A A A C
email
Retornando 315 resultados para a tag '9ªcre'

Quinta-feira, 19/10/2017

Era uma vez, a Pré escola da E. M. Floriano de Brito

Tags: 9ªcre, contos, pre escola.

 

 

 

Brincar, dramatizar e encenar as histórias faz parte da rotina das crianças da pré escola nas descobertas com o mundo da leitura. Foi assim que a turma da Educação Infantil da E. M. Floriano de Brito viveu durante o segundo bimestre uma inesquecível aventura com o Subprojeto CONTOS. 


As atividades ocorreram de forma sistemática e prazerosa no cotidiano da turma da Pré Escola com a ampliação do conhecimento das histórias infantis clássicas. Os objetivos definidos no planejamento atendiam as Orientações Curriculares da Educação Infantil, através da integração entre as áreas linguagem escrita e oral junto às artes. A aprendizagem concreta e significativa com atividades diversificadas e experiências enriquecedoras, fortaleceram valores como respeito, amizade, solidariedade e disciplina. Incutiram direitos e deveres através da ludicidade.
       

Tudo começou com a contação de história da Branca de Neve, tanto pela professora como por eles, levando em conta as gravuras e a sequência da história, e, resumo da mesma. Trabalharam a escrita do nome a partir do nome dos sete anões. A questão do espelho também foi bem explorada acentuando as características físicas e emocionais de cada sujeito.

O incentivo à boa alimentação também foi bem destacado através da maçã e inclusive foi bem discutido a questão dos agrotóxicos, como veneno, usado na agricultura, tema bem vívido na nossa comunidade, já que muitos pais trabalham na agricultura. Assim associamos o conto à realidade e vivência dos alunos.

O envolvimento e a identificação das crianças, com as características dos personagens e com o enredo da História da Branca de Neve, aconteceu de forma intensa. Desta forma, a culminância do Subprojeto Contos, ocorreu de maneira gratificante: uma linda apresentação da peça BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES, a qual demonstrou o desenvolvimento da oralidade, entrosamento e participação de toda turma.

 

 

 

 

Parabéns à dedicação e criatividade da professora Raquel Campos e de toda a unidade nas aventuras sobre gostar de ler com as crianças da Pré Escola. 

 

DADOS DA UNIDADE:

Escola Municipal Floriano de Brito

Endereço: Estr. Abílio Bastos, SNº - Campo Grande, Rio de Janeiro - RJ, 23097-000

Telefone: (21) 3406-2303

 

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 07/09/2017

Na alfabetização, o projeto identidade: respeito e amor

Tags: 9ªcre, identidade, alfabetização, projetos.

 

O projeto em questão se denomina Projeto identidade: respeito e amor,  que busca levar a criança a conhecer-se e reconhecer o outro. Saber que cada um tem seu jeito de ser e que deve ser respeitado pois isso é ato de amor e empatia. Na proposta realizada com a turma do 1º ano, da Prof. Thais Alcantara, da E. M. Prof. Antonio Boaventura, foram tratados os valores e a ética, de forma prazerosa e lúdica, para conscientizar o indivíduo em atitudes de respeito ao próximo.

 

[...] as crianças e os adultos precisam pertencer a um grupo social para comparar ideias e dividir experiencias com os outros. A proximidade cria vínculos que permitem cada um reconhecer a si e o outro[...]. Trata-se da comunidade como internalização do outro como um valor [...]. Comunidade pe uma qualidade do espaço que encoraja encontros, trocas, empatia e reciprocidade.
(Reggio Children, 2001, p.21)

 

O presente projeto dá-se início ao diálogo nas rodas de conversa com uma contação de história que geram discussão sobre o assunto tratado. Geralmente os livros tem intencionalidade na sua seleção gerando debates pelo grupo que apontam seus pontos de vista a respeito do tema tratado. O livro não “É MEU!NÃO EMPRESTO!” de Clarie Llewellyn trouxe várias situações cotidianas que foram apontadas pelas crianças além disse posicionamentos de opiniões foram ditas.Os assuntos abordados foram sobre família, escola, diferenças, regras de convivência (essa criada pelos alunos da turma e afixada em cartaz), situação-problema, amizade etc. 

 

Um relato:
Na contação da história “GENTE QUE MORA DENTRO DA GENTE” de Jonas Ribeiro, ao falarmos da capa tratando de suas inferências foi observado pela turma que se tratava do mundo, nesta oportunidade, de forma espontânea peguei meu Mapa Mundi e apresentei essa abordagem de maneira clara, além disso, entenderam que “todas as pessoas cabem dentro do nosso coração” (aluna Maria Alice) e momentos de abraços entre eles foram observados e registrados.

 

Outra proposta trabalhada foi o reconhecendo o eu e o outro. Neste trabalho foi necessário a utilização de um espelho para reconhecer-se.
Observar suas próprias características é o primeiro passo de perceber-se como indivíduo. Neste contexto foram utilizados livros que tratam da miscigenação brasileira e suas influencias na formação da cultura brasileira. Livros como Menino Poti de Ana Maria Machado, Menina bonita do laço de fita (Ana Maria Machado) e alencando temas como preconceito e bullyng nas rodas de conversa.



 

Um relato:
Uma criança negra ao escolher a cor para pintar a cor da sua pele pegou o lápis “cor de pele”. Surpreendo me neste caso em constatar que a criança não se reconhece e não se descreve como vê. Existem várias influências a respeito disso como a influência que a mídia incorpora na sociedade com a beleza-padrão que é europeia.

 

Em concordância com o tema identidade, criamos o boneco da turma. Logo no início, contou com a participação da família doando, quando possível, itens para confecção do boneco de pano. As primeiras experiencias relacionaram-se com a disciplina Ciências e seus objetivos nos descritores do 2º bimestre, com o assunto partes do corpo: cabeça, tronco e membros.
 

Com as partes da meia cortados cada criança ajudou a montarmos o corpo do boneco apontando suas características e respectivas funções. Além disso, fizemos o registro com o corpo de uma criança:

    

O próximo passo foi criar uma conversa sobre a história do boneco. Para isso foi criado com texto coletivo a história do boneco.

 

Também houve a participação dos responsáveis na sugestão de um nome e seu significado, no dia que os alunos trouxeram os nomes foi feita uma votação para escolha do nome. O nome do boneco que venceu foi Antônio por homenagear o professor Antônio Boaventura cujo o nome atual da escola.  Houve ainda a escolha do local de nascimento do boneco Antônio, que se desdobrou em outras atividades como o chá de bebê pelo seu nascimento. 

 

  

 

 

 

 

A turma 1102 tem vivido muitas experiencias com o boneco Antonio. A partir delas, a professora Thaís tem realizado o trabalho de alfabetização com os alunos. Em situações significativas de escrita e leitura, as crianças tem registrado palavras em listas, textos, gráficos e tabelas.

 

 

          

 

As aventuras com o boneco Antonio acontecem nos diferentes momentos na escola, na contação de histórias e brincadeiras no pátio. E, estendem-se também às atividades de casa, nas visitas no final de semana. A família continua participando da vida do Antônio e das aprendizagens das crianças.

 

     

 

   

 

Último relato:

“A turma 1102 tem muitas questões ainda a trabalhar principalmente na área de relacionamento e solução dos problemas cotidianos, porém já se pode observar uma preocupação uns com os outros (quando machucam, quando choram querem saber porque e conversam).” Prof. Thais Alcantara

 

Parabens à Prof Thais e a Turma 1.102 pela riqueza de vivências na aventura de aprender a conviver, ler e escrever!

 

DADOS DA UNIDADE:

E. M. Primario Antonio Boaventura

Rua Nova Era, S/N, Campo Grande

Direção: Andriana e Andrea

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 24/08/2017

III Speling Bee - Soletrando em Inglês, na 9ªCRE

Tags: 9ªcre, spelling bee, inglês.

 

Aconteceu o III Spelling Bee (Soletrando em Inglês) no dia 14 de julho na 9ª Coordenadoria Regional de Educação. 

 

Spelling Bee promoveu a interação entre as escolas da 9ª CRE no desafio de soletrar em inglês. A idéia surgiu da iniciativa de alguns professores em fazer essa interação pedagógica dentro de sua unidade, utilizando o conteúdo do livro do aluno. A competição é dividida em 3 níveis: easy (fácil), médium (médio) e difficult (difícil). Os alunos têm como recurso pedir a tradução e a repetição dos itens que lhes foram designados, através de sorteio. 

A competição intra CRE possibilita visualizar o desempenho dos alunos através de seu grande esforço, e dar-lhes a oportunidade de experimentar situações como falar em público. Os participantes percebem através da prática o resultado de seu empenho acadêmico e inspiram uns aos outros em uma atmosfera é colaborativa e amigável.  Para os docentes, o mais marcante é testemunhar o resultado de seu trabalho. Para os responsáveis, a imensa emoção serve como incentivo ao apoio à vida acadêmica do filho. Escolas convidadas costumam abrilhantar os eventos com participações memoráveis. 

 

Confira alguns registros da competição!

A competição final aconteceu na E. M. Professor Antonio Boaventura e contou com a aprtiicçõa dos professores de Inglês, dos alunos finalistas e da Equipe organizadora.

 

Professor Mario Mangabeira apresentando a banca julgadora

 

Professores dos alunos participantes

 

Identificação de cada participante 

 

 

 

Momentos da competição

 

Apresentação de alunos convidados da E. M. 09.18.074 Embaixador Araújo Castro

 

Professores dos alunos participantes de segundo segmento

 

Apresentação de alunos convidados da E. M. 09.18.099  Professor Antônio Boaventura

 

 

 

Banca Julgadora

 

Professores dos alunos participantes de primeiro segmento

 

Parabenizamos todos os alunos das escolas participantes e os professores de Inglês parceiros.!!!

 


   
           



Yammer Share

Quinta-feira, 10/08/2017

CIEP Pontes de Miranda no Cultivo de Horta Hidropônica

Tags: 9ªcre, horta, hidroponia, técnicas agrícolas.

 

A horta hidropônica do CIEP Francisco Cavalcante Pontes de Miranda, em Campo Grande, teve início no ano de 2007 e até hoje envolve toda a comunidade escolar do CIEP Francisco Cavalcante Pontes de Miranda, que atende a 386 alunos de 1º ao 6º ano da Unidade Escolar e é realizada pelo Profº Lúcio Teixeira, de Técnicas Agrícolas.

 

O que é o CULTIVO DE HORTA HIDROPÔNICA? É uma técnica de cultivo de vegetais, dentro de uma estufa, que usa, ao invés do solo, água misturada aos nutrientes em uma caixa de solução. Diferentes hortaliças podem ser cultivadas neste modelo: alface, couve, almeirão, mostarda, salsa, rúcula, tomate, pimenta, manjericão, alho poro, aipo/salsão, por exemplo.

 

 

 

O professor Lúcio empenha-se em apresentar aos alunos, além de uma alternativa de cultivo de hortaliças economicamente mais viável, a disseminação da ideia de diminuição da agressão ao meio ambiente, uma vez que este tipo de cultivo evita a degradação do solo, tornado-se acessível a qualquer pessoa em qualquer local, desde que a área seja iluminada pelo sol.

 

Vantagens do cultivo em horta hidropônica:

  • Controle das condições climáticas dentro da estufa. Os vegetais não são atingidos por chuvas, ventos, geadas, seca, etc.
     
  • Diminuição significativa na ação de pragas e insetos;
     
  • Cultivo durante todo o ano;
     
  • Economia de água;
     
  • Uso de espaço reduzido para o cultivo;
     
  • Os vegetais são colhidos mais limpos.

 


Para ilustrar:

Informações no link http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/assista/tv/3582-educacao-ambiental-essencial

Assista, também, https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/05/15/escola-no-rio-capta-agua-da-chuva-para-regar-horta-plantada-por-alunos.htm
 

 

Parabéns a toda comunidade do CIEP Pontes de Miranda pelo cuidado e cultivo com a horta hidropônica.

Um agradecimento especial ao Prof. Lucio por todo empenho e dedicação com a Natureza e a Educação.

 

 

DADOS DA UNIDADE:

CIEP Francisco Cavalcanti Pontes de Miranda

Endereço: Estr. Moriçaba, S/n - Senador Augusto de Vasconcelos, Rio de Janeiro - RJ, 23016-620

Telefone:(21) 3394-0622

 


   
           



Yammer Share