A A A C
email
Retornando 323 resultados para a tag '6ªcre'

Segunda-feira, 17/04/2017

6ªCRE, Aqui é um Lugar de Paz!

Tags: 6ªcre, paz.

 

Nas últimas semanas, um grito ecoou por todas as Unidades Escolares da 6.ª Coordenadoria Regional de Educação. Diretores, professores, funcionários e alunos realizaram atividades em defesa da paz em nossa cidade e no ambiente escolar. Várias vozes e um único pedido: exigimos que nossas escolas sejam respeitadas como lugares de PAZ!

 

Escolas da 6.ª CRE são lugares de paz

 

A morte da nossa querida aluna Maria Eduarda, de treze anos, baleada nas dependências da Escola Municipal Jornalista e Escritor Daniel Piza, em Acari, comoveu, indignou e uniu diferentes pessoas na reflexão sobre a violência que devasta a vida de nossos alunos e impede nossos professores de cumprir sua missão. Várias atividades foram realizadas: palestras, confecção de desenhos e cartazes, debates, músicas, produções de textos, cultos ecumênicos, criação de ações específicas de propagação da paz entre outras.

 

A aluna Nathália Amorim, da turma 1901, do Ginásio Carioca Coelho Neto, em seu texto “Protegido pelo livro?”, deixa registrado a realidade vivida por nossas crianças.

 

“Silva, morador de uma comunidade, veio de uma gravidez indesejada da Joana, que tinha apenas 17 anos de idade. Joana e seu marido deram duro para criar o filho, para que não se tornasse só mais um envolvido, para que Silva fosse bem-sucedido. O pai de Silva, mesmo com as noites mal dormidas, levantava e dava duro pelo pão de cada dia. Na favela, em dias de operação, mal se dorme. Mesmo assim ele levantava e ia, para não deixar seu pretinho e sua preta em casa, com fome.

 

Toda comunidade escolar se uniu para pedir paz em nossa cidade e nas escolas

 

Silva cresceu um pouco e logo começou a estudar. Sua matéria preferida era às terças, Educação Física, ele adorava jogar! Silva tinha sonhos que queria realizar. Silva tinha medalhas que queria conquistar. Silva perdeu colegas, familiares e amigos ... O tráfico adotou e matou sem pena, sem deixar vestígios. Joana e seu marido sempre alertavam o filho dizendo: Seja um bom homem, seja honesto e bem-sucedido. Ninguém morre na escola lendo um bom livro! 

 

Silva foi para a escola como um dia qualquer, estava tudo ótimo. Mal sabia que naquele dia, assinariam, sem sua permissão, o seu atestado de óbito. Silva morreu de bala “perdida” que só se acha na infância pobre e negra todos os dias. Silva teve sua infância interrompida! Silva baleado, no chão do pátio, se deparava com a dor e sangue por todo lado. Silva foi morto dentro da escola pública com a blusa da prefeitura todo ensanguentado.

 

Pedidos de paz são feitos e ouvidos em todos os cantos da 6.ª CRE

 

Silva era um menino que foi exceção da frase: Ninguém morre na escola lendo um bom livro! Silva não foi o primeiro e nem será o último. É só esperar, não dou um mês para a bala se perder e matar um negro pobre outra vez. Quem matou? Quem deu o tiro? Todos nós que nos confortamos com essa situação. Fomos nós que puxamos aquele gatilho! ” - Nathália Amorim (G.C. Coelho Neto)

 

Diante de tudo isso, reivindicamos que nossas escolas sejam respeitadas como lugares de paz! Como disse o professor Arnon Duarte, diretor da Escola Municipal Paraíba, não podemos mais permitir que destruam nossa infância querida. Na escola se compartilha alegria. Na escola se propaga o amor. Deixe sua marca de paz por todo canto que for. A paz não é vendida e todos nós queremos ter. A paz de Deus é o que desejamos pra mim, pra ele, pra você.

 

Passeatas e reflexões com alunoss, professores e pais de alunos

 

Ele continua seu depoimento, emocionado, suplicando: Tenhamos forças para prosseguir. Trilhando os caminhos do bem, trazendo sempre um coração bom, fazendo o bem, sem olhar a quem. Que sejamos verdadeiros irmãos. Que tenhamos fé e muito amor. Que possamos transformar em paz toda tristeza e toda dor. Hoje o dia foi para conscientizar que tudo que a gente faz é em prol do nosso irmão e é sempre buscando a PAZ!Prof.º Arnon Duarte

 

De todos os cantos da 6.ª CRE e da cidade do Rio de Janeiro, se ouviu um canto de paz. De todas as pessoas se escutou um grito de paz. E todos os pés caminham e marcham em busca da paz. 

 

Culto ecumênico em homenagem à Maria Eduarda, aluna da E.M. Jornalista e Escritor Daniel Piza, baleada e morta 

 

Quer saber um pouco mais sobre o que nossas escolas estão fazendo para transformar seus espaços em um lugar de paz? Entre em contato com a 6.ª Coordenadoria de Educação da 6.ª Cre! 

E-mail: gedcre06@rioeduca.net

Telefone: 2457-0017 ou 2457-0023

 


Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 17/04/2017

Dengue: sua Ação é a Melhor Prevenção

Tags: 6ªcre, arboviroses.

 

 

O CIEP Adão Pereira Nunes está promovendo diversas atividades sobre a prevenção das Arboviroses. Uma delas foi promovida pela professora Gláucia Bispo com a turma do 2.º ano em parceria com outra turmas e professores da escola. Vamos conhecer o JornAdão?

 

As ações contra o mosquito Aedes foram realizadas em todas as turmas da Unidade Escolar

 

Esse trabalho teve como objetivo mobilizar os alunos da turma 1203 para realizar uma campanha contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Através de recursos midiáticos, os estudantes divulgaram os meios de prevenção contra estas doenças para toda a comunidade escolar. Eles queriam falar sobre este assunto tão comentado e discutido no momento de uma forma diferente, que saísse do convencional e, realmente, mobilizasse as crianças das outras turmas, os professores, funcionários e os responsáveis.

Foi pensando nisso que surgiu o JornAdão, uma mistura de jornal, programa de entrevistas e informativo que teve a intenção de alertar sobre os perigos das Arboviroses, esclarecendo dúvidas e deixando todos alertas para esse mosquito que, apesar de pequeno, causa grandes estragos. A produção do Telejornal convergiu com momentos de investigação da fluência na leitura de textos que exigem certa formalidade, bem como a leitura de palavras e frases mais complexas. Além disso, os professores aproveitaram para trabalhar tipologias textuais, conteúdos de ciências e matemática, bem como desenvolver a oralidade, o trabalho em conjunto, a criatividade, autonomia e responsabilidade.

 

Assista o Telejornal JornAdão

 

O CIEP Doutor Adão Pereira Nunes, localiza-se em Irajá, na frente do conjunto Habitacional Amarelinho, na Avenida Brasil, uma área dominada pela violência. Atende alunos da Educação Infantil ao Ensino Fundamental (1.º segmento), em horário integral. A criatividade com que a escola vem trabalhando as diversas particularidades do mosquito Aedes aegypti vem unindo, cada vez mais, a comunidade escolar com a comunidade do entorno. Isso traz ganhos para todo mundo, pois os estudantes são disseminadores de informações em seus lares. 

Através da educação a população terá condições de conhecer, aprender e participar diretamente de ações efetivas contra o mosquito Aedes aegypti. É preciso conscientizar alunos e familiares que a melhor forma de prevenir é agir com responsabilidade e levá-los a compreender que a solução está em nossas mãos. 

 

Com certeza, juntos somos mais fortes e no CIEP Adão, mosquito não se cria!

 

Quer saber um pouco mais sobre o que nossas escolas estão fazendo para combater as arboviroses? Entre em contato com a 6.ª Coordenadoria de Educação da 6.ª Cre!

E-mail: cieppnunes@rioeduca.net

Telefone: 3372-5440

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 


 


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 03/04/2017

E. M. Charles Anderson Weaver Vence o Concurso Carioquinha na Câmara

Tags: 6ªcre, carioquinha, câmara.

 

No segundo semestre de 2016, os alunos do 8.º ano, do Ginásio Carioca Charles Anderson Weaver, participaram do projeto Carioquinha na Câmara. A aluna Mayara Bruna foi uma das vencedoras do concurso de redação promovido pelo projeto.

 

O projeto Carioquinha na Câmara já levou mais de 700 alunos de 23 escolas públicas ao parlamento

 

O projeto “Carioquinha na Câmara” é uma iniciativa do Centro Cultural da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. O objetivo é dar aos alunos das escolas públicas a oportunidade de conhecer o Palácio Pedro Ernesto, bem como compreender o conceito de cidadania e aprender sobre a importância e o funcionamento do Poder Legislativo.

A equipe do Ginásio Carioca Charles Anderson Weaver acolheu o convite da Câmara e agendou uma visita guiada ao Palácio Pedro Ernesto. Lá, os alunos puderam acessar ao plenário e conheceram a história do lugar. Já na unidade escolar, eles foram orientados a escreverem um texto com o seguinte tema: A importância do poder legislativo no cotidiano das pessoas.

 

Entrevista da aluna Mayara Bruna à Rio TV Câmara sobre como o projeto aconteceu na escola

 

Como o projeto foi direcionado às turmas do 8.º ano, a Escola levou os discentes das turmas 1801, 1802 e 1803, ou seja, todo o contingente do período determinado pelo projeto. Durante o processo, os alunos ficaram sob a tutela e orientação da professora Paula Menezes, Coordenadora Pedagógica, e do professor William Diego de Almeida Silva, Língua Portuguesa.

A visita guiada foi um momento de muito aprendizado para alunos e professores. Todos conheceram a história do Palácio Pedro Ernesto e do homem que emprestou o seu nome ao edifício; aprenderam sobre a rotina dos vereadores da cidade do Rio de Janeiro, sendo levados, inclusive, a simularem discursos à tribuna.

No retorno à escola, os alunos tiveram uma palestra sobre o funcionamento e importância dos três poderes na democracia brasileira. Em seguida, um rico debate foi realizado, no qual os alunos puderam manifestar os seus entendimentos e críticas sobre o assunto. Foi uma oportunidade ímpar de conscientizá-los sobre a importância do voto e da construção da cidadania.

 

A aluna Mayara Bruna, vencedora do 3.º lugar do concurso de redação, faz a leitura do seu texto

 

Os alunos foram, então, convidados a escrever uma redação e a participar de um concurso promovido pela Câmara. Uma vez escritas, as melhores redações foram selecionadas e enviadas ao Centro Cultural da Câmara Municipal do Rio de Janeiro para concorrer com produções de outros estudantes.

As redações foram corrigidas por uma banca formada por professores da Secretaria Municipal de Educação, que declarou o texto da aluna Mayara Bruna, da turma 1802, como vencedor do terceiro lugar. No dia 13 de dezembro, o Centro Cultural organizou uma solenidade de premiação em que foram convidados a aluna vencedora, seus familiares, o professor responsável e a direção. A homenagem aconteceu no auditório do Palácio Pedro Ernesto, onde Mayara foi contemplada com uma câmera fotográfica digital.

O projeto foi um sucesso e superou as expectativas. Além da participação ativa dos alunos, que demonstraram interesse em aprender temas que não fazem parte do cotidiano escolar, a visita guiada proporcionou uma importante formação política dos estudantes.

 

Solenidade de premiação do concurso de redação

 

Parabéns à equipe gestora e aos professores do Ginásio Carioca Charles Anderson Weaver por oferecer aos seus alunos uma formação política, tão fundamental para que este jovem possa não apenas compreender a relevância da política, mas também participar dela como um potencial protagonista. Esse é o jovem que nosso país necessita, pois só assim se poderá realmente construir o caminho para uma nova geração mudar as práticas e não apenas a economia do país. É um orgulho tê-los na 6.ª CRE!

 

Quer saber um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pelo G.C. Charles Anderson Weaver? Entre em contato com a escola!

E-mail: emweaver@rioeduca.net

Telefone: 2407-2197

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!


   
           



Yammer Share

Segunda-feira, 20/03/2017

Oficina de Animação na Luta contra as Arboviroses

Tags: 6ªcre, arboviroses, núcleo de arte.

 

A oficina “Animação Trash”, do Núcleo de Arte Grande Otelo propôs aos alunos a criação de uma animação, na técnica stop motion, para alertar a comunidade escolar sobre as doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. 

 

Na oficina "Animação Trash" do Núcleo de Arte Grande Otelo, são recebidos alunos das mais diferentes idades e níveis escolares

 

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre e o mais viável ainda que já tenha visto alguma animação feita com esta técnica. Ela é muito usada por gigantes do entretenimento, como a Disney, e também na criação de animações caseiras e não tão luxuosas. Stop Motion é um método que utiliza a disposição sequencial de fotografias diferentes de um mesmo objeto para simular o seu movimento. Essas fotografias são chamadas de quadros e normalmente são tiradas de um mesmo ponto, com o objeto sofrendo uma leve mudança de lugar, afinal, é isso que dá a ideia de movimento.

A oficina coordenada pela professora Imaculada Conceição Manhães, a partir do projeto “Anima Fora Zika – Chikungunya – Dengue”, teve como produto final a criação de um vídeo, utilizando a técnica acima descrita, alertando a comunidade escolar sobre um problema que aflige a saúde pública de nosso país: as doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti. Para isso, eles utilizaram recortes de desenhos dos alunos.

 

Professora Imaculada Conceição

 

A realização deste projeto ofereceu aos estudantes várias oportunidades de experimentar, conhecer, trabalhar e refletir sobre a linguagem audiovisual, em especial a da animação, o que favoreceu a vivência de experiências artísticas e culturais no campo da arte do cinema. Eles puderam fazer uma conexão entre o artesanal (desenhos/recortes) e o tecnológico (edição no computador, captação fotográfica digital, pesquisas online), além de refletirem sobre ética, cidadania, respeito e cuidado e direito à vida.

O projeto durou por volta de quatro meses e aconteceu no segundo semestre de 2016. Ele foi intercalado com outras atividades de aprendizado dos elementos básicos de animação, das técnicas artesanais de animação: stop motion com recortes, com massinha e com bonecos; pixilation (animação com seres humanos); captação fotográfica das cenas “frame a frame” ou “quadro a quadro”; exercício de story board; edição entre outros.

 

Confecção de bonecos com massinha de modelar para realização da animação

 

Os professores realizaram conversas informais sobre as doenças causadas pelo mosquito e fizeram um levantamento sobre os seguintes pontos junto aos alunos sobre quem teve e/ou conhecia alguém que havia sido infectado pelo Aedes. Uma parceria foi feita com os professores das turmas regulares, onde estes realizaram com seus alunos pesquisas sobre o tema em questão: o que viram na televisão ou na internet; o que sabiam sobre a Zika, Dengue, Chikungunya e o mosquito transmissor.

Na sequência, os estudantes assistiram a vídeos de animação sobre o tema, em especial os do Projeto “Crianças contra a Zika”. Dentre eles, foi observado que alguns contavam histórias e outros, como os do projeto citado acima, eram videoclipes. Alunos e professores decidiram, então, que o vídeo criado por eles seria um videoclipe musicado.

 

Colocando em prática a técnica Stop Motion

 

Agora era só colocar a mão na massa! Foi criado um roteiro simplificado de quais cenas seriam importantes aparecer no vídeo. As crianças criaram os personagens e o cenário que deveria ter em cada cena de forma livre com grafite, lápis de cor, giz de cera, canetinha hidrográfica sobre papel A4. Os movimentos dos personagens e objetos desenhados e recortados para cada cena foram registrados quadro a quadro. Para a criação do vídeo final, forma selecionadas as cenas mais importantes para alertar as pessoas sobre os perigos das doenças causadas pelo mosquito e as formas de prevenção.

 

Pesquisa sobre a Dengue e confecção dos personagens, em papel, para compor a animação

 

A música para o vídeo clipe foi realizada graças à colaboração do professor Iuri e seus alunos. A aluna Stefany foi a encarregada de fazer a edição inicial das cenas. A edição final, com a sincronização do áudio, ficou por conta da professora Imaculada que, seguindo as sugestões dos demais alunos, concluiu o vídeo inserindo os créditos e as cenas editadas pela Stefany. O aluno Lucas Braz foi o responsável em fazer a animação digital da abertura. Foi um verdadeiro trabalho de parceria! 

A animação, resultado deste belíssimo trabalho educacional e de utilidade pública, foi apresentada na Mostra Final do Núcleo de Arte Grande Otelo para a comunidade escolar. Para a alegria de todos ela também foi selecionada para a 6ª Mostra Audiovisual Joaquim Venâncio, evento realizado desde 2011 pelo Núcleo de Tecnologias Educacionais em Saúde – NUTED, que reúne alunos e professores do ensino fundamental e médio em um encontro voltado à exibição da produção audiovisual estudantil.

 

Professor Iuri com seus alunos compondo a música do vídeoclipe

 

De forma lúdica, a metodologia desenvolvida para a produção de filmes animados estimula o desenvolvimento de diversas habilidades e competências fundamentais para o desenvolvimento de crianças e de jovens: criatividade, planejamento, síntese, abstração, concentração e comunicação. A linguagem da animação deve estar presente na sala de aula como fonte de conhecimento e ação para questões sociais e não apenas como um recurso didático, possibilitando a professores e alunos novas formas de expressão que os ajudem a viver na sociedade contemporânea, fortemente marcada pela presença do audiovisual. Parabéns aos professores e alunos do Núcleo de Arte Grande Otelo pelo trabalho desenvolvido com nossos alunos. É um orgulho tê-los na 6.ª CRE!

 

Vídeoclipe produzido na Oficina de Animação

 

Quer saber um pouco mais sobre a Oficina de Animação oferecida pelo Núcleo de Arte Grande Otelo? Entre em contato com a equipe!

Telefone: (21) 3358-1085

E-mail: nuclearteotelo@rioeduca.net

 

Não esqueça de deixar o seu comentário! Ele é muito importante para nós!

Até a próxima semana!

 

 


 


   
           



Yammer Share