A A A C
email
Retornando 10 resultados para a tag 'cadernos'

Segunda-feira, 09/10/2017

Vamos ao Mercado?

Tags: 1ªcre, eventos, projetos, cadernos pedagógicos, letramento.

 

Professora proporciona experiência em matemática financeira aos alunos do 3º ano, a partir de sugestão retirada dos Cadernos Pedagógicos da SME.

 

Localizada no Imperial Bairro de São Cristóvão, zona norte da cidade, a Escola Municipal Floriano Peixoto sempre nos surpreende com seus projetos e atividades.

 

 


Desta vez, o destaque foi a atividade proposta pela professora Lucia Helena Tavares, regente da turma 1.302.


A proposta surgiu a partir do texto “O casamento da Cuca”, do Caderno Pedagógico do 3º bimestre. Após leitura do texto, a atividade foi organizar a festa de casamento do Curupira com a Iara. E aí começou a brincadeira! Para organizar a festa, precisaram comprar os ingredientes para preparar os docinhos e organizar o evento. E como comprar os produtos necessários? Foi aí que a professora sugeriu que os alunos montassem um Minimercado na sala de aula. As crianças e a professora trouxeram as embalagens de produtos usados em suas casas e assim surgiu o “laboratório” para as atividades de matemática financeira.

Os alunos organizaram a lista de compras. Precisavam de dinheiro. Foram ao “banco” sacar o que necessitavam para as compras, utilizando o “cartão de débito”.

 

Usando o dinheiro / sacando com cartão de débito


Enquanto isso, os responsáveis pelo trabalho no mercado organizaram as prateleiras, colocaram preços das mercadorias e atendiam aos clientes.

Os “clientes” , no mercado, enchiam seus carrinhos com as compras, dirigiam-se ao caixa, onde a compra era calculada . Pagavam e recebiam o troco.

 

As mercadorias nas pratelerias do Minimercado

 

E assim, a professora pode trabalhar vários conteúdos e conceitos matemáticos importantes para o dia a dia das crianças. E além dos conteúdos, valores importantes para a vida foram discutidos: o que eu faço quando recebo um troco maior que o devido? Na fila, eu dou a vez ao mais idoso?

 

CLIQUE NA FOTO PARA VER UM VIDEO DA ATIVIDADE

 

Depois de sacar, os clientes vão às compras

 


E a professora Solange Comerlato, coordenadora da Escola Floriano Peixoto, nos fala : “ Tenho muito orgulho dos professores que trabalham em parceria, que usam o concreto e aproveitam os fatos do cotidiano na sala de aula. Nossos professores valorizam os Cadernos Pedagógicos, importante instrumento vindo de nossa Secretaria e que tanto contribuem para o nosso fazer pedagógico, propriciando um trabalho integrando os diversos saberes, fazendo relações com diversas áreas do conhecimento. Tenho muito orgulho de ter a professora Lúcia na Equipe Floriano Peixoto. Atividades como essa são comuns em sua sala, fazendo parte do cotidiano da professora e dos alunos, que aprendem felizes com as propostas trazidas pela professora”

 

Aprender Brincando é muito mais prazeroso. Parabéns professora Lúcia!

Através da professora Lúcia, queremos parabenizar a todos os professores pelo Dia do Mestre. São professores como a Lúcia Helena que fazem a diferença na Educação Carioca e na Vida de nossas crianças! A Educação Carioca Agradece!

 

CLIQUE NA FOTO

Professora Lúcia Helena Tavares


 

Para Saber Mais:

Escola Municipal Floriano Peixoto

Direção: Otilia Muller e Maria de Fátima Cardoso

Coordenação Pedagógica: Solange Comerlato

Telefone: 3985-8634

E-mail: emfpeixoto@rioeduca.net


 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 04/08/2016

Bem-vindos ao Egito Antigo!

Tags: 3ªcre, cadernos pedagogicos, egito.

 

   

 

 

  Utilizando como base metodológica os conteúdos curriculares do 2ºBimestre - Primeiras Civilizações e os Cadernos Pedagógicos, a professora Iris Nogueira Ferreira de Aguiar apresentou aos alunos das turmas do Projeto 6º ano Experimental a história e o legado da civilização egípcia.

 

O resultado do trabalho desenvolvido foi uma exposição organizada nos diversos ambientes da escola para a apreciação de toda a comunidade escolar.

 

 

 

 

O objetivo principal foi o de promover a curiosidade e o hábito investigativo nos alunos. Contudo, outros objetivos foram apresentados:

  • proporcionar o trabalho em equipe;
     
  • desenvolver a leitura, escrita, pesquisa e confecção de cartazes;
     
  • construir maquetes e pirâmides utilizando o instrumento de medida (régua) e aplicando as proporções adequadas;
     
  • localizar nos mapas o Egito Antigo;
     
  • observar como o clima, o relevo e a hidrografia foram  determinantes para o desenvolvimento dessa sociedade e suas relações cotidianas;
     
  • identificar como o modo de se vestir, bem como se maquiar, indicavam a posição social do indivíduo na sociedade da época;
     
  • compreender como a técnica de mumificação auxiliou no desenvolvimento dos conhecimentos científicos e da medicina, e
     
  • perceber que a higiene, através dos problemas enfrentados pela infestação de piolho, pode afetar inclusive o modo de vida das pessoas.

 

Além dos objetivos pedagógicos alcançados, vale ressaltar que objetivos sócioafetivos foram igualmente valorizados, visto que demonstraram responsabilidade e compromisso durante todo o desenvolvimento do processo.

Durante a exposição demonstraram, também, domínio do conteúdo trabalhado, desenvoltura na explicação, e, sobretudo, alegria por se sentirem protagonistas.

 

 

Apesar do estudo sobre o Egito ter começado desde o início do segundo bimestre, o projeto efetivamente ocorreu entre os dias 09 e 24 de junho de 2016.

Fotos abaixo ilustram um pouco da execução dos trabalhos que integraram a exposição.

 

 

O trabalho de história do segundo bimestre foi estruturado de forma que possibilitasse um estudo das primeiras civilizações, e, dentre elas, o Egito Antigo, assunto que desperta muita curiosidade. Sendo assim, fizeram um trabalho dinâmico e interdisciplinar, que pudesse proporcionar a autonomia e o espirito investigativo dos alunos sobre essa antiga civilização.

A turma foi dividida em grupos e os subtemas relacionados ao antigo Egito foram sorteados. Para determiná-los, foram feitas observações durante as aulas sobre os assuntos que mais despertaram interesses nas crianças.

O projeto se desenvolveu durante duas semanas e meia. Nesse período, ocorreram pesquisas e reuniões em casa, porém todos os trabalhos foram realizados em sala de aula e sempre em grupos. Um cronograma do desenvolvimento possibilitou o acompanhamento das etapas do projeto, que teve como ponto alto uma exposição de trabalhos para visitação dos responsáveis e todos os alunos da escola.

 

 

Alguns depoimentos foram colhidos pela Professora Maria Rita Matarazzo, acompanhante do Projeto 6º ano experimental, em sua visita à exposição:

“Achei muito interessante, parecia até o Egito de verdade!” Fillype Garcia (Turma 1501)

“Eu gostei muito da exposição sobre o Egito, todos trabalharam igualmente. Amei o tema do nosso grupo, mumificação, mas não só o nosso, gostei do trabalho dos outros grupos também! Desta vez a turma se superou bastante!” Joseane de Souza (turma 1601)

“Eu achei que foi muito legal e que além de ensinar também aprendemos muito com tudo isso.” Julienny Lucinéa (turma 1601)

“Amei esse dia! A experiência de fazer uma exposição é única! Foi muito bom ficar em frente aos pais e aos alunos explicando o que aprendemos e mais ainda ver que eles estavam prestando atenção. Obrigado professora e pais por acreditarem na gente!” Yasmim Cruz (turma 1601)

“Eu gostei bastante! Na hora de explicar fiquei nervosa, mas depois nem liguei e daí foi muito legal!” Tainá (turma 1601)

“Esse projeto deu muito trabalho, mas foi maravilhoso poder ver os alunos interagindo e argumentando durante a atividade, ver a pesquisa realizada, perceber o empenho e responsabilidade que demonstraram durante a realização e apresentação da exposição. Tenho certeza de que aprenderam conceitos que os ajudarão na vida escolar e que se lembrarão desse dia para sempre!“ Professora Iris Nogueira, regente da turma 1601

 

 

Sobre a escola:

Inaugurada no dia 02 de agosto de 2011, a Escola Municipal José Aparecido do Prado Sarti, em Inhaúma, na Zona Norte da cidade, atende alunos da Região de Inhaúma e do Complexo do Alemão, da Pré-Escola ao 6º Ano.

Parabéns à equipe da Escola Municipal José Aparecido do Prado Sarti pelo trabalho realizado e, em especial, desenvolvido pelos professores do Projeto 6º ano Experimental.

 

 


 

                               

 

 

 

 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 22/06/2015

Caderno Pedagógico no Cotidiano Escolar

Tags: 6ªcre, cadernos.

 

 

 

O CIEP General Augusto César Sandino utiliza o Caderno Pedagógico nas turmas do 1º ano integrado com o projeto “Musicarte: construindo o futuro, essa é a nossa melodia!”. Vamos ver como esse trabalho acontece?

 

Para construir significado ao ler é fundamental ter constantes oportunidades de se enveredar na cultura da escrita e ir aumentando a competência linguística específica em relação à língua escrita. A equipe pedagógica do CIEP General Augusto César Sandino vem fazendo isso através da música e do caderno pedagógico.

 

Utilizando essas ferramentas, as turmas do 1º ano do Ensino Fundamental entraram em contato com materiais escritos variados e com a leitura feita pelos professores de muitos textos. Além disso, os alunos foram desafiados a participar de situações de produção no qual deveriam compor oralmente textos com destino escrito.

 

O cotidiano pedagógico das turmas do 1º ano do Ensino Fundamental no CIEP envolve atividades criteriosas visando desenvolver as habilidades de leitura, escrita e raciocínio lógico-matemático.

 

A criança que cresce em contato com a leitura e a escrita se apropria da língua de maneira mais autoral.

 

O fazer pedagógico dos professores é pautado no projeto “Musicarte: construindo o futuro, essa é a nossa melodia!” Nele, as músicas são portadoras textuais iniciais para desenvolver e ampliar os diferentes gêneros textuais utilizados no processo de alfabetização.

 

O trabalho com o caderno pedagógico, disponibilizado bimestralmente pela Rede Municipal de Ensino, oferece aos alunos possibilidades variadas de contemplar e articular o currículo. O caderno é utilizado de forma lúdica e prazerosa.

 

No primeiro bimestre, a turma 1.101 realizou atividades do caderno pedagógico que abordaram os seguintes pontos: observação e manuseio de textos a partir de suportes diferentes; utilização do conhecimento prévio do aluno; dedução e descoberta de informações; indagações sobre o texto e consciência fonológica, com rimas e aliteração.

 

O ambiente escolar deve estar repleto de atos de leitura e escrita, inserindo o aluno no mundo das letras.

 

As atividades propostas por esse instrumento foram ampliadas através da utilização de placas alfabéticas para destacar o nome dos animais do texto “História em três atos”. As crianças se divertiram e aprenderam muito observando a ausência e a troca de letras da leitura coletiva.

 

Os alunos desenharam, registraram, leram e fizeram as atividades com muita empolgação. Rapidamente perceberam que podemos formar outras palavras trocando apenas a letra inicial.

 

Nesse processo de aprendizagem, de maneira bem descontraída, foram trabalhados vários fonemas. Além disso, os alunos desenvolveram a consciência das palavras e sílabas. Esse trabalho vem contribuindo, de forma bem significativa, para formar alunos leitores e escritores.

 

Um ambiente alfabetizador não é aquele que contém somente material escrito. Mas aquele em que os diversos gêneros textuais estão presentes e sendo usados com uma função comunicativa.

 

Formar leitores e escritores requer um investimento significativo, que vem sendo feito por toda a equipe do CIEP General Augusto César Sandino com muita competência e amor.

 

Uma escola envolta em um clima leitor é o elemento que mais facilita o trabalho do professor que, no final das contas, é o responsável por fazer crescer, nas diferentes fases escolares, o gosto pela leitura e o domínio da escrita.

 

Parabéns a toda equipe do CIEP General Augusto César Sandino por ajudar a formar uma sociedade leitora! É um orgulho tê-los na 6ª CRE! 

 

Quer saber um pouco mais? Entre em contato com o CIEP General Augusto César Sandino!
Rua Praça Otacílio Pedro Vasco, S/Nº
Telefone: 3358-0553
E-mail: ciepsandino@rioeduca.net

 

Quer ter o seu trabalho divulgado no Portal Rioeduca? Entre em contato com a representante de sua CRE! Será um prazer ter você por aqui!

 

Prof.ª Patrícia Fernandes – Representante do Rioeduca na 6.ª CRE
Facebook: patrícia_pff@yahoo.com.br
E-mail: pferreira@rioeduca.net

 

 

                               

 

   
           



Yammer Share

Terça-feira, 11/09/2012

Material Dourado na Prática da Sala de Aula

Tags: 9ªcre, blogdeescola, cadernospedagógicos.

A professora Maria Helena da E. M. Professor Gonçalves na 9ª Coordenadoria Regional de Educação, vem desenvolvendo desde o início do ano, com a sua turminha do 3º ano, um trabalho com Material Dourado e Quadro Valor de Lugar que são conteúdos propostos pelos Cadernos Pedagógicos da SME.

 

 

 

 

A professora Maria Helena trabalhou com a turma 1301 conceitos da matemática, usando o Material Dourado* e o Quadro Valor de Lugar*. O trabalho foi realizado aproveitando tarefas propostas pelos Cadernos Pedagógicos da Secretária Municipal de Educação. Todos os conceitos de cálculos foram revisados usando o Material Dourado. A turma gosta muito de trabalhar com o material, que é de fácil manuseio e proporciona uma aprendizagem rápida, lúdica e eficiente.

 

Pelas fotos dá para perceber a animação e concentração da turma na atividade!

 

Parabéns, turminha!


 

 

 

 

 

 

Na Semana da Capacitação de Alfabetização do 1º ao 3º ano, que aconteceu no dia 31 de julho no auditório da 9ª CRE, a professora Maria Helena, foi convidada pela professora Natani, da equipe da GED (Gerência de Educação) da 9ª CRE, para realizar uma oficina de Material Dourado.

 

A participação dos professores foi enorme e a oficina foi um sucesso, como podemos constatar pelas fotos.


 

 

 

*Material Dourado:
A utilização do Material Dourado ajuda na compreensão do Sistema de Numeração Decimal posicional no qual está baseada a escrita numérica tanto aqui no Brasil quanto na maioria dos demais países do mundo, além de auxiliar na aprendizagem dos métodos para efetuar operações fundamentais (algoritmos).

 

No ensino tradicional, as crianças acabam "dominando" os algoritmos a partir de treinos cansativos, mas sem conseguirem compreender o que fazem. Com o Material Dourado a situação é outra: as relações numéricas abstratas passam a ter uma imagem concreta, facilitando a compreensão. Obtém-se, então, além da compreensão dos algoritmos, um notável desenvolvimento do raciocínio e um aprendizado bem mais agradável.

 

O Material Dourado faz parte de um conjunto de materiais idealizados pela médica e educadora italiana Maria Montessori.

 

Fonte:http://casadamatematica.blogspot.com.br/2008/08/material-dourado.html (acesso em09/09/2012)

 

*Quadro Valor de Lugar:
O nome diz tudo. Refere-se ao conceito de distribuir corretamente os algarismos de um número nas ordens das unidades, dezenas e centenas, em cada uma das classes que formarem, as quais podem ser das unidades, dezenas, centenas, etc.


 

Parabéns professora Maria Helena pelo excelente trabalho desenvolvido e a equipe da E. M. Professor Gonçalves por manter o blog da escola atualizado possibilitando desta forma o compartilhamento das suas atividades.

 

 

Estas e outras atividades podem ser vistas no Blog da escola clicando na imagem abaixo:

 

 

 

Venha compartilhar conosco suas atividades.

Entre em contato com a representante da sua CRE,

basta clicar na página Sobre Nós do Portal Rioeduca.

 

Contatos da Representante da 9ª CRE:

Profª Márcia Cristina Alves
E-mail: marciacerqueira@rioeduca.net
Twitter: @marciacrisalves

 


 

 

                               

 

 

 


   
           



Yammer Share