentes motivados, os alunos achavam chato por não ser visual. O 'Jornal Malagueta' também não foi à frente, pois sua reprodução para toda a comunidade escolar gerava um custo elevado e não se podia pagar por esse serviço. Também não agradou muito aos alunos por ser somente papel e muitas vezes iam para o lixo. Já o 'Projeto Memória Local', em parceria com o Município do RJ e com o Museu da Pessoa, deu bastante certo, pois foram várias etapas em meses diferentes, em que os professores trocavam experiências com outros educadores e depois trabalhavam em aula com a turma. A grande parte do material era visual, entre desenhos e vídeos, e isso fazia o aluno buscar perguntas sobre determinado tema, a voltar ou se ver na infância, além de realizar a leitura de imagens, visão de perspectivas entre outros. Em sua culminância, derivaram exposição e vídeo, que viraram materiais disponíveis a outros alunos na nossa nova sala de leitura”.

 

 

Alunos que participam do projeto.

 


Ainda segundo o professor Sidney, “o gancho para o atual projeto é justamente reverter a nosso favor (unidade escolar) a grande problemática da frequente utilização dos aparelhos eletrônicos em sala de aula. É tentar utilizar a mídia internet e seu vasto material com o que eles gostam de fazer, com o prazer e acessibilidade (domínio) a computadores e programas de vídeos. A elaboração da TV é bem mais viável, pois ferramentas como o Windows Movie Maker e o site do Youtube já fazem parte do universo de nossos alunos que, além de tudo, também gostam de produzir seus próprios vídeos”.

 

O professor nos relata que ao consultar os alunos sobre a possibilidade de se elaborar um espaço TV da escola na internet, estes se mostraram bastante motivados em tal criação. Um fato que ajudou na imaginação é que cenas parecidas com a ideia proposta estão na programação da TV Globo com a Malhação, novela jovem vista pelos alunos.

 

“A proposta foi oficializada e vem sendo trabalhada na turma 1801, turno manhã, na escola, porém o objetivo é abrir para as demais turmas e isso está sendo feito pela coordenação da escola, em parceria com outros professores. Os assuntos dos vídeos são escolhidos pelos alunos e o único pedido é que seja de interesse de todos. De atualidade a curiosidade.

O curioso e bastante positivo é que os dois primeiros vídeos enviados foram temas até certo ponto complexo e chato, caso fosse abordado pela escola: Bullying e tráfico humano. Tamanha empolgação inicial não havia sido necessária para acreditar que o projeto fosse à frente. Não acreditei no retorno todo mesmo! Não já de imediato. Estamos em fase embrionária e já demos alguns passos importantes”.

 

 

Por conta destas atividades extraordinárias em que alunos são os protagonistas, a escola vê positivamente grupos interessados frequentando a sala de informática e buscando materiais na sala de leitura.

 

Parabéns ao grupo de professores envolvidos e a Coordenação Pedagógica da escola, por mais esse projeto estimulante. Agradeço ao professor Sidney Jr., regente de Geografia, a participação no relato do projeto.

 

Conheça mais projetos e atividades no blog da E. M. Figueiredo Pimentel:
http://figueiredopimentel2012.blogspot.com.br/

 


Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades que impactaram a aprendizagem de seus alunos. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

Visitem, acompanhem e comentem os blogs das Escolas da Rede Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro. Conheçam os blogs da 5ª CRE. Acompanhem, também, nosso grupo no Facebook: https://www.facebook.com/groups/rioeduca5cre/

 

 

Professora Regina Bizarro _ Representante do Rioeduca na 5ªCRE
Twitter: @rebiza
Facebook: Regina Biza
reginabizarro@rioeduca.net

 

                               


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 23/12/2013

Museu de Arte do Rio de Janeiro

Tags: 6ªcre, protagonismojuvenil.

 

 

O Núcleo de Arte Grande Otelo realizou no mês de novembro uma visita guiada ao Museu de Arte do Rio (MAR) com os alunos das oficinas. O objetivo foi criar um espaço de amplificação das experiências sensíveis e reflexivas da arte, da cultura e da cidade.

 

Os passeios escolares são sempre esperados com ansiedade pelos alunos. As crianças não veem a hora de embarcar no ônibus para fazer a excursão. Esses momentos, além de divertirem os alunos, enriquecem a aprendizagem.

 

As visitas guiadas são fundamentais para a formação integral dos estudantes. As atividades culturais ampliam a visão de mundo e a bagagem de conhecimento dos alunos. Eles ajudam, entre outras coisas, na visualização e aplicação de conceitos teóricos.

 

Por isso, o Núcleo de Arte Grande Otelo levou os alunos, no mês de novembro, para uma visita ao MAR - Museu de Arte do Rio de Janeiro. Foi uma tarde maravilhosa! Uma imersão no mundo da arte, tendo como pano de fundo o Rio de Janeiro. Essa ação fez parte do fio condutor de 2013 do Núcleo, visando desenvolver novos conceitos estéticos com aprofundamento no conhecimento da arte.

 

Às terças-feiras, o MAR é gratuito para todos. O valor do ingresso geral é R$ 8,00 e quem é beneficiado pela meia entrada paga R$ 4,00.

 

A visita educativa oferecida pelo MAR tem por objetivo criar um espaço de amplificação da experiência do museu. Através de diálogo e proposições práticas que envolvem o público e os educadores, os guias se propõem a intensificar as experiências sensíveis e reflexivas da arte, da cultura e da cidade.

 

Ao chegar no museu, os mediadores Jandir Júnior e Clarissa Godoy, do setor Educativo do MAR, fizeram o acolhimento dos alunos e passaram alguns procedimentos pra o sucesso da visita. Os estudantes foram divididos entre os guias, professores e responsáveis que estavam compondo o grupo.

 

Alguns alunos ficaram no quinto andar e os outros foram para a cobertura do prédio, onde funciona a Escola do Olhar, cuja proposta é formar professores e alunos a partir da conjugação de arte e educação.

 

Os alunos ficaram impactados com a vista do terraço! A Ponte Rio-Niterói sobre a Baía de Guanabara deixou os alunos sem fôlego! Eles avistaram também uma construção que está sendo erguida no píer onde será, em breve, o Museu do Amanhã. O monitor aproveitou para contar um pouco da história da arquitetura em que a instituição está instalada.

 

Os estudantes foram divididos entre os mediadores, professores e responsáveis.

 

Os alunos observaram várias maquetes retratando o museu e toda a região portuária.

 

Exposição baseada no artista Hélio Oiticica, que proclamou um estado típico da arte brasileira.

 

O grupo que estava com o mediador Jandir conheceu duas exposições. Uma estava no primeiro andar e tinha como tema a Vontade Construtiva. A segunda ficou exposta no terceiro andar, onde o público foi convidado a conhecer telas, projetos, fotos e objetos que retratavam, documentavam e homenageavam a cidade do Rio de Janeiro.

 

Ao descer os lances de escada, este grupo se deparou com uma talha da igreja dos Cléricos, demolida para a passagem da Avenida Presidente Vargas. Os alunos contemplaram várias pranchas de desenhos e maquetes que o artista Hélio Oiticica criou em 1970 para o cenário do filme A Cangaceira Eletrônica.

 

Ao retornarem para o Núcleo de Arte, os alunos contaram para os outros colegas como foi a visita, elaboraram redações, relatórios e desenhos sobre a aula passeio. Fizeram, ainda, uma seleção das fotografias tiradas e publicaram no blog.

 

A visita foi muito prazerosa! Os mediadores fizeram uma grande interação com os estudantes, estimulando-os a voltarem com sua família e amigos. Deixaram, com certeza, um gostinho de quero mais em cada aluno!

 

Atentos à mediadora, os alunos tiveram a oportunidade de falar um pouco sobre suas experiências no dia a dia na cidade do Rio de Janeiro.

 

A instalação do projeto Morrinho mostra uma nova percepção sobre a vida na comunidade.

 

Parabéns a todos os professores do Núcleo de Arte Grande Otelo pelo belo trabalho que realizam! Ao aproximar os alunos do mundo da arte, vocês estão contribuindo para o crescimento humano, estão ajudando os alunos a entender o mundo em que vivem; desenvolvendo, assim, a atenção, incentivando o gosto por outras disciplinas e, principalmente, fazendo-os pensar.

É um orgulho ter o trabalho dessa equipe de sucesso no Portal Rioeduca!

 

"A arte não vai mudar o mundo, mas se ela mudar a maneira de ver o mundo, ela poderá nos ajudar a modificá-lo."

Paulo Herkenhoff

 

Quer conhecer um pouco mais do trabalho do Núcleo de Arte? Visite o seu blog clicando AQUI! Até a próxima semana!

 

Professora Patrícia Fernandes - Representante do Rioeduca na 6ª CRE
E-mail: pferreira@rioeduca.net

Twitter: @Paty_PFF

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share