A A A C
email
Retornando 229 resultados para a tag 'professor'

Segunda-feira, 13/11/2017

Projeto: Presente, Professor!

Tags: 6ªcre, dia do professor, presente professor.

 

O projeto “Presente, Professor!” foi idealizado pela Coordenadora da 6.ª CRE, professora Rejane Faria. Ele tem por objetivo valorizar o professor da escola pública em seu fazer diário, destacando sua importância na formação de todos os profissionais que atuam na sociedade. Está previsto para acontecer, anualmente, em outubro, na semana do dia do professor.

 

Prof,ª Rejane Faria (destaque amarelo) foi aluna da E. M. Max Fleiuss

 

A professora Rejane Faria apresentou o projeto “Presente, professor!” para toda a comunidade da 6.ª CRE com o propósito de convidar a Sociedade Civil, o Legislativo, Executivo e Judiciário a voltarem nas Unidades Escolares em que estudaram em sua infância e/ou juventude, no período que compreende a semana do professor (15 de outubro) para agradecer e destacar a importância deste profissional na sua formação e para a sociedade. 

Como este ano, o dia do professor caiu em um domingo, o projeto foi realizado na semana de 16/10 a 20/10. A Coordenadora da 6.ª CRE visitou a E. M. Max Fleiuss e a E. M. Comandante Arnaldo Varela, escolas em que estudou em sua infância e juventude.Hoje voltei nas Unidades Públicas em que estudei para agradecer. Levei uma maçã e um girassol para entregar ao professor mais antigo da unidade, simbolizando todos os que ali atuaram ou atuam. Fui na E. M. Max Fleiuss e E. M. Comandante Arnaldo Varela. Na Arnaldo estive com Dona Elba, que lembrou de mim. Muita emoção! Chorei muito! Recebi de presente uma linda caixa com um desenho do prédio feito por um aluno e minha ficha foi resgatada. Foi um dos melhores presentes da minha vida! Estou extremamente feliz! Agradecida Dona Elba! Gratidão aos professores que contribuíram em minha formação. Salve a Escola Pública e a excelência de seus profissionais! Presente, professor! Nós somos a SME Carioca! Nós somos a SeXta CRE!”relato emocionado da prof.ª Rejane Faria.

 

E.M. Comandante Arnaldo Varella

 

As demonstrações de carinho nas redes sociais para com Dona Elba e as escolas visitadas foram gratificantes! Confiram algumas delas:

“Que lindo! Emocionante! Dona Elba também foi minha professora inesquecível!” Cristina Oliveira (professora e integrante da equipe da 6.ª CRE/ AAI)

“Saudades dos amigos da Comandante Arnaldo Varela! Elba .... mais que professora ... EXEMPLO! Fico feliz por ter sido sua colega de trabalho!”Elaine Simões (professora e diretora da E. M. Mário Piragibe)

“Muito bonita a iniciativa. Nós e as escolas que amamos. Referências para uma vida toda.”Márcia Elisa Rendeiro Oliveira (professora e integrante da equipe da 6.ª CRE/ GED)

“Estudei na Arnaldo Varela e só tenho ótimas recordações. Professores nota 1.000!”Cláudia Brito (professora)

São esses momentos que impulsionam o professor a caminhar. Não tem preço!” Denise Macieira (professora)

“Obrigada pela flor Rejane Faria! Estas foram as primeiras escolas que trabalhei: 1970, Max Fleiuss e 1971, Arnaldo Varela. Gratidão!” Cida Custódio (professora)

 

E.M. Max Fleiuss

 

“Show! Também fui aluna da Max Fleiuss e depois professora desta unidade. Salve a rede pública!” Amélia Oliveira (professora)

“Rejane Faria, eu amei a ideia! Parabéns! Vou fazer o mesmo na E.M. França, escola na qual estudei todo meu ensino fundamental.” Mônica Maria (professora)

A E. M. Mestre Valentim, localizada em Pavuna, também aderiu ao projeto “Presente, professor!”. Segundo a professora Luciana Moura, diretora da Unidade Escolar, foi um momento muito especial e de grande emoção. “Temos três funcionários que foram alunos de nossa escola. Tia Deuzemar, que recebe todos tão bem logo no portão. O professor Régis, de Educação Física, que os pequenos amam. Heloísa Helena, que nos ajuda a preparar nossos desejos mais loucos. É a escola pública dando bons frutos! E detalhe: todos amam a nossa escola, têm recordações muito especiais. E também recebemos a visita de alguns alunos que já passaram por aqui, mas vieram nos agradecer e abraçar de uma maneira toda especial. Obrigada professora Rejane Faria por nos sugerir um momento de tão boas recordações. Ficamos sabendo de cada história da nossa U.E. que nem sabíamos e algumas práticas relatadas que vamos até retomar. Nós somos a SeXta CRE!”declaração da diretora da E. M. Mestre Valentim

 

E. M. Mestre Valentim

 

E aí, lembrou do seu professor inesquecível? Lembrou da escola em que estudou na infância, na adolescência ou na fase da juventude? Possivelmente, você deve estar lembrando de cada detalhe sobre o modo como ele atuava e dos ambientes de sua escola.

Com certeza eles ajudaram a transformar sua vida e a de muitas crianças e jovens. Nosso respeito, agradecimento, reconhecimento e amor aos colegas, professores da SeXta CRE, que doam muito mais do que conhecimento. Acreditam e diariamente constroem uma escola pública de qualidade e excelência para todos e cada um. Nosso imenso respeito! Feliz dia do professor!!!

 

Quer saber um pouco mais sobre o projeto “Presente, Professor!”?

Entre em contato com a 6.ª CRE! 

6.ª Coordenadoria Regional de Educação

E-mail: cre06@rioeduca.net

Telefone: 3017-6989

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 06/11/2017

Professor Antônio, Medalhista Carioca da Educação

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, educacaofisica, professor.

 

Professor de Educação Física é homenageado com a Medalha Carioca de Educação, por desenvolver projeto de Educação Física Inclusiva.

 

Atuando na Rede Municipal de Ensino, desde 1994, o professor Antônio Carlos Fernandes desenvolve, desde 2015, Projeto de Educação Física Inclusiva na Escola Municipal Floriano Peixoto, escola localizada no bairro de São Cristóvão e que atende alunos da Educação Infantil ao Quinto ano do Ensino Fundamental.

 


Desenvolvido a partir da participação no Curso Portas Abertas para a Inclusão – parceria da SME, através do Instituto Helena Antipoff, Instituto Rodrigo Mendes UNICEF e Função Barcelona – o projeto foi pensado com o objetivo de criar e desenvolver atividades físicas inclusivas em que todos os alunos, com deficiência ou não, pudessem participar ativamente da aula.

 

 

Dentre diversos projetos desenvolvidos nas onze coordenadorias regionais de Educação, o projeto do professor Antônio foi escolhido para representar o Brasil em um Seminário da UNICEF, realizado na cidade de Barcelona.

 

 

E o projeto foi ganhando visibilidade, ultrapassando os muros da escola, levando os conhecimentos e práticas inclusivas à toda comunidade escolar, com envolvimento efetivo de professores, funcionários, responsáveis e alunos, além da rede de apoio que atende à escola.


Hoje, o projeto de Educação Física está incorporado ao Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Floriano Peixoto, com sua metodologia e atividades fazendo parte do cotidiano das aulas de Educação Física desenvolvidas na unidade, completamente integrada à rotina da escola.

 

 


Além de trabalhar ativamente para que a Educação Física inclusiva contribua para o sucesso do processo ensino aprendizagem dos alunos, professor Antônio é um apaixonado pela escola em que atua, sempre ativo na realização de eventos que movimentam e dão vida ao espaço escolar, contribuindo para maior integração entre os diversos atores que atuam na Escola Floriano: realiza Olimpíadas Escolares, incentiva e cria condições para que os alunos participem de torneios, Shows de Talentos, dentre outras atividades de cunho pedagógico e cultural.

 


A coroação do trabalho de qualidade que é desenvolvido pelo professor Antônio Carlos veio recentemente com o recebimento da Medalha Carioca de Educação, honraria concedida pelo Conselho Municipal de Educação e que elege personalidades que contribuem, de forma significativa, para a qualidade do Ensino na Cidade do Rio de Janeiro. A Cerimônia de Premiação ocorreu no último dia 24 de outubro, na Escola de Formação do Professor Carioca Paulo Freire.

 

Participação no Programa Papo Carioca, da Prefeitura do Rio , sobre a Medalha Carioca

Durante a Cerimônia, na Escola Paulo Freire, recebendo a Medalha das mãos da Subsercretária de Ensino, professora Nazareth

 

 

Para Antônio Carlos, “essa indicação veio como reconhecimento desse trabalho que a gente faz com muito amor e muita dedicação. Isso nos motiva, nos faz querer mais, o que é muito bom para os nossos alunos”, afirma.


Para Solange Comerlato, Coordenadora Pedagógica da Escola Floriano Peixoto, “o professor Antônio é um ser humano que acredita no protagonismo do aluno, ousa e permite que o outro ouse também, com credibilidade e sensatez que lhe são peculiares. Tem um ótimo relacionamento com a direção, coordenação, demais profissionais, responsáveis e alunos que atuam nesta unidade escolar. A Escola Floriano sempre investe, dentro do que é possível, para que este professor extravase a sua forma de ser, colaborando e acreditando no seu fazer".

 

São professores como Antônio Carlos que transformam a vida de milhares de crianças cariocas. Parabéns!

 

Pra Saber Mais:

Escola Municipal Floriano Peixoto

Direção: Otília Muller e Fátima Cardoso

Coordenação Pedagógica: Solange Comerlato

Telefone: 3895-8634

E-mail: emfpeixoto@rioeduca.net

 


  


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 04/05/2017

Conquistas e desafios no 6º ano Experimental

Tags: 9ªcre, sexto, ano, experimental, formação, professores, desafios, ensino, fundamental.

 

Na sala de aula da turma de 6º ano experimental do Ensino Fundamental na Escola Municipal George Washington os alunos encontram na professora Camila Gaspar, a regente de todas as disciplinas. Com organização pedagógica e integração das áreas de conhecimento, os alunos iniciam uma nova etapa educacional com poucas mudanças na estrutura, como nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Na fala da professora, os desafios e conquistas, de ser professor nesta modalidade.

 

“Ser professor do 6º ano experimental é um desafio, pois ”dar conta” de ensinar cinco disciplinas, sendo especialista em uma, exige planejamento e dedicação.”  Prof. Camila Gaspar.

 

(O PLANETA TERRA - movimentos de rotação e translação, estações do ano, inclinação do eixo)

 

A professora conta que, para trabalhar no sexto ano experimental, teve que refinar suas habilidades de combinar conteúdos, pois as disciplinas se relacionam entre si o que a tornou uma profissional mais versátil. O planejamento é pensado de forma que se aproveite a ligação entre os conteúdos das cinco disciplinas, dando ênfase as habilidades a serem adquiridas, trabalhando de forma interdisciplinar, numa visão menos fragmentada do conhecimento com aplicabilidade no dia a dia. Segundo a professora:


“As aulas são pensadas para facilitar a compreensão de como o mundo funciona, através do conhecimento de forma articulada, com práticas que tornam o conteúdo significativo no seu cotidiano e o motive a ser protagonista do processo de aprendizagem.”

 

PRODUZINDO TEXTO SOBRE A CAMPANHA “AQUI MOSQUITO NÃO SE CRIA”

 

A professora afirma a importância da participação nos encontros oferecidos pela Gerência de Educação da 9ª CRE, com a oportunidade de aprendizado através de um programa de formação específico para o professor de sexto ano experimental. Considera ainda fundamental a relação de parceria com a direção da unidade escolar, com a garantia de seu planejamento, incentivo e apoio de subprojetos e atividades específicos do sexto ano experimental.

 

CONSTRUINDO MAPAS MENTAIS

 

A LITOSFERA (TIPOS DE SOLO)

 

Para o professor Mario Sergio Mangabeira, responsável pelos encontros de formação dos professores do 6º ano experimental, na 9ª CRE: “Cada professor tem seu papel. Todos são importantes e contribuem decisivamente para a aprendizagem. É preciso conhecer, valorizar e levar em conta o potencial de cada colega! Há professores que são bons de organizar o material a ser usado, há os que são ótimos no uso das tecnologias, os que têm mais habilidades em determinada área de estudo... Se cada um colocar à serviço da equipe os seus melhores talentos, todos saem ganhando.”

A diversidade dos encontros contribui para a troca entre os pares com a equipe de acompanhamento, inclusive com experiências coletivas de formação. Em março aconteceu o planejamento pedagógico em conjunto com os professores novos divididos por quatro Polos de Planejamento no âmbito da 9@ CRE.

 

Polo de Planejamento na E. M. PRI Yolis da Silva. Dinamizadora: Professora Camila Jordino ( E.M 09.18.031 George Washington)

 

Polo de Planejamento na E.M PRI Professor Antonio Boaventura . Dinamizadora : Professora Sandra Manso

 

Polo de Planejamento na E.M PRI Dulce Araujo. Dinamizadora: Professora Andreia Nascimento ( E.M 09.18.044 Ernesto Nazareth)

 

Polo de Planejamento na E.M PRI Dalva Lazaroni . Dinamizadora: Professora Joyce Werneck (E.M 09.18.041 Antonia Vargas Cuquejo Cuquejo)

 

"Os professores trocaram experiências sobre o projeto, opções de planejamento e dicas para trabalhar de maneira articulada as disciplinas. Foram encontros menos teóricos e mais práticos", relata a professora Joyce Werneck, dinamizadora de um dos pólos de planejamento.



Parabenizamos os professores do Sexto Ano Experimental das unidades da 9ª CRE pela dedicação e compromisso com a educação de nossos alunos.

 


   
           



Yammer Share

Quarta-feira, 02/11/2016

Professores que Fazem a Diferença! Com Aniger Capano.

Tags: 5ªcre, dia do professor, professores que inspiram.

 

Professora Aniger Capano, da E. M. Malba Tahan, cria eletiva "The Game Club", um clube onde alunos interessados em jogos desenvolvem e programam seus próprios games através de ferramentas gratuitas disponibilizadas na internet.

 

"Eu amo meus alunos! Passo mais tempo com eles do que com minha filha, então sinto-me na obrigação de passar o que posso, assim como faço com ela." - Aniger Capano
 

 

Projeto The Game Club

O Projeto

Tudo começou com a ideia de usar a tecnologia como aliada no processo de ensino-aprendizado após um curso oferecido na escola pela parceria GITE e ONG RECODE. Assim, em 14 de setembro de 2016 na Escola Municipal Malba Tahan, foi criada a eletiva The Game Club, um “clube” onde alunos interessados em jogos poderiam desenvolver e programar seus próprios games, através de ferramentas gratuitas disponibilizadas na internet, orientados pela professora, e que pudessem ajudar no conteúdo das aulas ou, simplesmente, socializar e compartilhar com colegas informações sobre assuntos os quais se interessam, programando jogos utilizando tablets, celulares e netbooks.

 


Objetivo


Proporcionar ao aluno a oportunidade de participar do processo de ensino-aprendizagem passando de coadjuvante a cooperador efetivo. Ele terá a chance de ser um facilitador e de identificar suas dificuldades e de seus colegas e, com isso, programar jogos que transformem as aulas e os conteúdos mais atrativos. Além disso, os alunos podem compartilhar conhecimento e proporcionar maior interatividade e socialização.

 

 

Processo

Primeiramente os alunos interessados se inscreveram na eletiva. No primeiro dia de aula, a professora proporcionou uma disputa entre grupos. Os grupos jogaram na plataforma “Kahoot” (uma plataforma online de desenvolvimento de jogos) um jogo criado pela professora, um quiz, chamado “Você sabe tudo sobre games?” . As ferramentas usadas (gadgets) foram: Lousa Interativa, celulares e netbooks. Os alunos interagiram e tiveram facilidade em aprender como a plataforma funcionava. Após o jogo, a professora ensinou como fazer o registro e programar. Os grupos tiveram facilidade e cada um deles produziu um jogo com assuntos variados e todos jogaram os jogos uns dos outros.

No segundo dia de aula, alguns alunos chegaram com jogos diferentes criados em casa. O interesse foi tamanho que alguns fizeram mais de um jogo. A professora sinalizou que eles poderiam criar jogos utilizando informações de matérias nas quais têm facilidade, para jogar com amigos que tenham dificuldades. Português, Matemática, Ciências, entre outras. Assim aconteceu a ideia do torneio que haverá no final da eletiva como culminância do projeto, com data prevista para 30 de novembro de 2016.


 


Outra plataforma apresentada aos alunos foi a de criação de jogos no site “purposegames.com”. Nele os alunos tem oportunidade de criar jogos de combinação de imagem e palavras, combinação de frases e jogos de “múltipla escolha”, oferecendo inúmeras possibilidades de programação. Os alunos também não tiveram problemas em fazer registro e usar a plataforma, mesmo em inglês, pois tiveram também a orientação da professora assim como no caso do “Kahoot”. Alguns também criaram jogos no mesmo dia.

Para a culminância do projeto cada grupo criará seu jogo relacionado a uma matéria escolar. O jogo deve ser interessante. As turmas da escola jogarão e votarão no que julgarem melhor. O grupo vencedor receberá uma premiação. Isso servirá de estímulo para continuarem programando, colaborando com comunidade escolar e favorecendo o estreitamento do relacionamento entre professor/aluno e aluno/aluno.

 


 


Considerações

A eletiva é um ambiente misto, ou seja, de alunos de 7°, 8° e 9° anos, mas que, ao mesmo tempo, tem alunos com interesses comuns. Isso proporcionou uma interação muito bacana. A “competição saudável” também é algo a pontuar. Eles gostam de ver suas criações, seus jogos, sendo jogados por outros. Gostam de ensinar o que sabem através destas ferramentas. Eles aguardam ansiosos o dia da eletiva e comentam com os colegas de outras o que aprenderam e transferem este conhecimento. É gratificante ver esta troca.

 

Saiba mais:

Aniger Verônica Alves da Costa Capano é professora na E/CRE(05.14.029) - Escola Municipal Malba Tahan, de ensino integral que atende turmas de 7º, 8º e 9º anos. Ela leciona a disciplina de Língua Inglesa e também trabalha com 26 alunos em uma disciplina eletiva chamada “The Game Club”. A diretora (Valéria Valentim) e coordenadora (Viviane Passos) sempre apoiaram o projeto. A parceira GITE e ONG RECODE sempre estimularam a realização do mesmo. A reação dos alunos a respeito da eletiva: Eles adoram! Dizem que contam os dias para o dia da eletiva, para que os colegas joguem o que criaram. Se sentem felizes ao compartilhar o que criaram. E alunos de outras eletivas também pedem a professora para ensinar a programar ou pedem aos alunos da eletiva para fazerem o mesmo.

Parabéns à Escola Malba Tahan e a professora Aníger pelo trabalho de excelência, que reflete todo empenho e dedicação, proporcionando uma educação de qualidade aos seus alunos! São exemplos como esses que nos inspiram e que fazem toda a diferença na nossa rede municipal de ensino do Rio de Janeiro.

 

Sobre a escola:

E/CRE(05.14.029) - Escola Municipal Malba Tahan
Endereço: Av. Brasil 17.221
Bairro: Irajá
Telefone: 3373-2365 / 3373-2003
E-mail: emtahan@rioeduca.net


Escolas e professores, participem das publicações do portal Rioeduca enviando para o representante da sua CRE projetos desenvolvidos e/ou atividades bacanas e que gostariam de compartilhar. Clique aqui para saber o e-mail do seu representante.

 

 


 


   
           



Yammer Share